Bíblia, Revisar

Salmo 109

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 (Salmo de Davi, para o regente:) Ó Deus a quem eu louvo, não fiques calado.

Deus do meu louvor – seu objeto, reconhecendo assim Deus como um certo ajudante. Não fique em silêncio (compare Sl 17:13; Salmo 28: 1).

2 Porque a boca do perverso, e a boca enganadora já se abriram contra mim; falaram de mim com língua falsa.

abriram – ou, “Eles abriram uma boca perversa”

contra mim – literalmente, “comigo”, isto é, sua relação é mentir, ou, eles me caluniam na minha cara (Mt 26:59).

3 E me cercaram com palavras de ódio; e lutaram contra mim sem motivo.

(Compare com Sl 35: 7; Salmo 69: 4).

4 Fizeram-se contra mim por causa de meu amor; porém eu me mantenho em oração.

Eles retornam mal para sempre (compare Sl 27:12; Pv 17:13).

me mantenho em oração – ou literalmente, “eu (sou) oração”, ou “quanto a mim, oração”, isto é, é meu recurso para conforto em aflição.

5 Retribuíram o bem com o mal, e o meu amor com ódio.
6 Põe algum perverso contra ele, e que haja um acusador à sua direita.

contra ele – um de seus inimigos proeminente em malignidade (Sl 55:12).

haja um acusador à sua direita – como um acusador, cujo lugar era a mão direita do acusado (Zc 3: 1, Zc 3: 2).

7 Quando for julgado, que saia condenado; e que a oração dele seja considerada como pecado.

A condenação é agravada quando a oração por alívio é tratada como pecado.

8 Sejam os dias dele poucos, e que outro tome sua atividade.

A bênção oposta é a vida longa (Sl 91:16; Pv 3: 2). A última sentença é citada como Judas por Pedro (At 1:20).

atividade – literalmente, “cobrar”, Septuaginta e Pedro, “supervisão” [1Pe 5: 2].

9 Sejam seus filhos órfãos, e sua mulher seja viúva.

Que sua família compartilhe a punição, seus filhos sejam como errantes mendigos a rondar em suas desoladas casas, um credor ganancioso e implacável compreenda sua substância, seu trabalho ou o fruto dela, persuadindo estranhos e não seus herdeiros, e seus desprotegidos, os filhos sem pai caem em falta, de modo que sua posteridade fracassará totalmente.

10 E que seus filhos andem sem rumo, e mendiguem; e busquem para si longe de suas ruínas.
11 Que o credor tome tudo o que ele tem, e estranhos saqueiem seu trabalho.
12 Haja ninguém que tenha piedade dele, e haja ninguém que se compadeça de seus órfãos.
13 Sejam seus descendentes cortados de vez; e que o nome deles seja apagado da geração seguinte.

descendentes – literalmente, “fim”, como no Salmo 37:38, ou o que vem depois; isto é, recompensa, ou sucesso, ou sua expectativa, da qual a posteridade era para um judeu uma parte proeminente.

14 Que a perversidade de seus pais seja lembrada pelo SENHOR, e que o pecado de sua mãe não seja apagado.

Que a iniquidade de seus pais seja lembrada, etc. – Somado à terrível derrota que se segue ao seu próprio pecado, que haja a imputação da culpa de seus pais, para que agora possa vir a Deus, para que Ele realize todas as suas consequências, cortando a memória deles (isto é, os pais) da terra (Sl 34:16).

15 Porém que tais coisas estejam sempre perante o SENHOR, e corte-se a lembrança deles da terra.
16 Porque ele não se lembrou de fazer o bem; ao invés disso, perseguiu ao homem humilde e necessitado, e ao de coração quebrado, para o matar.

Deixe Deus lembrar-se da culpa, porque ele (o ímpio) não se lembrou da misericórdia.

homem humilde e necessitado, e ao de coração quebrado – isto é, sofredores piedosos (Sl 34:18; Salmo 35:10; Sl 40:17).

17 Já que ele amou a maldição, então que ela lhe sobrevenha; e já que ele não quis a bênção, que esta se afaste dele.

Que seu amado pecado, amaldiçoando, venha sobre ele em punição (Salmo 35: 8), preencha-o completamente como água e óleo, permeando a cada parte de seu sistema (compare Nm 5: 22-27), e torne-se uma vestimenta e um cinto para um vestido perpétuo.

18 E ele seja revestido de maldição, como se lhe fosse sua roupa, como água dentro do seu corpo, e como óleo em seus ossos.
19 Que ela seja como uma roupa com que ele se cubra, e como cinto com que ele sempre põe ao seu redor.
20 Isto seja o pagamento do SENHOR para os meus adversários, e para os que falam mal contra minha alma.

Isto seja o pagamento – ou “salários”, pagar pelo trabalho, o fruto da maldade do inimigo.

do SENHOR – como Seu ato judicial.

21 Porém tu, Senhor DEUS, me trata bem por causa do teu nome; por ser boa a tua misericórdia, livra-me;

ferido – literalmente, “perfurado” (Salmo 69:16, Salmo 69:29).

22 Porque estou aflito e necessitado; e meu coração está ferido dentro de mim.
23 Eu vou como a sombra, que declina; estou sendo sacudido como um gafanhoto.

como a sombra – (compare com o Salmo 102: 11).

jogado para cima e para baixo – ou “dirigido” (Êx 10:19).

24 Meus joelhos estão fracos de tanto jejuar; minha carne está magra, sem gordura alguma.

Provocações e repreensões agravam seu estado aflito e fraco (Salmo 22: 6, Salmo 22: 7).

25 E eu por eles sou humilhado; quando me veem, sacodem suas cabeças.
26 Socorre-me, SENHOR Deus meu; salva-me conforme a tua bondade;

Que meu livramento glorifique Ti (compare o Salmo 59:13).

27 Para que saibam que esta é a tua mão; e que assim tu a fizeste.
28 Maldigam eles, mas bendize tu; levantem-se eles, mas sejam envergonhados; e o teu servo se alegre.

Confiante em que a bênção de Deus viria sobre ele, e confusão e vergonha em seus inimigos (Salmo 73:13), ele deixa de considerar suas maldições e antecipa uma temporada de ação de graças alegre e pública; porque Deus está perto de proteger (Salmo 16: 8; Salmo 34: 6) os pobres de todos os juízes injustos que o condenam.

29 Que meus adversários se vistam de vergonha, e cubram-se com sua própria humilhação, como se fosse uma capa.
30 Agradecerei grandemente ao SENHOR com minha boca, e no meio de muitos eu o louvarei;
31 Porque ele se põe à direita do necessitado, para o livrar daqueles que atacam a sua alma.
<Salmo 108 Salmo 110>

Introdução ao Salmo 109

O escritor reclama de seus inimigos virulentos, em quem ele imprime o castigo justo de Deus, e a uma oração por uma interposição divina em seu favor acrescenta a expressão de sua confiança e uma promessa de seus louvores. Este Salmo é notável pelo número e gravidade de suas imprecações. Seu caráter típico evidente (compare Salmo 109: 8) justifica a explicação destes já dados, que como a linguagem de David que respeita seus próprios inimigos, ou aqueles de Cristo, não respeita ao penitente, mas aos inimigos impenitentes e implacáveis. de bons homens, e de Deus e Sua causa, cujo inevitável destino é assim indicado pela autoridade inspirada.

Leia também uma introdução ao livro de Salmos.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados