Bíblia, Revisar

Neemias 13

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 Naquele dia se leu no livro de Moisés perante os ouvidos do povo, e foi achado nele escrito que os amonitas e os moabitas eternamente não podiam entrar na congregação de Deus;

Naquele dia – Não foi dado o devido acréscimo da muralha da cidade e dos portões, mas sim do retorno de Neemias da Corte para a recuperação de Jerusalém, a sua ausência foi prolongada por um período considerável. A transação aqui descrita provavelmente ocorreu em uma das ocasiões periódicas para as leituras públicas da lei, quando a atenção das pessoas estava particularmente direcionada a algumas violações dela, o que exigia correção imediata. Há outro exemplo que, além dos que já foram percebidos, oferece as grandes vantagens resultantes da leitura pública e periódica da lei divina. Era uma provisão estabelecida para a instrução religiosa do povo, para difundir um conhecimento e uma reverência pelo volume sagrado, bem como para remover aqueles erros e corrupções que poderiam, com o passar do tempo, se infiltrar.

os amonitas e os moabitas eternamente não podiam entrar na congregação de Deus – isto é, não devem ser incorporados ao reino israelita, nem unidos nas relações matrimoniais com esse povo (Dt 23:3-4). Esse apelo à autoridade da lei divina levou à dissolução de todas as alianças pagãs (Ne 9:2; Ed 10:3).

2 Porque não saíram ao encontro dos filhos de Israel com pão e água; em vez disso, contrataram a Balaão contra eles, para os amaldiçoar; ainda que nosso Deus tornou a maldição em bênção.
3 Sucedeu, pois, que, quando eles ouviram esta lei, separaram de Israel toda mistura.
4 E antes disto, Eliasibe, o sacerdote, sendo superintendente da câmara da casa de nosso Deus, tinha se aparentado com Tobias,

antes disto – A prática desses casamentos mistos, em abandono aberto ou violação da lei, tornou-se tão comum que até a casa pontifícia, que deveria ter dado um exemplo melhor, foi poluída por uma mistura tão impura.

Eliasibe, o sacerdotetinha se aparentado com Tobias – Essa pessoa era o sumo sacerdote (Ne 13:28; também Ne 3:1), que, em virtude de seu digno ofício, tinha a superintendência e o controle dos aposentos ligados ao templo. A frouxidão de seus princípios, assim como de sua prática, é suficientemente aparente de sua contratação de uma conexão familiar com o tão notório inimigo de Israel como Tobias. Mas suas atenções obsequiosas o haviam levado muito além; pois para acomodar uma pessoa tão importante quanto Tobias em suas visitas ocasionais a Jerusalém, Eliasibe lhe proporcionara um esplêndido apartamento no templo. A introdução de uma impropriedade tão grosseira não pode ser explicada senão pela suposição de que, na ausência dos sacerdotes e da cessação dos serviços, o templo era considerado como um edifício público comum, que poderia, nessas circunstâncias, ser apropriado como uma residência palaciana.

5 E tinha lhe preparado uma câmara grande, na qual antes se guardavam as ofertas de alimentos, o incenso, os vasos, os dízimos de grão, de vinho e de azeite, que estava ordenado dar aos levitas, aos cantores, e aos porteiros; como também a oferta alçada para os sacerdotes.
6 Porém enquanto tudo isto acontecia ,eu não estava em Jerusalém; porque no ano trinta e dois de Artaxerxes rei da Babilônia, eu vim ao rei; mas ao fim de alguns dias obtive permissão para me ausentar do rei.

