Bíblia

Esdras 8

Os que voltaram da Babilônia com Esdras

1 Estes, pois, são os chefes de suas famílias, com suas genealogias, dos que subiram comigo da Babilônia durante o reinando do rei Artaxerxes:

Estes, pois, são os chefes de suas famílias, com suas genealogias – 1754 é o número dado aqui. Mas este é o registro de apenas homens adultos, e como havia mulheres e crianças também (Ed 8:21), toda a caravana pode ser considerada como compreendendo entre seis mil e sete mil. [JFB]

2 Dos filhos de Fineias, Gérson; dos filhos de Itamar, Daniel; dos filhos de Davi, Hatus;
3 Dos filhos de Secanias e dos filhos de Parós, Zacarias, e com ele por genealogias foram contados cento e cinquenta homens;
4 Dos filhos de Paate-Moabe, Elioenai, filho de Zeraías, e com ele duzentos homens;
5 Dos filhos de Secanias, o filho de Jaaziel, e com ele trezentos homens;
6 Dos filhos de Adim, Ebede, filho de Jônatas, e com ele cinquenta homens;
7 Dos filhos de Elão, Jesaías, filho de Atalias, e com ele setenta homens;
8 E dos filhos de Sefatias, Zebadias, filho de Micael, e com ele oitenta homens;
9 Dos filhos de Joabe, Obadias, filho de Jeiel, e com ele duzentos e dezoito homens;
10 E dos filhos de Selomite, o filho de Josifias, e com ele cento e sessenta homens;
11 E dos filhos de Bebai, Zacarias, filho de Bebai, e com ele vinte e oito homens;
12 E dos filhos de Azgade, Joanã, filho de Catã, e com ele cento e dez homens;
13 E dos filhos de Adonicão, os últimos, cujos nomes são: Elifelete, Jeiel, e Semaías, e com eles sessenta homens;
14 E dos filhos de Bigvai, Utai e Zabude, e com eles setenta homens.

Esdras envia à Ido ministros para o serviço do Templo

15 E ajuntei-os junto ao rio que vai a Aava, e acampamos ali três dias; então procurem entre o povo e entre os sacerdotes, não achei ali nenhum dos filhos de Levi.

E ajuntei-os junto ao rio que vai a Aava – Este rio não foi apurado. É provável que o Aava fosse um dos canais ou numerosos canais da Mesopotâmia comunicando-se com o Eufrates (Cyclopædia of Biblical Literature). Mas foi certamente na Babilônia, nas margens desse córrego; e talvez o lugar designado para o encontro geral estivesse na vizinhança de uma cidade do mesmo nome. Os emigrantes acamparam lá por três dias, segundo o costume oriental, enquanto os preparativos para a partida estavam sendo concluídos e Esdras estava organizando a ordem da caravana.

não achei ali nenhum dos filhos de Levi – isto é, os levitas comuns. Não obstante o privilégio de isenção de todos os impostos concedidos a pessoas envolvidas no serviço do templo, nenhuma das tribos levíticas foi induzida a se juntar ao assentamento em Jerusalém; e não foi sem dificuldade que Esdras persuadiu algumas das famílias sacerdotais a acompanhá-lo. [JFB]

16 Por isso enviei a Eliezer, Ariel, Semaías, Elnatã, Jaribe, Elnatã, Natã, Zacarias, e a Mesulão, os chefes; como também a Joiaribe e a Elnatã, os sábios.

Por isso enviei a Eliezer…(17) os enviei a Ido, chefe – Esdras enviou esta delegação, ou em virtude de autoridade que por seu caráter sacerdotal ele tinha sobre os levitas, ou da comissão real com a qual ele foi investido. A delegação foi despachada para Ido, que era um príncipe ou chefe dos netineus – pois o governo persa permitiu que os hebreus durante seu exílio retivessem seu governo eclesiástico por seus próprios chefes, bem como desfrutassem do privilégio de culto livre. A influência de Iddo adquiriu e trouxe para o acampamento de Ahava trinta e oito levitas e duzentos e vinte e nove natineus, descendentes dos gibeonitas, que desempenhavam os deveres servis do templo. [JFB]

17 E os enviei a Ido, chefe no lugar de Casifia; e lhes instruí as palavras que deviam dizer a Ido, e a seus irmãos, os servos do templo no lugar de Casifia, para que nos trouxessem trabalhadores para a casa de nosso Deus.
18 E nos trouxeram, segundo a boa mão de nosso Deus sobre nós, um homem entendido dos filhos de Mali, filho de Levi, filho de Israel; cujo nome era Serebias com seus filhos e seus irmãos, dezoito;
19 E a Hasabias, e com ele a Jesaías dos filhos de Merari, seus irmãos e a seus filhos, vinte;
20 E dos servos do templo, a quem Davi e os príncipes puseram para o trabalho dos Levitas, duzentos e vinte servos do templo; todos eles foram indicados por nome.

Um jejum é proclamado

21 Então proclamei ali um jejum junto ao rio de Aava, para nos humilharmos diante de nosso Deus, para lhe pedirmos um caminho seguro para nós, nossos filhos, e todos os nossos bens.

Então proclamei ali um jejum – Os perigos para viajar caravanas dos árabes beduínos que rondavam o deserto eram na antiguidade tão grandes como ainda são; e parece que os viajantes geralmente buscavam a proteção de uma escolta militar. Mas Esdras falara tanto ao rei da suficiência do cuidado divino de Seu povo que ele teria se envergonhado para pedir uma guarda de soldados. Portanto, ele resolveu que seus seguidores deveriam, por um ato solene de jejum e oração, comprometer-se com o Guardião de Israel. Sua fé, considerando os muitos e constantes perigos de uma jornada através das regiões beduínas, deve ter sido grande, e foi recompensada pela satisfação de perfeita segurança durante todo o caminho. [JFB]

22 Pois tive vergonha de pedir ao rei tropas e cavaleiros para nos defenderem do inimigo no caminho; porque tínhamos falado ao rei, dizendo: A mão de nosso Deus está para o bem sobre todos os que o buscam; mas sua força e ira está sobre todos os que o abandonam.
23 Assim jejuamos, e pedimos isto a nosso Deus; e ele atendeu a nossas orações.
24 Então separei doze dos chefes dos sacerdotes, a Serebias e Hasabias, e com eles dez de seus irmãos;

Então separei doze dos chefes dos sacerdotes…(25) E pesei-lhes a prata – A custódia das contribuições e dos vasos sagrados era, durante a jornada, confiada a doze dos principais sacerdotes, que, com a assistência de dez de seus irmãos, deviam vigiar de perto pelo caminho, e entregá-los ao casa do Senhor em Jerusalém. [JFB]

25 E pesei-lhes a prata, o ouro, e os utensílios, que eram a oferta para a casa de nosso Deus que o rei, seus conselheiros, seus príncipes, e todo os israelitas que se acharam, haviam oferecido.
26 Assim pesei nas mãos deles seiscentos e cinquenta talentos de prata, e cem talentos de utensílios de prata, e cem talentos de ouro;
27 E vinte bacias de ouro, de mil dracmas; e dois vasos bronze reluzente, tão preciosos como o ouro.

dois vasos bronze reluzente, tão preciosos como o ouro – Quase todos os comentaristas concordam em sustentar que os vasos referidos não eram feitos de cobre, mas de uma liga capaz de assumir um polimento brilhante, o que achamos altamente provável, como o cobre era então uso comum entre os babilônios, e não seria tão precioso quanto o ouro. Esta liga, muito estimada entre os judeus, era composta de ouro e outros metais, que assumiam um alto grau de polimento e não estavam sujeitos a manchas (Noyes). [JFB]

28 E disse-lhes: Vós sois consagrados ao SENHOR, e estes utensílios são santos; como também a prata e o ouro, que são oferta voluntária ao SENHOR, Deus de vossos pais.
29 Vigiai, e guardai estas coisas , até que as peseis diante dos líderes dos sacerdotes e dos levitas, e dos chefes das famílias de Israel em Jerusalém, nas câmaras da casa do SENHOR.
30 Então os sacerdotes e os levitas receberam o peso da prata e do ouro e dos utensílios, para o trazerem a Jerusalém, à casa de nosso Deus.
31 Assim nos partimos do rio de Aava, ao dia doze do mês primeiro, para irmos a Jerusalém; e a mão do nosso Deus estava sobre nós, e nos livrou de mão de inimigos e dos assaltantes no caminho.

nos partimos do rio de Aava, ao dia doze do mês primeiro – Computando desde o momento de sua partida até o período de sua chegada, eles ocuparam cerca de quatro meses no caminho. Sua saúde e segurança foram maravilhosas durante uma jornada tão longa. Para um corpo grande, composto como o de Esdras – de alguns milhares de homens, mulheres e crianças, desacostumados a viajar, indisciplinados à ordem e sem forças militares, e com uma quantidade tão grande de tesouros que tentam a avareza das tribos saqueadoras e saqueadoras do deserto – para realizar uma jornada tão longa e tão árdua em perfeita segurança, é um dos eventos mais surpreendentes registrados na história. Nada além do cuidado vigilante de uma Providência poderia tê-los trazido com segurança ao seu destino. [JFB]

32 E chegamos a Jerusalém, e repousamos ali três dias.
33 Ao quarto dia foram pesados a prata, o ouro, e os utensílios, na casa de nosso Deus, por meio de Meremote, filho do sacerdote Urias, e com ele Eleazar, filho de Fineias; e com eles os levitas: Jozabade, filho de Jesua, e Noadias, filho de Binui.

Ao quarto dia foram pesados a pratana casa de nosso Deus – Os primeiros três dias após a sua chegada a Jerusalém foram, sem dúvida, dados ao repouso; no dia seguinte, os tesouros foram pesados ​​e entregues à custódia dos sacerdotes oficiantes do templo. Os exilados que retornaram ofereceram holocaustos, e Esdras entregou a comissão real aos sátrapas e magistrados inferiores; enquanto a parte levítica deles prestou toda a assistência que pôde para realizar o trabalho adicional que a chegada de tantos novos adoradores ocasionou. [JFB]

34 Tudo foi conferido em número e em peso; e ao mesmo tempo o peso foi registrado.
35 E os transportados, os que vieram do cativeiro, deram como oferta de queima ao Deus de Israel doze novilhos por todos os israelitas, noventa e seis carneiros, setenta e sete cordeiros, e doze bodes como sacrifício pelo pecado; tudo isto como oferta de queima ao SENHOR.
36 Então deram as ordens do rei aos comissários do rei, e aos governadores dalém do rio, os quais ajudaram ao povo e à casa de Deus.
<Esdras 7 Esdras 9>

Leia também uma introdução ao livro de Esdras.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.