Bíblia, Revisar

2 Crônicas 8

Edificações de Salomão

1 E aconteceu que ao fim de vinte anos que Salomão havia edificado a casa do SENHOR e sua casa,
2 Reedificou Salomão as cidades que Hirão lhe havia dado, e estabeleceu nelas aos filhos de Israel.

Essas cidades ficavam no noroeste da Galileia. Embora incluídos dentro dos limites da terra prometida, nunca haviam sido conquistados. O direito de ocupá-los Salomão concedeu a Hurão, que, após consideração, recusou-os como inadequados aos hábitos comerciais de seus súditos (ver 1Rs 9:11). Salomão, tendo arrancado-os da possessão dos habitantes cananeus, reparou-os e encheu-os com uma colônia de Hebreus.

3 Depois veio Salomão a Hamate de Zobá, e a tomou.

veio Salomão a Hamate de Zobá – Hamate estava no Orontes, na Coele-Síria. Seu rei, Toi, tinha sido o aliado de Davi; mas da combinação, Hamate e Zobá, parece que ocorreu alguma revolução que levou à união desses dois pequenos reinos da Síria em um só. Por que motivo o ressentimento de Salomão foi provocado contra ele, não somos informados, mas ele enviou uma força armada que o reduziu. Ele fez-se mestre também de Tadmor, o famoso Palmyra na mesma região. Várias outras cidades ao longo das fronteiras de seus domínios ampliados ele consertou e equipou-se, seja para servir de depósito para o avanço de seus empreendimentos comerciais, seja para proteger seu reino de invasões estrangeiras (ver em 2Cr 1:14; ver em 1Rs 9:15).

4 E edificou a Tadmor no deserto, e todas as cidades de armazéns que edificou em Hamate.
5 Assim reedificou a Bete-Horom a de acima, e a Bete-Horom a de abaixo, cidades fortificadas, de muros, portas, e barras;
6 E a Baalate, e a todas as vilas de armazéns que Salomão tinha; também todas as cidades dos carros e as de cavaleiros; e tudo o que Salomão quis edificar em Jerusalém, e no Líbano, e em toda a terra de seu senhorio.
7 E a todo o povo que havia restado dos heteus, amorreus, perizeus, heveus, e Jebuseos, que não eram de Israel,

E a todo o povo que havia restado – Os descendentes dos cananeus que permaneceram no país foram tratados como prisioneiros de guerra, sendo obrigados a “pagar tributo ou servir como escravos de galé” (2Cr 2:18), enquanto os israelitas foram empregados em nenhum trabalho, mas como eram de caráter honrado.

8 Os filhos dos que haviam restado na terra depois deles, aos quais os filhos de Israel não destruíram do todo, fez Salomão tributários até hoje.
9 E dos filhos de Israel não pôs Salomão servos em sua obra; porque eram homens de guerra, e seus príncipes e seus capitães, e comandantes de seus carros, e seus cavaleiros.
10 E tinha Salomão duzentos e cinquenta principais dos governadores, os quais mandavam naquela gente.
11 E passou Salomão à filha de Faraó, da cidade de Davi à casa que ele lhe havia edificado; porque disse: Minha mulher não morará na casa de Davi rei de Israel, porque aquelas habitações de onde entrou a arca do SENHOR, são sagradas.

E passou Salomão à filha de Faraó, da cidade de Davi à casa que ele lhe havia edificado – Em seu casamento com a princesa egípcia no início de seu reinado, ele lhe designou uma morada temporária na cidade de Davi, que Jerusalém, até que um palácio adequado para sua esposa tenha sido erigido. Enquanto o palácio estava em andamento, ele próprio se alojou no palácio de Davi, mas ele não permitiu que ela o ocupasse, porque ele achava que ela era prosélita pagã, e tendo trazido de seu próprio país um estabelecimento de servas pagãs. , teria havido uma impropriedade em seu ser domiciliado em uma mansão que foi ou foi santificada pela recepção da arca. Parece que ela foi recebida em sua chegada na casa da mãe dele (Ct 3:4; 8:2).

12 Então ofereceu Salomão holocaustos ao SENHOR sobre o altar do SENHOR, que havia ele edificado diante do pórtico,
13 Para que oferecessem cada coisa em seu dia, conforme ao mandamento de Moisés, nos sábados, nas novas luas, e nas solenidades, três vezes no ano, a saber, na festa dos pães ázimos, na festa das semanas, e na festa das cabanas.
14 E constituiu as repartições dos sacerdotes em seus ofícios, conforme à ordenação de Davi seu pai; e os levitas por suas ordens, para que louvassem e ministrassem diante dos sacerdotes, casa coisa em seu dia; assim os porteiros por sua ordem
15 E não saíram do mandamento do rei, quanto aos sacerdotes e levitas, e os tesouros, e todo negócio:

E não saíram do mandamento do rei – isto é, Davi, em qualquer de suas ordenanças, que por autoridade divina ele estabeleceu.

aos sacerdotes e levitas, e os tesouros, e todo negócio – seja regulando os rumos dos sacerdotes e dos levitas, seja no destino de seus tesouros acumulados, para a construção e adorno do templo.

16 Porque toda a obra de Salomão estava preparada desde o dia em que a casa do SENHOR foi fundada até que se acabou, até que a casa do SENHOR foi acabada do tudo.
17 Então Salomão foi a Eziom-Geber, e a Elote, à costa do mar na terra de Edom.

Então Salomão foi a Eziom-Geber, e a Elote – Estes dois portos marítimos estavam situados no golfo oriental do Mar Vermelho, agora chamado de Golfo de Akaba. Eloth é visto na moderna Akaba, Ezion-geber em El Gudyan [Robinson]. Salomão, determinado a cultivar as artes da paz, foi sagaz o suficiente para perceber que seu reino só poderia se tornar grande e glorioso encorajando um espírito de empreendimento comercial entre seus súditos; e, consequentemente, com isso em mente, ele fez um contrato com Huram para navios e marinheiros para instruir seu povo na navegação.

18 Porque Hirão lhe havia enviado navios por mão de seus servos, e marinheiros destros no mar, os quais foram com os servos de Salomão a Ofir, e tomaram de ali quatrocentos e cinquenta talentos de ouro, e os trouxeram ao rei Salomão.

navios – ou enviaram-lhe homens de navio, marinheiros capazes, por terra; ou, tomando a palavra “enviado” em um sentido mais flexível, supriu-o, isto é, construiu-lhe navios – a saber, nas docas de Elote (compare 1Rs 9:26-27). Esta marinha de Salomão era tripulada por Tyrians, pois Salomão não tinha marinheiros capazes de realizar expedições distantes. Os pescadores hebreus, cujos barcos cruzavam o mar de Tiberíades ou costeiam as margens do Mediterrâneo, não eram iguais à condução de grandes navios carregados de valiosas cargas em longas viagens e através do amplo e não frequentado oceano.

quatrocentos e cinquenta talentos de ouro – (compare 1Rs 9:28). O texto em uma dessas passagens está corrompido.

<2 Crônicas 7 2 Crônicas 9>

Leia também uma introdução aos livros das Crônicas.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.