Juízes 17

Os ídolos de Mica

1 Houve um homem do monte de Efraim, que se chamava Mica.

Comentário de Robert Jamieson

um homem do monte de Efraim – isto é, as partes montanhosas de Efraim. Esta e as outras narrativas que se seguem formam uma coleção diversa, ou apêndice do Livro dos Juízes. Pertence a um período em que a nação hebraica estava em um estado altamente desordenado e corrupto. Este episódio de Miquéias está relacionado com Juízes 1:34. Refere-se a sua fundação de um pequeno santuário próprio – uma representação em miniatura do tabernáculo de Siló – que ele abastecia com imagens modeladas provavelmente em imitação da arca e dos querubins. Mica e sua mãe foram sinceros em sua intenção de honrar a Deus. Mas sua fé foi misturada com uma quantidade triste de ignorância e ilusão. O curso divisivo que eles perseguiram, bem como a adoração de vontade que praticavam, submeteram os perpetradores à pena de morte. [JFB, aguardando revisão]

2 O qual disse à sua mãe: Os mil e cem siclos de prata que te foram furtados, pelo que tu amaldiçoavas ouvindo-o eu, eis que eu tenho este dinheiro: eu o havia tomado. Então a mãe disse: Bendito sejas do SENHOR, filho meu.

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-3) Um homem das montanhas de Efraim chamado Mica ( מיכיהוּ, Juízes 17:1, Juízes 17:4, quando contratado em מיכה, Juízes 17:5, Juízes 17:8, etc.), que estabeleceu essa adoração para si mesmo, e “respeitando quem as Escrituras acham que não vale a pena acrescentar o nome de seu pai, ou mencionar a família de onde ele nasceu” (Berleb. Bíblia), havia roubado 1100 siclos de prata (cerca de 135) de sua mãe. Isso é muito evidente nas palavras que ele falou para sua mãe (v. 2): “Os mil e cem siclos de prata que foram tirados de ti (o singular לקּח refere-se à prata), sobre os quais você amaldiçoou e falou também em meus ouvidos (isto é, você proferiu a maldição de tal maneira que entre outros eu também a ouvi), eis que esta prata está comigo; eu a peguei”. אלה, jurar, usado para denotar uma maldição ou maldição (compare com אלה קול, Levítico 5:1). Ele parece ter sido impelido a fazer essa confissão pelo medo da maldição de sua mãe. Mas sua mãe o elogiou por isso – “Bendito seja meu filho de Jeová”, – em parte porque viu nele uma prova de que ainda existia um germe do temor de Deus, mas com toda a probabilidade principalmente porque ela estava prestes a dedicar a prata para Jeová; pois, quando seu filho a devolveu, ela disse (v. 3): “Santifiquei a prata da minha mão ao Senhor para meu filho, para fazer uma imagem e uma obra de fundição”. O perfeito הקדּשׁתּי não deve ser tomado no sentido do mais perfeito, “eu o santifiquei”, mas é expressivo de um ato acabado de realizar: eu o santifiquei, declaro com isso que o santifico. “E agora eu te devolvo”, ou seja, para se apropriar da tua casa de Deus. [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

3 E logo que ele devolveu à sua mãe os mil e cem siclos de prata, sua mãe disse: Eu dediquei este dinheiro ao SENHOR de minha mão para ti, filho meu, para que faças uma imagem de escultura e de fundição: agora, pois, eu o devolvo a ti.

Comentário de Robert Jamieson

uma imagem de escultura e de fundição – A única esculpida em um bloco de madeira ou pedra, para ser revestida com prata; o outro, uma figura formada pelo metal sólido moldado em um molde. É observável, no entanto, que apenas duzentos shekels foram dados ao fundador. Provavelmente a despesa de fazer duas dessas figuras de prata, com seus acessórios (pedestais, bases, etc.), poderia facilmente custar, naqueles dias, duzentos shekels, que (com 2 xelins, 4 pence cada, é cerca de 23 libras).) seria uma soma não adequada para a formação de grandes estátuas [Taylor, Fragments]. [JFB, aguardando revisão]

4 Mas voltando ele à sua mãe o dinheiro, tomou sua mãe duzentos siclos de prata, e deu-os ao fundidor: e ele lhe fez deles uma imagem de escultura e de fundição, a qual foi posta em casa de Mica.

