Bíblia

Gênesis 5

Genealogia dos Patriarcas

1 Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que criou Deus ao ser humano, à semelhança de Deus o fez;

Adão. Usado aqui como o nome do primeiro homem ou da raça humana em geral.

2 Macho e fêmea os criou; e os abençoou, e chamou o nome deles Adão, no dia em que foram criados.

chamou o nome deles Adão. Adão, אדם, é a palavra hebraica para homem, e a referência é Gênesis 1:26, “Façamos o אדם”. Adão significa homem da terra: nossa palavra homem ( Sanscrito, manuscha, latim, varão, saxão, gemynd,), significa ser pensante. Homem e mulher eram um na criação; seu nome era Adão. [Whedon]

3 E viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme sua imagem, e chamou seu nome Sete.

E viveu Adão cento e trinta anos. O período de tempo intencionado por Moisés era um ano de doze meses lunares, como é evidente pela linguagem que ele emprega (Gn 8:5).

e gerou um filho à sua semelhança, tanto física como moralmente. Nos traços exteriores o filho exibiria naturalmente uma semelhança com os traços mistos dos seus pais; mas especialmente quanto ao interior, a sua alma, a imagem filial seria conformada com o caráter moral de Adão, não como ele era no período da criação (veja a nota em Gn 1:26), mas como ele se tinha tornado uma criatura degenerada, e, embora a semelhança divina não fosse completamente apagada (compare com Gn 9:6), sujeita à desordem moral, e deteriorada pelo pecado tanto nas suas capacidades intelectuais quanto nas qualidades espirituais. Assim Sete herdou (compare com Jo 3:6), como todas as pessoas, a natureza corrupta do Adão caído. [JFU]

4 E foram os dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos: e gerou filhos e filhas.

Adãogerou filhos e filhas. Nem seus nomes nem suas ocupações, nem nada a respeito deles, sendo mencionado, é provável que não houvesse nada digno de nota nas vidas de nenhum deles. Mas a principal razão pela qual eles são inteiramente omitidos, é que o historiador sagrado não contemplou uma história geral ou uma memória biográfica da família primitiva, mas apenas um breve relato de um ramo particular dela, do qual o Messias derivaria sua linhagem. Omitindo, com toda a probabilidade, muitos filhos nas famílias sucessivas até mesmo da linhagem setita, ele deu uma lista genealógica, que compreende em cada um deles apenas o nome da pessoa que formou o elo de ligação na cadeia de descendência direta. O nascimento de Sete é registrado antes da menção dos outros filhos e filhas de Adão; mas há todas as razões para acreditar que o nascimento de muitos deles foi anterior ao seu, e que Sete, que nasceu no ano trigésimo e centenário de seu pai, estava entre os mais jovens da família. Esta conjectura, que parece bem fundada, lança luz sobre uma circunstância que de outra forma seria difícil de explicar – a saber, que os pais nesta listagem era todos consideravelmente avançados de idade no nascimento do filho cujo nome está registrado; porque eles poderiam já ter sido os chefes de uma família numerosa quando ele nasceu, se como no caso de Sete, e outros, Isaque, Jacó e Judá, o “herdeiro destinado da promessa” era sempre um filho mais novo. [JFU]

5 E foram todos os dias que viveu Adão novecentos e trinta anos, e morreu.

viveu Adão. A característica mais marcante neste catálogo é a longevidade de Adão e seus descendentes imediatos. Dez são enumerados (Gn 5:5-32) em sucessão direta cujas vidas excedem em muito os limites comuns com os quais estamos familiarizados – sendo o mais curto trezentos e sessenta e cinco anos (Gn 5:23) e o mais longo novecentos e sessenta e nove anos (Gn 5:27). É difícil investigar quais causas secundárias podem ter contribuído para essa longevidade prolongada – constituições vigorosas, a natureza de sua dieta, a temperatura e a salubridade do clima; ou, finalmente – como esta lista compreende apenas os verdadeiros adoradores de Deus – se a longa idade pode ser devido a melhor forma como viveram suas vidas. Como ainda não podemos obter evidências satisfatórias sobre esses pontos, é sábio resolver o fato na vontade soberana de Deus. Podemos, no entanto, traçar alguns dos usos importantes aos quais, na economia primitiva da Providência, ela era subserviente. Era o principal meio de reservar um conhecimento de Deus, das grandes verdades da religião, bem como a influência da piedade genuína. De modo que, como seu conhecimento era obtido pela tradição, eles estariam em condições de preservá-lo na maior pureza. [JFB]

