Bíblia

João 1

Aviso Quer estudar a Bíblia e não sabe por onde começar? Conheça o nosso curso: Como Estudar a Bíblia? Ele é gratuito, online e pode ser iniciado agora mesmo! Clique aqui e saiba mais.


A Palavra fez carne

1 No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus, e a Palavra era Deus.

No princípio (compare com Gn 1:1Pv 8:22-31Ef 3:9Cl 1:17Hb 1:10; 7:3; 13:8Ap 1:2,8,11Ap 2:8Ap 21:6Ap 22:13).

a Palavra (compare com Jo 1:141Jo 1:1,21Jo 5:7Ap 19:13).

a Palavra estava com Deus (compare com Jo 1:18Jo 16:28Jo 17:5Pv 8:22-301Jo 1:2).

a Palavra era Deus (compare com Jo 10:30-33Jo 20:28Sl 45:6Is 7:14Is 9:6Is 40:9-11Mt 1:23Rm 9:5Fp 2:61Tm 3:16Tt 2:13Hb 1:8-132Pe 1:11Jo 5:7,20).

2 Esta estava no princípio com Deus.

Aqui, a primeira e a segunda declaração (Jo 1:1) são combinadas numa só; reafirmando enfaticamente a distinção eterna entre a “Palavra” e Deus (“o Pai”), e Sua ligação com Ele na Unidade da Divindade. [JFU, 1871]

3 Por esta foram feitas todas as coisas, e sem ela não se fez coisa nenhuma do que foi feito.

foram feitas – trazidas à existência.

todas as coisas – todas as coisas absolutamente (como é evidente em Jo 1:10; 1Co 8:6; Cl 1:16-17; mas colocadas além da questão pelo que se segue).

foi feito – Isso é uma negação da eternidade e não-criação da matéria, que foi mantida por todo o mundo do pensamento fora do judaísmo e do cristianismo: ou melhor, sua própria criação nunca foi tão sonhada, salvo pelos filhos de religião revelada. [JFB]

4 Nela estava a vida, e a vida era a luz dos seres humanos.

Nela estava a vida – essencialmente e originalmente, como os versos anteriores mostram ser o significado. Assim, Ele é a Palavra Viva, ou, como é chamado em 1Jo 1:1-2, “a Palavra da Vida”.

a vida era a luz dos seres humanos – Tudo aquilo nos homens que é a verdadeira luz – conhecimento, integridade, sujeição voluntária a Deus, amor a Ele e às suas criaturas, sabedoria, pureza, alegria santa, felicidade racional – tudo isso “luz dos homens” tem sua fonte na essencial “vida” original da “Palavra” (1Jo 1:5-7; Sl 36:9). [JFB]

5 E a luz brilha nas trevas; e as trevas não prevaleceram contra ela.

Compare com Jo 1:10Jo 3:19,20Jo 12:36-40Jó 24:13-17Pv 1:22,29,30Rm 1:281Co 2:14.

as trevas não prevaleceram contra ela – ou então, “as trevas não a compreenderam” (ACF).

6 Houve um homem enviado por Deus, cujo nome era João.

O evangelista aqui se aproxima de sua grande tese, abrindo assim seu caminho para a declaração completa dela em Jo 1:14, para que possamos suportar a luz brilhante dela, e captar em seu comprimento, largura, profundidade e altura. [JFB]

7 Este veio por testemunho, para que testemunhasse da Luz, para que todos por ele cressem.

para que todos por ele – João, o batista.

8 Ele não era a Luz; mas foi enviado para que testemunhasse da Luz.

Ele não era a Luz (compare com Jo 1:20Jo 3:28Atos 19:4).

9 Esta era a luz verdadeira, que ilumina a todo ser humano que vem ao mundo.

ilumina a todo ser humano… – sim, “que, vindo ao mundo, ilumina todo homem”; ou, é “a luz do mundo” (Jo 9:5). “Entrar no mundo” é uma descrição supérflua e bastante incomum de “todo homem”; mas é de todas as descrições de Cristo a mais familiar, especialmente nos escritos deste evangelista (Jo 12:4616:2818:37; 1Jo 4:9; 1Tm 1:15, etc. ). [JFB]

10 Ele estava no mundo, e por ele foi feito o mundo; e o mundo não o conheceu.

Ele estava no mundo (compare com Jo 1:18Jo 5:17Gn 11:6-9Gn 16:13Gn 17:1Gn 18:33Ex 3:4-6Atos 14:17; 17:24-27Hb 1:3).

por ele foi feito o mundo (compare com Jo 1:3Jr 10:11,12Hb 1:2Hb 11:3).

o mundo não o conheceu (compare com Jo 1:5Jo 17:25Mt 11:271Co 1:211Co 2:81Jo 3:1).

11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.

Veio [através da encarnação] para o que era seu (compare com Mt 15:24At 3:25,26At 13:26,46Rm 9:1,5Rm 15:8Gl 4:4).

os seus não o receberam (compare com Jo 3:32Is 53:2,3Lc 19:14Lc 20:13-15At 7:51,52) – ou seja, os judeus, seu povo, não acreditaram nele. [Dummelow, 1909]

12 Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes poder de serem feitos filhos de Deus: aos que creem em seu nome.

o poder – ou melhor, “o direito” ou “privilégio”. Aqueles que “creram em Seu nome”, isto é, O aceitaram como o Filho divino de Deus, e o Salvador do mundo, receberam o privilégio de se tornarem verdadeiros filhos de Deus. [Dummelow, 1909]

13 Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas sim de Deus.

Esta filiação conferida aos homens não depende da descendência humana de Abraão (sangue), nem das relações sexuais de seus pais (vontade da carne), nem pode ser obtida por vontade ou desejo, isto é, esforço humano (vontade do homem). É um dom gratuito e sobrenatural de Deus, interior e espiritual, implantado pelo Espírito Santo, e dependente da união com Cristo para a sua subsistência. [Dummelow, 1909]

nasceram (compare com Jo 3:3,5Tg 1:181Pe 1:3,231Pe 2:21Jo 3:91Jo 4:71Jo 5:1,4,18).

[não] do sangue (compare com Jo 8:33-41Mt 3:9Rm 9:7-9) – ou seja, “não nasceram de linhagem humana” (A21).

nem da vontade do homem (compare com Sl 110:3Rm 9:1-5Rm 10:1-3; Fp 2:13Tg 1:18).

mas sim de Deus (compare com Jo 3:6-8Tt 3:51Jo 2:28,29).

14 E a Palavra se fez carne, e habitou entre nós (e vimos sua glória, como glória do unigênito do Pai); cheio de graça e de verdade.

a Palavra se fez carne, e habitou entre nós (compare com Jo 1:1Is 7:14Mt 1:16,20-23Lc 1:31-35Lc 2:7,11Rm 1:3,4Rm 9:51Co 15:47Gl 4:4Fp 2:6-81Tm 3:16Hb 2:11,14-17Hb 10:51Jo 4:2,32Jo 1:7).

vimos sua glória (compare com Jo 2:11Jo 11:40Jo 12:40,41Jo 14:9Is 40:5Is 53:2Is 60:1,2Mt 17:1-52Co 4:4-6Hb 1:31Pe 2:4-72Pe 1:171Jo 1:1,2).

unigênito do Pai (compare com Jo 1:18Jo 3:16,18Sl 2:7Atos 13:33Hb 1:5Hb 5:51Jo 4:9).

cheio de graça e de verdade (compare com Jo 1:16,17Sl 45:22Co 12:9Ef 3:8,18,19Cl 1:19Cl 2:3,91Tm 1:14-16).

15 E João testemunhou dele, e clamou, dizendo: Este era aquele, de quem eu dizia: O que vem após mim está acima de mim; porque já existia antes de mim.

João testemunhou dele (compare com Jo 1:7,8,29-34Jo 3:26-36Jo 5:33-36Mt 3:11,13-17Mc 1:7Lc 3:16).

porque [ele] já existia antes de mim (compare com Jo 1:1,2,30Jo 8:58Jo 17:5Pv 8:22Is 9:6Mq 5:2Fp 2:6,7Cl 1:17Hb 13:8Ap 1:11,17,18Ap 2:8).

16 Todos nós recebemos da sua plenitude, graça sobre graça.

da sua plenitude – de “graça e verdade”, retomando o tema de Jo 1:14.

graça sobre graça – em comunicações sucessivas e medidas maiores, conforme cada um fosse capaz de acolhê-la. Observe, a palavra “verdade” é aqui abandonada. “Graça” sendo a palavra do Novo Testamento escolhida para toda a plenitude da nova aliança, tudo o que habita em Cristo para os homens. [JFB]

17 Porque a Lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade foi feita por Jesus Cristo.

A Lei provoca a consciência do pecado e a necessidade de redenção; isso apenas tipifica a realidade. O Evangelho, pelo contrário, realmente comunica realidade e poder do alto (compare Rm 6:14). Por isso, Paulo denomina a “sombra” do Antigo Testamento, enquanto ele chama a “substância” do Novo Testamento (Cl 2:17) (Olshausen). [JFB]

18 A Deus nunca ninguém o viu; o unigênito Deus, que está no seio do Pai, ele o declarou.

A Deus nunca ninguém o viu – pelo olhar imediato ou pela intuição direta.

no seio do Pai – Uma expressão notável, usada apenas aqui, pressupondo a existência consciente do Filho distinta do Pai, e expressando Seu acesso imediato e mais estimado, e conhecimento absoluto com Ele.

ele – enfático; como se ele dissesse: “Ele e ele apenas o declarou”, porque só Ele pode. [JFB]

O testemunho de João Batista

19 E este é o testemunho de João, quando os judeus mandaram alguns sacerdotes e levitas de Jerusalém, que lhe perguntassem: Tu quem és?

os judeus – isto é, os chefes da nação, os membros do Sinédrio. Nesse sentido peculiar, nosso evangelista parece sempre usar o termo.

20 E confessou, e não negou; e confessou: Eu não sou o Cristo.

confessou… – isto é, enquanto muitos estavam prontos para saudá-lo como o Cristo, ele nem deu o menor motivo para tais pontos de vista, nem o menor prazer para eles.

21 E lhe perguntaram: Que, então? És tu Elias? E ele disse: Não sou. Eles disseram: Tu és o Profeta? E ele respondeu: Não.

Elias – em pessoa.

o profeta – anunciado em Dt 18:15, etc., sobre quem eles parecem não ter concordado se ele era o mesmo com o Messias ou não. [JFB]

22 Disseram-lhe pois: Quem és? Para darmos resposta aos que nos enviaram. Que dizes de ti mesmo?

Para darmos resposta aos que nos enviaram (compare com 2Sm 24:13).

23 Ele respondeu, citando o profeta Isaías: 'Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor'.

citando o profeta Isaías (compare com Is 40:3-5).

Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor (compare com Jo 3:28Mt 3:3Mc 1:3Lc 1:16,17,76-79Lc 3:4-6).

24 Os que tinham sido enviados eram da parte dos fariseus.

eram da parte dos fariseus (compare com Jo 3:1,2Jo 7:47-49Mt 23:13-15,26Lc 7:30Lc 11:39-44,53Lc 16:14At 23:8At 26:5Fp 3:5,6). Os fariseus eram fortemente apegados aos antigos costumes e desconfiavam de qualquer novidade (a não ser aquelas trazidas por seus próprios escribas), a menos que o inovador tivesse provas inquestionáveis de autoridade divina. [Wesley, 1765]

25 E perguntaram-lhe, e disseram-lhe: Por que pois batizas, se tu não és o Cristo, nem Elias, nem o profeta?

Por que pois batizas, se tu não… – Pensando que ele negou qualquer conexão especial com o reino de Messias, eles reclamam seu direito de reunir discípulos pelo batismo. [JFB]

26 João lhes respondeu, dizendo: Eu batizo com água; mas em meio de vós, está a quem vós não conheceis,

mas em meio de vós, está – Isto deve ter sido falado após o batismo de Cristo, e possivelmente logo após a Sua tentação (ver em Jo 1:29). [JFB]

27 Este é aquele que vem após mim, que é antes de mim, do qual eu não sou digno de desatar a tira de sua sandália.

aquele que vem após mim (compare com Jo 1:15,30Atos 19:4).

que é antes de mim. As principais traduções recentes (A21, NAA, NVI, NVT) concordam que esta sentença não faz parte dos originais. Para Ellicott (1905), ela foi incluída posteriormente como uma harmonização com Jo 1:15 e Jo 1:30.

do qual eu não sou digno de desatar a tira de sua sandália (compare com Mt 3:11Mc 1:7Lc 3:16) – ou seja, “não sou digno nem de ser escravo dEle” (VIVA).

28 Estas coisas aconteceram em Betábara, do outro lado do Jordão, onde João estava batizando.

Betábara – Em vez disso, “Betânia” (de acordo com quase todos os melhores e mais antigos manuscritos); não a Betânia de Lázaro, mas outra de mesmo nome, e distinta dela como estando “além do Jordão”, a leste. [JFB]

29 No dia seguinte, João viu Jesus, que vinha em sua direção, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!

No dia seguinte [em que os judeus o questionaram se ele era o Cristo], João viu Jesus.

Eis o Cordeiro de Deus (compare com Jo 1:36Gn 22:7,8Ex 12:3-13Nm 28:3-10Is 53:7At 8:321Pe 1:19Ap 5:6,8,12,13Ap 6:1,16Ap 7:9,10,14,17Ap 12:11Ap 13:8Ap 14:1,4,10Ap 15:3Ap 17:14Ap 19:7,9Ap 21:9,14,22,23,27Ap 22:1-3).

  • o Cordeiro. Um “cordeiro”, entre os judeus, era morto e comido na Páscoa como celebração da libertação deles do Egito (Êx 12:3-11). Um cordeiro era oferecido no tabernáculo e, depois, no templo, todas as manhãs e noites, como parte da adoração diária (Êx 29:38-39). Foi predito que o Messias seria como um cordeiro levado ao matadouro, mostrando paciência em seus sofrimentos, e prontidão para morrer pelo homem (Is 53:7). Um cordeiro, entre os judeus, também era um símbolo de paciência, mansidão e docilidade. A partir de TODOS estes aspectos, e não exclusivamente de um, Jesus foi chamado de “o Cordeiro”. Ele era inocente (1Pe 2:23-25); ele era um sacrifício pelo pecado representando a oferta diária do cordeiro, e morto na hora usual do sacrifício da tarde (Lc 23:44-46); e ele era o que era representado pela Páscoa, afastando a ira de Deus, e salvando pecadores por seu sangue da vingança e morte eterna (1Co 5:7).
  • de Deus. Designado por Deus, aprovado por Deus e muito querido por ele; o sacrifício que ele escolheu, e que ele aprova para salvar as pessoas da morte.

que tira o pecado do mundo (compare com Is 53:11Os 14:2Mt 20:28At 13:391Co 15:32Co 5:21Gl 1:4Gl 3:131Tm 2:6Tt 2:14Hb 1:3Hb 2:17Hb 9:281Pe 2:241Pe 3:181Jo 2:21Jo 3:51Jo 4:10Ap 1:5).

  • que tira – ou seja, que carrega os pecados do mundo, ou os sofrimentos que fizeram expiação pelo pecado. Compare com Is 53:4; 1Jo 3:5; 1Pe 2:24. Ele tira o pecado carregando em seu próprio corpo os sofrimentos que Deus designou para mostrar a sua percepção do mal do pecado, assim engrandecendo a lei e tornando-a consistente para exercer o perdão.
  • do mundo – ou seja, de toda a humanidade, Judeus e Gentios. Sua obra não devia se limitar aos judeus, mas também beneficiar os gentios; não se limitava a nenhuma parte do mundo, mas destinava-se a abrir o caminho do perdão a todos os homens. Ele foi a propiciação pelos pecados de todo o mundo (1Jo 2:2). [Barnes, 1870]
30 Este é aquele do qual eu disse: Após mim vem um homem que está acima de mim; porque já existia antes de mim.

porque [ele] já existia antes de mim (compare com Jo 1:1,2,30Jo 8:58Jo 17:5Pv 8:22Is 9:6Mq 5:2Fp 2:6,7Cl 1:17Hb 13:8Ap 1:11,17,18Ap 2:8) – isto é, ele existia antes do meu nascimento, e mesmo antes do Seu próprio nascimento, como o Filho eterno de Deus. O Batista aprendeu que Cristo era o Filho de Deus por uma revelação especial e pela voz do Pai no batismo de Cristo (Jo 1:32-34). [Dummelow, 1909]

31 Eu não o conhecia; mas vim batizando com água para que ele fosse manifestado a Israel.

Eu não o conhecia (compare com Jo 1:33Lc 1:80Lc 2:39-42). João não conhecia Jesus pessoalmente. Embora fossem parentes distantes, parece que até então não se conheciam pessoalmente. João tinha vivido principalmente na região montanhosa da Judeia. Jesus tinha trabalhado com José em Nazaré. Até Jesus ser batizado (Mt 3:13-14), parece que João não o conhecia. Ele entendeu que devia anunciar que o Messias estava prestes a aparecer. Ele foi enviado para proclamar sua vinda, mas não conhecia Jesus pessoalmente, ou que ele seria o Messias. [Barnes, 1870]

vim batizando com água (compare com Mt 3:6Mc 1:3-5Lc 3:3,4Atos 19:4).

para que ele fosse manifestado a Israel (compare com Jo 1:7Is 40:3-5Ml 3:1Ml 4:2-5Lc 1:17,76-79).

32 Então João testemunhou, dizendo: Eu vi o Espírito descer do céu como pomba, e permanecer sobre ele.

Eu vi o Espírito descer do céu como pomba, e permanecer sobre ele (compare com Mt 3:16Mc 1:10; “o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como pomba”, Lc 3:22).

33 Eu não o conhecia, mas aquele que me enviou para batizar com água, esse me disse: Sobre aquele que vires descer e permanecer o Espírito, esse é o que batiza com Espírito Santo.

Eu não o conhecia, mas aquele que me enviou para batizar com água, esse me disse – ou então, “Eu não o teria reconhecido, se aquele que me enviou para batizar com água não me tivesse dito” (NVI).

  • Eu não o conhecia (compare com Jo 1:31Mt 3:13-15; Lc 1:80Lc 2:39-42). João não conhecia Jesus pessoalmente. Embora fossem parentes distantes, parece que até então não se conheciam pessoalmente. João tinha vivido principalmente na região montanhosa da Judeia. Jesus tinha trabalhado com José em Nazaré. Até Jesus ser batizado (Mt 3:13-14), parece que João não o conhecia. Ele entendeu que devia anunciar que o Messias estava prestes a aparecer. Ele foi enviado para proclamar sua vinda, mas não conhecia Jesus pessoalmente, ou que ele seria o Messias. [Barnes, 1870]

esse é o que batiza com Espírito Santo (compare com Jo 3:5,34Mt 3:11,14Mc 1:7,8Lc 3:16Atos 1:5; 2:4; 10:44-47; 11:15,16; 19:2-61Co 12:13Tt 3:5,6).

35 No seguinte dia, João estava ali outra vez, com dois de seus discípulos,

dois de seus discípulos. Um era André, o outro (que suprime seu nome) era o próprio João (Jo 1:40). O Batista aponta para Jesus, sugerindo assim que a partir de agora eles deveriam ser os seus discípulos. [Dummelow, 1909]

36 e, olhando para Jesus, que por ali passava, disse: Eis o Cordeiro de Deus!

Eis o Cordeiro de Deus (compare com Jo 1:29Gn 22:7,8Ex 12:3-13Nm 28:3-10Is 53:7At 8:321Pe 1:19Ap 5:6,8,12,13Ap 6:1,16Ap 7:9,10,14,17Ap 12:11Ap 13:8Ap 14:1,4,10Ap 15:3Ap 17:14Ap 19:7,9Ap 21:9,14,22,23,27Ap 22:1-3).

  • o Cordeiro. Um “cordeiro”, entre os judeus, era morto e comido na Páscoa como celebração da libertação deles do Egito (Êx 12:3-11). Um cordeiro era oferecido no tabernáculo e, depois, no templo, todas as manhãs e noites, como parte da adoração diária (Êx 29:38-39). Foi predito que o Messias seria como um cordeiro levado ao matadouro, mostrando paciência em seus sofrimentos, e prontidão para morrer pelo homem (Is 53:7). Um cordeiro, entre os judeus, também era um símbolo de paciência, mansidão e docilidade. A partir de TODOS estes aspectos, e não exclusivamente de um, Jesus foi chamado de “o Cordeiro”. Ele era inocente (1Pe 2:23-25); ele era um sacrifício pelo pecado representando a oferta diária do cordeiro, e morto na hora usual do sacrifício da tarde (Lc 23:44-46); e ele era o que era representado pela Páscoa, afastando a ira de Deus, e salvando pecadores por seu sangue da vingança e morte eterna (1Co 5:7).
  • de Deus. Designado por Deus, aprovado por Deus e muito querido por ele; o sacrifício que ele escolheu, e que ele aprova para salvar as pessoas da morte.
37 Os dois discípulos o ouviram dizer isso e seguiram Jesus.

Os dois discípulos. Um era André, o outro (que suprime seu nome) era o próprio João (Jo 1:40). [Dummelow, 1909]

38 E Jesus, virando-se, e vendo-os seguir, disse-lhes: Que buscais? E eles lhe disseram: Rabi, (que traduzido, quer dizer, Mestre) onde moras?

Que buscais – pergunta gentil e favorável, notável como a primeira expressão pública do Redentor. (Veja em Mt 12:18-20.)

onde moras – isto é, “Essa é uma pergunta que não podemos responder de imediato; mas se tivéssemos nós Tua companhia por uma hora calma em particular, de bom grado poderíamos abrir nosso coração”. [JFB]

39 Disse-lhes ele: Vinde, e vede-o; Vieram, e viram onde morava, e na companhia dele naquele dia; e já era quase a hora décima.

Vinde, e vede-o – Sua segunda expressão, ainda mais favorável.

décima hora – não dez da manhã (como alguns), de acordo com Roman, mas quatro horas, de acordo com a contagem judaica, que segue João. [JFB]

40 Era André, o irmão de Simão Pedro, um dos dois que ouvira aquilo de João, e o haviam seguido.

Era Andréum dos dois – O outro foi, sem dúvida, nosso próprio evangelista. Sua grande sensibilidade é tocada em sua representação deste primeiro contato com o Senhor; as circunstâncias estão presentes para ele nos mínimos detalhes; ele ainda se lembra da hora exata. Mas “ele não relata nenhum detalhe daqueles discursos do Senhor pelos quais esteve ligado a Ele durante toda a Sua vida; ele permite que tudo pessoal se retire”(Olshausen).

o irmão de Simão Pedro – e o mais velho dos dois. [JFB]

41 Este achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Já achamos ao Messias (que traduzido, é o Cristo).

achamos ao Messias – A preparação prévia dos seus simples corações sob o ministério do Baptista, fez com que esta bendita convicção se desenvolvesse rapidamente, enquanto outros hesitavam até que a dúvida se instalasse na obstinação. Assim continua a ser. [JFB]

42 E levou-o a Jesus. E Jesus, olhando para ele, disse: Tu és Simão, filho de Jonas; tu serás chamado Cefas. (que se traduz Pedro).

E levou-o a Jesus – irmãos felizes que assim fazem uns aos outros!

olhando para ele – fixou seus olhos nele, com olhar significativo (como Jo 1:36).

Cefas – (Veja em Mt 16:18). [JFB]

43 O dia seguinte Jesus quis ir à Galileia, achou Filipe, e disse-lhe: Segue-me.

à Galileia – pois do Seu batismo Ele havia morado na Judéia (mostrando que o chamado no Mar da Galileia (Mt 4:18) era um chamado subsequente, veja Lc 5:1).

Segue-me – o primeiro chamado expresso feito, tendo os três anteriores vindo a Ele espontaneamente. [JFB]

44 E Filipe era de Betsaida, da cidade de André e de Pedro.

da cidade de André e de Pedro – provavelmente por terem nascido em Cafarnaum (Mc 1:29). [JFB]

45 Filipe achou Natanael, e disse-lhe: Achamos aquele de quem Moisés escreveu na Lei, e os Profetas: a Jesus, o filho de José, de Nazaré.

Natanael – (Veja em Mt 10:3).

Moisés – (Veja Jo 5:46).

filho de José – o modo corrente de falar (Veja Lc 3:23). [JFB]

46 E disse-lhe Natanael: Pode haver alguma coisa boa de Nazaré? Filipe lhe disse: Vem, e vê.

alguma coisa boa de Nazaré – lembrando-se de Belém, talvez, como o Messias predisse o lugar de nascimento, e Nazaré não tendo nenhum lugar profético expressivo, além de não ser de nenhuma reputação. A questão surgiu do mero medo do erro em um assunto tão vital.

Vem, e vê – Remédio nobre contra opiniões preconcebidas (Bengel). Filipe, embora talvez não conseguisse resolver sua dificuldade, poderia mostrar-lhe como se livrar dela. (Veja em Jo 6:68). [JFB]

47 Jesus viu Natanael vir, e disse dele: Eis verdadeiramente um israelita, em quem não há engano!

não há engano – não só não hipócrita, mas com uma simplicidade sincera nem sempre encontrada mesmo no próprio povo de Deus, pronto para seguir aonde quer que a verdade o levasse, dizendo: Samuel: “Fala, Senhor, porque o teu servo ouve” ( 1Sm 3:10). [JFB]

48 Natanael lhe disse: De onde tu me conheces? Jesus respondeu: Antes que Filipe te chamasse, eu te vi, quando estavas debaixo da figueira.

eu te vi, quando estavas debaixo da figueira (compare com Jo 2:25; Sl 139:1,2Is 65:24Mt 6:61Co 4:51Co 14:25). Os escritores judeus frequentemente falam da sombra da figueira como o lugar de meditação e oração. Provavelmente foi em alguma dessas sombras, dentro de algum lugar isolado do possível alcance do olho humano de Jesus, que Natanael ganhou seu título de “israelita” (como Jacó no passado o de Israel), ao prevalecer na oração a Deus. Visto que a nação estava esperançosa quanto ao Messias, e como a mente de Natanael estava, sem dúvida, agitada com a pregação de um Messias por João, a oração de Natanael era muito provavelmente para ver o próprio Messias. Quando Jesus, portanto, mostrou-se familiarizado com essa súplica secreta, quem pode se admirar com a explosão de entusiasmo com que ele aclama o próprio Jesus como precisamente aquele Messias pelo qual ansiava? [Whedon, 1874]

49 Então Natanael exclamou: Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel!

Rabi (compare com Jo 1:38) – ou seja, Mestre.

tu és o Filho de Deus (compare com Jo 1:18,34Jo 20:28,29Mt 14:33).

tu és o Rei de Israel (compare com Jo 12:13-15Jo 18:37Jo 19:19-22Sl 2:6Sl 110:1Is 9:7Jr 23:5,6Ez 37:21-25Dn 9:25Os 3:5Mq 5:2Sf 3:15Zc 6:12,13Zc 9:9Mt 2:2Mt 21:5Mt 27:11,42Lc 19:38).

50 Jesus respondeu, e disse-lhe: Porque te disse: Debaixo da figueira te vi, crês? Tu verás coisas maiores que estas.

Porque te disse… – “Tão rapidamente convencido, e apenas por esta evidência?” – uma expressão de admiração. [JFB]

51 E acrescentou: Em verdade, em verdade vos digo, que daqui em diante vereis o céu aberto, e aos anjos de Deus subir e descer sobre o Filho do homem.

Em verdade, em verdade vos digo (compare com Jo 3:3,5Jo 5:19,24,25Jo 6:26,32,47,53Jo 8:34,51,58Jo 10:1,7Jo 12:24Jo 13:16Jo 13:20,21,38Jo 14:12Jo 16:20,23Jo 21:18).

daqui em diante. As principais traduções recentes (A21, NAA, NVI, NVT) concordam que isto não faz parte dos originais.

vereis o céu aberto (compare com Ez 1:1Mt 3:16Mc 1:10Lc 3:21Atos 7:56; 10:11Ap 4:1Ap 19:11).

anjos de Deus (compare com Gn 28:12; Mt 4:11Lc 2:9,13Lc 22:43Lc 24:4Atos 1:10,112Ts 1:7,-91Tm 3:16Hb 1:14Jd 1:14).

Filho do homem (compare com Jo 3:13,14Jo 5:27Jo 12:23,24Dn 7:13,14Zc 13:7Mt 9:6Mt 16:13-16Mt 16:27,28Mt 25:31Mt 26:24Mc 14:62Lc 22:69).

<Lucas 24 João 2>

Visão geral de João

No evangelho de João, “Jesus torna-se humano, encarnando Deus o criador de Israel, e anunciando o Seu amor e o presente de vida eterna para o mundo inteiro”. Tenha uma visão geral deste Evangelho através deste breve vídeo (em duas partes) produzido pelo BibleProject.

Parte 1 (9 minutos).

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Parte 2 (9 minutos).

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao Evangelho de João.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – setembro de 2020.