Bíblia, Revisar

2 Crônicas 17

Josafá reina bem e prospera

1 E reinou em seu lugar Josafá seu filho, o qual prevaleceu contra Israel.

O temperamento e os procedimentos dos reis de Israel tornaram necessário que ele preparasse vigorosas medidas de defesa na fronteira setentrional de seu reino. Estes consistiam em encher todas as fortalezas com seu complemento total de tropas e estabelecer postos militares em várias partes do país, bem como nas cidades do Monte Efraim, que pertenciam a Jeosafá (2Cr 15:8).

2 E pôs exército em todas as cidades fortes de Judá, e colocou gente de guarnição, em terra de Judá, e também nas cidades de Efraim que seu pai Asa havia tomado.
3 E foi o SENHOR com Josafá, porque andou nos primeiros caminhos de Davi seu pai, e não buscou aos baalins;

não buscou aos baalins – um termo usado para ídolos geralmente em contradição com o Senhor Deus de seu pai.

4 mas buscou o Deus de seu pai, e andou em seus mandamentos, e não segundo as obras de Israel.

e não segundo as obras de Israel – Ele observou com escrupulosa fidelidade e empregou sua influência real para apoiar as instituições divinas como promulgadas por Moisés, abominando aquela adoração espúria e ilegal de bezerros que agora formava a religião estabelecida em Israel. Estando assim distante, tanto da idolatria grosseira e da apostasia israelita, quanto aderindo zelosamente às exigências da lei divina, a bênção de Deus repousou sobre seu governo. Governando no temor de Deus e pelo bem de seus súditos, “o Senhor estabeleceu o reino em suas mãos”.

5 Por isso o SENHOR confirmou o reino em sua mão, e todo Judá deu presentes a Josafá; e teve riquezas e glória em abundância.

presentes – Era costume com o povo em geral no início de um reinado (1Sm 10:27) e com os nobres e altos funcionários anualmente. Eles foram dados na forma de ofertas voluntárias, para evitar a ideia odiosa de um imposto ou tributo.

6 E animou-se seu coração nos caminhos do SENHOR, e tirou os altos e os bosques de Judá.

E animou-se seu coração nos caminhos do SENHOR – Cheio de fé e piedade, ele possuía zelo e coragem para empreender a reforma das maneiras, para suprimir todas as obras e objetos da idolatria (ver em 2Cr 20:33), e ele ofereceu encorajamento público à adoração pura de Deus.

Josafá envia levitas para ensinar em Judá

7 Ao terceiro ano de seu reinado enviou seus príncipes Bene-Hail, Obadias, Zacarias, Natanael e Micaías, para que ensinassem nas cidades de Judá;

O trabalho ordinário de ensino devolvido aos sacerdotes. Mas comissários extraordinários foram nomeados, provavelmente para averiguar se o trabalho havia sido feito ou negligenciado. Essa delegação de cinco príncipes, assistidos por dois sacerdotes e nove levitas, deveria fazer um circuito das cidades de Judá. É a primeira medida prática que lemos como sendo adotada por qualquer um dos reis para a instrução religiosa do povo. O tempo e as oportunidades ininterruptas foram concedidas para levar a cabo este excelente plano de educação domiciliar, pois o reino desfrutava de tranquilidade interna e também de liberdade para guerras estrangeiras. É conforme ao estilo piedoso do historiador sagrado traçar essa paz profunda ao “temor do Senhor ter caído sobre todos os reinos das terras que estavam ao redor de Judá”.

8 E com eles aos levitas, Semaías, Netanias, Zebadias, e Asael, e Semiramote, e Jônatas, e Adonias, e Tobias, e Tobadonias, levitas; e com eles a Elisama e a Jorão, sacerdotes.
9 E ensinaram em Judá, tendo consigo o livro da lei do SENHOR, e rodearam por todas as cidades de Judá ensinando ao povo.

o livro da lei – ou seja, todo o Pentateuco ou apenas o livro de Deuteronômio, que contém um resumo dele.

10 E caiu o pavor do SENHOR sobre todos os reinos das terras que estavam ao redor de Judá; que não ousaram fazer guerra contra Josafá.
11 E dos filisteus traziam presentes a Josafá, e tributos de prata. Os árabes também lhe trouxeram gado: sete mil e setecentos carneiros e sete mil e setecentos bodes.

E dos filisteus traziam presentes a Josafá, e tributos de prata – ou foram seus afluentes, ou desejavam assegurar sua valiosa amizade, e agora fizeram uma oferta voluntária de tributo. Talvez fossem os filisteus que haviam se submetido ao jugo de Davi (2Sm 8:1; Sl 60:8).

Os árabes – as tribos nômades no sul do Mar Morto, que, buscando a proteção de Jeosafá depois de sua conquista de Edom, prestaram seu tributo da maneira mais adequada aos seus hábitos pastorais – o presente de tantos cabeças de gado.

Sua grandeza, capitães e exércitos

12 Ia pois Josafá crescendo altamente: e edificou em Judá fortalezas e cidades de depósitos.
13 Teve ademais muitas obras nas cidades de Judá, e homens de guerra muito valentes em Jerusalém.
14 E este é o número deles segundo as casas de seus pais: em Judá, chefes dos milhares: o general Adna, e com ele trezentos mil homens muito esforçados;

este é o número – Os guerreiros foram organizados no exército de acordo com as casas de seus pais. O exército de Jeosafá, comandado por cinco grandes generais e constituído por cinco divisões desiguais, compreendia um milhão cento e sessenta mil homens, sem incluir os que guarneciam as fortalezas. Nenhum monarca, desde o tempo de Salomão, igualou a Jeosafá na extensão de sua renda, na força de suas fortificações e no número de suas tropas.

15 Depois dele, o chefe Joanã, e com ele duzentos e oitenta mil;
16 Depois este, Amasias filho de Zicri, o qual se havia oferecido voluntariamente ao SENHOR, e com ele duzentos mil homens valentes;
17 De Benjamim, Eliada, homem muito valente, e com ele duzentos mil armados de arco e escudo;
18 Depois este, Jozabade, e com ele cento e oitenta mil preparados para a guerra.
19 Estes eram servos do rei, sem os que havia o rei posto nas cidades de guarnição por toda Judá.
<2 Crônicas 16 2 Crônicas 18>

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.