6 E viveu Sete 105 anos, e gerou a Enos.

Enos. Essa palavra significa homem, e pode significar que a linhagem recomeçou a partir de Sete. [Whedon]

7 E viveu Sete, depois que gerou a Enos, 807 anos: e gerou filhos e filhas.

E viveu Sete, depois que gerou a Enos, 807 anos. A versão da Septuaginta comete o mesmo erro nos números de Sete como de Adão, dando-lhe 205 anos antes do nascimento de Enos, e só 707 anos depois.

e gerou filhos e filhas. Muito provavelmente antes e depois do nascimento de Enos; mas quantos não se diz. [Gill]

8 E foram todos os dias de Sete 912 anos; e morreu.

E foram todos os dias de Sete 912 anos. Alguns entendem que a principal razão para os homens viverem tanto tempo na primeira era, foi a multiplicação da humanidade, para que, conforme o mandamento de Deus no princípio, o mundo fosse cheio de pessoas, que universalmente o louvariam. [Genebra]

9 E viveu Enos 90 anos, e gerou a Cainã.

Cainã. A primeira sílaba deste nome é a mesma em hebraico que o nome “Caim”, e é supostamente semelhante tanto em significado como em forma, ou seja “possessão”.[Cambridge]

10 E viveu Enos depois que gerou a Cainã 815 anos e gerou filhos e filhas.

E viveu Enos depois que gerou a Cainã 815 anos. A versão da Septuaginta é 715; os cem que faltam são fornecidos a partir do versículo anterior, que nessa versão tem cem a mais.

e gerou filhos e filhas. Outros além de Enos, como muito provavelmente ele tinha antes de nascer. [Gill]

11 E foram todos os dias de Enos 905 anos; e morreu.

De acordo com os escritores árabes, Enos era um homem muito bom, governava bem seu povo e os instruía nos caminhos da justiça e do temor de Deus; e quando seu fim se aproximava, seus descendentes se reuniram em torno dele para sua benção; e chamando-os a ele, ordenou-os que, por sua própria vontade, praticassem a santidade, e exortou-os a não se misturarem com a descendência de Caim, o assassino; e tendo nomeado Cainã seu sucessor, ele morreu com 905 anos de idade, anno mundi 1340, e foi sepultado no monte santo; mas de acordo com o bispo Ussher foi no anno mundi 1140. [Gill]

12 E viveu Cainã 70 anos, e gerou a Maalalel.

Maalalel. Provavelmente significa “louvor a Deus”. Em algumas versões da Bíblia o nome é traduzido para Malaleel ou Maalaleel.

13 E viveu Cainã, depois que gerou a Maalalel, 840 anos: e gerou filhos e filhas.

E viveu Cainã, depois que gerou a Maalalel, oitocentos e quarenta anos. A Septuaginta tem 740 anos, que, somados aos anos que lhe foram dados no versículo anterior, totalizam a mesma soma.

e gerou filhos e filhas. Como fizeram seus antepassados. [Gill]

14 E foram todos os dias de Cainã 910 anos; e morreu.

Os escritores árabes também louvam Cainã como um bom príncipe do seu povo; e, na sua morte, ordenou-lhes que não abandonassem o monte santo, e que não se unissem aos descendentes de Caim; e tendo designado Maalalel, que dizem ser seu filho mais velho, seu sucessor, morreu no quarto dia da semana, e no dia treze do mês de Quirã, anno mundi 1535, e foi sepultado no Túmulo dos Patriarcas, e eles choraram por ele, segundo o costume, quarenta dias; segundo o bispo Ussher foi anno mundi 1235. [Gill]

15 E viveu Maalalel 65 anos, e gerou a Jarede.

Jarede. Em hebraico Yered (ירד), Jarede provavelmente significa “descer”. Em algumas versões da Bíblia, o nome é traduzido para Jared.

16 E viveu Maalalel, depois que gerou a Jarede, 830 anos: e gerou filhos e filhas.

e gerou filhos e filhas. Quantos foram não se pode dizer.

17 E foram todos os dias de Maalalel 895; e morreu.

Os escritores árabes também falam bem dele como um bom governador, um homem piedoso que andava no caminho da justiça; e quando ele morreu, abençoou seus filhos, e os fez jurar pelo sangue de Abel, para que nenhum deles abandonasse o monte santo e fosse aos filhos de Caim: segundo o bispo Ussher, ele morreu no anno mundi 1290. [Gill]

18 E viveu Jarede 162 anos, e gerou a Enoque.

Enoque. Significa “dedicado”, ou, de acordo com Gesenius, “iniciado”. A partir da conduta subsequente de Enoque há razão para concluir, que ele foi logo instruído nas coisas de Deus, educado para Sua adoração, e dedicado ao Seu serviço. Por este meio, sob a influência do Espírito, sua mente receberia aquele viés sagrado que o levaria a agir de maneira tão decidida, e a alcançar tão grande eminência a serviço ao Senhor. O registro inspirado, ao identificar este patriarca, desvia-se da forma observada em relação a todo o resto, em dois detalhes notáveis; porque, em vez de dizer que ele viveu tantos anos depois do nascimento do filho pelo qual a série genealógica foi continuada, ele declara que “andou com Deus”; e considerando que conclui a breve biografia dos outros com o anúncio a respeito de cada um deles que “ele morreu”, a expressão no caso de Enoque é, que “não se viu mais” ele. [JFU]

19 E viveu Jarede, depois que gerou a Enoque, 800 anos: e gerou filhos e filhas.

E viveu Jarede, depois que gerou a Enoque, 800 anos. Na Septuaginta é a mesma idade, mas na versão samaritana é 785.

e gerou filhos e filhas. Naquele tempo, assim como antes; pois não se deve imaginar, neste, ou em qualquer um dos casos precedentes ou seguintes, que estes filhos e filhas foram gerados depois de terem vivido até tal idade, uma vez que é claro que nessa idade eles morreram. [Gill]

20 E foram todos os dias de Jarede 962 anos; e morreu.

O nome deste patriarca significa “descer”; e, segundo os escritores árabes, seu nome tem origem nos descendentes de Sete, que no tempo dele, desceram do monte santo. A história é que ao ouvirem um ruído na montanha, cerca de cem homens desceram ao encontro dos filhos de Caim, contrariando a proibição e desencorajamento de Jarede, e se misturaram com as filhas de Caim, o que provocou a apostasia

Quando Jarede estava perto do seu fim, chamou a Enoque, Matusalém, Lameque, Noé e seus filhos, e disse-lhes: Sabeis o que alguns fizeram, que desceram do monte, e tiveram relações com as filhas de Caim, e se contaminaram; cuidai da vossa pureza, e não desçais do monte santo; depois que ele os abençoou, e tendo designado Enoque, seu sucessor, morreu em 12 de Adar, correspondendo a fevereiro do anno mundi 1922. De acordo com a versão samaritana, Jarede viveu apenas 847 anos: segundo o bispo Usher, ele morreu no anno mundi 1422. [Gill]

21 E viveu Enoque sessenta e cinco anos, e gerou a Matusalém.

Matusalém. Em hebraico מתושלח, provavelmente significa “o homem da lança”. Calcula-se que Matusalém tenha morrido no ano do dilúvio.

22 E caminhou Enoque com Deus, depois que gerou a Matusalém, 300 anos: e gerou filhos e filhas.

caminhoucom Deus. Essa expressão, assim como também a de Gn 5:24, usada para Enoque tronou-se comum para expressar íntima comunhão para com Deus. Ela significa mais que estar e em Sua presença, ou caminhar diante dEle (Gn 17:1), ou segui-Lo. Combina as ideias de comunhão e progresso. É a imagem de alguém que tem Deus consigo em todas as situações da vida. [Cambridge]

23 E foram todos os dias de Enoque 365 anos.

A respeito de Enoque, os seguintes pontos merecem atenção: (1) Ele é o sétimo na genealogia (compare com Jd 1:14); (2) em comparação com a vida de seus pais e descendentes, a duração de sua vida é imensamente reduzida ; (3) o número de anos dele coincide com o número de dias no ano solar (365); (4) devido à intimidade de sua caminhada com Deus, acredita-se que ele foi “transladado” ao céu. Com esse resumo deve ser comparado o relato do sétimo rei da dinastia babilônica antediluviana, chamado Enmeduranki, que recebeu revelações do deus-sol Samas, e foi o construtor da cidade de Sippar, dedicada ao deus-sol. [Cambridge]

24 Caminhou, pois, Enoque com Deus, e desapareceu, porque Deus o levou.

Caminhoucom Deus. Essa expressão, assim como também a de Gn 5:22, usada para Enoque tronou-se comum para expressar íntima comunhão para com Deus. Ela significa mais que estar e em Sua presença, ou caminhar diante dEle (Gn 17:1), ou segui-Lo. Combina as ideias de comunhão e progresso. É a imagem de alguém que tem Deus consigo em todas as situações da vida. [Cambridge]

e desapareceu, porque Deus o levou. Em Hb 11:5, somos informados de que ele foi levado para o céu – um poderoso milagre, com o propósito de fazer o que meios comuns de instrução falharam, deu uma prova palpável a uma época de descrença quase universal que as doutrinas que ele havia ensinado (Jd 1:14-15) eram verdadeiras e que sua devoção à causa de Deus e justiça em meio da oposição era altamente agradável aos olhos de Deus. [JFB]

25 E viveu Matusalém 187 anos, e gerou a Lameque.

Matusalém. Segundo o texto hebraico e a versão samaritana, Matusalém foi o que viveu mais tempo de todos os patriarcas, e, segundo os seus números, sua morte na idade de 969 anos ocorreu no ano do Dilúvio. [Cambridge]

26 E viveu Matusalém, depois que gerou a Lameque, 782 anos: e gerou filhos e filhas.

Lameque. Esse Lameque é uma pessoa diferente da mencionada no capítulo anterior (Gn 4:18).

27 Foram, pois, todos os dias de Matusalém, 969 anos; e morreu.

Matusalém. Segundo o texto hebraico e a versão samaritana, Matusalém foi o que viveu mais tempo de todos os patriarcas, e, segundo os seus números, sua morte na idade de 969 anos ocorreu no ano do Dilúvio. [Cambridge]

28 E viveu Lameque 182 anos, e gerou um filho:

Lameque. Hebraico, Lemech, forte, poderoso. Esta era uma pessoa diferente do Lameque mencionado em Gn 4:1-26, e viveu provavelmente um tempo considerável depois dele, embora esta última circunstância não possa ser totalmente determinada por falta de datas no registro dos patriarcas cainitas. Mas ambos os “lameques” têm algo em comum, eles são distinguidos por um pedaço de poesia bruta, sem arte, atribuída a eles respectivamente. [JFU]

29 E chamou seu nome Noé, dizendo: Este nos aliviará de nossas obras, e do trabalho de nossas mãos, por causa da terra que o SENHOR amaldiçoou.

Noé. Este nome significa descanso ou conforto. A piedosa esperança e aspiração profética do setita Lameque, como expressa neste nome, contrasta fortemente com a canção feroz e desafiadora do guerreiro e polígamo do mesmo nome, que era descendente de Caim. Lameque lamenta a maldição do trabalho braçal severo, consequência do pecado. Neste filho ele espera a libertação, e, portanto, nomeia-o de Descanso. Descanso e libertação vieram ao homem através de Noé, mas de uma maneira que Lameque não havia pensado. Exatamente o que Lameque esperava não está claro; talvez, como Eva, ele olhasse para seu filho primogênito como o grande Libertador prometido. [Whedon]

30 E viveu Lameque, depois que gerou a Noé, 595 anos: e gerou filhos e filhas.

E viveu Lameque, depois que gerou a Noé, 595 anos. A versão da Septuaginta é 565; e a versão samaritana 600. [Gill]

31 E foram todos os dias de Lameque 777 anos; e morreu.

E foram todos os dias de Lameque. A vida de Lameque foi 192 anos mais curta que a de Matusalém. Sua morte ocorreu cinco anos antes do Dilúvio. No texto samaritano, o ano de sua morte coincide com do Dilúvio. [Cambridge]

32 E sendo Noé de 500 anos, gerou a Sem, Cam, e a Jafé.

Que ele e os outros patriarcas estavam avançados na vida antes dos filhos lhes terem nascido é uma dificuldade explicada provavelmente pela circunstância de Moisés não registar aqui os seus filhos primogênitos, mas apenas a sucessão de Adão através de Sete a Abraão. [JFB]

<Gênesis 4 Gênesis 6>

Introdução à Gênesis 5

Gênesis 5 é um capítulo muito interessante, no entanto, à primeira vista, não parece conter nada além da linhagem dos primeiros patriarcas. Mas quando consideramos que esse é a linhagem que, uniformemente, conduz à semente prometida, e não termina, até que seja resumida na Pessoa do Senhor Jesus Cristo, não é o que o apóstolo chama os mitos das genealogias intermináveis (1Tm 1:4), mas contém o poder de uma vida sem fim (Hb 7:16). Esse capítulo é ainda mais notável, por conter, resumidamente a história dos patriarcas, anteriores ao dilúvio, abrangendo nada menos que um período de 1656 anos.

Leia também uma introdução ao livro do Gênesis.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible e Poor Man’s Commentary. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados