Bíblia

2 Tessalonicenses 2

Aviso Quer estudar a Bíblia e não sabe por onde começar? Conheça o nosso curso: Como Estudar a Bíblia? Ele é gratuito, online e pode ser iniciado agora mesmo! Clique aqui e saiba mais.


1 Ora irmãos, nós vos rogamos quanto à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e à nossa reunião com ele,

e à nossa reunião com ele. A palavra grega traduzida por “reunião” ocorre apenas mais uma vez no Novo Testamento, onde é usada com referência à congregação dos cristãos para adoração (Hb 10:35). Aqui é usada com alusão ao ajuntamento dos crentes a Cristo, quando ele for revelado do céu; refere-se, não à ressurreição dos mortos, mas à reunião dos que então estão vivos (leia 1Ts 4:17). [Pulpit, 1895]

2 que vós não vos abaleis facilmente em vosso entendimento, e não vos perturbeis, nem por espírito, nem por palavra, nem por carta como que escrita por nós, como se o dia do Senhor já estivesse perto.

como se o dia do Senhor já estivesse perto (“já tivesse chegado”, NVI; “já começou”, NVT). Provavelmente, a falsa doutrina que estava começando a ganhar força em Tessalônica era que o dia do Senhor já havia começado, confundindo toda a ideia de uma vinda pessoal e visível, assim como, posteriormente, Himeneu e Fileto confundiram a verdadeira doutrina da ressurreição, afirmando que ela já tinha passado (2Tm 2:18). Paulo não apenas nega fortemente que o dia chegou, mas prossegue no próximo versículo para mostrar que os sinais de sua aproximação ainda não estavam presentes. [Ellicott, 1905]

3 Ninguém vos engane em maneira nenhuma; porque não virá esse dia sem que primeiro venha a apostasia, e se manifeste o homem da injustiça, o filho da perdição.

em maneira nenhuma – Cristo, em Mt 24:4, dá o mesmo aviso em conexão com o mesmo evento. Paulo indicou três maneiras (2Ts 2:2) elas quais eles poderiam ser enganados (compare outras maneiras, 2Ts 2:9 e Mt 24:5,24).

a apostasia – da qual “eu vos disse” antes (2Ts 2:5), “quando eu ainda estava convosco”, e da qual o Senhor deu a insinuação (Mt 24:10-12; Jo 5:43).

e se manifeste o homem da injustiça (ou do pecado). Assim como Cristo foi primeiro em mistério, e depois revelado (1Tm 3:16), assim também o Anticristo (o termo usado 1Jo 2:18, 1Jo 4:3) é primeiro em mistério, e depois será revelado (2Ts 2:7-9). Assim como a justiça encontrou sua encarnação em Cristo, “o Senhor, nossa justiça”, assim também o “pecado” terá sua encarnação no “homem da injustiça”. O poder de impedimento, enquanto isso, restringe sua manifestação; quando isso for removido, então esta manifestação ocorrerá. Os artigos, “a apostasia” e “o homem da injustiça”, podem também se referir a eles serem bem conhecidos como preditos em Dn 7:8,25, “o chifre pequeno falando grandes palavras contra o Altíssimo, e pensando em mudar os tempos e as leis”; e Dn 11:36, o rei obstinado que “se exaltará,  e se engradecerá acima de todo deus, ele falará coisas maravilhosas contra o Deus dos deuses; nem ele considerará qualquer deus”. [JFB]

4 O qual se opõe e se levanta sobre tudo o que se chama Deus, ou sobre tudo que é adorado; por isso ele se sentará no templo de Deus, fazendo-se parecer Deus.

se opõe e se levanta sobre tudo o que se chama Deus. Acima do verdadeiro Deus e dos falsos deuses. O opositor reivindica honras divinas para si mesmo.

ou sobre tudo que é adorado – tudo que é  objeto de adoração, incluindo coisas, assim como pessoas.

no templo de Deus. No passado, “templo” aqui era interpretado como uma figura da igreja cristã, seguindo a ideia de 1Co 6:19. Mas neste caso, “templo de Deus” provavelmente refere-se ao templo de Jerusalém. [Vincent, 1886]

5 Não vos lembrais, que enquanto ainda estava convosco, eu vos dizia estas coisas?

Não vos lembrais…- refutando aqueles que representam Paulo como tendo trabalhado sob o erro quanto à vinda imediata de Cristo ao escrever sua primeira epístola, e como agora corrigindo esse erro.

eu vos dizia estas coisas – mais de uma vez, literalmente, “eu estava dizendo” ou “costumava dizer”. [JFB]

6 E agora sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado.

sabeis o que o detém. Alguns sugerem que seja o Espírito Santo, porém a ideia “não tem apoio em outros textos do NT” (Hogg e Vine) e isso também não explica o porque Paulo se refere a ele de forma misteriosa. As mesmas objeções valem para a ideia que o poder refreador seja um ser angélico. Peter E. Cousins entende que a melhor interpretação, embora confesse não ser tão segura, “considera o Império Romano o símbolo da autoridade de governo dada por Deus (Rm 13:1-6)”, que age como barreira contra as reivindicações absurdas feitas pelo homem do pecado. Como Paulo afirma que este poder (no caso, o império) desaparecerá, faz sentido ele não declarar abertamente. [Comentário Bíblico NVI]

7 Porque o mistério da injustiça já opera; só aquele que agora o detém, até que seja tirado do meio.

aquele que agora o detém. Alguns sugerem que seja o Espírito Santo, porém a ideia “não tem apoio em outros textos do NT” (Hogg e Vine) e isso também não explica o porque Paulo se refere a ele de forma misteriosa. As mesmas objeções valem para a ideia que o poder refreador seja um ser angélico. Peter E. Cousins entende que a melhor interpretação, embora confesse não ser tão segura, “considera o Império Romano o símbolo da autoridade de governo dada por Deus (Rm 13:1-6)”, que age como barreira contra as reivindicações absurdas feitas pelo homem do pecado. Como Paulo afirma que este poder (no caso, o império) desaparecerá, faz sentido ele não declarar abertamente. [Comentário Bíblico NVI]

8 E então será manifestado aquele iníquo, ao qual o Senhor destruirá pelo sopro de sua boca, e o aniquilará pelo aparecimento de sua vinda;

ao qual o Senhor destruirá pelo sopro de sua boca. Várias interpretações foram dadas a esta sentença. Algumas a referem à Palavra de Deus, e outras ao Espírito Santo, e supõem que a conversão do mundo é aqui prevista; mas esta é evidentemente uma interpretação equivocada, visto que é uma declaração sobre a destruição do anticristo. Outros dizem que se refere ao brado ou palavra de condenação pronunciada pelo Senhor Jesus contra os iníquos. Porém, a melhor forma de interpretar essa sentença é tomando-a em sua literalidade, como uma descrição do poder de Cristo em sua vinda – que o mero sopro de sua boca é suficiente para consumir os iníquos (compare com Is 11:4, “Ele ferirá a terra com a vara da sua boca e com o sopro dos seus lábios matará os ímpios”). [Pulpit, 1895]

9 aquele injusto cuja vinda é conforme o agir de Satanás, com todo poder, e sinais, e milagres falsos

conforme o agir de Satanás – ou então, de acordo com o ação (“energia”) de Satanás, em oposição à energia ou trabalho do Espírito Santo na Igreja (compare com Ef 1:19). Assim como Cristo está para Deus, assim também o Anticristo está para Satanás, sua encarnação manifestada: Satanás trabalha através dele (Ap 13:2). [JFU, 1871]

10 e com todo o engano da injustiça para aqueles que perecem, porque não receberam o amor da verdade, a fim de serem salvos.

com todo o engano da injustiça. Há duas leituras possíveis: ou com todo engano que leva à injustiça, ou então, com todo o engano que é injustiça. O homem do pecado trabalha através de engano e falsidade; por meio de maravilhas e grandes pretensões, conseguirá se impor ao mundo. O poder do homem do pecado não é, de maneira alguma, irresistível; somente aqueles que perecem sucumbirão a ele. [Pulpit, 1895]

11 E por isso, Deus lhes enviará a ação do erro, para que creiam na mentira,

E por isso“porque não receberam o amor da verdade”. A melhor proteção contra o erro é “o amor da verdade”.

Deus lhes enviará a ação do erro (“Deus fará que sejam enganados”, NVT). Àqueles que rejeitam a verdade, Deus envia, como juízo, dureza de coração e os entrega às ilusões de Satanás (Is 6:9-10; Rm 1:24-26,28). Eles primeiro rejeitam o “amor da verdade”, então Deus os entrega às ilusões de Satanás, eles se acomodam em “crer na mentira”: um clímax terrível (1Rs 22:22-23; Ez 14:9; Jó 12:16; Mt 24:5,11; 1Tm 4:1).

para que creiam na mentira – “na mentira” que o Anticristo lhes diz, apelando para seus milagres como provas (2Ts 2:9). [JFU, 1871]

12 para que sejam condenados todos os que não creram na verdade, mas tiveram prazer na injustiça.

condenados todos – Ele aqui afirma a proposição geral que se aplica especialmente aos adeptos do Anticristo. Nem todos na Igreja de Roma, ou outros sistemas anticristãos, serão condenados, mas apenas “todos os que não creram na verdade”, quando lhes foi oferecida, “mas tiveram prazer na injustiça” (Rm 1:32; 2:8). O amor pela injustiça é o grande obstáculo para acreditar na verdade. [JFB]

13 Mas sempre devemos dar graças a Deus por vós, irmãos, que sois amados pelo Senhor, pois Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé na verdade;

Deus vos escolheu desde o princípio (Ef 1:4, compare com 1Co 2:7; 2Tm 1:9) – em contraste com aqueles que “adoram a besta, cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro morto desde a fundação do mundo” (Ap 13:8). Ou então, “Deus os escolheu para estarem entre os primeiros” (NVT), visto que Tessalonicenses provavelmente estavam entre os primeiros convertidos na Europa (compare com Rm 16:5; 1Co 16:15; Ap 14:4). [JFU, 1871]

14 Para a qual ele vos chamou por meio do nosso Evangelho, para a obtenção da glória de nosso Senhor Jesus Cristo.

vos – Os manuscritos mais antigos dizem “nos”.

para a obtenção da glória – Em 2Ts 2:13, foi “salvação”, isto é, libertação de todo o mal, de corpo e alma (1Ts 5:9); aqui é o bem positivo, até “glória”, e que “a glória do nosso Senhor Jesus”, que os crentes têm o privilégio de compartilhar com Ele (Jo 17:22,24; Rm 8:17,29; 2Tm 2:10). [JFB]

15 Portanto, irmãos, ficai firmes, e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por carta nossa.

retende as tradições – ou seja, as verdades ensinadas, oralmente ou por escrito.

16 E ele mesmo, o nosso Senhor Jesus Cristo, e nosso Deus e Pai, que nos amou e em graça nos deu uma eterna consolação e boa esperança;

ele mesmo – pelo seu próprio poder, em contraste com a nossa fraqueza; garantindo a eficácia da nossa oração. Aqui nosso Senhor Jesus está em primeiro lugar; em 1Ts 3:11, “Deus nosso Pai”.

que nos amou – na obra da nossa redenção. Referindo-se a nosso Senhor Jesus (Rm 8:37; Gl 2:20) e a Deus nosso Pai (Jo 3:16).

em graça – A graça é o elemento no qual o dom foi concedido.

eterna consolação – não transitória, como consolações mundanas em provações (Rm 8:38-39). Isso para todos os tempos presentes e, em seguida, “boa esperança” para o futuro (Alford). [JFB]

17 Ele console vossos corações, e vos fortaleça em toda boa palavra e obra.

Ele console vossos corações – inquietos como estais por aqueles que anunciaram a vinda imediata do Senhor. [JFB]

<2 Tessalonicenses 1 2 Tessalonicenses 3>

Visão geral de 2 Tessalonicenses

Na segunda carta aos Tessalonicenses, “Paulo esclarece os seu ensinamentos anteriores sobre o futuro retorno de Jesus e repreende os Cristãos que estavam criando confusão na comunidade”. Para uma visão geral desta carta, assista ao breve vídeo abaixo produzido pelo BibleProject. (7 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução à Primeira Epístola aos Tessalonicenses.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – março de 2020.