1 Crônicas 18

Davi subjuga os filisteus e moabitas

1 Depois destas coisas aconteceu que Davi feriu aos filisteus, e os humilhou; e tomou Gate e suas vilas das mãos dos filisteus.

Comentário de Robert Jamieson

A extensão total das conquistas de Davi no território filisteu é aqui claramente declarada, enquanto que na passagem paralela (2Samuel 8:1) foi descrita apenas de uma maneira geral. Gath era o “Metheg-ammah”, ou “freio de braço”, como é chamado aqui – seja de sua supremacia como a capital sobre as outras cidades filistéias, seja porque, na captura daquele lugar importante e de suas dependências, ele obteve o controle completo de seus vizinhos inquietos. [Jamieson, aguardando revisão]

2 Também feriu a Moabe; e os moabitas foram servos de Davi, trazendo-lhe tributos.

Comentário de Robert Jamieson

feriu a Moabe – As terríveis severidades pelas quais Davi conquistou aquele povo foram marcadas, e a provável razão de terem sido submetidas a uma retribuição tão terrível, são narradas (2Samuel 8:2).

os moabitastrazendo-lhe tributos – isto é, tornaram-se tributários de Israel. [Jamieson, aguardando revisão]

Davi fere Hadadezer e os sírios

3 Assim feriu Davi a Hadadezer, rei de Zobá, em Hamate, quando ele foi assegurar seu domínio até o rio Eufrates.

Comentário de Robert Jamieson

Hadadezer – (2Samuel 8:3), que foi provavelmente a forma original do nome, foi derivado de Hadad, uma divindade síria. Parece ter se tornado o título oficial e hereditário dos governantes daquele reino.

Zobá – Sua situação é determinada pelas palavras “para” ou “para Hamate”, um pouco ao nordeste de Damasco, e é suposto por alguns como o mesmo lugar que nos tempos antigos era chamado Hobah (Gênesis 14:15). Antes da ascensão de Damasco, Zobá era a capital do reino que mantinha a supremacia entre os pequenos estados da Síria.

quando ele foi assegurar seu domínio até o rio Eufrates – Alguns referem isto a Davi, que estava procurando estender suas posses em uma direção em direção a um ponto limítrofe ao Eufrates, de acordo com a promessa (Gênesis 15:18; Números 24:17). Mas outros são de opinião que, como o nome de Davi é mencionado (1Crônicas 18:4), essa referência é mais aplicável a Hadadezer. [Jamieson, aguardando revisão]

4 E tomou-lhes Davi mil carros, e sete mil a cavalo, e vinte mil homens a pé; e Davi aleijou os cavalos de todos os carros, exceto os de cem carros que deixou.

Comentário de Robert Jamieson

E tomou-lhes Davi mil carros – (ver 2Samuel 8:3-14). Em 2Samuel 8:4 dizem que Davi tomou setecentos cavaleiros, ao passo que se diz que ele levou sete mil. Essa grande discrepância no texto das duas narrativas parece ter se originado com um transcritor ao confundir as duas letras hebraicas que indicam os números e ao deixar de marcar ou obscurecer os pontos sobre um deles. Não temos meios de averiguar se setecentos ou sete mil são os mais corretos. Provavelmente o primeiro deveria ser adotado [Hermenêutica de Davison].

exceto os de cem carros que deixou – provavelmente para adornar uma procissão triunfal em seu retorno a Jerusalém, e depois de usá-los dessa maneira, destrua-os como os demais. [Jamieson, aguardando revisão]

5 E vindo os sírios de Damasco em ajuda de Hadadezer, rei de Zobá, Davi feriu dos sírios vinte e dois mil homens.

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-19) Os eventos registrados nesses três capítulos são todos narrados no segundo livro de Samuel também, e na mesma ordem. Primeiro, são agrupadas em nosso capítulo 18 e em 2Samuel 8, de modo a fornecer uma visão geral do todo, todas as guerras que Davi travou vitoriosamente contra todos os seus inimigos ao redor no estabelecimento do povo israelita. regra, com uma breve declaração dos resultados, seguida por um catálogo dos principais funcionários públicos de David. Em 1Crônicas 19 e em 2Samuel 10 temos um relato mais detalhado da árdua guerra contra os amonitas e sírios, e em 1Crônicas 20:1-3 e 2Samuel 12:26-31 a conclusão da guerra com a captura de Rabá, o capital dos amonitas; e, finalmente, em 1Cronicas 20:4-8, temos alguns breves relatos das vitórias dos heróis israelitas sobre gigantes da terra dos filisteus, que estão inseridos em 2Samuel 21:18-22 como complemento da última seção da história de Davi. Além desta última seção, que deve ser considerada até mesmo na Crônica como um apêndice, encontramos o arranjo e a sucessão dos eventos como sendo os mesmos em ambos os livros, pois as seções que em 2Samuel 9:1-13 e 2Samuel 11 :1-12, 2Samuel 11:25, situam-se entre as histórias das guerras, contêm esboços da vida familiar de Davi, que o autor da Crônica, de acordo com seu plano, omitiu. Mesmo quanto aos detalhes individuais, as duas narrativas estão perfeitamente de acordo, sendo as divergências insignificantes; e mesmo estes, na medida em que são originais, e não são resultados de cópia descuidada, – como, por exemplo, a omissão da palavra נציבים, 1Crônicas 18:6, em comparação com 1Crônicas 18:13 e 2Samuel 8:6 , e a diferença nos números e nomes em 1Crônicas 18:4, 1Crônicas 18:8, em comparação com 2Samuel 4:4, 2Samuel 4:8, são – em parte meras explicações de expressões obscuras, em parte pequenas adições ou abreviações. Para o comentário, portanto, podemos nos referir às observações sobre 2º Samuel, onde também são tratadas as divergências da Crônica em relação ao registro em Samuel. Com 1 Crônicas 18:1-13 compare com 2Samuel 8:1-14; e com o registro de funcionários públicos, 2Samuel 18:14-17, compare com 2Samuel 8:15-18.

Exemplos de explicação parafrásica encontram-se em 1Crônicas 18:1, onde a expressão figurativa Davi tirou a rédea da mãe das mãos dos filisteus, ou seja, privou-os da hegemonia, é explicada pela frase, Davi tomou Gate e suas cidades das mãos dos filisteus, isto é, tomou dos filisteus a capital com suas cidades filhas; e em 1 Crônicas 18:17, כּהנים é traduzido por, o primeiro nas mãos do rei. Entre os resumos, a omissão do tratamento severo de Davi aos moabitas que foram feitos prisioneiros é surpreendente, sem razão para ser descoberto; pois a afirmação de que o cronista o omitiu propositalmente para livrar Davi da acusação de tal conduta bárbara, é descartada pelo fato de ele não passar em silêncio o tratamento semelhante dos habitantes conquistados de Rabá em 1 Crônicas 20: 3. Em vez disso, o cronista tem várias notas históricas peculiares a si mesmo, que faltam no texto de Samuel, e que provam que o autor da Crônica não derivou seu relato do segundo livro de Samuel. Tal, por exemplo, é a afirmação em 1Crônicas 18:8, que Salomão fez com que o mar de bronze e as colunas e vasos do pátio do templo fossem feitos do bronze tomado como despojo na guerra contra Hadadezer; em 1Crônicas 18:11, a palavra מאדום, que está faltando em Samuel, como מארם, que em 1Crônicas 18:11 desse livro é usada no lugar dela, provavelmente também estava originalmente na Crônica. Tais também são as declarações mais precisas em 1Crônicas 18:12 quanto à vitória sobre os edomitas no Vale do Sal (ver com. 2Samuel 8:13). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

6 E Davi pôs guarnições na Síria de Damasco, e os sírios foram feitos servos de Davi, trazendo-lhe tributos; porque o SENHOR dava vitória a Davi por onde quer que fosse.

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-19) Os eventos registrados nesses três capítulos são todos narrados no segundo livro de Samuel também, e na mesma ordem. Primeiro, são agrupadas em nosso capítulo 18 e em 2Samuel 8, de modo a fornecer uma visão geral do todo, todas as guerras que Davi travou vitoriosamente contra todos os seus inimigos ao redor no estabelecimento do povo israelita. regra, com uma breve declaração dos resultados, seguida por um catálogo dos principais funcionários públicos de David. Em 1Crônicas 19 e em 2Samuel 10 temos um relato mais detalhado da árdua guerra contra os amonitas e sírios, e em 1Crônicas 20:1-3 e 2Samuel 12:26-31 a conclusão da guerra com a captura de Rabá, o capital dos amonitas; e, finalmente, em 1Cronicas 20:4-8, temos alguns breves relatos das vitórias dos heróis israelitas sobre gigantes da terra dos filisteus, que estão inseridos em 2Samuel 21:18-22 como complemento da última seção da história de Davi. Além desta última seção, que deve ser considerada até mesmo na Crônica como um apêndice, encontramos o arranjo e a sucessão dos eventos como sendo os mesmos em ambos os livros, pois as seções que em 2Samuel 9:1-13 e 2Samuel 11 :1-12, 2Samuel 11:25, situam-se entre as histórias das guerras, contêm esboços da vida familiar de Davi, que o autor da Crônica, de acordo com seu plano, omitiu. Mesmo quanto aos detalhes individuais, as duas narrativas estão perfeitamente de acordo, sendo as divergências insignificantes; e mesmo estes, na medida em que são originais, e não são resultados de cópia descuidada, – como, por exemplo, a omissão da palavra נציבים, 1Crônicas 18:6, em comparação com 1Crônicas 18:13 e 2Samuel 8:6 , e a diferença nos números e nomes em 1Crônicas 18:4, 1Crônicas 18:8, em comparação com 2Samuel 4:4, 2Samuel 4:8, são – em parte meras explicações de expressões obscuras, em parte pequenas adições ou abreviações. Para o comentário, portanto, podemos nos referir às observações sobre 2º Samuel, onde também são tratadas as divergências da Crônica em relação ao registro em Samuel. Com 1 Crônicas 18:1-13 compare com 2Samuel 8:1-14; e com o registro de funcionários públicos, 2Samuel 18:14-17, compare com 2Samuel 8:15-18.

Exemplos de explicação parafrásica encontram-se em 1Crônicas 18:1, onde a expressão figurativa Davi tirou a rédea da mãe das mãos dos filisteus, ou seja, privou-os da hegemonia, é explicada pela frase, Davi tomou Gate e suas cidades das mãos dos filisteus, isto é, tomou dos filisteus a capital com suas cidades filhas; e em 1 Crônicas 18:17, כּהנים é traduzido por, o primeiro nas mãos do rei. Entre os resumos, a omissão do tratamento severo de Davi aos moabitas que foram feitos prisioneiros é surpreendente, sem razão para ser descoberto; pois a afirmação de que o cronista o omitiu propositalmente para livrar Davi da acusação de tal conduta bárbara, é descartada pelo fato de ele não passar em silêncio o tratamento semelhante dos habitantes conquistados de Rabá em 1 Crônicas 20: 3. Em vez disso, o cronista tem várias notas históricas peculiares a si mesmo, que faltam no texto de Samuel, e que provam que o autor da Crônica não derivou seu relato do segundo livro de Samuel. Tal, por exemplo, é a afirmação em 1Crônicas 18:8, que Salomão fez com que o mar de bronze e as colunas e vasos do pátio do templo fossem feitos do bronze tomado como despojo na guerra contra Hadadezer; em 1Crônicas 18:11, a palavra מאדום, que está faltando em Samuel, como מארם, que em 1Crônicas 18:11 desse livro é usada no lugar dela, provavelmente também estava originalmente na Crônica. Tais também são as declarações mais precisas em 1Crônicas 18:12 quanto à vitória sobre os edomitas no Vale do Sal (ver com. 2Samuel 8:13). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

7 Tomou também Davi os escudos de ouro que levavam os servos de Hadadezer, e trouxe-os a Jerusalém.

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-19) Os eventos registrados nesses três capítulos são todos narrados no segundo livro de Samuel também, e na mesma ordem. Primeiro, são agrupadas em nosso capítulo 18 e em 2Samuel 8, de modo a fornecer uma visão geral do todo, todas as guerras que Davi travou vitoriosamente contra todos os seus inimigos ao redor no estabelecimento do povo israelita. regra, com uma breve declaração dos resultados, seguida por um catálogo dos principais funcionários públicos de David. Em 1Crônicas 19 e em 2Samuel 10 temos um relato mais detalhado da árdua guerra contra os amonitas e sírios, e em 1Crônicas 20:1-3 e 2Samuel 12:26-31 a conclusão da guerra com a captura de Rabá, o capital dos amonitas; e, finalmente, em 1Cronicas 20:4-8, temos alguns breves relatos das vitórias dos heróis israelitas sobre gigantes da terra dos filisteus, que estão inseridos em 2Samuel 21:18-22 como complemento da última seção da história de Davi. Além desta última seção, que deve ser considerada até mesmo na Crônica como um apêndice, encontramos o arranjo e a sucessão dos eventos como sendo os mesmos em ambos os livros, pois as seções que em 2Samuel 9:1-13 e 2Samuel 11 :1-12, 2Samuel 11:25, situam-se entre as histórias das guerras, contêm esboços da vida familiar de Davi, que o autor da Crônica, de acordo com seu plano, omitiu. Mesmo quanto aos detalhes individuais, as duas narrativas estão perfeitamente de acordo, sendo as divergências insignificantes; e mesmo estes, na medida em que são originais, e não são resultados de cópia descuidada, – como, por exemplo, a omissão da palavra נציבים, 1Crônicas 18:6, em comparação com 1Crônicas 18:13 e 2Samuel 8:6 , e a diferença nos números e nomes em 1Crônicas 18:4, 1Crônicas 18:8, em comparação com 2Samuel 4:4, 2Samuel 4:8, são – em parte meras explicações de expressões obscuras, em parte pequenas adições ou abreviações. Para o comentário, portanto, podemos nos referir às observações sobre 2º Samuel, onde também são tratadas as divergências da Crônica em relação ao registro em Samuel. Com 1 Crônicas 18:1-13 compare com 2Samuel 8:1-14; e com o registro de funcionários públicos, 2Samuel 18:14-17, compare com 2Samuel 8:15-18.

Exemplos de explicação parafrásica encontram-se em 1Crônicas 18:1, onde a expressão figurativa Davi tirou a rédea da mãe das mãos dos filisteus, ou seja, privou-os da hegemonia, é explicada pela frase, Davi tomou Gate e suas cidades das mãos dos filisteus, isto é, tomou dos filisteus a capital com suas cidades filhas; e em 1 Crônicas 18:17, כּהנים é traduzido por, o primeiro nas mãos do rei. Entre os resumos, a omissão do tratamento severo de Davi aos moabitas que foram feitos prisioneiros é surpreendente, sem razão para ser descoberto; pois a afirmação de que o cronista o omitiu propositalmente para livrar Davi da acusação de tal conduta bárbara, é descartada pelo fato de ele não passar em silêncio o tratamento semelhante dos habitantes conquistados de Rabá em 1 Crônicas 20: 3. Em vez disso, o cronista tem várias notas históricas peculiares a si mesmo, que faltam no texto de Samuel, e que provam que o autor da Crônica não derivou seu relato do segundo livro de Samuel. Tal, por exemplo, é a afirmação em 1Crônicas 18:8, que Salomão fez com que o mar de bronze e as colunas e vasos do pátio do templo fossem feitos do bronze tomado como despojo na guerra contra Hadadezer; em 1Crônicas 18:11, a palavra מאדום, que está faltando em Samuel, como מארם, que em 1Crônicas 18:11 desse livro é usada no lugar dela, provavelmente também estava originalmente na Crônica. Tais também são as declarações mais precisas em 1Crônicas 18:12 quanto à vitória sobre os edomitas no Vale do Sal (ver com. 2Samuel 8:13). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

8 Assim de Tibate e de Cum, cidades de Hadadezer, Davi tomou muito bronze, de que Salomão fez o mar de bronze, as colunas, e vasos de bronze.

Comentário de Robert Jamieson

de Tibate e de Cum – Esses lugares são chamados Betah e Berothai (2Samuel 8:8). Talvez aquele possa ser o judeu, o outro o sírio, nome dessas cidades. Nem sua situação nem a conexão entre eles é conhecida. A versão árabe faz com que eles sejam Emesa (agora Hems) e Baal-bek, ambos concordam muito bem com a posição relativa de Zobah. [Jamieson, aguardando revisão]

9 E ouvindo Toú, rei de Hamate, que Davi havia defeito todo o exército de Hadadezer, rei de Zobá,

Comentário de Robert Jamieson

Toú – ou Toi – cujos domínios fazem fronteira com os de Hadadezer. (Veja em 2Samuel 8:9-12; veja em 1Reis 11:15). [Jamieson, aguardando revisão]

10 Enviou seu filho Hdorão ao rei Davi para saudar-lhe e para bendizer-lhe por haver guerreado com Hadadezer, e haver lhe vencido; porque Toú tinha guerra com Hadadezer. Enviou-lhe também toda sorte de artigos de ouro, de prata e de metal;

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-19) Os eventos registrados nesses três capítulos são todos narrados no segundo livro de Samuel também, e na mesma ordem. Primeiro, são agrupadas em nosso capítulo 18 e em 2Samuel 8, de modo a fornecer uma visão geral do todo, todas as guerras que Davi travou vitoriosamente contra todos os seus inimigos ao redor no estabelecimento do povo israelita. regra, com uma breve declaração dos resultados, seguida por um catálogo dos principais funcionários públicos de David. Em 1Crônicas 19 e em 2Samuel 10 temos um relato mais detalhado da árdua guerra contra os amonitas e sírios, e em 1Crônicas 20:1-3 e 2Samuel 12:26-31 a conclusão da guerra com a captura de Rabá, o capital dos amonitas; e, finalmente, em 1Cronicas 20:4-8, temos alguns breves relatos das vitórias dos heróis israelitas sobre gigantes da terra dos filisteus, que estão inseridos em 2Samuel 21:18-22 como complemento da última seção da história de Davi. Além desta última seção, que deve ser considerada até mesmo na Crônica como um apêndice, encontramos o arranjo e a sucessão dos eventos como sendo os mesmos em ambos os livros, pois as seções que em 2Samuel 9:1-13 e 2Samuel 11 :1-12, 2Samuel 11:25, situam-se entre as histórias das guerras, contêm esboços da vida familiar de Davi, que o autor da Crônica, de acordo com seu plano, omitiu. Mesmo quanto aos detalhes individuais, as duas narrativas estão perfeitamente de acordo, sendo as divergências insignificantes; e mesmo estes, na medida em que são originais, e não são resultados de cópia descuidada, – como, por exemplo, a omissão da palavra נציבים, 1Crônicas 18:6, em comparação com 1Crônicas 18:13 e 2Samuel 8:6 , e a diferença nos números e nomes em 1Crônicas 18:4, 1Crônicas 18:8, em comparação com 2Samuel 4:4, 2Samuel 4:8, são – em parte meras explicações de expressões obscuras, em parte pequenas adições ou abreviações. Para o comentário, portanto, podemos nos referir às observações sobre 2º Samuel, onde também são tratadas as divergências da Crônica em relação ao registro em Samuel. Com 1 Crônicas 18:1-13 compare com 2Samuel 8:1-14; e com o registro de funcionários públicos, 2Samuel 18:14-17, compare com 2Samuel 8:15-18.

Exemplos de explicação parafrásica encontram-se em 1Crônicas 18:1, onde a expressão figurativa Davi tirou a rédea da mãe das mãos dos filisteus, ou seja, privou-os da hegemonia, é explicada pela frase, Davi tomou Gate e suas cidades das mãos dos filisteus, isto é, tomou dos filisteus a capital com suas cidades filhas; e em 1 Crônicas 18:17, כּהנים é traduzido por, o primeiro nas mãos do rei. Entre os resumos, a omissão do tratamento severo de Davi aos moabitas que foram feitos prisioneiros é surpreendente, sem razão para ser descoberto; pois a afirmação de que o cronista o omitiu propositalmente para livrar Davi da acusação de tal conduta bárbara, é descartada pelo fato de ele não passar em silêncio o tratamento semelhante dos habitantes conquistados de Rabá em 1 Crônicas 20: 3. Em vez disso, o cronista tem várias notas históricas peculiares a si mesmo, que faltam no texto de Samuel, e que provam que o autor da Crônica não derivou seu relato do segundo livro de Samuel. Tal, por exemplo, é a afirmação em 1Crônicas 18:8, que Salomão fez com que o mar de bronze e as colunas e vasos do pátio do templo fossem feitos do bronze tomado como despojo na guerra contra Hadadezer; em 1Crônicas 18:11, a palavra מאדום, que está faltando em Samuel, como מארם, que em 1Crônicas 18:11 desse livro é usada no lugar dela, provavelmente também estava originalmente na Crônica. Tais também são as declarações mais precisas em 1Crônicas 18:12 quanto à vitória sobre os edomitas no Vale do Sal (ver com. 2Samuel 8:13). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

11 os quais o rei Davi dedicou a o SENHOR, com a prata e ouro que havia tomado de todas as nações, de Edom, de Moabe, dos filhos de Amom, dos filisteus, e de Amaleque.

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-19) Os eventos registrados nesses três capítulos são todos narrados no segundo livro de Samuel também, e na mesma ordem. Primeiro, são agrupadas em nosso capítulo 18 e em 2Samuel 8, de modo a fornecer uma visão geral do todo, todas as guerras que Davi travou vitoriosamente contra todos os seus inimigos ao redor no estabelecimento do povo israelita. regra, com uma breve declaração dos resultados, seguida por um catálogo dos principais funcionários públicos de David. Em 1Crônicas 19 e em 2Samuel 10 temos um relato mais detalhado da árdua guerra contra os amonitas e sírios, e em 1Crônicas 20:1-3 e 2Samuel 12:26-31 a conclusão da guerra com a captura de Rabá, o capital dos amonitas; e, finalmente, em 1Cronicas 20:4-8, temos alguns breves relatos das vitórias dos heróis israelitas sobre gigantes da terra dos filisteus, que estão inseridos em 2Samuel 21:18-22 como complemento da última seção da história de Davi. Além desta última seção, que deve ser considerada até mesmo na Crônica como um apêndice, encontramos o arranjo e a sucessão dos eventos como sendo os mesmos em ambos os livros, pois as seções que em 2Samuel 9:1-13 e 2Samuel 11 :1-12, 2Samuel 11:25, situam-se entre as histórias das guerras, contêm esboços da vida familiar de Davi, que o autor da Crônica, de acordo com seu plano, omitiu. Mesmo quanto aos detalhes individuais, as duas narrativas estão perfeitamente de acordo, sendo as divergências insignificantes; e mesmo estes, na medida em que são originais, e não são resultados de cópia descuidada, – como, por exemplo, a omissão da palavra נציבים, 1Crônicas 18:6, em comparação com 1Crônicas 18:13 e 2Samuel 8:6 , e a diferença nos números e nomes em 1Crônicas 18:4, 1Crônicas 18:8, em comparação com 2Samuel 4:4, 2Samuel 4:8, são – em parte meras explicações de expressões obscuras, em parte pequenas adições ou abreviações. Para o comentário, portanto, podemos nos referir às observações sobre 2º Samuel, onde também são tratadas as divergências da Crônica em relação ao registro em Samuel. Com 1 Crônicas 18:1-13 compare com 2Samuel 8:1-14; e com o registro de funcionários públicos, 2Samuel 18:14-17, compare com 2Samuel 8:15-18.

Exemplos de explicação parafrásica encontram-se em 1Crônicas 18:1, onde a expressão figurativa Davi tirou a rédea da mãe das mãos dos filisteus, ou seja, privou-os da hegemonia, é explicada pela frase, Davi tomou Gate e suas cidades das mãos dos filisteus, isto é, tomou dos filisteus a capital com suas cidades filhas; e em 1 Crônicas 18:17, כּהנים é traduzido por, o primeiro nas mãos do rei. Entre os resumos, a omissão do tratamento severo de Davi aos moabitas que foram feitos prisioneiros é surpreendente, sem razão para ser descoberto; pois a afirmação de que o cronista o omitiu propositalmente para livrar Davi da acusação de tal conduta bárbara, é descartada pelo fato de ele não passar em silêncio o tratamento semelhante dos habitantes conquistados de Rabá em 1 Crônicas 20: 3. Em vez disso, o cronista tem várias notas históricas peculiares a si mesmo, que faltam no texto de Samuel, e que provam que o autor da Crônica não derivou seu relato do segundo livro de Samuel. Tal, por exemplo, é a afirmação em 1Crônicas 18:8, que Salomão fez com que o mar de bronze e as colunas e vasos do pátio do templo fossem feitos do bronze tomado como despojo na guerra contra Hadadezer; em 1Crônicas 18:11, a palavra מאדום, que está faltando em Samuel, como מארם, que em 1Crônicas 18:11 desse livro é usada no lugar dela, provavelmente também estava originalmente na Crônica. Tais também são as declarações mais precisas em 1Crônicas 18:12 quanto à vitória sobre os edomitas no Vale do Sal (ver com. 2Samuel 8:13). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

12 Além disso Abisai, filho de Zeruia, feriu no vale do sal dezoito mil edomitas.

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-19) Os eventos registrados nesses três capítulos são todos narrados no segundo livro de Samuel também, e na mesma ordem. Primeiro, são agrupadas em nosso capítulo 18 e em 2Samuel 8, de modo a fornecer uma visão geral do todo, todas as guerras que Davi travou vitoriosamente contra todos os seus inimigos ao redor no estabelecimento do povo israelita. regra, com uma breve declaração dos resultados, seguida por um catálogo dos principais funcionários públicos de David. Em 1Crônicas 19 e em 2Samuel 10 temos um relato mais detalhado da árdua guerra contra os amonitas e sírios, e em 1Crônicas 20:1-3 e 2Samuel 12:26-31 a conclusão da guerra com a captura de Rabá, o capital dos amonitas; e, finalmente, em 1Cronicas 20:4-8, temos alguns breves relatos das vitórias dos heróis israelitas sobre gigantes da terra dos filisteus, que estão inseridos em 2Samuel 21:18-22 como complemento da última seção da história de Davi. Além desta última seção, que deve ser considerada até mesmo na Crônica como um apêndice, encontramos o arranjo e a sucessão dos eventos como sendo os mesmos em ambos os livros, pois as seções que em 2Samuel 9:1-13 e 2Samuel 11 :1-12, 2Samuel 11:25, situam-se entre as histórias das guerras, contêm esboços da vida familiar de Davi, que o autor da Crônica, de acordo com seu plano, omitiu. Mesmo quanto aos detalhes individuais, as duas narrativas estão perfeitamente de acordo, sendo as divergências insignificantes; e mesmo estes, na medida em que são originais, e não são resultados de cópia descuidada, – como, por exemplo, a omissão da palavra נציבים, 1Crônicas 18:6, em comparação com 1Crônicas 18:13 e 2Samuel 8:6 , e a diferença nos números e nomes em 1Crônicas 18:4, 1Crônicas 18:8, em comparação com 2Samuel 4:4, 2Samuel 4:8, são – em parte meras explicações de expressões obscuras, em parte pequenas adições ou abreviações. Para o comentário, portanto, podemos nos referir às observações sobre 2º Samuel, onde também são tratadas as divergências da Crônica em relação ao registro em Samuel. Com 1 Crônicas 18:1-13 compare com 2Samuel 8:1-14; e com o registro de funcionários públicos, 2Samuel 18:14-17, compare com 2Samuel 8:15-18.

Exemplos de explicação parafrásica encontram-se em 1Crônicas 18:1, onde a expressão figurativa Davi tirou a rédea da mãe das mãos dos filisteus, ou seja, privou-os da hegemonia, é explicada pela frase, Davi tomou Gate e suas cidades das mãos dos filisteus, isto é, tomou dos filisteus a capital com suas cidades filhas; e em 1 Crônicas 18:17, כּהנים é traduzido por, o primeiro nas mãos do rei. Entre os resumos, a omissão do tratamento severo de Davi aos moabitas que foram feitos prisioneiros é surpreendente, sem razão para ser descoberto; pois a afirmação de que o cronista o omitiu propositalmente para livrar Davi da acusação de tal conduta bárbara, é descartada pelo fato de ele não passar em silêncio o tratamento semelhante dos habitantes conquistados de Rabá em 1 Crônicas 20: 3. Em vez disso, o cronista tem várias notas históricas peculiares a si mesmo, que faltam no texto de Samuel, e que provam que o autor da Crônica não derivou seu relato do segundo livro de Samuel. Tal, por exemplo, é a afirmação em 1Crônicas 18:8, que Salomão fez com que o mar de bronze e as colunas e vasos do pátio do templo fossem feitos do bronze tomado como despojo na guerra contra Hadadezer; em 1Crônicas 18:11, a palavra מאדום, que está faltando em Samuel, como מארם, que em 1Crônicas 18:11 desse livro é usada no lugar dela, provavelmente também estava originalmente na Crônica. Tais também são as declarações mais precisas em 1Crônicas 18:12 quanto à vitória sobre os edomitas no Vale do Sal (ver com. 2Samuel 8:13). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

13 E pôs guarnições em Edom, e todos os edomitas foram servos de Davi; porque o SENHOR guardava a Davi por onde quer que fosse.

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-19) Os eventos registrados nesses três capítulos são todos narrados no segundo livro de Samuel também, e na mesma ordem. Primeiro, são agrupadas em nosso capítulo 18 e em 2Samuel 8, de modo a fornecer uma visão geral do todo, todas as guerras que Davi travou vitoriosamente contra todos os seus inimigos ao redor no estabelecimento do povo israelita. regra, com uma breve declaração dos resultados, seguida por um catálogo dos principais funcionários públicos de David. Em 1Crônicas 19 e em 2Samuel 10 temos um relato mais detalhado da árdua guerra contra os amonitas e sírios, e em 1Crônicas 20:1-3 e 2Samuel 12:26-31 a conclusão da guerra com a captura de Rabá, o capital dos amonitas; e, finalmente, em 1Cronicas 20:4-8, temos alguns breves relatos das vitórias dos heróis israelitas sobre gigantes da terra dos filisteus, que estão inseridos em 2Samuel 21:18-22 como complemento da última seção da história de Davi. Além desta última seção, que deve ser considerada até mesmo na Crônica como um apêndice, encontramos o arranjo e a sucessão dos eventos como sendo os mesmos em ambos os livros, pois as seções que em 2Samuel 9:1-13 e 2Samuel 11 :1-12, 2Samuel 11:25, situam-se entre as histórias das guerras, contêm esboços da vida familiar de Davi, que o autor da Crônica, de acordo com seu plano, omitiu. Mesmo quanto aos detalhes individuais, as duas narrativas estão perfeitamente de acordo, sendo as divergências insignificantes; e mesmo estes, na medida em que são originais, e não são resultados de cópia descuidada, – como, por exemplo, a omissão da palavra נציבים, 1Crônicas 18:6, em comparação com 1Crônicas 18:13 e 2Samuel 8:6 , e a diferença nos números e nomes em 1Crônicas 18:4, 1Crônicas 18:8, em comparação com 2Samuel 4:4, 2Samuel 4:8, são – em parte meras explicações de expressões obscuras, em parte pequenas adições ou abreviações. Para o comentário, portanto, podemos nos referir às observações sobre 2º Samuel, onde também são tratadas as divergências da Crônica em relação ao registro em Samuel. Com 1 Crônicas 18:1-13 compare com 2Samuel 8:1-14; e com o registro de funcionários públicos, 2Samuel 18:14-17, compare com 2Samuel 8:15-18.

Exemplos de explicação parafrásica encontram-se em 1Crônicas 18:1, onde a expressão figurativa Davi tirou a rédea da mãe das mãos dos filisteus, ou seja, privou-os da hegemonia, é explicada pela frase, Davi tomou Gate e suas cidades das mãos dos filisteus, isto é, tomou dos filisteus a capital com suas cidades filhas; e em 1 Crônicas 18:17, כּהנים é traduzido por, o primeiro nas mãos do rei. Entre os resumos, a omissão do tratamento severo de Davi aos moabitas que foram feitos prisioneiros é surpreendente, sem razão para ser descoberto; pois a afirmação de que o cronista o omitiu propositalmente para livrar Davi da acusação de tal conduta bárbara, é descartada pelo fato de ele não passar em silêncio o tratamento semelhante dos habitantes conquistados de Rabá em 1 Crônicas 20: 3. Em vez disso, o cronista tem várias notas históricas peculiares a si mesmo, que faltam no texto de Samuel, e que provam que o autor da Crônica não derivou seu relato do segundo livro de Samuel. Tal, por exemplo, é a afirmação em 1Crônicas 18:8, que Salomão fez com que o mar de bronze e as colunas e vasos do pátio do templo fossem feitos do bronze tomado como despojo na guerra contra Hadadezer; em 1Crônicas 18:11, a palavra מאדום, que está faltando em Samuel, como מארם, que em 1Crônicas 18:11 desse livro é usada no lugar dela, provavelmente também estava originalmente na Crônica. Tais também são as declarações mais precisas em 1Crônicas 18:12 quanto à vitória sobre os edomitas no Vale do Sal (ver com. 2Samuel 8:13). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

14 E reinou Davi sobre todo Israel, e fazia juízo e justiça a todo seu povo.

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-19) Os eventos registrados nesses três capítulos são todos narrados no segundo livro de Samuel também, e na mesma ordem. Primeiro, são agrupadas em nosso capítulo 18 e em 2Samuel 8, de modo a fornecer uma visão geral do todo, todas as guerras que Davi travou vitoriosamente contra todos os seus inimigos ao redor no estabelecimento do povo israelita. regra, com uma breve declaração dos resultados, seguida por um catálogo dos principais funcionários públicos de David. Em 1Crônicas 19 e em 2Samuel 10 temos um relato mais detalhado da árdua guerra contra os amonitas e sírios, e em 1Crônicas 20:1-3 e 2Samuel 12:26-31 a conclusão da guerra com a captura de Rabá, o capital dos amonitas; e, finalmente, em 1Cronicas 20:4-8, temos alguns breves relatos das vitórias dos heróis israelitas sobre gigantes da terra dos filisteus, que estão inseridos em 2Samuel 21:18-22 como complemento da última seção da história de Davi. Além desta última seção, que deve ser considerada até mesmo na Crônica como um apêndice, encontramos o arranjo e a sucessão dos eventos como sendo os mesmos em ambos os livros, pois as seções que em 2Samuel 9:1-13 e 2Samuel 11 :1-12, 2Samuel 11:25, situam-se entre as histórias das guerras, contêm esboços da vida familiar de Davi, que o autor da Crônica, de acordo com seu plano, omitiu. Mesmo quanto aos detalhes individuais, as duas narrativas estão perfeitamente de acordo, sendo as divergências insignificantes; e mesmo estes, na medida em que são originais, e não são resultados de cópia descuidada, – como, por exemplo, a omissão da palavra נציבים, 1Crônicas 18:6, em comparação com 1Crônicas 18:13 e 2Samuel 8:6 , e a diferença nos números e nomes em 1Crônicas 18:4, 1Crônicas 18:8, em comparação com 2Samuel 4:4, 2Samuel 4:8, são – em parte meras explicações de expressões obscuras, em parte pequenas adições ou abreviações. Para o comentário, portanto, podemos nos referir às observações sobre 2º Samuel, onde também são tratadas as divergências da Crônica em relação ao registro em Samuel. Com 1 Crônicas 18:1-13 compare com 2Samuel 8:1-14; e com o registro de funcionários públicos, 2Samuel 18:14-17, compare com 2Samuel 8:15-18.

Exemplos de explicação parafrásica encontram-se em 1Crônicas 18:1, onde a expressão figurativa Davi tirou a rédea da mãe das mãos dos filisteus, ou seja, privou-os da hegemonia, é explicada pela frase, Davi tomou Gate e suas cidades das mãos dos filisteus, isto é, tomou dos filisteus a capital com suas cidades filhas; e em 1 Crônicas 18:17, כּהנים é traduzido por, o primeiro nas mãos do rei. Entre os resumos, a omissão do tratamento severo de Davi aos moabitas que foram feitos prisioneiros é surpreendente, sem razão para ser descoberto; pois a afirmação de que o cronista o omitiu propositalmente para livrar Davi da acusação de tal conduta bárbara, é descartada pelo fato de ele não passar em silêncio o tratamento semelhante dos habitantes conquistados de Rabá em 1 Crônicas 20: 3. Em vez disso, o cronista tem várias notas históricas peculiares a si mesmo, que faltam no texto de Samuel, e que provam que o autor da Crônica não derivou seu relato do segundo livro de Samuel. Tal, por exemplo, é a afirmação em 1Crônicas 18:8, que Salomão fez com que o mar de bronze e as colunas e vasos do pátio do templo fossem feitos do bronze tomado como despojo na guerra contra Hadadezer; em 1Crônicas 18:11, a palavra מאדום, que está faltando em Samuel, como מארם, que em 1Crônicas 18:11 desse livro é usada no lugar dela, provavelmente também estava originalmente na Crônica. Tais também são as declarações mais precisas em 1Crônicas 18:12 quanto à vitória sobre os edomitas no Vale do Sal (ver com. 2Samuel 8:13). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

15 E Joabe, filho de Zeruia, era general do exército; e Josafá filho de Ailude, cronista;

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-19) Os eventos registrados nesses três capítulos são todos narrados no segundo livro de Samuel também, e na mesma ordem. Primeiro, são agrupadas em nosso capítulo 18 e em 2Samuel 8, de modo a fornecer uma visão geral do todo, todas as guerras que Davi travou vitoriosamente contra todos os seus inimigos ao redor no estabelecimento do povo israelita. regra, com uma breve declaração dos resultados, seguida por um catálogo dos principais funcionários públicos de David. Em 1Crônicas 19 e em 2Samuel 10 temos um relato mais detalhado da árdua guerra contra os amonitas e sírios, e em 1Crônicas 20:1-3 e 2Samuel 12:26-31 a conclusão da guerra com a captura de Rabá, o capital dos amonitas; e, finalmente, em 1Cronicas 20:4-8, temos alguns breves relatos das vitórias dos heróis israelitas sobre gigantes da terra dos filisteus, que estão inseridos em 2Samuel 21:18-22 como complemento da última seção da história de Davi. Além desta última seção, que deve ser considerada até mesmo na Crônica como um apêndice, encontramos o arranjo e a sucessão dos eventos como sendo os mesmos em ambos os livros, pois as seções que em 2Samuel 9:1-13 e 2Samuel 11 :1-12, 2Samuel 11:25, situam-se entre as histórias das guerras, contêm esboços da vida familiar de Davi, que o autor da Crônica, de acordo com seu plano, omitiu. Mesmo quanto aos detalhes individuais, as duas narrativas estão perfeitamente de acordo, sendo as divergências insignificantes; e mesmo estes, na medida em que são originais, e não são resultados de cópia descuidada, – como, por exemplo, a omissão da palavra נציבים, 1Crônicas 18:6, em comparação com 1Crônicas 18:13 e 2Samuel 8:6 , e a diferença nos números e nomes em 1Crônicas 18:4, 1Crônicas 18:8, em comparação com 2Samuel 4:4, 2Samuel 4:8, são – em parte meras explicações de expressões obscuras, em parte pequenas adições ou abreviações. Para o comentário, portanto, podemos nos referir às observações sobre 2º Samuel, onde também são tratadas as divergências da Crônica em relação ao registro em Samuel. Com 1 Crônicas 18:1-13 compare com 2Samuel 8:1-14; e com o registro de funcionários públicos, 2Samuel 18:14-17, compare com 2Samuel 8:15-18.

Exemplos de explicação parafrásica encontram-se em 1Crônicas 18:1, onde a expressão figurativa Davi tirou a rédea da mãe das mãos dos filisteus, ou seja, privou-os da hegemonia, é explicada pela frase, Davi tomou Gate e suas cidades das mãos dos filisteus, isto é, tomou dos filisteus a capital com suas cidades filhas; e em 1 Crônicas 18:17, כּהנים é traduzido por, o primeiro nas mãos do rei. Entre os resumos, a omissão do tratamento severo de Davi aos moabitas que foram feitos prisioneiros é surpreendente, sem razão para ser descoberto; pois a afirmação de que o cronista o omitiu propositalmente para livrar Davi da acusação de tal conduta bárbara, é descartada pelo fato de ele não passar em silêncio o tratamento semelhante dos habitantes conquistados de Rabá em 1 Crônicas 20: 3. Em vez disso, o cronista tem várias notas históricas peculiares a si mesmo, que faltam no texto de Samuel, e que provam que o autor da Crônica não derivou seu relato do segundo livro de Samuel. Tal, por exemplo, é a afirmação em 1Crônicas 18:8, que Salomão fez com que o mar de bronze e as colunas e vasos do pátio do templo fossem feitos do bronze tomado como despojo na guerra contra Hadadezer; em 1Crônicas 18:11, a palavra מאדום, que está faltando em Samuel, como מארם, que em 1Crônicas 18:11 desse livro é usada no lugar dela, provavelmente também estava originalmente na Crônica. Tais também são as declarações mais precisas em 1Crônicas 18:12 quanto à vitória sobre os edomitas no Vale do Sal (ver com. 2Samuel 8:13). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

16 E Zadoque, filho de Aitube, e Abimeleque filho de Abiatar, eram sacerdotes; e Sausa, secretário;

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-19) Os eventos registrados nesses três capítulos são todos narrados no segundo livro de Samuel também, e na mesma ordem. Primeiro, são agrupadas em nosso capítulo 18 e em 2Samuel 8, de modo a fornecer uma visão geral do todo, todas as guerras que Davi travou vitoriosamente contra todos os seus inimigos ao redor no estabelecimento do povo israelita. regra, com uma breve declaração dos resultados, seguida por um catálogo dos principais funcionários públicos de David. Em 1Crônicas 19 e em 2Samuel 10 temos um relato mais detalhado da árdua guerra contra os amonitas e sírios, e em 1Crônicas 20:1-3 e 2Samuel 12:26-31 a conclusão da guerra com a captura de Rabá, o capital dos amonitas; e, finalmente, em 1Cronicas 20:4-8, temos alguns breves relatos das vitórias dos heróis israelitas sobre gigantes da terra dos filisteus, que estão inseridos em 2Samuel 21:18-22 como complemento da última seção da história de Davi. Além desta última seção, que deve ser considerada até mesmo na Crônica como um apêndice, encontramos o arranjo e a sucessão dos eventos como sendo os mesmos em ambos os livros, pois as seções que em 2Samuel 9:1-13 e 2Samuel 11 :1-12, 2Samuel 11:25, situam-se entre as histórias das guerras, contêm esboços da vida familiar de Davi, que o autor da Crônica, de acordo com seu plano, omitiu. Mesmo quanto aos detalhes individuais, as duas narrativas estão perfeitamente de acordo, sendo as divergências insignificantes; e mesmo estes, na medida em que são originais, e não são resultados de cópia descuidada, – como, por exemplo, a omissão da palavra נציבים, 1Crônicas 18:6, em comparação com 1Crônicas 18:13 e 2Samuel 8:6 , e a diferença nos números e nomes em 1Crônicas 18:4, 1Crônicas 18:8, em comparação com 2Samuel 4:4, 2Samuel 4:8, são – em parte meras explicações de expressões obscuras, em parte pequenas adições ou abreviações. Para o comentário, portanto, podemos nos referir às observações sobre 2º Samuel, onde também são tratadas as divergências da Crônica em relação ao registro em Samuel. Com 1 Crônicas 18:1-13 compare com 2Samuel 8:1-14; e com o registro de funcionários públicos, 2Samuel 18:14-17, compare com 2Samuel 8:15-18.

Exemplos de explicação parafrásica encontram-se em 1Crônicas 18:1, onde a expressão figurativa Davi tirou a rédea da mãe das mãos dos filisteus, ou seja, privou-os da hegemonia, é explicada pela frase, Davi tomou Gate e suas cidades das mãos dos filisteus, isto é, tomou dos filisteus a capital com suas cidades filhas; e em 1 Crônicas 18:17, כּהנים é traduzido por, o primeiro nas mãos do rei. Entre os resumos, a omissão do tratamento severo de Davi aos moabitas que foram feitos prisioneiros é surpreendente, sem razão para ser descoberto; pois a afirmação de que o cronista o omitiu propositalmente para livrar Davi da acusação de tal conduta bárbara, é descartada pelo fato de ele não passar em silêncio o tratamento semelhante dos habitantes conquistados de Rabá em 1 Crônicas 20: 3. Em vez disso, o cronista tem várias notas históricas peculiares a si mesmo, que faltam no texto de Samuel, e que provam que o autor da Crônica não derivou seu relato do segundo livro de Samuel. Tal, por exemplo, é a afirmação em 1Crônicas 18:8, que Salomão fez com que o mar de bronze e as colunas e vasos do pátio do templo fossem feitos do bronze tomado como despojo na guerra contra Hadadezer; em 1Crônicas 18:11, a palavra מאדום, que está faltando em Samuel, como מארם, que em 1Crônicas 18:11 desse livro é usada no lugar dela, provavelmente também estava originalmente na Crônica. Tais também são as declarações mais precisas em 1Crônicas 18:12 quanto à vitória sobre os edomitas no Vale do Sal (ver com. 2Samuel 8:13). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

17 E Benaia, filho de Joiada, era sobre os quereteus e peleteus; e os filhos de Davi eram os principais próximos do rei.

Comentário de Robert Jamieson

os quereteus e peleteus – que formaram a guarda real. Os queretitas eram, muito provavelmente, aqueles homens valentes que durante todo o tempo acompanharam Davi enquanto estavam entre os filisteus, e daquele povo derivavam seu nome (1Samuel 30:14; Ezequiel 25:16; Sofonias 2:5) bem como sua habilidade em arco e flecha – enquanto os peletitas eram aqueles que se juntaram a ele em Ziclague, tomaram o nome de Pelet, o homem-chefe na companhia (1Crônicas 12:3), e, sendo benjamitas, eram peritos no uso da funda. [Jamieson, aguardando revisão]

<1 Crônicas 17 1 Crônicas 19>

Visão geral de 1 e 2Crônicas

Em 1 e 2Crônicas, “a história completa do Antigo Testamento é recontada, destacando a esperança futura do rei messiânico e do templo restaurado”. Tenha uma visão geral destes livros através de um breve vídeo produzido pelo BibleProject. (7 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução aos livros da Crônicas.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.