Bíblia, Revisar

Amós 8

Visão de uma cesta de fruta de verão simbólica, do fim de Israel. Retomando a série de símbolos interrompidos por Amazias, Amos acrescenta um quarto. A avareza dos opressores dos pobres: A derrubada da nação: O desejo dos meios de conselho religioso, quando haverá fome da Palavra.

1 Assim o SENHOR me fez ver: eis um cesto com frutos de verão.

frutos de verão – hebraico, “kitz}. In) Am 8:2 “fim” está em hebraico, {keetz}. A semelhança de sons implica que, como o verão é o fim do ano e o tempo do amadurecimento dos frutos, Israel está pronto para o seu último castigo, terminando sua existência nacional. Como o fruto é arrancado quando maduro da árvore, então Israel de sua terra.

2 E ele disse: O que vês, Amós? E eu disse: Um cesto com frutos de verão. Então o SENHOR me disse: Chegou o fim sobre meu povo Israel; não mais o tolerarei.

fim – (Ez 7:2,6).

3 E os cânticos do templo serão gemidos naquele dia,diz o Senhor DEUS; os cadáveres serão muitos, em todo lugar serão lançados. Silêncio!

templo – (Am 5:23). Os hinos alegres no templo de Judá (ou melhor, no templo real de Betel, “Am 7:13; porque a alusão a Israel, e não a Judá, ao longo deste capítulo) serão transformados em” uivos “. Grotius traduz, “palácio”; compare Am 6:5 com as canções de lá. Mas Am 5:23 e Am 7:13 favorecem a Versão em Inglês.

em todo lugar serão lançados. Silêncio! – não como a Margem, “fique em silêncio”. É um advérbio, “silenciosamente”. Haverá um grande massacre como para impedir que os corpos sejam enterrados (Calvino). Não haverá nenhum dos enlutados profissionais habituais (Am 5:16), mas os corpos serão expulsos em silêncio. Talvez também signifique que o terror, tanto de Deus (compare Am 6:10) como do inimigo, feche seus lábios.

4 Ouvi isto, vós que tragais os necessitados, e arruinais os pobres da terra,

Ouvi – Os nobres precisavam ser encorajados assim, como odiando ouvir repreensão.

tragais os necessitados – ou, “bocejar depois”, isto é, ofegar por seus bens; então a palavra é usada, Jó 7:2, Margem.

fazer com que os pobres … fracassem – “para que eles mesmos sejam colocados sozinhos no meio da terra” (Is 5:8).

5 Dizendo: Quando passará a lua nova, para vendermos o alimento? E o sábado, para abriremos os depósitos de trigo, e diminuirmos a medida, aumentarmos o preço, e fraudarmos com balanças enganosas,

Tão gananciosos são de ganho injusto que não podem poupar um único dia, por sagrado, de persegui-lo. Eles são estranhos a Deus e inimigos de si mesmos, que amam os dias de mercado melhor que os sábados; e aqueles que perderam a piedade não manterão por muito tempo a honestidade. As novas luas (Nm 10:10) e os sábados deveriam ser mantidos sem trabalho ou comércio (Ne 10:31).

estabelecer trigo – literalmente, abrir lojas de trigo para venda.

ephah – contendo três seahs, ou acima de três bicos.

fazendo … pequeno – tornando-o abaixo do peso justo para os compradores.

aumentarmos a preço – tendo de compradores um maior peso do que o devido. Shekels costumava ser pesado em pagamentos (Gn 23:16). Assim, eles cometeram uma dupla fraude contra a lei (Dt 25:13-14).

6 Para comprarmos os pobres por dinheiro, e os necessitados por um par de sapatos, e venderemos os refugos do trigo?

pobres por dinheiropar de sapatos – isto é, para que possamos obrigar os necessitados a ganhar dinheiro, ou qualquer outra coisa de pequeno valor, a se venderem a nós como escravos, desafiando Lv 25:39; a mesma coisa que traz o juízo de Deus (Am 2:6).

venderemos os refugos do trigo? – que não contém nutrientes, mas que os pobres comem a um preço baixo, sendo incapazes de pagar pela farinha.

7 O SENHOR jurou pela glória de Jacó: Eu nunca me esquecerei das obras deles.

SENHOR jurou pela glória de Jacó – isto é, por si mesmo, em quem a glória semente de Jacó (Maurer) Pelo contrário, pelos privilégios espirituais de Israel, a adoção como Seu povo peculiar (Calvino), o templo e seu símbolo Shekinah de Sua presença. Compare Am 6:8, onde significa o templo de Jeová (compare com Am 4:2).

nunca esqueça – não passe sem punir (Am 8:2,13; Os 9:9).

8 A terra não se abalará por causa disto, e todo habitante dela não chorará? Certamente ela se levantará como um rio, se agitará, e se afundará como o rio do Egito.

Ergue-se totalmente como uma inundação – A terra, por assim dizer, será completamente transformada em um rio inundável (uma inundação sendo a imagem de esmagadora calamidade, Dn 9:26).

expulso e afogado, etc. – varrido e subjugado, como a terra adjacente ao Nilo é por ele, quando inundando (Am 9:5). O Nilo geralmente se eleva a seis metros. As águas então “expeliram” lama e sujeira (Is 57:20).

9 E será naquele dia,diz o Senhor DEUS, que farei o sol se pôr ao meio-dia, e escurecerei a terra no dia claro.

“Escuridão” feita para se erguer “ao meio-dia” é o emblema de grandes calamidades (Jr 15:9; Ez 32:7-10).

10 E tornarei vossas festas em luto, e todas as vossas canções em pranto; e farei com que todos se vistam de saco, e se façam calvas sobre todas as cabeças; e farei com que haja luto como de um filho único, e seu fim será como um dia amargo.

calvas – um sinal de luto (Is 15:2; Jr 48:37; Ez 7:18).

Eu vou fazer isso como … luto de um filho único – “isto”, isto é, “a terra” (Am 8:9). Reduzirei a terra a tal estado que haverá a mesma ocasião de luto, como quando os pais choram por um filho único (Jr 6:26; Zc 12:10).

11 Eis que vêm dias, diz o Senhor DEUS, nos quais enviarei fome à terra; fome não de pão, nem sede de água, mas sim de ouvir as palavras do SENHOR.

ouvir as palavras do SENHOR – uma justa retribuição àqueles que agora não ouvirão os profetas do Senhor, nem mesmo tentar afastá-los, como Amazias fez (Am 7:12); procurarão em vão, em sua aflição, conselho divino, como os profetas oferecem agora (Ez 7:26; Mq 3:7). Compare-se com a rejeição do Messias pelos judeus e sua consequente rejeição por Ele (Mt 21:43); e seu desejo pelo Messias tarde demais (Lc 17:22; Jo 7:34; 8:21). Então, o pródigo, quando ele peregrinou por algum tempo no “país longínquo, começou a ficar em falta” na “fome poderosa” que surgiu (Lc 15:14; compare com 1Sm 3:1; 7:2) . É notável que a religião dos judeus seja quase a única que poderia ser abolida contra a vontade do próprio povo, por ser dependente de um lugar particular, a saber, o templo. Quando isso foi destruído, o ritual Mosaico, que não poderia existir sem ele, cessou necessariamente. A providência concebeu que, como a lei deu lugar ao Evangelho, todos os homens deveriam perceber que era assim, apesar da rejeição obstinada do Evangelho pelos judeus.

12 E irão sem rumo de mar a mar, do norte até o oriente; correrão de um lado para o outro em busca da palavra do SENHOR, mas não a encontrarão.

E irão sem rumo de mar a mar – isto é, do Mar Morto até o Mediterrâneo, de leste a oeste.

do norte até o oriente – onde poderíamos esperar “de norte a sul”. Mas tão alienado era Israel de Judá, que nenhum israelita sequer pensaria em ir para o sul, isto é, para Jerusalém para informação religiosa. O circuito é traçado como em Nm 34:3, etc., exceto que o sul é omitido. Sua “busca da palavra do Senhor” não seria de um desejo sincero de obedecer a Deus, mas sob a pressão da punição.

13 Naquele tempo as belas virgens e os rapazes desmaiarão de sede.

fraco para a sede – a saber, sede de ouvir as palavras do Senhor, estando destituído de todos os outros confortos. Se até mesmo os jovens e fortes desfalecem, quanto mais os enfermos (Is 40:30-31)!

14 Quanto aos que juram pelo pecado de Samaria, e dizem: Vive o teu deus de Dã; e: Vive o caminho de Berseba; esses cairão, e nunca mais se levantarão.

juraram pelo pecado de Samaria – ou seja, os bezerros (Dt 9:21; Os 4:15). “Jura por” significa adorar (Sl 63:11).

A maneira – isto é, como “o caminho” é usado (Sl 139:24; At 9:2), o modo de adoração.

Teu deus, O Dan – o outro bezerro de ouro em Dan (1Rs 22: 26-30).

ViveVive – em vez disso, “Que o teu deus… viva… que a maneira… viva”. Ou “como (certamente como) teu deus, ó Dan, vive”. Esta é a fórmula deles quando eles juram; não “Que Jeová viva!” ou: “Como Jeová vive!”

<Amós 7 Amós 9>

Leia também uma introdução ao Livro de Amós.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.