Bíblia, Revisar

Deuteronômio 12

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!

O único local de adoração

1 Estes são os estatutos e regulamentos que cuidareis de pôr por obra, na terra que o SENHOR o Deus de teus pais te deu para que a possuas, todos os dias que vós viverdes sobre a terra.

Estes são os estatutos e regulamentos que cuidareis de pôr por obra – Tendo no capítulo precedente inculcado sobre os israelitas a obrigação geral de temer e amar a Deus, Moisés aqui entra em um detalhe de alguns deveres especiais que deviam praticar ao obter a posse do terra prometida.

2 Destruireis inteiramente todos os lugares onde as nações que vós herdardes serviram a seus deuses, sobre os montes altos, e sobre as colinas, e debaixo de toda árvore espessa:

Destruireis inteiramente todos os lugares onde as nações que vós herdardes serviram a seus deuses – Esse mandamento divino foi fundado nas tendências da natureza humana; pois para remover de vista tudo o que havia sido associado à idolatria, de que nunca poderia ser mencionado e que não restava vestígio, era a única maneira eficaz de manter os israelitas longe das tentações. É observável que Moisés não faz menção de templos, pois tais edifícios não existiam naquele período inicial. Os “lugares” escolhidos como a cena da adoração pagã situavam-se no cume de uma montanha elevada, ou em algum monte artificial, ou em um bosque, plantado com árvores particulares, como carvalhos, álamos e olmos (Is 57:5-7; Os 4:13). A razão para a seleção de tais locais era tanto garantir a aposentadoria como direcionar a atenção para o céu; e o “lugar” nada mais era do que um recinto consagrado, ou no máximo, um dossel ou tela do tempo.

3 E derrubareis seus altares, e quebrareis suas imagens, e seus bosques consumireis com fogo: e destruireis as esculturas de seus deuses, e extirpareis o nome delas daquele lugar.

E derrubareis seus altares – montes de relva ou pequenas pedras.

e quebrareis suas imagens – Antes da arte da escultura era conhecida, as estátuas de ídolos eram apenas blocos rudes de pedras coloridas.

4 Não fareis assim ao SENHOR vosso Deus.
5 Mas o lugar que o SENHOR vosso Deus escolher de todas as vossas tribos, para pôr ali seu nome para sua habitação, esse buscareis, e ali ireis:

ara pôr ali seu nome para sua habitaçãoali ireis – Eles foram proibidos de adorar ou da maneira impura e supersticiosa dos pagãos, ou em qualquer um dos lugares frequentados por eles. Um lugar particular para o encontro geral de todas as tribos seria escolhido pelo próprio Deus; e a escolha de um lugar comum para os ritos solenes da religião foi um ato de sabedoria divina, para a segurança da verdadeira religião. Era admiravelmente calculado para evitar a corrupção que de outra forma teria se arrastado de seus bosques e colinas altas – para preservar a uniformidade de adoração e manter viva a fé n’Ele a quem todos os sacrifícios apontavam. O lugar foi sucessivamente Mizpá, Siló e especialmente Jerusalém. Mas em todas as referências feitas a ele por Moisés, o nome nunca é mencionado. Este silêncio estudado foi mantido em parte para que os cananeus dentro de cujos territórios pudesse concentrar suas forças para frustrar todas as esperanças de obtê-lo; em parte, para que o desejo de possuir um lugar de tamanha importância pudesse se tornar motivo de discórdia ou rivalidade entre as tribos hebraicas, bem como a designação para o sacerdócio (Nm 16:1-30).

6 E ali levareis vossos holocaustos, e vossos sacrifícios, e vossos dízimos, e a oferta elevada de vossas mãos, e vossos votos, e vossas ofertas voluntárias, e os primogênitos de vossas vacas e de vossas ovelhas:
7 E comereis ali diante do SENHOR vosso Deus, e vos alegrareis, vós e vossas famílias, em toda obra de vossas mãos em que o SENHOR teu Deus te houver abençoado.

E comereis ali diante do SENHOR – das coisas mencionadas (Dt 12:6); mas, é claro, nenhuma das partes designadas aos sacerdotes perante o Senhor – no lugar onde o santuário deveria ser estabelecido, e naquelas partes da Cidade Santa que o povo tinha a liberdade de frequentar e habitar.

8 Não fareis como tudo o que nós fazemos aqui agora, cada um o que lhe parece,
9 Porque ainda até agora não entrastes ao repouso e à herança que vos dá o SENHOR vosso Deus.
10 Mas passareis o Jordão, e habitareis na terra que o SENHOR vosso Deus vos faz herdar, e ele vos dará repouso de todos vossos inimigos ao redor, e habitareis seguros.
11 E ao lugar que o SENHOR vosso Deus escolher para fazer habitar nele seu nome, ali levareis todas as coisas que eu vos mando: vossos holocaustos, e vossos sacrifícios, vossos dízimos, e as ofertas elevadas de vossas mãos, e todo o escolhido de vossos votos que houveres prometido ao SENHOR;
12 E vos alegrareis diante do SENHOR vosso Deus, vós, e vossos filhos, e vossas filhas, e vossos servos, e vossas servas, e o levita que estiver em vossas povoações: porquanto não tem parte nem herança convosco.

E vos alegrareis diante do SENHOR vosso Deus, vós, e vossos filhos, e vossas filhas – Por conseguinte, parece que, embora só os homens foram ordenados a comparecer perante Deus nas festas anuais solenes (Êx 23:17), as mulheres foram autorizados a acompanhá-los (1Sm 1:3-23).

13 Guarda-te, que não ofereças teus holocaustos em qualquer lugar que vires;
14 Mas no lugar que o SENHOR escolher, em uma de tuas tribos, ali oferecerás teus holocaustos, e ali farás tudo o que eu te mando.
15 Contudo, poderás matar e comer carne em todas tuas povoações conforme o desejo de tua alma, segundo a bênção do SENHOR teu Deus que ele te houver dado: o impuro e o limpo a comerá, como a de corço ou de cervo:

Contudo, poderás matar e comer carne em todas tuas povoações – Todo animal designado para comer, seja boi, bode ou cordeiro, foi durante a residência no deserto ordenado a ser morto como oferta de paz à porta do tabernáculo; seu sangue a ser aspergido e sua gordura queimada no altar pelo sacerdote. O acampamento, sendo então ao redor do altar, fez esta prática, designada para evitar a idolatria, fácil e praticável. Mas no assentamento na terra prometida, a obrigação de matar no tabernáculo foi dispensada. As pessoas foram deixadas em liberdade para preparar sua carne em suas cidades ou casas.

segundo a bênção do SENHOR teu Deus que ele te houver dado – O estilo de vida deve ser acomodado à condição e meios da pessoa – a condescendência profusa e desenfreada nunca poderá assegurar a bênção divina.

o impuro e o limpo a comerá – Aqui, os impuros são os que estavam sujeitos a uma pequena contaminação que, sem excluí-los da sociedade, os impedia de comer qualquer alimento sagrado (Lv 7:20). Eles estavam em liberdade para participar de artigos comuns de comida.

corço – a gazela.

ou de cervo – O veado sírio (Cervus barbatus) é uma espécie entre o nosso red e gamo, distinguido pela falta de um antler, ou segundo ramo nos chifres, contados a partir de baixo, e por uma pintura manchada que é apagado apenas no terceiro ou quarto ano.

O sangue é proibido

16 Salvo que sangue não comereis; sobre a terra o derramareis como água.

A proibição de comer ou beber sangue como um costume não natural acompanhou o anúncio da concessão divina de carne animal como alimento (Gn 9:4), e a proibição foi repetidamente renovada por Moisés com referência aos grandes objetos da lei (Lv 17:12), a prevenção da idolatria e a consagração do sangue sacrificial a Deus. No que diz respeito, no entanto, ao sangue de animais mortos por comida, ele pode ser derramado sem cerimônia e derramado no chão como uma coisa comum como a água – apenas por uma questão de decência, bem como para evitar qualquer risco de idolatria. deveria ser coberto com terra (Lv 17:13), em oposição à prática de desportistas pagãos, que o deixaram exposto como uma oferenda ao deus da perseguição.

17 Nem poderás comer em tuas povoações o dízimo de teu grão, ou de teu vinho, ou de teu azeite, nem os primogênitos de tuas vacas, nem de tuas ovelhas, nem teus votos que prometeres, nem tuas ofertas voluntárias, nem as elevadas ofertas de tuas mãos:
18 Mas diante do SENHOR teu Deus as comerás, no lugar que o SENHOR teu Deus houver escolhido, tu, e teu filho, e tua filha, e teu servo, e tua serva, e o levita que está em tuas povoações: e te alegrarás diante do SENHOR teu Deus em toda obra de tuas mãos.
19 Tem cuidado de não desamparar ao levita em todos os teus dias sobre tua terra.
20 Quando o SENHOR teu Deus alargar teu termo, como ele te disse, e tu disseres: Comerei carne, porque desejou tua alma comê-la, conforme todo o desejo de tua alma comerás carne.
21 Quando estiver longe de ti o lugar que o SENHOR teu Deus houver escolhido, para pôr ali seu nome, matarás de tuas vacas e de tuas ovelhas, que o SENHOR te houver dado, como te mandei eu, e comerás em tuas portas segundo tudo o que desejar tua alma.
22 O mesmo que se come o corço e o cervo, assim as comerás: o impuro e o limpo comerão também delas.

 O mesmo que se come o corço e o cervo, assim as comerás – O jogo, quando adquirido no deserto, não precisou ser levado à porta do tabernáculo. As pessoas estavam agora livres para matar o gado doméstico e os animais selvagens. A permissão para caçar e usar carne de veado como alimento foi sem dúvida um grande benefício para os israelitas, não apenas no deserto, mas em seu assentamento em Canaã, como as cadeias montanhosas do Líbano, Carmelo e Gileade, nas quais os veados abundavam em grande número. , assim, fornecer-lhes uma refeição farta e luxuriante.

23 Somente que te esforces a não comer sangue: porque o sangue é a alma; e não hás de comer a alma juntamente com sua carne.
24 Não o comerás: em terra o derramarás como água.
25 Não comerás dele; para que vá bem a ti, e a teus filhos depois de ti, quando fizeres o correto aos olhos do SENHOR.

Coisas sagradas para serem comidas no Santo Lugar

26 Porém as coisas que tiveres tu consagradas, e teus votos, as tomarás, e virás ao lugar que o SENHOR houver escolhido:

Porém as coisas que tiveres tu consagradas – Os dízimos mencionados (Dt 12:17) não devem ser considerados dízimos ordinários, que pertenciam aos levitas, e dos quais os israelitas privados tinham o direito de comer; mas são outros dízimos ou dons extraordinários, que as pessoas levavam ao santuário para serem apresentadas como ofertas pacíficas, e sobre as quais, depois de oferecidas e a porção designada dada ao sacerdote, elas festejavam com suas famílias e amigos (Lv 27:30).

27 E oferecerás teus holocaustos, a carne e o sangue, sobre o altar do SENHOR teu Deus: e o sangue de teus sacrifícios será derramado sobre o altar do SENHOR teu Deus, e comerás a carne.
28 Guarda e escuta todas estas palavras que eu te mando, porque vá bem a ti e a teus filhos depois de ti para sempre, quando fizeres o bom e o correto aos olhos do SENHOR teu Deus.
29 Quando houver devastado diante de ti o SENHOR teu Deus as nações aonde tu vais para possuí-las, e as herdares, e habitares em sua terra,
30 Guarda-te que não tropeces seguindo-as, depois que forem destruídas diante de ti: não perguntes acerca de seus deuses, dizendo: Da maneira que serviam aquelas nações a seus deuses, assim farei eu também.

Guarda-te que não tropeces seguindo-as, depois que forem destruídas diante de ti: não perguntes acerca de seus deuses – Os israelitas, influenciados pelo medo supersticioso, muitas vezes tentavam propiciar as divindades de Canaã. Sua educação egípcia logo impressionou a noção de um conjunto de divindades locais, que esperavam suas dívidas de todos os que vinham para habitar o país que eles honravam com sua proteção, e se ressentiam severamente da negligência do pagamento em todos os recém-chegados [Warburton]. Levando em consideração a prevalência dessa ideia entre eles, vemos que, contra uma influência egípcia, foi dirigida toda a força da cautelosa atenção com a qual este capítulo se encerra.

31 Não farás assim ao SENHOR teu Deus; porque tudo o que o SENHOR aborrece, fizeram eles a seus deuses; pois ainda a seus filhos e filhas queimavam no fogo a seus deuses.
32 Cuidareis de fazer tudo o que eu vos mando: não acrescentarás a isso, nem tirarás disso.
<Deuteronômio 11 Deuteronômio 13>

Leia também uma introdução ao livro de Deuteronômio.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados