Bíblia, Revisar

Jó 33

1 Portanto, Jó, ouve, por favor, meus dizeres, e dá ouvidos a todas as minhas palavras.
2 Eis que já abri minha boca; minha língua já fala debaixo do meu céu da boca.

boca – em vez disso, “paladar”, pelo qual o sabor discerne. Todo homem fala com a boca, mas poucos, como Eliú, julgam primeiro suas palavras com discriminação, e apenas dizem o que é realmente bom (Jó 6:30; Jó 12:11).

3 Meus dizeres pronunciarão a integridade do meu coração, e o puro conhecimento dos meus lábios.

Eu falarei de acordo com minha convicção interna.

claramente – sim, “puramente”; sinceramente, não distorcendo a verdade através da paixão, como os amigos faziam.

4 O Espírito de Deus me fez, e o sopro do Todo-Poderoso me deu vida.

O Espírito de Deus me fez como te fez: última sentença de Jó 33: 6 (Gn 2: 7). Portanto tu não precisas temer-me, como tu queres a Deus (Jó 33: 7; Jó 9:34). Por outro lado, “o sopro do Todo-Poderoso me inspirou” (como Jó 32: 8); não como versão em inglês, “me deu vida”; portanto, “eu estou de acordo com o teu desejo (Jó 9:32; Jó 9:33) no lugar de Deus” para ti; um “homem do dia”, árbitro ou mediador, entre Deus e ti. Então Eliú foi projetado pelo Espírito Santo para ser um tipo de Jesus Cristo (Jó 33: 23-26).

5 Se puderes, responde-me; dispõe-te perante mim, e persiste.

Imagens de um tribunal de justiça.

levante-se – aludindo às palavras de Job (Jó 30:20).

6 Eis que para Deus eu sou como tu; do barro também eu fui formado.

(Veja Jó 33: 4; Jó 31:35; Jó 13: 3; Jó 13:20; Jó 13:21).

formado – Embora atuando como representante de Deus, eu sou apenas uma criatura, como você mesmo. Árabe, “pressionados juntos”, como uma massa de barro pelo oleiro, na formação de um navio (Umbreit). Hebraico, “cortado”, como a porção tirada do barro para formar (Maurer)

7 Eis que meu terror não te espantará, nem minha mão será pesada sobre ti.

mão – aludindo às palavras de Job (Jó 13:21).

8 Certamente tu disseste a meus ouvidos, e eu ouvi a voz de tuas palavras,

tuas palavras – (Jó 10: 7; Jó 16:17; Jó 23:11; Jó 23:12; Jó 27: 5; Jó 27: 6; Jó 29:14). No trabalho 9:30; Jó 13:23, Jó tinha reconhecido o pecado; mas o espírito geral de suas palavras era manter-se “limpo” e acusar Deus de injustiça. Ele foi longe demais no lado oposto, opondo-se à falsa acusação de hipocrisia dos amigos. Mesmo os piedosos, embora dispostos a se confessarem pecadores em geral, muitas vezes não gostam que o pecado seja trazido como acusação contra eles. A aflição é, portanto, necessária para levá-los a sentir que o pecado neles merece ainda pior do que eles sofrem e que Deus não lhes faz injustiça. Então enfim se humilharam sob o achado de Deus, a aflição é para o seu bem real, e assim, finalmente, ela é levada embora aqui, ou pelo menos na morte. Ensinar isso é a missão de Elihu.

9 Que diziam : Eu sou limpo e sem transgressão; sou inocente, e não tenho culpa.
10 Eis que Deus buscou pretextos contra mim, e me tem por seu inimigo.

pretextos – por hostilidade; literalmente, “inimizades” (Jó 13:24; Jó 16: 9; Jó 19:11; Jó 30:21).

11 Ele pôs meus pés no tronco, e observa todas as minhas veredas.

(Jó 13:27)

marketh – observa de perto (Jó 14:16; Jó 7:12; Jó 31: 4).

12 Eis que nisto não foste justo, eu te respondo; pois Deus é maior que o ser humano.

nisto – visão de Deus e Seu governo. Não pode ser que Deus deva zelosamente “vigiar” o homem, embora “imaculado”, como um “inimigo”, ou como alguém que tem medo dele como um igual. Pois “Deus é maior que o homem!” Deve haver pecado no homem, mesmo que ele não seja hipócrita, que precisa ser corrigido pelo sofrimento para o bem do sofredor.

13 Por que razão brigas contra ele por não dar resposta às palavras do ser humano?

(Is 45: 9).

seus assuntos – maneiras. Nossa parte é não “lutar” com Deus, mas nos submeter. Acreditar é certo porque Ele faz isso, não porque nós vemos todas as razões para Ele fazer isso.

14 Contudo Deus fala uma ou duas vezes, ainda que o ser humano não entenda.

Traduzir: “Mas o homem não o considera”; ou melhor, como Umbreit, “Sim, duas vezes (Ele repete o aviso) – se o homem não dá atenção” ao primeiro aviso. Eliú implica que a razão de Deus para enviar aflição é porque, quando Deus comunicou Sua vontade de várias maneiras, o homem em prosperidade não deu atenção a ela; Deus, portanto, deve tentar que aflição terá efeito (Jo 15: 2; Salmo 62:11; Is 28:10, Is 28:13).

15 Em sonho ou em visão noturna, quando o sono profundo cai sobre as pessoas, e adormecem na cama.

adormecem – a luz se opõe ao “sono profundo”. Eliú tem em vista Elifaz (Jó 4:13) e também Jó (Jó 7:14). “Sonhos” no sono, e “visões” de aparições reais, estavam entre as maneiras pelas quais Deus então falou ao homem (Gn 20: 3).

16 Então o revela ao ouvido das pessoas, e os sela com advertências;

Literalmente, “selam a si mesmos (os ouvidos) por meio de advertências”, isto é, com a certeza e sigilo de um selo Ele revela Suas advertências (Umbreit). Para selar com segurança (Jó 37: 7).

17 Para desviar ao ser humano de sua obra, e do homem a soberba.

sua obra – Margem, “trabalho”. Assim, Jó 36: 9. Então, “negócios” em um mau sentido (1Sm 20:19). Elihu alude às palavras de Job (Jó 17:11). “Orgulho”, um “poço” aberto (Jó 33:18) que Deus esconde ou encobre, para que o homem não caia nele. Até mesmo a necessidade piedosa de aprender a lição que as provações ensinam, “humilhar-se sob a poderosa mão de Deus”.

18 Para desviar a sua alma da perdição, e sua vida de passar pela espada.

sua alma – sua vida.

o poço – a sepultura; um símbolo do inferno.

passar pela espada – isto é, uma morte violenta; no Antigo Testamento, um símbolo da futura punição dos ímpios.

19 Também em sua cama é castigado com dores, com luta constante em seus ossos,

O novo pensamento sugerido por Elihu é que a aflição é disciplinar (Jó 36:10); para o bem dos piedosos.

multidão – assim a margem, hebraico (Keri). Melhor com o texto (Chetib): “E com o perpétuo (forte) concurso de seus ossos”; a febre que nunca descansa em seus ossos (Sl 38: 3) (Umbreit).

20 De modo que sua vida detesta até o pão, e sua alma a comida deliciosa.

vida – isto é, o apetite, que ordinariamente sustenta a “vida” (Jó 38:39; Salmo 107: 18; Ec 12:: 5). A remoção do desejo por comida pela doença simboliza a remoção pela aflição da luxúria, pelas coisas que fomentam a febre espiritual do orgulho.

21 Sua carne desaparece da vista, e seus ossos, que antes não se viam, aparecem.

Sua carne outrora proeminente “não pode mais ser vista”. Seus ossos, que antes não eram vistos, agora parecem proeminentes.

ressaltar – literalmente, “estão nus”. A Margem, hebraico (Keri) leitura. O texto (Chetib) diz que um substantivo “(se torna) nudez”. A Keri foi, sem dúvida, uma leitura explicativa dos transcritores.

22 Sua alma se aproxima da cova, e sua vida dos que causam a morte.

causam a morte – anjos da morte comissionados por Deus para acabar com a vida do homem (2Sm 24:16; Sl 78:49). As dores da morte personificadas podem, no entanto, ser entendidas; assim, “roedores” (ver em Jó 30:17).

23 Se com ele, pois, houver algum anjo, algum intérprete; um dentre mil, para anunciar ao ser humano o que lhe é correto,

Eliú se refere a si mesmo como o enviado divinamente (Jó 32: 8; Jó 33: 6), “mensageiro”, o “intérprete” para explicar a Jó e vindicar a justiça de Deus; tal Elifaz havia negado que Jó pudesse procurar (Jó 5: 1), e Jó (Jó 9:33) desejou um “homem do dia” ou um juiz entre ele e Deus. O “mensageiro” do bem é antitético aos “destruidores” (Jó 33:23).

com ele – se houver concedido ao sofredor. O ofício do intérprete é declarado “para mostrar ao homem a retidão de Deus” em Seus procedimentos; ou, como Umbreit, “o proceder correto para com Deus” (Pv 14: 2). O primeiro é melhor; Jó manteve sua própria “retidão” (Jó 16:17; Jó 27: 5; Jó 27: 6); Eliú, pelo contrário, mantém Deus, e a verdadeira retidão do homem está na submissão a Deus. “Um entre mil” é um homem raramente encontrado. Então Jesus Cristo (Cantares de Salomão 5:10). Eliú, o mediador enviado por Deus de uma libertação temporal, é um tipo do homem-Deus Jesus Cristo, o Mediador da libertação eterna: “o mensageiro da aliança” (Ml 3: 1). Esta é a maravilhosa obra do Espírito Santo, que as pessoas e os eventos movem-se em sua própria esfera de maneira inconsciente para ocultá-Lo, cujo “testemunho é o Espírito de Profecia”; como o mesmo ponto pode ser o centro de um círculo concêntrico pequeno e muito maior.

24 Então Deus terá misericórdia dele, e lhe dirá: Livra-o, para que não desça à perdição; já achei o resgate.

Entregar – literalmente, “resgatar”; nela e “resgate” há referência à consideração, pela qual Deus perdoa e alivia os sofredores; aqui é principalmente a intercessão de Elihu. Mas a linguagem é forte demais para que seu significado completo seja esgotado por isso. O Espírito Santo sugeriu uma linguagem que recebe sua plena realização apenas na “redenção eterna encontrada” por Deus no preço pago por Jesus Cristo por ela; isto é, seu sangue e intercessão meritória (Hb 9:12). “Obtido”, literalmente, “encontrado”; implicando o ardente zelo, sabedoria e fidelidade do descobridor, e a novidade e alegria da descoberta. Jesus Cristo não poderia tê-lo encontrado, mas ainda assim Sua busca era necessária (Bengel), (Lc 15: 8). Deus o Pai é o Finder (Sl 89:19). Jesus Cristo, o Redentor, a quem Ele diz, Redimir (assim hebraico) de ir, etc. (2Co 5:19).

resgate – usado em um sentido geral por Eliú, mas destinado pelo Espírito Santo em seu sentido estrito aplicado a Jesus Cristo, de um preço pago pela libertação (Êx 21:30), uma expiação (isto é, meio de vender de uma só vez isto é, reconciliando “dois” que são alienados), uma cobertura, como da arca com arremesso, típica do que nos cobre pecadores da ira (Gn 6:14; Sl 32: 1). A cova é principalmente aqui a sepultura (Is 38:17), mas a cova espiritual é principalmente sombreada adiante (Zc 9:11).

25 Sua carne se rejuvenescerá mais do que era na infância, e voltará aos dias de sua juventude.

Efeitos da restauração ao favor de Deus; literalmente, para Jó um reavivamento temporal; espiritualmente, uma regeneração eterna. As palavras impressionantes não podem ser restritas ao seu significado temporal, como usado por Eliú (1Pe 1:11, 1Pe 1:12).

Sua carne se rejuvenescerá mais do que era na infância – assim, Naamã, 2Rs 5:14, espiritualmente, Jo 3: 3-7.

26 Ele orará a Deus, que se agradará dele; e verá sua face com júbilo, porque ele restituirá ao ser humano sua justiça.

Jó não mais orará a Deus, como ele se queixa, em vão (Jó 23: 3; Jó 23: 8; Jó 23: 9). É verdade especialmente para os redimidos em Jesus Cristo (Jo 16: 23-27).

verá sua face – ou, Deus fará a Jó ver sua face (Maurer) Deus não mais “esconderá a face” (Jó 13:24). Fiel ao crente agora (Jo 14:21, Jo 14:22); eternamente (Salmo 17:15; Jo 17:24).

justiça – Deus tornará o trabalho restaurado não mais (“Eu pervertei … certo”, Jó 33:27) duvida da justiça de Deus, mas para justificá-lo em Seus negócios. O penitente justifica a Deus (Salmo 51: 4). Assim, o crente é feito para ver a justiça de Deus em Jesus Cristo (Is 45:24; Is 46:13).

27 Ele olhará para as pessoas, e dirá: Pequei, e perverti o que era correto, o que de nada me aproveitou.

Ele olhará – Deus. Pelo contrário, com Umbreit, “Agora ele (o penitente restaurado) canta com alegria (respondendo a“ alegria ”, Jó 33:26; Sl 51:12) diante dos homens, e diz”, etc. (Pv 25:20; Salmo 66: 16; Salmo 116: 14).

perverti – fez o reto torto: como Jó tinha deturpado o caráter de Deus.

lucrou – literalmente, “foi feito mesmo” para mim; em vez disso, “Meu castigo não foi proporcional ao meu pecado” (assim Zofar, Jó 11: 6); o reverso do que Jó até então disse (Jó 16:17; Salmo 103: 10; Ed 9:13).

28 Porém Deus livrou minha alma para que eu não passasse à cova, e agora minha vida vê a luz!

minha alma – ”Continuação do testemunho do penitente ao povo.

luz – (Jó 33:30; Jó 3:16; Jó 3:20; Salmo 56:13; Ec 11:: 7).

29 Eis que Deus faz tudo isto duas ou três vezes com o ser humano,

Margem “duas e três vezes”, aludindo a Jó 33:14; uma vez, por visões, Jó 33: 15-17; em segundo lugar, por aflições, Jó 33: 19-22; agora, pelo “mensageiro”, terceiro, Jó 33:23.

30 Para desviar sua alma da perdição, e o iluminar com a luz dos viventes.

Referindo-se a Jó 33:28 (Salmo 50:13).

31 Presta atenção, Jó, e ouve-me; cala-te, e eu falarei.

justifique – fazer justiça a você; e, se eu puder, consistentemente com isso, declarar-te inocente. Em Jó 33:33 Elihu faz uma pausa para uma resposta; então prossegue em Jó 34:1.

32 Se tiveres o que dizer, responde-me; fala, porque eu quero te justificar.
33 E se não, escuta-me; cala-te, e eu ensinarei sabedoria.
<Jó 32 Jó 34>

Leia também uma introdução ao livro de Jó.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.