Salmo 111

1 Aleluia! Louvarei ao SENHOR com todo o coração, no conselho e na congregação dos corretos.

Comentário Barnes

Louvarei ao SENHOR com todo o coração – Com afeições não divididas; não segurando nada. Não permitirei que nada esteja em meu coração que interfira com a plenitude do louvor; nenhuma frieza ou divisão de afeto; nenhum amor por outras coisas que enfraqueceriam meu amor por Deus; nenhuma suspeita a respeito dele que esfriaria meu ardor; nenhuma descrença que me arrastasse para a terra, enquanto a linguagem dos meus lábios ascendia a Deus. Veja as notas no Salmo 86:12 .

no conselhodos corretos – Com os justos quando eles estão reunidos para adoração pública.

e na congregação – Veja Salmos 22:22 , Salmos 22:25 ; Salmo 66:13 ; Salmo 89:5. [Barnes, aguardando revisão]

2 Grandes são as obras do SENHOR; procuradas por todos os que nelas se agradam.

Comentário Barnes

Grandes são as obras do SENHOR – elas são grandes em número; grande em magnitude; grande em sabedoria; grande em bondade. Essa linguagem era apropriada na época do salmista, quando as pessoas olhavam para o céu apenas a olho nu, e quando tinham visões muito imperfeitas da magnitude real do universo como agora é revelado pelo telescópio. É inteiramente apropriado agora, e transmite uma impressão mais solene e sublime do que na época do salmista. Ainda será apropriado sob as visões mais amplas que ainda podem ser obtidas do universo por instrumentos mais perfeitos, por observação mais precisa e por estudo mais profundo. E será apropriado quando as pessoas examinarem a grandeza do universo desde as alturas do céu.

procuradas por todos – Estudado por todos.

os que nelas se agradam – Mais literalmente, “Procurou a todos os seus desejos”. Talvez o significado seja que eles encontrariam todos os seus desejos satisfeitos nessas obras; eles encontrariam neles tudo o que desejariam encontrar a respeito do poder, sabedoria, bondade e majestade de Deus. Ainda assim, isso implica que eles desejam estudar suas obras, ou que encontram prazer em examinar as provas da existência e dos atributos de Deus em suas obras. O homem que ama a Deus terá verdadeiro prazer em estudar tanto suas obras como sua palavra; e é tão apropriado encontrar prazer em um quanto no outro – tão apropriado desejar encontrar o conhecimento que um transmite como aquele que o outro concede. Um grande erro entre os amigos de Deus é a negligência de estudar suas obras. Ao fazer isso, as pessoas não precisam negligenciar ou subestimar a Bíblia e o conhecimento que ela oferece, pois tais estudos seriam um dos melhores meios de ilustrar a Bíblia. [Barnes, aguardando revisão]

3 Glória e majestade são o seu agir, e sua justiça permanece para sempre.

Comentário de A. R. Fausset

Glória e majestade. Literalmente, “honra e majestade”, que ilustram Suas gloriosas perfeições.

justiça. (Sl 7:17; 31:1), que Ele tornou memorável por maravilhas de amor e misericórdia, em suprir as necessidades de Seu povo de acordo com os compromissos do pacto. [JFB]

4 Ele fez memoráveis as suas maravilhas; piedoso é misericordioso é o SENHOR.

Comentário Whedon

Ele fez memoráveis. Literalmente, Ele fez um memorial por suas obras maravilhosas. Assim, festas, jejuns e outras instituições eram sinais monumentais, destinados a guardar na memória os seus feitos. Nm 16:4; Js 4:6-7 [Whedon]

5 Ele deu alimento aos que o temem; ele se lembrará para sempre de seu pacto.

Comentário Barnes

Ele deu alimento aos que o temem. A ideia é que ele supriu suas necessidades. A palavra hebraica é “presa”, e a alusão é ao modo pelo qual as necessidades dos animais do campo são supridas. O significado pode ser que eles obtiveram isso de seus inimigos, como os animais predadores se alimentam fazendo guerra; ou a palavra pode ser usada em um sentido geral, significando que Deus supriu suas necessidades.

ele se lembrará para sempre de seu pacto – Ele nunca deixará ou abandonará seu povo; ele será fiel a todas as promessas que fez a eles. [Barnes, aguardando revisão]

6 Ele anunciou o poder se suas obras a seu povo, dando-lhes a herança de nações estrangeiras.

Comentário Barnes

Ele anuncioua seu povo – O povo judeu. Ele tornou isso conhecido a eles. A referência aqui não é a seu “anúncio” ou declaração, mas a seus atos de interposição em favor deles, nos quais ele havia manifestado a grandeza de seu poder.

o poder se suas obras – O poder de seus atos; o poder envolvido no que ele faz. O poder mencionado aqui foi aquele que foi evidenciado na destruição dos egípcios e na subjugação das nações de Canaã.

dando-lhes a herança de nações estrangeiras – As nações; a saber, as nações da Palestina. A palavra “herança” é freqüentemente usada no sentido amplo de posses; e o significado aqui é que Deus mostrou a grandeza de seu poder entregando tudo o que eles possuíam nas mãos de seu povo. [Barnes, aguardando revisão]

7 As obras de suas mãos são verdade e juízo, e todos os seus mandamentos são fiéis.

Comentário de A. R. Fausset

As obras de suas mãos são verdade e juízo (Sl 111:2; Ap 15:3).

e todos os seus mandamentos são fiéis (compare nota, Sl 19:8) “Preceito” – o mesmo hebraico que aqui:piquwdaayw. Literalmente, “todas as Suas obrigações”. Estas, com as promessas que as acompanham, podem certamente ser confiáveis, visto que Suas “obras são” vistas como toda ” verdade e juízo”. [JFU]

8 Eles ficarão firmes para sempre, e são feitos em verdade e justiça.

Comentário de A. R. Fausset

Eles ficarão firmes para sempre. Referindo-se a “Seus mandamentos” ou incumbências (Sl 111:7).

e são feitos em verdade e justiça. Referindo-se às Suas “obras” (Sl 111:7). [JFU]

9 Ele enviou resgate a seu povo, ordenou seu pacto para sempre; santo e temível é o seu nome.

Comentário Barnes

Ele enviou redenção ao seu povo – Em sua libertação do Egito. Ele agora o enviou em um sentido mais elevado sob o grande Libertador, o Salvador.

Ele ordenou sua aliança para sempre – Ele ordenou ou designou. A aliança é aqui representada como se obedecesse à vontade de Deus ou estivesse sob seu controle. A aliança se refere a seus acordos com seu povo; suas garantias de favor, com os termos em que esse favor será demonstrado.

Santo e reverendo é o seu nome – Santo e para ser venerado; literalmente, “ser temido”. Isto é, ele mostrou em tudo isso que ele é santo, e que ele é um Ser que deve ser reverenciado. [Barnes, aguardando revisão]

10 O temor ao SENHOR é o princípio da sabedoria; inteligentes são todos o que isto praticam. O louvor a ele dura para sempre.

Comentário Barnes

O temor ao SENHOR – reverência a Deus; respeito por sua lei, sua vontade, seu governo, ele mesmo; o medo de ofendê-lo, o que nos levará a fazer o que é certo. Esse medo não é de um escravo; não é mero medo; não é terror. É consistente com o amor e surge dele. É consistente com a calma da mente e a promove. Não produz terror, mas sim liberta dele e preserva a mente de alarmes. A palavra traduzida aqui como “medo” é um substantivo da mesma origem que a palavra traduzida como “reverendo” no versículo anterior. A sugestão à mente do salmista de que o “nome do Senhor” era “reverendo” ou deveria ser venerado introduziu o pensamento de que tal reverência é o próprio fundamento da sabedoria.

é o princípio da sabedoria – O fundamento, a origem, o começo de ser verdadeiramente sábio. É assim. Não há verdadeira sabedoria que não reconheça o ser, as perfeições e as reivindicações de Deus. A mais alta sabedoria – o mais elevado dom do homem – é que ele “possa” conhecer e honrar a Deus. Isso, em capacidade, o torna mais sábio acima da criação bruta; isso, no exercício, torna um homem mais sábio do que outro; isto, quando surge na alma, torna o homem mais sábio do que era antes – ou, é o “começo” da verdadeira sabedoria na alma. Compare Provérbios 1:7 ; Provérbios 9:10 ; Deuteronômio 4:6 ; Jó 28:28 ; Eclesiastes 12:13 .

