João 1:3

Por esta foram feitas todas as coisas, e sem ela não se fez coisa nenhuma do que foi feito.

Comentário de David Brown

foram feitas – trazidas à existência.

todas as coisas – todas as coisas absolutamente (como é evidente em Jo 1:10; 1Coríntios 8:6; Colossenses 1:16-17; mas colocadas além da questão pelo que se segue).

foi feito – Isso é uma negação da eternidade e não-criação da matéria, que foi mantida por todo o mundo do pensamento fora do judaísmo e do cristianismo: ou melhor, sua própria criação nunca foi tão sonhada, salvo pelos filhos de religião revelada. [Jamieson; Fausset; Brown]

Comentário de J. H. Bernard

Por esta foram feitas todas as coisas [πάντα (todas as várias coisas, como diferente de ὁ κόσμος, a totalidade do universo, versículo 10) διʼ αὐτοῦ ἐγένετο], “todas as coisas surgiram (pois a criação é um devir, em contraste com o ser essencial da Palavra) através Dele”.

Na história hebraica da criação, cada etapa sucessiva é introduzida por “E Deus disse” (Gênesis 1:3). O salmista personifica de forma poética esta palavra criativa: “Pela palavra de Yahweh foram feitos os céus” (Salmo 33:6; compare com Salmo 147:15, Isaías 55:11). No judaísmo posterior, esta doutrina foi consolidada em prosa; compare com, por exemplo, “Tu disseste: Faça-se o céu e a terra, e a Tua Palavra aperfeiçoou a obra” (2 Esdras 6:38; compare com Sabedoria 9:1). Esta era uma crença judaica que Filo desenvolveu à sua maneira e com muita variedade de aplicação, às vezes inclinando-se para a visão de que o λόγος era um mero instrumento passivo empregado por Deus, outras vezes, sob influência grega, considerando-o como o princípio cósmico, o pensamento formativo de Deus.

(3-4) e sem ela não se fez coisa nenhuma do que foi feito. Isso expressa negativamente o que foi dito positivamente na linha anterior, uma construção comum na poesia hebraica (compare com Salmo 18:36, Salmo 18:37, Salmo 18:39:9, etc). João usa este recurso várias vezes (por exemplo, João 1:20, João 3:16, João 6:50, 1João 1:5, 1João 2:4). “Sem Ele nada se fez”. A sentença exclui duas falsas crenças, ambas as quais eram correntes, especialmente nos círculos gnósticos: (a) que a matéria é eterna, e (b) que os anjos ou eons tiveram uma participação na obra da criação.

A interpretação desta passagem durante os primeiros quatro séculos implica um período ou ponto final em ἕν, enquanto que desde Crisóstomo a frase geralmente termina com ὃ γέγονεν: “sem Ele, nada do que realmente veio a existir foi feito”. ὃ γέγονεν, se adotarmos a visão posterior da construção, é redundante e não acrescenta nada ao sentido. Mas esse tipo de explicitação enfática está de acordo com o estilo de João. Também é o caso de João favorecer ἐν com um dativo no início de uma frase, por ex. João 13:35, João 15:8, João 16:26, 1João 2:4, 1João 2:3:10, 1João 2:16, 1João 2:19, 1João 2:4:2, para começar com ἐν αὐτῷ no versículo 4 estaria à sua maneira.

Os primeiros unciais, em sua maioria, não têm pontuação, enquanto os manuscritos posteriores geralmente colocam o ponto após γέγονεν. Mas a evidência dos manuscritos quanto à pontuação depende das interpretações do texto com as quais os escribas estavam familiarizados e não tem autoridade independente. Na passagem atual, as versões siríaca antiga, latina e sahidica, bem como a Vulgata latina, favorecem decididamente a colocação do ponto após ἕν, a O.L. b colocando isso fora de dúvida inserindo autem na próxima sentença: “quod autem factum est, in eo uita est”. A interpretação que coloca o ponto depois de ἕν foi adotada por católicos e gnósticos nos primeiros séculos; compare com Irenæus (Hær. II. 2:4, III. VIII. 3), Hipólito (c. Noetum, 12), Orígenes (em Ioann. 36, etc.), Clem. Alex. (Pæd. i. II, Strom. vi. II), e, aparentemente, Tertuliano (adv. Prax. 21). É difícil resistir ao testemunho deles sobre a construção do grego, na condição de que a próxima frase interpretada por eles produza um significado inteligível.

Harris defende a construção “sem Ele não foi feito nada do que foi feito”, citando uma passagem do estóico Crisipo que é igualmente redundante na forma: O destino é “o λόγος segundo o qual todas as coisas que foram feitas foram feitas, e todas as coisas que estão sendo feitas estão sendo feitas e todas as coisas que devem ser feitas serão feitas”.  [Bernard, 1928]

< João 1:2 João 1:4 >

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles, com adaptação de Luan Lessa – janeiro de 2021.