2 Timóteo 3

1 Sabe porém isto, que nos últimos dias virão tempos difíceis.

Comentário A. R. Fausset

últimos dias – precedendo a segunda vinda de Cristo (2Pedro 3:3; Juízes 1:18). “Os últimos tempos”, 1Timóteo 4:1, referem-se a um período não tão remoto como “os últimos dias”, ou seja, os longos dias de anticristianismo papal e grego.

virão– grego, “será iminente”; “Virá inesperadamente” (Bengel).

difíceis – literalmente, “tempos difíceis”, em que é difícil saber o que deve ser feito: “tempos difíceis”. [Fausset, aguardando revisão]

2 Pois haverá alguns que serão egoístas, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e a mães, ingratos, profanos,

Comentário A. R. Fausset

alguns– na igreja professa. Compare o catálogo, Romanos 1:29, etc., onde os mesmos pecados são atribuídos aos homens pagãos; será uma recaída no virtual paganismo, com todas as suas propensões semelhantes a animais, de onde o símbolo é “uma besta” (Apocalipse 13:1,11-12, etc .; Apocalipse 17:3,8,11).

gananciosos – Traduza “amando dinheiro”, uma palavra grega distinta da palavra “cobiçoso” (ver em Colossenses 3:5). O substantivo grego cognato (1Timóteo 6:10) é assim traduzido, “o amor ao dinheiro é uma raiz (grega, não ‘a’) de todo o mal”.

presunçosos – vazios presos (Alford); gabando-se de ter o que eles não têm.

soberbos – arrogância: literalmente, mostrando-se acima de seus companheiros.

blasfemos– em vez disso, “mal-falantes”, os vilões.

desobedientes a pais e a mães – O caráter dos tempos deve ser colhido especialmente das maneiras dos jovens (Bengel).

ingratos – A obrigação de gratidão é próxima da obediência aos pais.

profanos – irreligioso (Alford); inobservante dos ofícios de piedade. [Fausset, aguardando revisão]

3 sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, sem dominio próprio, cruéis, sem amor com os bons,

Comentário A. R. Fausset

truce-breakers – como o grego é traduzido em Romanos 1:31, “implacável”.

acusadores falsos – caluniadores (1Timóteo 3:11; Tito 2:3).

incontinente, feroz – ao mesmo tempo suave e duro: incessantemente se entregando e desumano aos outros.

desprezadores, etc. – “não há amantes do bem” (Alford); o oposto de “um amante do bem” (Tito 1:8). [Fausset, aguardando revisão]

4 traidores, precipitados, orgulhosos, que amam mais os prazeres que a Deus.

Comentário A. R. Fausset

precipitados – precipitar em ação e em paixão.

orgulhosos – literalmente, “inflado” com orgulho, como com a fumaça cegando-os.

que amam mais os prazeres que a Deus – O amor do prazer destrói o amor e o sentido de Deus. [Fausset, aguardando revisão]

5 Eles têm uma aparência de devoção divina, mas negam o poder dela. Afasta-te desses também.

Comentário A. R. Fausset

aparência – semelhança externa.

o poder – a influência viva, regeneradora e santificadora dele.

afaste-se – sugerindo que alguns desses personagens, precursores dos últimos dias, já estavam na Igreja. [Fausset, aguardando revisão]

6 Pois dentre esses são os que entram pelas casas, e levam cativas as mulheres insensatas carregadas de pecados, levadas com vários maus desejos;

Comentário A. R. Fausset

Pois dentre esses  – como foram descritos (2Timóteo 3:5).

carregadas de pecados – (Isaías 1:4); aplicando-se às “mulheres tolas” cujas consciências estão sobrecarregadas de pecados, e assim são presas prontas dos falsos mestres que prometem facilidade de consciência se os seguirem. Uma má consciência leva facilmente ao naufrágio da fé (1Timóteo 1:19).

maus desejo – não apenas luxúria animal, mas paixão por mudança na doutrina e na maneira de ensinar; o correr atrás dos homens da moda e dos princípios da moda, atraindo-os nas direções mais opostas (Alford). [Fausset, aguardando revisão]

7 que sempre estão aprendendo, e jamais conseguem chegar ao conhecimento da verdade.

Comentário A. R. Fausset

sempre estão aprendendo – algum novo ponto, por mera curiosidade, ao menosprezo do que pareciam conhecer antes.

ao conhecimento – grego, “o conhecimento perfeito”; a única salvaguarda contra novas novidades. O gnosticismo se apoderou especialmente das mulheres [Estius, 1.13.3]. [Fausset, aguardando revisão]

8 E assim como Janes e Jambres se opuseram a Moisés, assim também esses se opõem a verdade; esses são corruptos de entendimento, e reprovados quanto à fé.

Comentário A. R. Fausset

E assim como – grego, “mas”; não é de admirar que deva haver agora tais oponentes à verdade, pois seus protótipos existiram nos tempos antigos (Alford).

Janes e Jambres – nomes tradicionais dos magos egípcios que resistiram a Moisés (Êxodo 7:11,22), derivados do “ensino não escrito dos judeus” (Theodoret). Em um ponto tão imaterial quanto os nomes, onde a Escritura não os registrou, Paulo toma os nomes que a opinião geral atribuiu aos magos. Eusébio [Preparação do Evangelho], citações de Numenius, “Janes e Jambres eram escribas sagrados (uma ordem inferior de sacerdotes no Egito) habilidosos em magia.” Hiller interpreta “Jannes” da língua Abyssinian um trapaceiro, e “Jambres” um malabarista ”(Atos 13:8).

se opuseram– “suportar”, como antes. Eles fizeram isso tentando rivalizar com os milagres de Moisés. Assim, os falsos mestres devem expor maravilhas mentirosas nos últimos dias (Mateus 24:24; 2Tessalonicenses 2:9; Apocalipse 13:14-15).

reprovados – incapaz de testar a verdade (Romanos 1:28) (Bengel). Alford leva passivamente, “não cumprindo o teste”; rejeitado em ser testado (Jeremias 6:30). [Fausset, aguardando revisão]

9 Eles, porém, não avançarão; pois a insensatez deles será evidente a todos, como também foi a daqueles.

Comentário A. R. Fausset

Eles, porém, não avançarão – Embora por um tempo (2Timóteo 2:16) “eles avançem ou prossigam (Versão Inglesa,‹ aumentar ‘) até mais iniquidade ”, ainda assim há um limite final além do qual eles não serão capazes de “Prossiga” (Jó 38:11; Apocalipse 11:7,11). Eles mesmos “piorarão cada vez mais” (2Timóteo 3:13), mas eles serão finalmente para sempre impedidos de seduzir os outros. “Muitas vezes a malícia avança mais fundo, quando não pode se estender” (Bengel).

insensatez  – literalmente, “dementação”: sábio, embora eles se pensem.

será evidente – grego, “será tirado da ocultação em dia aberto” (Bengel), (1Coríntios 4:5).

como também foi a daqueles – como o daqueles magos era, quando não só eles não podiam mais tentar rivalizar com Moisés ao enviar furúnculos, mas os furúnculos caíram sobre eles mesmos: assim como para os piolhos (Êxodo 8:189:11) . [Fausset, aguardando revisão]

10 Porém tu tens seguido a minha doutrina, conduta, intenção, fé, paciência, amor, perseverança,

Comentário A. R. Fausset

Porém tu tens seguido – literalmente, “totalmente seguido” e rastreado; ou seja, com o objetivo de seguir-me como seu padrão, na medida em que eu sigo a Cristo; o mesmo grego que em Lucas 1:3, “tendo perfeito entendimento de todas as coisas”. Sua piedosa mãe Eunice e sua avó Lois o recomendariam a estudar completamente o curso cristão de Paulo como um padrão. Ele não tinha sido ainda o companheiro de Paulo na época das perseguições do apóstolo em Antioquia, Icônio e Listra (Atos 13:5014:5,19), mas é mencionado pela primeira vez como tais Atos 16:1-3. No entanto, ele já era “discípulo” quando nos foi apresentado em Atos 16:1-3; e como Paulo o chama de “meu próprio filho na fé”, ele deve ter sido convertido pelo apóstolo anteriormente; talvez na visita àquelas partes três anos antes. Daí surgiu o conhecimento de Timóteo sobre as perseguições de Paulo, que eram a conversa comum das igrejas naquelas regiões sobre o tempo de sua conversão. A alusão incidental a eles aqui forma uma coincidência indesejada entre a história e a Epístola, indicando genuinidade [Paley, Horae Paulinae]. Um falsificador de epístolas dos Atos nunca aludiria ao conhecimento de Timóteo das perseguições, quando esse conhecimento não é expressamente mencionado na história, mas só é alcançado por inferência indireta; Também a omissão de Derbe aqui, na Epístola, está em minuciosa concordância com o fato de que em Derbe nenhuma perseguição é mencionada na história, embora Derbe e Lystra sejam comumente mencionados juntos. A razão pela qual ele menciona suas perseguições antes de Timóteo tornar-se seu companheiro, e não as subsequentes, foi porque Timóteo estava familiarizado com o último como uma testemunha ocular e Paulo não precisava lembrá-lo deles, mas o ex-Timóteo tinha procurado a informação de outros, especialmente como a data e cena deles era a data e cena de sua própria conversão.

conduta – modo de vida, comportamento.

intenção – O grego é em outro lugar geralmente usado do “propósito” de Deus. Mas aqui, como em Atos 11:23, do determinado “propósito de coração ao apegar-se ao Senhor”. Meu objetivo ou resolução em minha função apostólica, e em toda ação não é meu ganho egoísta, mas a glória de Deus em Cristo.

paciência – para com meus adversários e os falsos mestres; para com os irmãos suportando suas enfermidades; para o não convertido, e o prescrito quando penitente (2Timóteo 4:2; 2Coríntios 6:6; Gálatas 5:22; Efésios 4:2; Colossenses 3:12).

perseverança  – “resistência”; paciente continuação em fazer bem em meio a adversidades (2Timóteo 3:11; Romanos 2:7). [Fausset, aguardando revisão]

11 perseguições, aflições; as quais me aconteceram em Antioquia, em Icônio e em Listra; tais perseguições sofri, e o Senhor me livrou de todas.

Comentário A. R. Fausset

em Antioquia – da Pisídia (Atos 13:14,50-51).

Icônio – (Atos 14:1-5).

Listra – (Atos 14:6,19).

e o Senhor me livrou de todas – (2Timóteo 4:17; Salmo 34:17; 2Coríntios 1:10). Um encorajamento para Timóteo não temer perseguições. [Fausset, aguardando revisão]

12 E também todos os que querem viver devotamente em Cristo Jesus sofrerão perseguição.

Comentário A. R. Fausset

E também – uma consideração adicional por Timóteo: se ele deseja viver piedosamente em Cristo, ele deve se decidir a encontrar perseguição.

os que querem – grego, “todo cujo desejo é viver”, etc. Até agora a perseguição deveria ser um obstáculo a Timóteo, ele deveria considerá-lo uma marca dos piedosos. Assim, o mesmo grego é usado da mesma coisa, Lucas 14:28,33, “pretendendo (grego, ‘desejar’) construir uma torre… conta o custo”.

viver devotamente em Cristo Jesus – (Gálatas 2:20; Filipenses 1:21). Não há piedade (grego, “piedosamente”) ou piedade de Cristo. O mundo opõe-se facilmente à máscara de uma religião que depende de si mesma, mas a piedade que deriva seu vigor diretamente de Cristo é tão odiosa para os cristãos modernos quanto para os antigos judeus (Bengel).