inteligentes são todos – Margem, “bom sucesso”. A palavra original – שׂכל śêkel – é traduzida como “entendimento” (como aqui) em 1 Samuel 25:3 ; Esdras 8:18 ; Jó 17:4 ; Provérbios 3:4 ; Provérbios 13:15 ; Provérbios 16:22 ; “sabedoria” em 1 Crônicas 22:12 ; Provérbios 12:8 ; Provérbios 23:9 ; “prudência”, 2 Crônicas 2:12 ; Provérbios 19:11 (margem); “sentido”, em Neemias 8:8 ; “conhecimento”, 2 Crônicas 30:22 ; e “política” em Daniel 8:25. “Pode” denotar, portanto, compreensão, sabedoria, conhecimento, sucesso, prudência; e é verdade em relação a “todos” estes – pois o temor do Senhor, ou a verdadeira religião, os produz “todos”. Não é necessário, portanto, tentar determinar exatamente qual deles é o significado aqui.

o que isto praticam – Margem, como no hebraico, “cumpra-os”. Que façam as coisas relacionadas com o temor do Senhor; isto é, que obedecem a Deus.

O louvor a ele dura para sempre – Ou seja, a base para seu louvor dura por toda a eternidade; ou é imutável. Como Deus é sempre o mesmo, então há, como derivado de seu ser e perfeições, sempre o mesmo fundamento para o louvor. Como sempre haverá seres criados que podem e irão apreciar isso, então será literalmente verdade, como deveria ser, que seu louvor “será” celebrado para sempre. [Barnes, aguardando revisão]

<Salmo 110 Salmo 112>

Introdução ao Salmo 111

O autor deste salmo é desconhecido, assim como a ocasião em que foi composto. É um dos salmos, dos quais existem ao todo dez, que começa com a frase “Hallelu-jah” em hebraico; em nossa versão traduzida:”Louvado seja o Senhor.” Esses salmos são Ps. 106; Salmo 111:1-10 ; Salmo 112:1-10 ; Salmo 113:1-9 ; Salmo 135 ; Salmo 146:1-10 ; Salmo 147 ; Salmo 148:1-14 ; Salmo 149:1-9 ; e Salmo 150:1-6:O uso desta frase mostra que os salmos onde se encontra foram concebidos para a adoração pública. É provável que este tenha sido um dos salmos posteriores – um fato que pode ser indicado pelo próprio uso da frase “Aleluia”. Venema supõe que foi composta na época dos Macabeus, mas disso não há evidência.

Este é um dos salmos alfabéticos. Nessa classe de salmos, há uma variedade considerável. Em alguns, uma letra do alfabeto hebraico começa com cada versículo do salmo; em outros, as letras sucessivas do alfabeto começam a cada dois ou três versos em sucessão, ou, como no Salmo 119 ; oito versos em sucessão; em outros, as letras sucessivas do alfabeto são usadas no início de cláusulas separadas dos “versos” de um salmo.

A peculiaridade deste salmo é que os primeiros oito versos do salmo contêm “duas” cláusulas, começando com as letras do alfabeto em sua ordem; os dois últimos versos, “três”. Por que esse arranjo foi adotado, é impossível agora determinar – como acontece com “muitas” coisas que são consideradas belezas na poesia. Há muito na medida, no ritmo, na rima da poesia moderna, que é tão artificial e tão inexplicável quanto isso.

O salmo é um chamado ao louvor de Deus por causa de suas “obras”, e visa sugerir fundamentos de confiança nele obtidos “dessas” obras. É, portanto, de aplicabilidade universal; e pode ser usado em qualquer nação, a qualquer momento e entre qualquer povo. É um salmo que pode ser traduzido em todas as línguas do mundo, e qualquer que seja a língua que as pessoas falem, ele expressará em sua própria língua o que eles têm oportunidade de agradecer nas várias terras onde moram. [Barnes, aguardando revisão]

Visão geral de Salmos

“O livro dos Salmos foi projetado para ser o livro de orações do povo de Deus enquanto esperam o Messias e seu reino vindouro”. Tenha uma visão geral deste livro através de um breve vídeo produzido pelo BibleProject. (9 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao livro de Salmos.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.