Bíblia, Revisar

1 Samuel 7

1 E vieram os de Quriate-Jearim, e levaram a arca do SENHOR, e meteram-na em casa de Abinadabe, situada no morro; e santificaram a Eleazar seu filho, para que guardasse a arca do SENHOR.

os homens de Quiriate-Jearim – “a cidade dos bosques”, também Kirjath-baal (Js 15:60; 18:14; 1Cr 13:5-6). Era a cidade mais próxima de Bete-Semes e estava em uma colina. Esta foi a razão da mensagem (1Sm 6:21), e por que isso foi escolhido para a conveniência das pessoas virando seus rostos para a arca (1Rs 8:29-35; Sl 28:2; Dn 6:10) .

Eles a levaram para a casa de Abinadabe, na colina – Por que não foi transportado de uma vez para Siló, onde o tabernáculo e vasos sagrados permaneceram, é difícil de conjecturar.

consagraram seu filho – Ele não era um levita, e foi, portanto, apenas separado ou designado para ser o guardião do lugar.

Samuel exorta ao arrependimento

2 E aconteceu que desde o dia que chegou a arca a Quriate-Jearim passaram muito dias, vinte anos; e toda a casa de Israel se lamentou, voltando a seguir o SENHOR.

vinte anos – Parece, na história subsequente, que um período muito mais longo se passou antes de sua remoção final de Quiriate-Jearim (2Sm 6:1-19; 1Cr 13:1-14). Mas esse período de tempo se passou quando os israelitas começaram a ressuscitar de seu triste estado de declínio religioso. A captura da arca produzira uma indiferença geral quanto à sua perda ou à sua recuperação.

E todo o povo de Israel buscava o Senhor – Eles foram então levados, sem dúvida pela influência das exortações de Samuel, a renunciar à idolatria e a retornar ao culto nacional do verdadeiro Deus.

3 E falou Samuel a toda a casa de Israel, dizendo: Se de todo vosso coração vos volteis ao SENHOR, tirai os deuses alheios e a Astarote de entre vós, e preparai vosso coração ao SENHOR, e a somente ele servi, e vos livrará da mão dos filisteus.

Samuel disse a toda a nação de Israel – Uma grande reforma nacional foi efetuada através da influência de Samuel. Desgostados com sua servidão estrangeira e ofegantes pela restauração da liberdade e da independência, estavam abertos a impressões salutares; e convencidos de seus erros, eles renunciaram à idolatria. O restabelecimento da fé de seus pais foi inaugurado em uma grande reunião pública, realizada em Mispá em Judá, e consagrada pela observância de impressionantes solenidades religiosas. A água que se desenha e que é derramada diante do Senhor parece ter sido um ato simbólico pelo qual, em nome do povo, Samuel testificava seu senso de corrupção nacional, sua necessidade daquela purificação moral da qual a água é o emblema, e seu sincero desejo de derramar seus corações em arrependimento diante de Deus.

4 Então os filhos de Israel tiraram aos baalins e a Astarote, e serviram a somente o SENHOR.
5 E Samuel disse: Juntai a todo Israel em Mispá, e eu orarei por vós ao SENHOR.
6 E juntando-se em Mispá, tiraram água, e derramaram-na diante do SENHOR, e jejuaram aquele dia, e disseram ali: Contra o SENHOR temos pecado. E julgou Samuel aos filhos de Israel em Mispá.

E foi em Mispá que Samuel liderou os israelitas como juiz – Na época da morte de Eli, ele não poderia ter ultrapassado os vinte anos de idade; e embora seu caráter e posição devessem ter lhe dado grande influência, não parece que até então ele tivesse feito mais do que os profetas costumavam fazer. Agora ele entrou nos deveres de um magistrado civil.

Os filisteus são vencidos

7 E ouvindo os filisteus que os filhos de Israel estavam reunidos em Mispá, subiram os príncipes dos filisteus contra Israel: o qual quando houveram ouvido os filhos de Israel, tiveram temor dos filisteus.

O caráter e a importância da convenção nacional em Mispa foram totalmente apreciados pelos filisteus. Eles discerniram nele o crescente espírito de patriotismo religioso entre os israelitas que estava preparado para se livrar do jugo de sua dominação. Ansiosos por esmagá-lo no começo, fizeram uma incursão repentina enquanto os israelitas estavam no meio de sua solene celebração. Despreparados para a resistência, suplicaram a Samuel que suplicasse a interposição divina para salvá-los de seus inimigos. As preces e sacrifícios do profeta foram respondidos por uma tremenda tempestade de trovões e relâmpagos que os agressores, em pânico, foram desordenados e fugiram. Os israelitas, reconhecendo a mão de Deus, avançaram corajosamente sobre o inimigo que tanto temeram e cometeram tão imensa destruição, que os filisteus não se recuperaram por muito tempo deste golpe desastroso. Esta brilhante vitória garantiu paz e independência a Israel por vinte anos, bem como a restituição do território usurpado.

8 E disseram os filhos de Israel a Samuel: Não cesses de clamar por nós ao SENHOR nosso Deus, que nos guarde da mão dos filisteus.
9 E Samuel tomou um cordeiro que ainda amamentava, e sacrificou-o inteiro ao SENHOR em holocausto: e clamou Samuel ao SENHOR por Israel, e o SENHOR lhe ouviu.
10 E aconteceu que estando Samuel sacrificando o holocausto, os filisteus chegaram para lutar com os filhos de Israel. Mas o SENHOR trovejou aquele dia com grande estrondo sobre os filisteus, e desbaratou-os, e foram vencidos diante de Israel.
11 E saindo os filhos de Israel de Mispá, seguiram aos filisteus, ferindo-os até abaixo de Bete-Car.
12 Tomou logo Samuel uma pedra, e a pôs entre Mispá e Sem, e pôs-lhe por nome Ebenézer, dizendo: Até aqui nos ajudou o SENHOR.

Samuel pegou uma pedra e a ergueu entre Mispá e Sem – em um local aberto entre a cidade e “o rochedo” (alguma rocha bem conhecida no bairro). Um enorme pilar de pedra foi erguido como um monumento de sua vitória (Lv 26:1). Acredita-se que o nome – Eben-ezer – tenha sido escrito no rosto dele.

13 Foram, pois, os filisteus humilhados, que não vieram mais ao termo de Israel; e a mão do SENHOR foi contra os filisteus todo o tempo de Samuel.
14 E foram restituídas aos filhos de Israel as cidades que os filisteus haviam tomado aos israelitas, desde Ecrom até Gate, com seus termos: e Israel as livrou da mão dos filisteus. E houve paz entre Israel e o amorreu.
15 E julgou Samuel a Israel todo o tempo que viveu.
16 E todos os anos ia e dava volta a Betel, e a Gilgal, e a Mispá, e julgava a Israel em todos estes lugares.
17 Voltava-se depois a Ramá, porque ali estava sua casa, e ali julgava a Israel; e edificou ali altar ao SENHOR.
<1 Samuel 6 1 Samuel 8>

Leia também uma introdução aos livros de Samuel.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.