sofrerão perseguição – e não a recusará (Gálatas 5:11). Bispo Pearson prova que a origem divina do cristianismo de seu sucesso é inexplicável na suposição de seu ser de origem humana. A natureza de sua doutrina não era uma maneira provável de comandar o sucesso: (1) condena todas as outras religiões, algumas estabelecidas há séculos; (2) ordena os preceitos ingratos a carne e sangue, a mortificação da carne, o amor dos inimigos e o cumprimento da cruz; (3) reforça estes preceitos aparentemente irracionais com promessas aparentemente inacreditáveis; não coisas boas como a complacência aos nossos sentidos, mas que não podem ser obtidas até depois desta vida, e pressupõem o que então parecia impossível, a ressurreição; (4) prediz a seus seguidores o que parece certo impedir a maioria do mundo de abraçá-lo, perseguições. [Fausset, aguardando revisão]

13 Mas os que são maus e enganadores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados.

Comentário A. R. Fausset

Razão pela qual as perseguições devem ser esperadas, e estas se tornam cada vez piores à medida que o fim se aproxima. A brecha entre a luz e a escuridão, longe de ser curada, será ampliada (Alford).

 maus – em contraste com os “piedosos” (2Timóteo 3:12).

enganadores – literalmente, “conjuradores”. As artes mágicas prevaleceram em Éfeso (Atos 19:19) e foram renunciadas por muitos efésios ao abraçarem o cristianismo: mas agora, quando Paulo estava escrevendo para Éfeso, surgiram sintomas de um retorno aos truques de conjuração: coincidência indesejada (Burton). Provavelmente a feitiçaria caracterizará a apostasia final (Apocalipse 13:1518:2322:15).

irão de mal a pior – literalmente, “avançar na direção do pior” (ver em 2Timóteo 3:9). Não é contraditório a esse verso: ali foi falada a difusão do mal; aqui sua intensidade (Alford).

enganando e sendo enganados – Aquele que uma vez começou a enganar os outros, é o menos capaz de se recuperar do erro, e mais facilmente abraça os erros dos outros (Bengel). [Fausset, aguardando revisão]

14 Tu, porém, continua nas coisas que aprendeste e das quais foste convencido, pois sabes aqueles de quem as aprendeste.

Comentário A. R. Fausset

Tu, porém – Tudo o que eles podem fazer. Retomando o fio iniciado em 2Timóteo 3:10.
aprendi – de mim e tua mãe e avó (2Timóteo 1:52:2).

continua nas coisas – da Escritura (2Timóteo 3:15).

aqueles de quem as aprendestes – plural, não singular, nos manuscritos mais antigos, “de que professores.” Não só de mim, mas de Lois e Eunice. [Fausset, aguardando revisão]

15 e que desde tua infância conheceste as Sagradas Escrituras, que podem te fazer sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus.

Comentário A. R. Fausset

tua infância – literalmente, “de uma criança”. A tenra idade da primeira aurora da razão é aquela em que as mais duradouras impressões de fé podem ser feitas.

Sagradas Escrituras – O Antigo Testamento ensinado por sua mãe judia. Uma coincidência não proposta com 2Timóteo 1:5; Atos 16:1-3.

sábio – em si mesmos: embora, por culpa dos próprios homens, muitas vezes não tornem os homens salvamente vivos.

para a salvação – isto é, sábio para alcançar a salvação. Contraste “loucura” (2Timóteo 3:9). Sábio também em estendê-lo aos outros.

pela fé em Cristo Jesus – como o instrumento desta sabedoria. Cada um conhece as coisas divinas apenas na medida em que sua própria experiência se estende. Aquele que não tem fé, não tem sabedoria ou salvação. [Fausset, aguardando revisão]

16 Toda a Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para mostrar erros, para corrigir, e para instruir na justiça;

Comentário A. R. Fausset

Toda a Escritura – grego, “Toda Escritura”, isto é, as Escrituras em todas as suas partes. No entanto, a Versão Inglesa é sustentada, embora o artigo grego esteja querendo, pelo uso técnico do termo “Escritura” sendo tão bem conhecido como não precisar do artigo (compare Grego, Efésios 3:152:21). O grego nunca é usado de escritos em geral, mas apenas das escrituras sagradas. A posição dos dois adjetivos gregos intimamente unidos por “e”, proíbe que tomemos um como epíteto, o outro como predicado e traduzido como Alford e Ellicott. “Toda Escritura dada por inspiração de Deus também é proveitosa”. A Vulgata e os melhores manuscritos favorecem a versão em inglês. Claramente, os adjetivos estão tão intimamente conectados que, assim como um é um predicado, o outro deve ser assim também. Alford admite que sua tradução seja dura, embora legítima. É melhor com a versão inglesa para levá-lo em uma construção legítima, e ao mesmo tempo não dura. O grego, “inspirado por Deus”, não é encontrado em nenhum outro lugar. A maioria dos livros do Novo Testamento foram escritos quando Paulo escreveu sua última epístola: assim ele inclui na sentença “Toda a Escritura é inspirada por Deus”, não apenas no Antigo Testamento, no qual somente Timóteo era ensinado quando criança (2Timóteo 3:15), mas os livros do Novo Testamento de acordo como eram reconhecidos nas igrejas que tinham homens dotados de “discernimento de espíritos”, e assim capazes de distinguir enunciados realmente inspirados, pessoas, e assim seus escritos de espúrias. Paulo quer dizer: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e, portanto, útil”; porque não vemos utilidade em nenhuma palavra ou parte dela, ela não segue, não é inspirada por Deus. É útil, porque inspirado por Deus; não inspirado por Deus, porque útil. Uma razão para o artigo não ser antes do grego, “Escritura”, pode ser que, se tivesse, poderia ser suposto que limitava o sentido à {hiera grammata}, “Sagradas Escrituras” (2Timóteo 3:15) do Antigo Testamento, enquanto aqui a afirmação é mais geral: “toda a Escritura” (compare Grego, 2Pedro 1:20) A tradução, “toda Escritura que é inspirada por Deus também é útil”, implicaria que há alguma Escritura que não é inspirada por Deus, mas isso excluiria o sentido apropriado da palavra “Escritura”, e quem precisaria ser informado de que “toda a divina Escritura é útil (‘proveitosa’)?” Hebreus 4:13 iria, na visão de Alford, tem que ser traduzida, “Todas as coisas nuas também estão abertas aos olhos Dele”, etc .: assim também 1Timóteo 4:4, o que seria um absurdo [Tregelles, Observações sobre as Visões Proféticas do Livro de Daniel] Knapp define bem a inspiração, “uma agência divina extraordinária sobre os professores enquanto dá instruções, seja oral ou por escrito. n, pelo qual eles foram ensinados como e o que eles deveriam falar ou escrever ”(compare 2Samuel 23:1; Atos 4:25; 2Pedro 1:21). A inspiração dá a sanção divina a todas as palavras da Escritura, embora essas palavras sejam as declarações do escritor individual, e somente em casos especiais revelados diretamente por Deus (1Coríntios 2:13). A inspiração é aqui predicada dos escritos, “toda a Escritura”, não das pessoas. A questão não é como Deus fez isso; é como a palavra, não os homens que a escreveram. O que devemos crer é que Ele fez isso, e que todos os escritos sagrados são em todos os lugares inspirados, embora nem todos os assuntos semelhantes de revelação especial: e que mesmo as próprias palavras estejam estampadas com sanção divina, como Jesus as usou (por exemplo na tentação e Jo 10:34-35), para decidir todas as questões de doutrina e prática. Existem graus de revelação nas Escrituras, mas não de inspiração. Os escritores sagrados nem sempre conheceram a plena significação de suas próprias palavras inspiradas por Deus (1Pedro 1:10-12). Inspiração verbal não significa ditado mecânico, mas toda “Escritura é (assim) inspirada por Deus”, que tudo nela, suas narrativas, profecias, citações, o todo – ideias, frases e palavras – são como Ele achou por bem estar lá. A condição atual do texto não é motivo para concluir que o texto original está sendo inspirado, mas é uma razão pela qual devemos usar toda a diligência crítica para restaurar o texto inspirado original. Novamente, a inspiração pode ser acompanhada por revelação ou não, mas é tão necessária para escrever doutrinas ou fatos conhecidos com autoridade, quanto para comunicar novas verdades (Tregelles). A omissão aqui do verbo substantivo é, “penso eu, designada para marcar isto, não somente a Escritura então existente, mas o que ainda estava para ser escrito até que o cânon fosse completado, é incluído como Deus) – inspirado. A lei do Antigo Testamento era o professor para nos levar a Cristo; por isso é apropriadamente dito ser “capaz de tornar sábio para a salvação pela fé em Jesus Cristo”: o termo sabedoria sendo apropriado para o conhecimento das relações entre o Antigo e o Novo Testamento, e oposto à pretensa sabedoria dos falsos mestres (1Timóteo 1:7-8).

ensinar – grego, “ensinar”, isto é, ensinar as verdades dogmáticas ignorantes que eles não podem conhecer de outra forma. Ele assim usa o Antigo Testamento, Romanos 1:17.

para mostrar erros – “refutação”, condenando o erro do seu erro. Incluindo divindade polêmica. Como um exemplo desse uso do Antigo Testamento, compare Gálatas 3:6,13,16. “Doutrina e reprovação” compreendem as partes especulativas da divindade. Em seguida, siga a prática: as Escrituras são proveitosas para: (1) correção (grego, “assentando um certo”; compare um exemplo, 1Coríntios 10:1-10) e instrução (grego, “disciplinando”, como um pai faz seu filho veja em 2Timóteo 2:25, Efésios 6:4, Hebreus 12:5,11, ou “treinamento” por instrução, aviso, exemplo, gentileza, promessas e castigos, compare um exemplo, 1Coríntios 5:13). Assim, toda a ciência da teologia é completa nas Escrituras. Visto que Paulo está falando da Escritura em geral e na noção dela, a única razão geral pela qual, para aperfeiçoar o piedoso (2Timóteo 3:17), deve se estender a todo departamento de verdade revelada, deve ser que foi destinado a ser a regra completa e suficiente em todas as coisas que tocam a perfeição.

instruir na justiça –  em contraste com a “instrução” em rudimentos mundanos (Colossenses 2:20,22). [Fausset, aguardando revisão]

17 para que o homem de Deus seja completo, plenamente instruído para toda boa obra.

Comentário A. R. Fausset

homem de Deus – (veja 1Timóteo 6:11).

grego, “completamente aperfeiçoado” e tão “perfeito”. O homem de Deus é perfeitamente acatado fora das Escrituras por sua obra, quer ele seja um ministro (compare 2Timóteo 4:2 com 2Timóteo 3:16) ou um leigo espiritual. Nenhuma tradição oral é necessária para ser adicionada. [Fausset, aguardando revisão]

<2 Timóteo 2 2 Timóteo 4>

Visão geral de 2Timóteo

Na segunda carta a Timóteo, “Paulo está prestes a enfrentar a morte, e faz o desafio pessoal a Timóteo de que continue seguindo Jesus, independentemente dos sacrifícios e riscos”. Para uma visão geral desta carta, assista ao breve vídeo abaixo produzido pelo BibleProject. (8 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução à Segunda Epístola à Timóteo.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.