Bíblia, Revisar

Atos 14

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 E aconteceu em Icônio, que entraram juntos na sinagoga dos judeus, e falaram de tal maneira que creu uma grande multidão, tanto de judeus como de gregos.

At 14: 1-7. Encontrando sucesso similar e oposição similar em Icônio, Paulo e Barnabé fogem por suas vidas para Listra e Derbe, e pregam lá.

“Depois desse relato detalhado dos trabalhos de Paulo na Antioquia da Pisídia, Lucas submete apenas breves avisos de seus futuros trabalhos, em parte porque, devido à natureza do caso, seus discursos devem ter abrangido quase os mesmos tópicos, e em parte porque as consequências forma bastante semelhante ”(Olshausen).

que entraram juntos na sinagoga dos judeus – Embora Paulo fosse agora o orador e ator proeminente, ainda assim em tudo Barnabé o acompanhava.

uma… multidão… dos gregos acreditava – significando provavelmente os prosélitos religiosos, em oposição aos “gentios” mencionados em At 14:2.

2 Mas os judeus incrédulos incitaram e irritaram os ânimos dos gentios contra os irmãos.
3 Então eles ficaram ali por muito tempo, falando ousadamente no Senhor, o qual dava testemunho à palavra de sua graça, concedendo que sinais e milagres fossem feitos pelas mãos deles.

Então eles ficaram ali por muito tempo – porque, apesar da oposição, estavam se encontrando com tanto sucesso.

falando ousadamente no Senhor – em vez disso, “na dependência do Senhor”, isto é, em sua cabeça glorificada.

o qual dava testemunho à palavra de sua graça – uma notável definição do Evangelho, cujo fardo inteiro é a graça.

concedendo – “concessão”, isto é, que confirmou o Evangelho, concedendo atestação milagrosa para ele. (O “e” está faltando nos melhores manuscritos).

4 E a multidão da cidade se dividiu; e uns eram a favor dos judeus, e outros a favor dos apóstolos.
5 E fazendo-se uma rebelião, tanto de judeus como de gentios, juntos com seus líderes, para falarem mal deles, e os apedrejarem.

os apedrejarem – eis aqui, “um movimento impetuoso” com a intenção de apedrejá-los: pois em 2Co 11:25, Paulo diz: “Uma vez fui apedrejado”, e isso foi em Listra, conforme expressamente relacionado em At 14:19 (Observações de Paley – Horae Paulinae – sobre esta coincidência singular entre a Epístola e a história são muito marcantes).

fugiu – (veja Mt 10:23).

6 E eles, sabendo disto ,fugiram para as cidades da Licaônia, chamadas Listra e Derbe; e à região ao redor.

Listra e Derbe – aquela a uns vinte milhas ao sul, a outra a uns cem quilômetros a leste de Icônio, em algum lugar perto das bases das chamadas Montanhas Negras e das raízes do monte Touro; mas a sua posição exata ainda não foi descoberta.

7 E ali eles anunciavam ao Evangelho.
8 E um certo homem em Listra estava sentado, tendo incapacidade nos pés, aleijado desde o ventre de sua mãe, que nunca tinha andado.

At 14: 8-21. Em Lystra Paul curando um aleijado, as pessoas são escassas de se sacrificarem a eles como deuses, mas depois, quando suas mentes são envenenadas, eles apedrejam Paulo, deixando-o para morrer – Retirando-se para Derbe, eles pregam e ensinam lá.

Não havendo menção da sinagoga em Listra, é provável que houvesse poucos judeus ali para formar um.

lá estava um certo homem … um aleijado do ventre de sua mãe … O mesmo ouviu Paulo falar – ao ar livre e (At 14:11) para uma multidão de pessoas.

9 Este ouviu Paulo falando; o qual, olhando com atenção, e vendo que ele tinha fé para ser curado,

olhando com atenção – como ele fez Elymas o feiticeiro quando prestes a fazer um milagre nele.

e vendo que ele tinha fé para ser curado – Paulo pode ter sido levado pela visão desse aleijado a se debruçar sobre os milagres de cura do Salvador e Seu poder atual; e percebendo da ânsia com que o paciente bebeu em suas palavras, que estava preparado para colocar seu próprio caso nas mãos do Redentor, o Espírito do Médico glorificado veio sobre Paulo, e “com grande voz” ele disse: ele “fica de pé sobre os seus pés”. O efeito foi instantâneo – ele se pôs de pé “e andou”.

10 Disse em alta voz: Levanta-te direito sobre teus pés.E ele saltou e andou.
11 E as multidões, vendo o que Paulo tinha feito, levantaram suas vozes, dizendo em língua licaônica: Os deuses se fizeram semelhantes a homens, e desceram até nós.

em língua licaônica – se uma corrupção da língua grega, que foi bem entendida nesta região, ou os restos de alguma língua mais velha, não é conhecida.

Os deuses se fizeram semelhantes a homens – a linguagem de um povo não sofisticado. Mas “aquilo que era uma superstição em Licaônia, e pelo qual toda a“ criação ”gemeu, se tornou uma realidade em Belém” (Webster e Wilkinson).

12 E chamaram a Barnabé de Júpiter; e a Paulo, de Mercúrio; porque este era o líder ao falar.

E chamaram a Barnabé de Júpiter – o pai dos deuses, de sua aparência dominante (pensa Crisóstomo).

e a Paulo, de Mercúrio – o deus da eloquência e o mensageiro e assistente de Júpiter, na mitologia pagã.

13 E o sacerdote de Júpiter, que estava diante da cidade deles, trazendo touros e grinaldas à entrada da porta, ele, junto com as companhias, queria oferecer sacrifício a eles.

o sacerdote de Júpiter, que foi antes de sua cidade – isto é, cujo templo estava

diante da cidade deles, trazendo touros e grinaldas – para coroar as vítimas e decorar, como em ocasiões festivas, as varandas.

14 Mas os apóstolos Barnabé e Paulo, ao ouvirem isto, rasgaram suas roupas, e saltaram entre a multidão, clamando,

quando… Barnabas e Paul ouviram – Barnabé é colocado em primeiro lugar aqui, aparentemente como tendo sido denominado “Júpiter” da empresa.

eles alugaram suas roupas e correram – em vez disso (de acordo com a leitura verdadeira), “correu”.

entre as pessoas, clamando … Senhores, por que fazeis estas coisas? – Isso era algo mais do que a aversão à idolatria que tomou posse dos judeus como nação desde o tempo do cativeiro babilônico: foi essa delicada sensibilidade a tudo o que afeta a honra de Deus que o cristianismo, nos dando em Deus um Pai reconciliado. sozinho pode produzir; fazendo com que o cristão instintivamente se sinta ferido em toda desonra feita a Deus, e enchendo-o de horror e pesar misturados quando tais insultos grosseiros são oferecidos a ele.

15 E dizendo: Homens, por que fazeis estais coisas? Também nós somos homens como vós, sujeitos às mesmas emoções; e vos anunciamos o Evangelho para que vos convertais destas vaidades para o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar, e tudo quanto neles há.

E dizendo: Homens, por que fazeis estais coisas? Isto foi algo mais do que aquela repugnância da idolatria que tomou posse dos judeus como nação desde o tempo do cativeiro babilônico: era aquela delicada sensibilidade a tudo que afeta a honra de Deus, que o cristianismo – dando-nos em Deus um Pai reconciliado – pode produzir; fazendo com que o cristão instintivamente se sinta ferido em toda desonra feita a Deus, e enchendo-o de horror e tristeza misturados quando tais insultos grosseiros como este são oferecidos a Ele.

Também nós somos homens como vós, sujeitos às mesmas emoções – ‘homens da mesma natureza (ou similarmente constituídos) com vocês (A frase, “mesmas emoções”, é correta o suficiente, se entendida num sentido físico – como implicando como fraquezas, mas não no sentido moral). Quão diferente da impostura ou do entusiasmo é isto, e quão altos acima de toda busca egoísta estes homens de Cristo se mostram ser!

e vos anunciamos o Evangelho para que vos convertais destas vaidades – o nome mais conhecido e expressivo no Antigo Testamento para todos tipos de ídolos.

para o Deus vivo – Este é o mais glorioso e distintivo de todos os nomes de Deus; expressivo daquilo que o separa infinitamente não só de todos os ídolos mortos, mas de todas as concepções panteístas dele, que o confundem e identificam com as obras de suas mãos – “ter vida em si mesmo”, como o grande Princípio Vida em suas criaturas – vida consciente e pessoal – essencial, independente, eterna, imutável – em virtude da qual nós, que somos uma fraca sombra de Si mesmo, como pessoas vivas, somos capazes de manter uma comunhão racional e inteligente com Ele, espírito com Espírito. Compare com 1Tessalonicenses 1:9.

que fez o céu, a terra, o mar, e tudo quanto neles há – Esta ideia de criação totalmente desconhecida tanto para o paganismo cru como para o paganismo culto, não só define o que se entende por “o Deus vivo”, mas abriria um novo mundo, depois da reflexão, à parte mais atenta dos ouvintes. [JFU]

16 O qual nas gerações passadas deixou os os gentios andarem seus próprios caminhos.

Isto é, sem estender a revelação concedida à semente de Abraão, ea graça que a acompanha; compare At 17:30; 1Co 1:21. No entanto, não sem culpa de sua parte foi essa privação (Rm 1:20, etc.).

17 Ainda que, contudo, não tenha deixado a si mesmo sem testemunho, fazendo o bem desde o céu, dando-nos chuvas, e tempos frutíferos, e enchendo nossos corações de alimento e alegria.

Ainda que, contudo, não tenha deixado a si mesmo sem testemunho – Embora a idiotice da idolatria seja representada como muito menor nos pagãos, pelo quanto eles estavam fora do alcance da religião revelada, ele toma o cuidado de acrescentar que os pagãos têm “testemunhas” divinas deixe-os “sem desculpa”.

ele fez o bem – espalhando Sua beneficência em toda parte e em mil formas.

dando-nos chuvas, e tempos frutíferos – das quais dependem a subsistência humana e todo o prazer humano. Na Licaônia, onde, como atestam escritores antigos, a chuva é peculiarmente escassa, essa alusão teria o maior efeito.

enchendo nossos corações de alimento e alegria – um coloquialismo natural, o coração sendo alegrado pela comida suprida ao corpo.

18 E tendo disto isto, apenas detiveram as multidões de que não fizessem sacrifícios a eles.

Apesar disto, e repúdio de Peter de toda tal honra (At 10:26), como logo tendências idólatras começaram a se mostrar na Igreja Cristã , finalmente, ser sistematizado e ordenado na Igreja de Roma!

19 Mas vieram alguns judeus de Antioquia, e de Icônio, e persuadiram a multidão; e apedrejando a Paulo, arrastaram-no para fora da cidade, pensando que ele estivesse morto.

Mas vieram alguns judeus de Antioquia, e de Icônio – o zelo furioso que viajaria tão longe para contrabalançar os missionários da Cruz!

persuadiu o povo – “as multidões”.

e apedrejando a Paulo – (Veja em At 14:5). Barnabé eles parecem ter deixado sozinho; Paul, como o ator e orador de destaque, sendo o objeto de toda a sua raiva. As palavras parecem implicar que foram os judeus que fizeram isso; e sem dúvida eles assumiram a liderança (At 14:19), mas foi o ato das multidões instigadas e volúveis junto com eles.

para fora da cidade – Ao comparar isso com At 7:58, veremos que os judeus foram os principais atores dessa cena.

20 Mas, tendo os discípulos ficado ao seu redor, ele se levantou, e entrou na cidade; e no dia seguinte saiu com Barnabé para Derbe.

tendo os discípulos ficado ao seu redor – tristeza. Assim, seus trabalhos aqui não foram em vão: “Discípulos” foram reunidos, que agora se reuniram em torno do corpo ensanguentado. E parece ter sido adquirido nesta ocasião, de muito mais importância do que todo o resto – Timóteo. Veja em At 16:1-3. (Quase não poderia ter sido na visita subsequente, At 14:21, pela razão dada em 2Tm 3:10-11; enquanto na terceira visita, At 16:1-3, ele já era um Cristão).

ele se levantou – É possível que essa recuperação fosse natural; a insensibilidade ocasionada por um tratamento como o que ele recebera às vezes desaparecendo de si mesmo e deixando o paciente menos ferido do que aparentava. Mas certamente a impressão naturalmente deixada na mente pelas palavras é que a restauração foi milagrosa; e assim os melhores intérpretes entendem as palavras. Isto é confirmado pelo que segue.

veio para a cidade – nobre intrepidez!

no dia seguinte saiu com Barnabé para Derbe – uma jornada pela qual ele dificilmente poderia estar em forma se sua recuperação fosse natural. (Quanto a Derbe, veja em At 14:6).

21 E tendo anunciado o Evangelho àquela cidade, e feito muitos discípulos, eles voltaram a Listra, e a Icônio, e a Antioquia,

At 14: 21-28. Paulo e Barnabé retornam a Antioquia, na Síria, e assim completam sua primeira viagem missionária.

e quando eles haviam pregado … para aquela cidade e haviam ensinado muitos – ao contrário, “haviam feito muitos discípulos” (Margem); mas provavelmente sem sofrer qualquer perseguição, como Derbe não é mencionado junto com Antioquia, Icônio e Listra (2Tm 3:11).

eles retornaram … para Listra, Icônio e Antioquia, confirmando as almas, etc. – Em Derbe, Paulo não estava longe do conhecido passe que desce do planalto central até a Cilícia e Tarso. Mas seus pensamentos não se centraram em um lar terreno. Ele revisitou os lugares onde havia sido injuriado e perseguido, mas onde havia deixado como ovelhas no deserto os discípulos que seu Mestre lhe havia permitido reunir. Eles precisavam construir e fortalecer na fé, confortando em meio ao inevitável sofrimento e cercando por instituições permanentes. Portanto, destemidos pelos perigos que os esperavam, nossos missionários retornaram a eles, usando palavras de encorajamento que somente os fundadores de uma religião verdadeira teriam se aventurado a dirigir aos seus primeiros conversos, que “só podemos entrar no reino de Deus passando por muita tribulação ”(Howson).

22 Confirmando os ânimos dos discípulos, e exortando-os para que permanecessem na fé, e que nos é necessário entrar no Reino de Deus por meio de muitas aflições.
23 E tendo escolhido por votação anciãos para cada igreja, orando com jejuns, eles foram enviados ao Senhor, no qual tinham crido.

tendo escolhido por votação anciãos – literalmente, “escolhidos pela demonstração de mãos”. Mas, como isso implicaria que isso foi feito pelas próprias mãos dos apóstolos, muitos tornam a palavra, como em nossa versão, “ordenada”. não há evidência no Novo Testamento de que a palavra tenha então perdido seu significado próprio, já que este é sem dúvida seu significado em 2Co 8:19, e como há indícios irrefutáveis ​​de que a concordância do povo era necessária em todas as eleições No sagrado ofício nas primeiras eras da Igreja, talvez seja melhor entender as palavras para dizer “quando eles fizeram uma escolha de anciãos”, isto é, supervisionou essa escolha por parte dos discípulos.

orando com jejuns – literalmente, “jejuns”, colocando-os assim separados. Esta última sentença confirma nossa interpretação do primeiro. Pois se a “ordenação” foi pela oração e pelo jejum (veja At 13:3), por que se deveria dizer que primeiro “ordenaram anciãos” e depois “rezavam com jejum”? Considerando que se a primeira sentença se refere à escolha e à segundo para a ordenação, tudo é natural.

elogiaram – “comprometidos”

eles – isto é, todas essas igrejas.

ao Senhor Jesus.

24 E tendo passado por Pisídia, vieram à Panfília.
25 E tendo falado a palavra em Perges, desceram a Atália.

E tendo falado a palavra em Perges – agora fazendo o que, por alguma razão, eles não haviam feito em sua visita anterior, mas provavelmente sem frutos visíveis.

desceram a Atália – um porto marítimo no Golfo da Panfília, atraindo para si o comércio do Egito e da Síria.

26 E dali navegaram para Antioquia, onde tinham sido encomendados à graça de Deus para a obra que eles já tinham cumprido.

navegou para Antioquia, de onde haviam sido recomendados – (Veja em At 13:3).

27 E ao chegarem, e reunirem a igreja, relataram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles; e como ele tinha aberto a porta da fé aos gentios.

e reunirem a igreja, relataram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles… – Como seu chamado e missão foram solenes e formais, na presença de e pela Igreja assim como o Espírito Santo, eles obedientemente, e sem dúvida, com grande alegria, convocou a igreja e deu seu relato de “tudo o que Deus havia feito com eles”, isto é, por e para eles.

e como – em particular.

e como ele tinha aberto a porta da fé aos gentios – para aqueles que antes não eram prosélitos. (Veja em At 11:21, e sobre a linguagem, veja 1Co 16:9; 2Co 2:12; Cl 4:3). A atribuição direta a Deus de tal acesso aos gentios deve ser notada.

28 E eles ficaram ali não pouco tempo com os discípulos.

“não há pouco tempo”. Desde o começo da missão até que deixaram Antioquia para ir ao conselho em Jerusalém, cerca de quatro ou cinco anos se passaram; e como a jornada missionária provavelmente ocuparia menos de dois anos, o resto do tempo seria o período de sua estada em Antioquia. (Mas veja na Tabela Cronológica)

<Atos 13 Atos 15>

Leia também uma introdução ao Livro dos Atos dos Apóstolos.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados