Bíblia, Revisar

Salmo 17

1 (Oração de Davi:) Ouve, SENHOR, a minha justiça; presta atenção ao meu choro, dá ouvidos à minha oração de lábios que não enganam.
2 De diante de teu rosto saia o meu julgamento; teus olhos observarão o que é justo.

julgamento – absolvição julgamento.

da tua presença – Teu tribunal.

o que é justo – justas e corretas, você considera.

3 Tu já provaste o meu coração, tu me visitaste de noite; tu me investigaste, e nada achaste; decidi que minha boca não transgredirá.

provastevisitasteinvestigaste– Seu caráter foi mais rigidamente testado, em todos os momentos, e por todos os métodos, aflição e outros (Salmo 7:10).

propôs isso, etc. – ou, minha boca não excede meu propósito; Sou sincero.

4 Quanto às obras dos homens, conforme a palavra de teus lábios eu me guardei dos caminhos do violento;

obras de homens – práticas pecaminosas.

conforme a palavra de teus lábios – como um guia (Salmo 119: 9, Salmo 119: 11, Salmo 119: 95).

violento – homem violento.

5 Guiando meu andar em teus caminhos, para que meus passos não tropecem.

Pode ser lido como uma afirmação “meus passos ou viagens se apegaram a Teus caminhos”.

6 Eu clamo a ti, ó Deus, porque tu me respondes; inclina teus ouvidos a mim, escuta a minha palavra.

me ouvirá – isto é, graciosamente (Sl 3: 4).

7 Revela maravilhosamente tuas misericórdias, tu salvas aos que confiam em ti com tua mão direita daqueles se se levantam contra ti.

Revela – separado como especial e eminente (Êx 8:18; Salmo 4: 3).

tua mão direita – para o teu poder.

8 Guarda-me como a pupila do olho; esconde-me debaixo da sombra de tuas asas,

Figuras semelhantes, denotando a preciosidade do povo de Deus aos Seus olhos, em Dt 32:10, Dt 32:11; Mt 23:37

9 De diante dos perversos que me oprimem; dos meus mortais inimigos que me cercam.

compadre-me – (compare o salmo 118: 10-12).

10 Eles se enchem de gordura; com sua boca falam arrogantemente.

se enchem de gordura – tornam-se orgulhosos em prosperidade e insolentes a Deus (Dt 32:15, Sl 73: 7).

11 Agora eles têm nos cercado em nossos passos; eles fixam seus olhos para nos derrubar ao chão.

Eles nos perseguem como bestas rastreando suas presas.

12 Semelhantes ao leão, que deseja nos despedaçar, e ao leãozinho, que fica em esconderijos.

A figura tornou-se mais especial com a de um leão à espreita.

13 Levanta-te, SENHOR, confronta-o, derruba-o; livra minha alma das mãos do perverso com tua espada.

Levanta-te – literalmente, “venha antes”, ou “encontre-o”. Suprir “antes” de “espada” (Salmo 17:13) e “mão” (Salmo 17:14). Estes denotam o poder de Deus.

14 Dos homens com tua mão, SENHOR, dos homens que são do mundo, cuja parte está n esta vida, cujo ventre enches de teu secreto tesouro ; os filhos se fartam, e deixam sua sobra para suas crianças.

dos homens que são do mundo – todos os homens do presente tempo. Eles parecem, por plenitude de pão e grandes famílias, ser prósperos; mas (Salmo 17:15) ele insinua que isso será transitório, contrastando sua melhor porção em uma alegre união com Deus daqui em diante.

15 Mas eu olharei para teu rosto em justiça; serei satisfeito de tua semelhança, quando eu despertar.
<Salmo 16 Salmo 18>

Introdução ao Salmo 17

Este Salmo é chamado de oração porque a linguagem da petição é predominante. Com uma justa causa, sinceramente apresentada, o escritor ora por uma decisão justa e ajuda e proteção. Invocando as antigas misericórdias como uma base de esperança, ele exorta a sua oração em vista da malícia, orgulho, rapacidade e egoísmo de seus inimigos, cujo caráter é contrastado com sua devoção piedosa e deleite no favor de Deus.

Leia também uma introdução ao livro de Salmos.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.