Salmo 10

1 Por que, SENHOR, tu estás longe? Por que te escondes em tempos de angústia?

Por que, SENHOR, tu estás longe? – como se fosse um espectador indiferente à opressão sofrida por teu povo. “Por que” não é uma questão de incredulidade, mas uma queixa de fé, baseada na convicção de que a justiça de Deus não pode permitir que tal anomalia continue.

Por que te escondes em tempos de angústia? Davi faz alusão, em contraste, ao Salmo 9:9, “O Senhor é refúgio para os oprimidos, uma torre segura na hora da adversidade” (NVI). Por que continua um estado de coisas que parece contradizer o caráter do Senhor? [JFU, 1871]

2 Os ímpios, na sua arrogância, perseguem furiosamente o pobre; que sejam apanhados nas ciladas que planejaram.

que sejam apanhados nas ciladas que planejaram (compare com Sl 7:16Sl 9:15,16Pv 5:22).

3 Pois o ímpio se orgulha do desejo de sua alma, e o avarento amaldiçoa e despreza o SENHOR.

e o avarento amaldiçoa e despreza o SENHOR (NAA, A21) – ou então, [o ímpio] bendiz o avarento e despreza o SENHOR (ACF, NVT). O “avarento” aqui é aquele que se apropria do que não é seu por meio da violência, ou então da injustiça; esse tratamento que o ímpio dá aos pobres indica um desprezo a Deus (Sl 10:13; Is 1:4). [Kirkpatrick, 1906]

4 Em sua arrogância, o ímpio não o busca; Deus não existe em todos as seus pensamentos.

Deus não existe em todos as seus pensamentos. Não que os ímpios negassem verbalmente a Deus (ver Salmos 10:11), mas todos os seus planos e atitudes eram uma negação de Seu ser e caráter, como o Juiz que requer ou toma conhecimento do pecado (Tt 1:16). [JFU, 1871]

5 Os seus caminhos são sempre prósperos; muito acima e longe dele estão os seus juízos; a todos os seus adversários ele os trata com desprezo.

muito acima e longe dele estão os seus juízos. Há duas interpretações possíveis: para o salmista, os juízos de Deus parecem estar tão distantes que não são executados sobre o perverso, de modo que ele continua a prosperar; ou então, para o perverso, os juízos de Deus são uma coisa distante e impossível de acontecer.

6 Diz em seu coração: 'Jamais serei abalado; de geração em geração não me virá mal algum'.

de geração em geração não me virá mal algum – ou seja, nenhuma desgraça atingirá a minha descendência (NVI, A21); ou então, a desgraça nunca virá sobre mim (NVT, ACF).

7 Sua boca está cheia de maldição, enganos e ameaças; debaixo da sua língua há maldade e perversidade.

debaixo da sua língua há maldade e perversidade. A metáfora vem das serpentes, cujo veneno está escondido em pequenas bolsas sob os dentes, e dali é expelido conforme a sua vontade (Sl 140:3). Em vez de dizer, sobre a sua língua, o salmista diz “debaixo” dela, para sugerir que o próspero pecador tem todo um depósito do mal “debaixo da sua língua”, de onde, conforme a necessidade, ele tira um parte, para colocar sobre sua língua ao falar. Consequentemente, diz-se que a boca do pecador está “cheia de maldição”. [JFU, 1871]

8 Põe-se de emboscada próximo a povoados, em esconderijos mata o inocente; seus olhos espreitam o desamparado.

seus olhos espreitam o desamparado – ou seja, “está sempre à procura de vítimas indefesas” (NVT).

9 Ele arma ciladas no esconderijo, como o leão em seu covil; arma ciladas para apanhar o miserável: ele o apanha e o arrasta com sua rede.

Ele arma ciladas no esconderijo, como o leão em seu covil (compare com Sl 17:12Sl 59:3; Lm 3:10Am 3:4; Mq 7:2Na 2:11,12Zc 11:3Jo 10:12; Atos 23:21).

o miserável (compare com Sl 12:5Sl 35:10Sl 37:14Sl 109:31Jó 5:15,16Pv 14:31Pv 22:16Pv 28:15Is 3:15Is 32:7Ez 22:29Am 2:6,7Am 5:11,12Hc 3:14).

10 Ele se encolhe, se agacha, para que os pobres caiam em seu poder.

Ele se encolhe, se agacha, para que os pobres caiam em seu poder (NAA, NVI, ACF) – ou então, “As vítimas indefesas são esmagadas; caem sob a força do perverso” (NVT).

11 Ele diz em seu coração: 'Deus se esqueceu; escondeu o seu rosto, nunca verá isto'.

Deus se esqueceu. Este é o erro comum dos perversos. Visto que o julgamento de Deus não ocorre imediatamente após o crime, eles são levados a dizer: “Deus escondeu o seu rosto”, ele não sabe nada do que esta acontecendo. Compare com Sl 10:13; 73:11; Ez 8:12. [Whedon, 1874]

12 Levanta-te, SENHOR Deus, ergue tua mão; não te esqueças dos miseráveis.

ergue tua mão – para reivindicar o teu povo e ferir os ímpios (Mq 5:9; Êx 7:5; Is 5:25). A imagem é de alguém que estava com a mão parada no peito, na dobra da túnica oriental, e que a ergue a fim de agir. [JFU, 1871]

13 Por que o perverso blasfema contra Deus, dizendo no seu intimo que tu não lhe pedirás contas?

o perverso blasfema contra Deus (compare com Sl 74:10,18Nm 11:202Sm 12:9,10Lc 10:161Ts 4:8).

tu não lhe pedirás contas (compare com Gn 9:5Gn 42:222Cr 24:22Lc 11:50,51).

14 Tu, porém, tens visto isso, pois tu olhas para o sofrimento e a dor, para os tomares na tua mão. A ti é que o desamparado se entrega; tu tens sido o auxílio do órfão.

tu tens sido o auxílio do órfão – isto é, este é o caráter geral de Deus – o caráter no qual ele se revelou ao homem. Compare com Êx 22:22; Dt 10:18; Is 1:17; Sl 68:5; 82:3; Jr 49:11; Os 14:3; Ml 3:5; Tg 1:27. O salmista aqui se refere ao caráter geral de Deus como aquele em que todos os oprimidos, esmagados e desamparados podem confiar; e ele menciona este caso particular como aquele que melhor ilustra esse caráter. [Barnes, 1870]

15 Quebra o braço do perverso e do maligno; pede contas da sua maldade, até não encontrar mais nada.

Quebra o braço do perverso e do maligno – ou seja, “acaba com a sua força; tire a sua capacidade de fazer o mal aos outros” (Pulpit, 1895).

pede contas da sua maldade, até não encontrar mais nada (NVI, A21, ACF) – ou então, “pede contas da sua maldade, até que a descubras de todo (NAA).

16 O SENHOR é Rei eterno; da sua terra somem as nações.

A sentença “da sua terra somem as nações” foi explicada de várias maneiras como referindo-se (1) ao passado ou (2) ao futuro (profético perfeito). Se (1) se refere ao passado, o salmista encontra a garantia para o cumprimento de suas orações e esperanças no extermínio dos cananeus, ou então na destruição das “nações” mencionadas no Salmo 9:5-6,15. Como as nações já foram expulsas perante o povo de Deus, os ímpios devem finalmente dar lugar aos piedosos, e a terra de Javé se tornará de fato o que é em nome, a Terra Santa. Compare com frequentes os avisos a Israel de que o destino dos cananeus poderia ser o deles (Dt 8:19-20, etc.). Se (2) a sentença se refere ao futuro, é uma antecipação confiante (expressa como se já tivesse sido realizada) da destruição final dos opressores estrangeiros de Israel, incluindo, pode-se supor, todos os ímpios de quem eles são tipos.

A primeira explicação se ajusta melhor ao contexto. A queixa e oração do salmo são dirigidas contra opressores perversos dentro da nação de Israel, não contra inimigos estrangeiros. A antecipação da destruição de tais inimigos externos é estranha à linha de pensamento. Mas existe um apelo à história como base de esperança para o futuro. [Kirkpatrick, 1906]

17 SENHOR, tu ouviste o desejo dos necessitados; tu fortalecerás os seus corações, e teus ouvidos os ouvirão;

SENHOR, tu ouviste o desejo dos necessitados (compare com Sl 9:12,18Sl 37:4Sl 145:19Pv 10:24).

tu fortalecerás os seus corações (compare com Sl 112:7,81Cr 29:18; Pv 16:1).

teus ouvidos os ouvirão (compare com Sl 102:17Is 65:24At 4:24-31At 12:51Pe 3:12).

18 para fazer justiça ao órfão e ao afligido, a fim de que o homem, que é da terra, não sirva mais de terror.

para fazer justiça ao órfão – isto é, para reivindicar o órfão; para resgatá-lo das mãos daqueles que o oprimiriam e praticariam injustiça contra ele. Em outras palavras, o salmista ora para que Deus se manifeste no seu verdadeiro e próprio carácter como aquele que defende os órfãos (veja a nota no Salmo 10:14), ou daqueles que são representados pelos “órfãos” – os fracos e desamparados. [Barnes, 1870]

<Salmo 9 Salmo 11>

Visão geral de Salmos

“O livro dos Salmos foi projetado para ser o livro de orações do povo de Deus enquanto esperam o Messias e seu reino vindouro”. Tenha uma visão geral deste livro através de um breve vídeo produzido pelo BibleProject. (9 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao livro de Salmos.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles, com adaptação de Luan Lessa – abril de 2021.