eu não estava em Jerusalém – Eliasibe (concluindo que, quando Neemias havia partido de Jerusalém e, ao expirar seu período de ausência designado, havia renunciado ao seu governo, ele não tinha voltado) começou a usar grande liberdades, e, não havendo ninguém sob cuja autoridade ou carranca ele temia, permitiu-se fazer as coisas mais indignas de seu ofício sagrado, e que, embora em uníssono com seu próprio caráter irreligioso, ele não ousaria tentar durante a residência de o piedoso governador. Neemias residiu doze anos como governador de Jerusalém, e tendo conseguido reparar e refortificar a cidade, ele no final desse período retornou aos seus deveres em Shushan. Quanto tempo [Neemias] permaneceu lá não é expressamente dito, mas “depois de certos dias”, que é uma fraseologia da Escritura por um ano ou vários anos, ele obteve permissão para retomar o governo de Jerusalém; para sua profunda mortificação e arrependimento, ele encontrou questões no estado negligenciado e desordenado aqui descrito. Tais irregularidades grosseiras como foram praticadas, tais corrupções extraordinárias como se insinuaram, evidentemente implicam o lapso de um tempo considerável. Além disso, eles exibem o caráter de Eliashib, o sumo sacerdote, sob uma luz muito desfavorável; porque, enquanto ele, por seu ofício, tivesse preservado a santidade inviolável do templo e de seus móveis, sua influência fora exercida diretamente para o mal; especialmente ele havia dado permissão e semblante a um ultraje indecente – a apropriação dos melhores apartamentos do edifício sagrado a um governador pagão, um dos piores e mais determinados inimigos do povo e a adoração a Deus. A primeira reforma em que Neemias, em sua segunda visita, resolveu foi a interrupção dessa profana profanação [de Eliashib]. A câmara que havia sido poluída pela residência da idólatra amonita foi, depois de passar pelo processo de purificação ritual (Nm 15:9), restaurada ao seu uso adequado – um depósito para os vasos sagrados.

7 E vim a Jerusalém, e entendi o mal que Eliasibe tinha feito por Tobias, preparando-lhe uma câmara nos pátios da casa de Deus.
8 E isso me desagradou muito; por isso lancei todas as coisas da casa de Tobias para fora da câmara;
9 E mandei purificar as câmaras, e trouxe de volta os utensílios da casa de Deus, com as ofertas de alimento, e o incenso.
10 Também entendi que as porções dos Levitas não estavam sendo dadas a eles ; e que os levitas e cantores que faziam o serviço haviam fugido cada um para seu campo.

Também entendi que as porções dos Levitas não estavam sendo dadas a eles – O povo, revoltado com as transgressões de Eliasibe, ou com o desempenho negligente e irregular dos ritos sagrados, retinha os dízimos, de modo que os ministros da religião eram obrigados por seus direitos. meios de subsistência para retirar suas posses patrimoniais no país. Os serviços do templo haviam cessado; todos os deveres religiosos haviam caído em negligência. O dinheiro colocado no tesouro sagrado tinha sido desperdiçado no entretenimento de um pagão amonita, um inimigo aberto e desdenhoso de Deus e do Seu povo. O retorno do governador pôs fim a esses procedimentos vergonhosos e profanos. Ele administrou uma severa repreensão àqueles sacerdotes a quem a administração do templo e seus serviços foi confiada, pela negligência total de seus deveres, e a violação das promessas solenes que eles haviam feito a ele em sua partida. Ele censurou-os com a séria responsabilidade de não só terem retido dos homens suas dívidas, mas de terem roubado a Deus, negligenciando o cuidado de Sua casa e serviço. E assim, tendo-os despertado para um senso de dever e incitado-os a testemunhar sua tristeza divina por sua negligência criminosa por devoção renovada à sua obra sagrada, Neemias restaurou os serviços do templo. Ele lembrou os levitas dispersos ao cumprimento regular de seus deveres; enquanto as pessoas em geral, percebendo que suas contribuições não seriam mais pervertidas para usos impróprios, de bom grado trouxeram seus dízimos como antigamente. Homens de integridade e boa reputação foram designados para atuar como fiduciários dos tesouros sagrados, e assim a ordem, a regularidade e o serviço ativo foram restabelecidos no templo.

11 Então repreendi aos oficiais, e disse: Por que a casa de Deus está abandonada? Porém eu os juntei, e os restaurei em seu posto.
12 Então todo Judá trouxe o dízimo do grão, do suco de uva e do azeite, aos depósitos.
13 E pus por tesoureiros sobre os depósitos ao sacerdote Selemias e ao escriba Zadoque, e dos Levitas, a Pedaías; e próximo a eles Hanã filho de Zacur, filho de Matanias; pois eram considerados fiéis, e assim foram encarregados de distribuírem a seus irmãos.
14 Por isto, meu Deus, lembra-te de mim, ó Deus, e não risques minhas bondades que eu fiz na casa de meu Deus, e em seus serviços.
15 Naqueles dias vi em Judá alguns que pisavam nas presnas de uvas no sábado, e que traziam feixes, e carregavam asnos, como também vinho, uvas, figos, e todo tipo de carga, que traziam a Jerusalém no dia de sábado; e os adverti quanto ao dia em que vendiam alimentos.

Naqueles dias vi em Judá alguns que pisavam nas prensas de uvas no sábado – A cessação dos serviços do templo tinha sido necessariamente seguida por uma profanação pública do sábado, e isto foi tão longe que o trabalho foi realizado nos campos, e peixe trazido para os mercados no dia sagrado. Neemias deu o passo decisivo de ordenar que os portões da cidade fossem fechados e não fossem abertos até que o sábado fosse passado; e a fim de assegurar a execução fiel desta ordem, ele colocou alguns de seus próprios servidores como guardas, para impedir a introdução de quaisquer mercadorias naquele dia. Sobre os mercadores e vários negociantes que encontravam a admissão que lhes era negada, eles montaram barracas do lado de fora dos muros, na esperança de ainda dirigirem um tráfego com o campesinato; mas o governador ameaçou, se continuassem, adotar medidas violentas para sua remoção. Para este propósito, um corpo de levitas foi colocado como sentinelas no portão, com poderes discricionários para proteger a santificação do sábado.

16 Também tírios estavam nela que traziam peixe e toda mercadoria, e vendiam no sábado aos filhos de Judá, e em Jerusalém.
17 Assim repreendi aos nobres de Judá, e disse-lhes: Que mal é este que fazeis, profanando o dia de sábado?
18 Por acaso não fizeram assim vossos pais, e nosso Deus trouxe todo este mal sobre nós e sobre esta cidade? Porém vós acrescentais ainda mais ira sobre Israel profanando o sábado.
19 Sucedeu pois, que quando ia escurecendo às portas de Jerusalém antes do sábado, disse que eu mandei que se fechassem as portas, e mandei que não as abrissem até depois do sábado; e pus às portas alguns de meus servos, para que carga nenhuma entrasse no dia de sábado.
20 Assim os comerciantes e vendedores de toda mercadoria passaram a noite fora de Jerusalém uma ou duas vezes.
21 Por isso eu lhes adverti, dizendo: Por que vos passais a noite diante do muro? Se o fizerdes outra vez, agirei com violência contra vós. Desde então não vieram no sábado.
22 Também disse aos levitas que se purificassem, e viessem a guardar as portas, para santificar o dia de sábado. Nisto também, meu Deus, lembra-te de mim, e perdoa-me segundo a grandeza de tua bondade.
23 Vi também naqueles dias judeus que tinham se casado com mulheres de asdoditas, amonitas, e moabitas,
24 E seus filhos a metade falavam asdodita, e não sabiam falar judaico, mas sim a língua de outros povos.

não sabiam falar judaico, mas sim a língua de outros povos – um dialeto heterogêneo absorvido de suas mães, juntamente com princípios e hábitos estrangeiros.

25 Por isso eu os repreendi, e os amaldiçoei, e espanquei alguns deles, e arranquei-lhes os cabelos, e os fiz jurar por Deus, dizendo: Não dareis vossas filhas a seus filhos, e não tomareis de suas filhas, nem para vossos filhos, nem para vós.

os amaldiçoei – isto é, pronunciou sobre eles um anátema que implicou a excomunhão.

espanquei alguns deles, e arranquei-lhes os cabelos – Cortar o cabelo dos ofensores parece ser um castigo bastante vergonhoso do que severo; ainda assim, supõe-se que a dor foi adicionada à desgraça e que arrancaram o cabelo com violência, como se estivessem arrancando um pássaro vivo.

26 Por acaso não pecou nisto Salomão, rei de Israel? Ainda que entre muitas nações não houve rei semelhante a ele, que era amado pelo seu Deus, e Deus o tinha posto por rei sobre todo Israel, contudo as mulheres estrangeiras o fizeram pecar.
27 E aceitaríamos ouvir de vós, para fazerdes todo este mal tão grande de transgredir contra nosso Deus, casando-se com mulheres estrangeiras?
28 E um dos filhos de Joiada, filho de Eliasibe o sumo sacerdote era genro de Sambalate o horonita; por isso eu o afugentei de mim.
29 Lembra-te deles, meu Deus, pois contaminam o sacerdócio, como também o pacto do sacerdócio e dos levitas.
30 Assim eu os limpei de todo estrangeiro, e ordenei as responsabilidades dos sacerdotes e dos levitas, cada um em sua obra;
31 Como também para as ofertas de lenha em tempos determinados, e para as primícias. Lembra-te de mim, meu Deus, para o bem.
<Neemias 12 Ester 1>

Leia também uma introdução ao livro de Neemias.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados