Bíblia

Zacarias 2

Terceira visão: o homem com a corda de medir

1 Voltei a levantar meus olhos, e olhei, e eis um homem que tinha em sua mão uma corda de medir.

um homem que tinha em sua mão uma corda de medir. A mesma imagem para representar o mesmo fato futuro como em Ez 40:3; 47:4. O “homem” é o Messias (ver em Zc 1:8), que, ao medir Jerusalém, é apontado como o Autor da restauração que lhe virá. Assim, os judeus são encorajados no tempo de Zacarias a prosseguir com edificação. E serão ainda mais encorajados na futura restauração. [JFU, 1871]

2 E eu perguntei: Para onde vais? E ele me respondeu: Vou medir a Jerusalém, para ver quanta é sua largura e quanto é o seu comprimento.

Vou medir a Jerusalém – (compare com Ap 11:1; 21:15-16).

3 E eis que o anjo que falava comigo saiu, e outro anjo veio ao seu encontro,

 o anjo que falava comigooutro anjo – O anjo interpretativo é encontrado por outro anjo enviado pelo Anjo Divino medidor para “correr” a Zacarias (Zc 2:4). Aqueles que realizam a vontade de Deus não devem apenas se arrastar, nem andar, mas correr com entusiasmo. [JFB]

4 E disse-lhe: Corre, fala a este rapaz, dizendo: Jerusalém será habitada sem muros por causa da multidão de pessoas e animais que estarão no meio dela.

Jerusalém será habitada sem muros por causa da multidão de pessoas e animais que estarão no meio dela. Em outras palavras, “um dia Jerusalém ficará tão cheia de gente que quase não haverá espaço para todos! Muitas pessoas morarão fora dos muros da cidade (Et 9:19), junto com seus rebanhos e apesar disso, estarão em perfeita segurança” (VIVA). Assim, a Judeia será“a terra das aldeias sem muros” (Ez 38:11). Espiritualmente, agora, a Igreja foi além dos muros das ordenanças mosaicas (Ef 2:14-15) e se espalhou por toda a terra, começando pela “Judeia, e Samaria”. [JFU, 1871]

5 E eu, diz o SENHOR, serei seu muro de fogo ao redor, e serei sua glória no meio dela.

muro de fogo ao redor – Compare com Zc 2:4. No entanto, como uma cidade precisa de algum muro, eu Jeová agirei como um de fogo que ninguém deverá se aproximar (Zc 9:8; Is 26:1).

glória no meio – não apenas uma defesa dos inimigos de fora, mas uma glória interior (Is 60:19; Ap 21:23). A mesma combinação de “glória e defesa” é encontrada em Is 4:5, aludindo à coluna de nuvem e fogo que defendia e iluminava Israel no deserto. Compare com Eliseu em Dotã (2Rs 6:17). Como Deus é a sua “glória”, ela será a sua “glória” (Is 62:3). [JFB]

6 Ei! Ei! Fugi agora da terra do norte, diz o SENHOR, porque eu vos espalhei pelos quatro ventos dos céu, diz o SENHOR.

da terra do norte (Babilônia), diz o SENHOR, porque eu vos espalhei – em exílio, mas agora vou trazê-los de volta.

7 Ah! Sião, escapa tu que habitas com a filha de Babilônia.

habitas com a filha de Babilônia (“que vivem na cidade da Babilônia!”, NVI) – como exilados, como resultado do cativeiro babilônico.

8 Porque assim diz o SENHOR dos exércitos: Para obter a glória, enviou-me às nações que vos despojaram; porque aquele que tocar em vós, toca na menina do seu olho.

Para obter a glória – trazendo juízo sobre os babilônios que arruinaram Israel – , enviou-me (o anjo ainda está falando).

na menina do seu olho. Ou seja, a pupila do olho, que, pela sua localização e importância, é usada como símbolo do que é extremamente precioso: compare com Dt 32:10; Sl 17:8, etc. [Dummelow, 1909]

9 Pois eis que levantarei minha mão contra eles, e serão saqueados por seus próprios servos, e sabereis que o SENHOR dos exércitos me enviou.

levantarei minha mão – Um mero movimento da mão de Deus pode prostrar todos os inimigos (compare Rt 1:13; Jó 31:21; Is 11:15; 19:16; At 13:11).

serão saqueados por seus próprios servos – pelos judeus que eles tinham uma vez como escravos (compare Is 14:2). Como o estado dos judeus entre o retorno da Babilônia e a vinda de Cristo sofreu muitas adversidades, essa profecia só pode ter seu cumprimento sob Cristo.

me enviou – (Is 48:16; 61:1; Jo 10:36). [JFB]

10 Canta e alegra-te, ó filha de Sião; porque eis que venho, e habitarei no meio de ti, diz o SENHOR.

habitarei no meio de ti – principalmente no primeiro advento do Messias (Sl 40:7; Jo 1:14; Cl 2:9; 1Tm 3:16); mais plenamente em seu segundo advento (Is 40:10). Veja a note em Zc 9:9 (Is 12:6; Ez 37:27; Sf 3:14, de quem Zacarias aqui deriva a linguagem que ele novamente imprime com a sanção de inspiração). Enquanto isso Deus habita espiritualmente em Seu povo (2Co 6:16). [JFU]

11 E naquele dia muitas nações se ajuntarão ao SENHOR, e serão meu povo, e habitarei no meio de ti; e saberás que o SENHOR dos exércitos me enviou a ti.

E naquele dia muitas nações se ajuntarão ao SENHOR – O resultado do exílio dos judeus na Babilônia foi que, em seu retorno subsequente, através da difusão do conhecimento de sua religião, muitos gentios tornaram-se prosélitos, adorando na corte dos gentios (1Rs 8:41). Ciro, Dario, Alexandre, Ptolomeu Filadelfo, Augusto e Tibério, prestaram respeito ao templo enviando oferendas (Grotius). Mas tudo isso é apenas uma sombra da futura conversão dos gentios, que resultará da morada de Jeová em Jerusalém (Sl 102:15-16; Fp 2:10-11).

me enviou a ti – Sião primeiro “saberá (geralmente) que o SENHOR dos Exércitos enviou o” Messias, pelos juízos infligidos por ele sobre seus inimigos. Posteriormente, ela deve conhecer experimentalmente o envio particular do Messias à ela. Jeová diz aqui: “habitarei”, e então o SENHOR dos Exércitos O enviou; portanto, Jeová, o Remetente, e Jeová, o Enviado, devem ser Um. [JFB]

12 E o SENHOR herdará Judá como sua propriedade na terra santa, e novamente escolherá a Jerusalém.

na terra santa. A terra é “santa” porque Deus está presente (compare com Ex 3:5; Zc 2:13; 14:21; Sl 78:54). [NIV Biblical Theology Study Bible]

13 Calem-se todos diante do SENHOR, porque ele se levantou de sua santa morada.

Calem-se (“Silêncio!”). Compare com Hq 2:20.

ele se levantou (uma figura usada para Deus quando Ele está prestes a executar algum grande propósito) de sua santa morada – isto é, o céu. [Dummelow, 1909]

<Zacarias 1 Zacarias 3>

Leia também uma introdução ao Livro de Zacarias

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – março de 2020.