Bíblia, Revisar

Salmo 11

1 (Salmo de Davi, para o regente:) No SENHOR eu confio; como, pois, tu dizeis à minha alma: Fugi para vossa montanha, como um pássaro?

minha alma – eu (Salmo 3: 2).

Fugi – literalmente, “fuja”; isto é, ele e seu companheiro.

como um pássaro para a sua montanha – tendo como tal nenhuma segurança, mas em vôo (compare 1Sm 26:20; Lm 3:52).

2 Porque eis que os maus estão armando o arco; eles estão pondo suas flechas na corda, para atirarem às escuras com elas aos corretos de coração.

Aqui está dada a razão para o conselho acima dos amigos de Davi, ou seja, o caráter e a atitude de seus inimigos.

às escuras. Isto é, traiçoeiramente. Veja a conduta de Saul para com Davi (1Sm 19:11). A imagem é a de um arqueiro numa emboscada, com arco armado e com o propósito de um assassino, aguardando sua vítima. [Whedon]

3 Se os fundamentos são destruídos, o que o justo pode fazer?

Literalmente, “Os fundamentos (isto é, de boa ordem e lei) serão destruídos, o que os justos fizeram (para sustentá-los)?” Todos os seus esforços falharam.

4 O SENHOR está em seu santo Templo, o trono do SENHOR está nos céus; seus olhos observam com atenção; suas pálpebras provam aos filhos dos homens.

O SENHOR está em seu santo Templo. Seu templo terreno, ou tabernáculo chamado templo (1Sm 1:9; 3:3) e, por implicação, está lá com o propósito de graça e proteção ao seu povo da aliança.

trono do SENHOR está nos céus. Como o governante e juiz universal. De modo que nesta dupla base Davi descansa sua causa com segurança. [Whedon]

5 O SENHOR prova ao justo; mas sua alma odeia ao perverso e ao que ama a violência.

O SENHOR prova ao justo. Em amor; como exige o contraste com o “ódio” na segunda sentença. Seu testar os justos por meio de provações é uma evidência de amor (Hb 12:6-12), não de ódio. Seu abandono dos ímpios por um tempo à impunidade, enquanto dá a oportunidade de arrependimento, é também uma marca de descontentamento judicial porque eles há muito têm cauterizado sua consciência contra Seu amor e Seus castigos. [JFU]

6 Sobre os perversos choverá laços, fogo e enxofre; e o pagamento para seu cálice será vento tempestuoso.

Sua punição é descrita por figuras vívidas denotando destruição abundante, repentina, furiosa e total (compare Gn 19:24; Jó 18:15; Salmo 7:15; Salmo 9:15).

cálice – é uma figura frequente para o favor ou ira de Deus (Salmo 16: 5; Salmo 23: 5; Mt 20:22, Mt 20:23).

7 Porque o SENHOR é justo, e amas a justiça; seu rosto presta atenção ao que é correto.

o SENHOR é justo, e amas a justiça (Deus por Sua própria natureza não pode fazer outra coisa senão favorecer os santos e punir os pecadores.

seu rosto presta atenção ao que é correto. No original hebraico, “seus rostos”, um uso do plural aplicado a Deus, como em Gn 1:26; 3:22; 11:7; Is 6:8, etc., denotando a plenitude de Suas perfeições, ou mais provavelmente originando-se de uma referência à Trindade de pessoas. “Rosto” é usado como “olhos” (Sl 11:4), expressando aqui o amparo de Deus para com os retos (compare Sl 34:15-16). [JFU]

<Salmo 10 Salmo 12>

Introdução ao Salmo 11

No título, veja em Introdução. Aludindo a algum acontecimento em sua história, como em 1Sm 23:13, o salmista confessa sua confiança em Deus, quando admoestado a fugir de seus furiosos perseguidores, cuja destruição dos fundamentos usuais de segurança tornou inúteis todos os seus esforços. Os fundamentos de sua confiança são o supremo domínio de Deus, Seu cuidado vigilante com Seu povo, Seu ódio aos ímpios e juízos sobre eles, e Seu amor pela justiça e pelos justos.

Leia também uma introdução ao livro de Salmos.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.