Bíblia

Gênesis 6

A corrupção da humanidade

1 E aconteceu que, quando começaram os homens a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas,

quando começaram os homens a multiplicar-se. Esta é uma afirmação geral relativa ao crescimento da família humana, sem qualquer indicação do período preciso a que se refere. Alguns escritores sustentaram que, nos tempos imediatamente anteriores ao dilúvio, o mundo era tão densamente povoado como nos dias de hoje. Mas todos os cálculos dos números da humanidade baseados em estatísticas modernas, e aplicados para estimar a quantidade provável da população antediluviana, são totalmente falaciosos. Tão longe de ter sido tão grande quanto se supunha, o estado terrivelmente corrupto e desordenado da sociedade que prevaleceu amplamente deve ter sido desfavorável à população, ou ter diminuído rapidamente; e, portanto, há dados bíblicos que garantem a crença de que ela era relativamente pequena.

Noé, com 600 anos, considerou toda a sua família como sendo composta por oito pessoas; de modo que, se este fosse um número médio de um homem, a espécie não poderia ter se multiplicado muito rapidamente, e podemos ver por que o Criador misericordioso determinou que não deveria, a fim de que o julgamento infligido pelo dilúvio não fosse tão severo quanto teria sido se a Terra inteira tivesse sido habitada. Além disso, as Escrituras indicam a raça humana existente como tendo estado ao alcance dos avisos e das ações de Noé (compare Hb 11:7, com 1Pe 3:19-20; 2Pe 2:5); e a suposição mais racional é que a área ocupada pela humanidade estava limitada por uma circunferência não muito distante da residência central do primeiro pai.

e lhes nasceram filhas. Elas são particularmente mencionadas porque a influência sedutora de sua beleza e costumes foi uma das principais causas da apostasia e degradação antediluvianas. [JFU]

2 Vendo os filhos de Deus que as filhas dos homens eram belas, tomaram para si mulheres, escolhendo entre todas.

Vendo os filhos de Deus que as filhas dos homens – Pela primeira se entende a família de Sete, que eram professos religiosos; pela segunda, os descendentes de Caim apóstata. Casamentos mistos entre partes de princípios e práticas opostas eram necessariamente fontes de extensa corrupção. As próprias mulheres, religiosas, exerceriam, como esposas e mães, uma influência fatal para a existência da religião em sua casa e, consequentemente, o povo daquela idade mais avançada afundava até a mais baixa depravação. [JFB]

3 E disse o SENHOR: Não brigará meu espírito com o ser humano para sempre, porque certamente ele é carne: mas serão seus dias cento e vinte anos.

E disse o SENHOR: Não brigará meu espírito com o ser humano para sempre – Cristo, como Deus, que pelo Seu Espírito inspirou Enoque, Noé e talvez outros profetas (1Pe 3:20; 2Pe 2:5; Jd 1:14), pregou arrependimento aos antediluvianos; mas eles eram incorrigíveis.

carne – totalmente, irremediavelmente degradada.

mas serão seus dias cento e vinte anos – É provável que a corrupção do mundo, que agora tinha atingido seu auge, tenha sido longa e gradualmente crescente, e esta ideia recebe apoio da longa pausa concedida. [JFB]

4 Havia gigantes na terra naqueles dias, e também depois que entraram os filhos de Deus às filhas dos homens, e lhes geraram filhos: estes foram os valentes que desde a antiguidade foram homens de renome.

gigantes – O termo em hebraico implica não tanto a ideia de grande estatura como de ferocidade temerária, de personagens impiedosos e ousados, que espalharam a devastação e a carnificina por todo o lado. [JFB]

5 E o SENHOR viu que a maldade dos seres humanos era muita na terra, e que todo desígnio dos pensamentos dos seus corações era só mau continuamente.

E o SENHOR viu que a maldade dos seres humanos era muita na terra – A corrupção não apenas havia-se tornado universal, mas havia assumido um caráter colossal nos dois aspectos da cobiça e da crueldade; e assim os homens daquela época estavam empenhados em inventar meios de satisfazer as mais baixas propensões de sua natureza, de modo que não apenas cometeram atos de maldade, mas também os próprios desígnio dos pensamentos dos seus corações – aqueles embriões de atividade mental emocional que dão caráter moral a tudo que deles procede – era só mau continuamente. A linguagem implica um extraordinário excesso de depravação. Deus é descrito, no estilo antropomórfico, como observando-o atentamente; e quando Ele “o viu”, como “arrependendo-se” de que Ele tinha criado o homem, e sendo “pesado em seu coração”. Deus não pode mudar (Nm 23:19; 1Sm 15:29; Ml 3:6; Tg 1:17), nem ser afetado com tristeza, como o homem; mas para linguagem adequada à nossa natureza e experiência, Ele é descrito como prestes a alterar Sua procedimento conhecido para com a humanidade – de ser misericordioso e longânimo, Ele estava prestes a mostrar-se um Deus de julgamento, empregando os poderes e os recursos que lhe foram atribuídos, e é o único modo de ser que ele tem de agir. Ele estava prestes a mostrar a Si mesmo um Deus de julgamento, empregando os poderes e agentes do sistema em que foram colocados como instrumentos destes castigos; e como aquela raça impiedosa tinha preenchido a proporção de suas iniquidades, Ele estava prestes a apresentar uma exibição terrível de Sua justiça (Ec 8:11). [JFU]

6 E o SENHOR se arrependeu de haver feito o ser humano na terra, e pesou-lhe em seu coração.

arrependeupesou-lhe – Deus não pode mudar (Ml 3:6; Tg 1:17); mas, com uma linguagem adequada à nossa natureza e experiência, Ele é descrito como prestes a alterar Seu procedimento visível para a humanidade – de ser misericordioso e longânimo, Ele estava prestes a mostrar-se um Deus de julgamento; e, como aquela raça ímpia havia preenchido a medida de suas iniquidades, Ele estava prestes a introduzir uma demonstração terrível de Sua justiça (Ec 8:11). [JFB]

7 E disse o SENHOR: Apagarei os seres humanos que criei de sobre a face da terra, desde o ser humano até o animal, e até o réptil e as aves do céu; porque me arrependo de havê-los feito.

Apagarei. Literalmente, destruirei o homem. Quando Deus destrói a sua própria criatura, a criatura deve ter-se tornado terrivelmente culpada e corrupta.

desde o ser humano até o animal. Isto é, começando pelo homem, a destruição virá até os animais, súditos e servos do homem. É um dos mistérios profundos desta vida que as ordens inferiores de seres animados se alegram e sofrem em simpatia com o homem, e estão, portanto, envolvidas nas calamidades que resultam do pecado humano. Mas também fazem parte de toda a criação, (πασα η η κτισις), que geme e trabalha junto com o homem pecador e sofredor, esperando “a manifestação dos filhos de Deus” (Rm 8:19-21). O que e quanto o apóstolo quer dizer com estas palavras maravilhosas que não podemos imaginar, mas é algo indescritivelmente glorioso. [Whedon]

8 Porém Noé achou favor aos olhos do SENHOR.

Que terrível estado de coisas quando somente um homem ou uma família de piedade e virtude existia agora entre os professos filhos de Deus! [JFB]

A arca de Noé

9 Estas são as gerações de Noé: Noé, homem justo, foi íntegro em suas gerações; Noé andava com Deus.

homem justo, foi íntegro – não absolutamente; pois desde a queda de Adão, nenhum homem esteve livre do pecado, exceto Jesus Cristo. Mas como vivendo pela fé ele era justo (Gl 3:2; Hb 11:7) e perfeito – isto é, sincero em seu desejo de fazer a vontade de Deus. [JFB]

10 E gerou Noé três filhos: a Sem, a Cam, e a Jafé.

E gerou Noé três filhos. Esta é uma recapitulação de Gênesis 5:32, introdução à narrativa seguinte, da qual os três filhos de Noé constituem sujeitos importantes. [JFU]

11 Porém a terra se corrompeu diante de Deus, e a terra encheu-se de violência.

a terra encheu-se de violência – na ausência de qualquer governo bem regulado, é fácil imaginar que males surgiriam. Os homens faziam o que estava certo aos seus próprios olhos e, não tendo medo de Deus, a destruição e a miséria estavam em seus caminhos. [JFB]

12 E Deus olhou a terra, e eis que estava corrompida; porque toda carne havia corrompido seu caminho sobre a terra.

toda carne havia corrompido seu caminho. Esta expressão parece ser usada com o objetivo de mostrar que o homem era um agente livre, e que sua corrupção não era o resultado de um acaso desconhecido, ou de qualquer influência maligna externa. [Cambridge]

13 E disse Deus a Noé: O fim de toda carne veio diante de mim; porque a terra está cheia de violência por causa deles; e eis que eu os destruirei com a terra.

E Deus disse a Noé – quão surpreendente deve ter sido o anúncio da destruição ameaçada! Não havia indicação externa. O curso da natureza e da experiência parecia contrário à probabilidade de sua ocorrência. A opinião pública da humanidade iria ridicularizá-lo. O mundo inteiro seria variado contra ele. No entanto, persuadido a comunicação foi de Deus, através da fé (Hb 11:7), ele começou a preparar os meios para preservar a si mesmo e à família da calamidade iminente. [JFB]

14 Faze-te uma arca de madeira de gôfer: farás aposentos na arca e a selarás com betume por dentro e por fora.

Faze-te uma arca – arca, um baú oco (Êx 2:3).

madeira de gôfer – provavelmente cipreste, notável por sua durabilidade e abundante nas montanhas da Armênia.

selarás com betume por dentro e por fora – o piche mineral, o betume, a nafta ou alguma substância betuminosa que, quando untada e endurecida, a tornaria perfeitamente estanque. [JFB]

15 E desta maneira a farás: de trezentos côvados o comprimento da arca, de cinquenta côvados sua largura, e de trinta côvados sua altura.

E desta maneira a farás – De acordo com a descrição, a arca não era um navio, mas uma imensa casa em forma e estrutura como as casas no Oriente, projetadas para não navegar, mas apenas para flutuar. A arca teria cerca de 133 metros de comprimento, 22 metros de largura e 13 metros de altura. [JFB]

16 Uma janela farás à arca, e a acabarás a um côvado de elevação pela parte de cima: e porás a porta da arca a seu lado; e lhe farás piso abaixo, segundo e terceiro.

Uma janela – provavelmente uma clarabóia, formada por alguma substância transparente desconhecida.

um côvado de elevação – uma orientação para levantar o telhado no meio, aparentemente formando uma suave inclinação para deixar a água correr. [JFB]

17 E eu, eis que eu trago um dilúvio de águas sobre a terra, para destruir toda carne em que haja espírito de vida debaixo do céu; tudo o que há na terra morrerá.

E eu, eis que eu trago um dilúvio de águas sobre a terra – A repetição do anúncio era estabelecer sua certeza (Gn 41:32). Seja qual for a opinião que possa ser considerada quanto à operação das leis e agências naturais no dilúvio, ela foi trazida ao mundo por Deus como uma punição pela enorme maldade de seus habitantes. [JFB]

18 Mas estabelecerei meu pacto contigo, e entrarás na arca tu, e teus filhos e tua mulher, e as mulheres de teus filhos contigo.

Mas estabelecerei meu pacto contigo – uma promessa especial de libertação, convocada pela aliança, para convencê-lo da confiança a ser depositada nele. A substância e os termos deste pacto estão relacionados em Gn 6:19-21. [JFB]

19 E de tudo o que vive, de toda carne, dois de cada espécie porás na arca, para que tenham vida contigo; macho e fêmea serão.

para que tenham vida contigo. Deus poderia ter destruído todas as criaturas, e feito outras para ocuparem o novo mundo, mas preferiu preservar as já criadas. O Criador e Preservador do universo apenas faz o que é essencialmente necessário que seja feito. Nada deve ser desperdiçado de modo irresponsável; nem o poder ou a habilidade devem ser desperdiçados onde não existe necessidade; e, mesmo assim, sob o ponto de vista humano, são necessários mais meios e recursos para preservar o antigo do que para ter feito tudo novo. Tal consideração tem Deus à obra de suas mãos, que nada além do que é essencial para o benefício de sua justiça e santidade o induzirá a destruir qualquer coisa que tenha feito. [Clarke]

20 Das aves segundo sua espécie, e dos animais segundo sua espécie, de todo réptil da terra segundo sua espécie, dois de cada espécie entrarão contigo para que tenham vida.

A ordem em que os animais são mencionados aqui é digna de atenção; primeiro as aves, depois o gado, e finalmente os répteis. Qual é a razão dessa ordem? Provavelmente a ordem do relato da Criação em Gênesis 1 é seguida, onde está registrada a criação das aves em Gn 1:20-22, e do gado e dos répteis em Gn 1:24. A mesma ordem é observada em Gn 1:26. [Cambridge]

21 E toma contigo de toda comida que se come, e traga-a a ti; servirá de alimento para ti e para eles.

toda comida. Noé tivera bastante tempo colocar provisões para os animais, antes que os sinais da catástrofe surgissem. Só nos últimos sete dias é que começaram a entrar na arca (Gn 7:4,10). [Whedon]

22 E o fez assim Noé; fez conforme tudo o que Deus lhe mandou.

E o fez assim Noé. Ele começou sem demora a preparar o colossal material, e em cada passo do seu progresso seguiu fielmente as indicações divinas que tinha recebido. [JFB]

<Gênesis 5 Gênesis 7>

Introdução à Gênesis 6

Em Gênesis 6 é relatado os efeitos malignos do pecado e as consequências que se seguem; o salário do qual, é e deve ser: a morte. A abundante iniquidade da humanidade,  e a justa determinação de Deus de se vingar dela através de uma destruição universal. A misericórdia de Deus, na salvação do Seu povo, é aqui lindamente representada no caso de Noé e da sua família. A compaixão de Deus para com os animais, providenciando a sua preservação. Noé, em obediência ao mandamento divino, prepara uma arca, para a salvação de sua casa.

Leia também uma introdução ao livro do Gênesis.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible e Poor Man’s Commentary. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.