Comentário de Keil e Delitzsch

A mãe pegou 200 siclos e os devolveu ao ourives, que fez uma imagem e fundiu-os, que doravante estavam na casa de Mica. Os 200 shekels não eram bem a quinta parte do conjunto. O que ela fez com o resto não é declarado; mas pelo fato de ela ter dedicado a prata em geral, ou seja, a quantidade total, a Jeová, de acordo com os Juízes 17:3, podemos inferir que ela aplicou o restante à manutenção da adoração da imagem.

(Nota: Não há fundamento para a opinião de Bertheau, de que os 200 shekels não faziam parte do 1100, mas o dinheiro da transgressão pago pelo filho quando ele devolveu à mãe o dinheiro que ele tinha roubado, pois, de acordo com Levítico 6:5, quando um ladrão restaurou ao proprietário qualquer propriedade roubada, ele deveria acrescentar o quinto de seu valor. Não há motivo para aplicar esta lei ao caso que temos diante de nós, simplesmente porque a retirada do dinheiro pelo filho nem sequer é descrita como um roubo, enquanto a mãe realmente elogia o filho por sua confissão aberta).

Pesel e massecah (imagem e trabalho fundido) são unidos, como em Deuteronômio 27:15. A diferença entre as duas palavras, neste caso, é muito difícil de determinar. Pesel significa uma imagem idólatra, seja ela feita de madeira ou metal. Massecah, por outro lado, significa um fundido, algo derramado; e quando usado no singular, é quase exclusivamente restrito ao bezerro fundido por Aaron ou Jeroboam. É geralmente conectado com עגל, mas é usado no mesmo sentido sem esta definição (por exemplo, Deuteronômio 9:12). Isto torna a conjectura muito natural, que as duas palavras juntas poderiam simplesmente denotar uma semelhança de Jeová e, a julgar pela ocorrência no Sinai, uma representação de Jeová na forma de um bezerro fundido. Mas existe um obstáculo no caminho de tal conjectura, a saber, que nos Juizes 18:17-18, a massecah é separada da pesel, de modo a sugerir necessariamente a idéia de dois objetos distintos. Mas como dificilmente podemos supor que a mãe de Mica tinha duas imagens de Jeová feitas, e que Miquéias tinha ambas instaladas em sua casa de Deus, nenhuma outra explicação parece possível a não ser que a masseca era algo pertencente à peste, ou imagem de Jeová, mas ainda distinta dela – em outras palavras, que era o pedestal sobre o qual ela se encontrava. A peste era de qualquer forma a coisa principal, como podemos inferir claramente do fato de que é colocada na primeira fila entre os quatro objetos do santuário de Miquéias, que os danitas levaram consigo (Juízes 18:17-18), e que nos só a peste é mencionada em conexão com o estabelecimento da adoração da imagem em Dan. Além disso, não pode haver dúvida de que a peste, como representação de Jeová, era uma imagem de um touro, como o bezerro de ouro que Aarão tinha feito no Sinai (Êxodo 32:4), e os bezerros de ouro que Jeroboão criou no reino de Israel, e um dos quais foi criado em Dan (1 Reis 12:29). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

5 E teve este homem Mica casa de deuses, e fez-se fazer éfode e ídolos, e consagrou um de seus filhos; e foi-lhe por sacerdote.

Comentário de Robert Jamieson

E teve este homem Mica casa de deuses – hebraico, “uma casa de Deus” – uma capela doméstica, um estabelecimento religioso particular próprio.

éfode – (veja em Êxodo 28:6).

ídolos – deuses tutelares da casa (ver Gênesis 31:19 e ver Gênesis 31:26).

consagrou um de seus filhos; e foi-lhe por sacerdote – A assunção do ofício sacerdotal por qualquer um da família de Arão foi uma violação direta da lei divina (Números 3:10; 16:17; Deuteronômio 21:5; Hebreus 5:4). [JFB, aguardando revisão]

6 Nestes dias não havia rei em Israel: cada um fazia como melhor lhe parecia.

Comentário de Keil e Delitzsch

(5-6) Sua mãe fez isso, porque seu filho Mica tinha uma casa de Deus, e tinha tido um éfode e teraphim feito para si mesmo, e um de seus filhos se consagrou a oficiar ali como sacerdote. מיכה האישׁ (o homem Mica) é, portanto, absolutamente colocado à frente, e está ligado ao que se segue por לו: “Quanto ao homem Mica, havia para ele (ele tinha) uma casa de Deus”. Todo o verso é uma cláusula circunstancial explicativa do que precede, e os seguintes verbos ויּעשׂ, וימלּא, e ויהי, são simplesmente uma continuação da primeira cláusula, e portanto a ser apresentada como pluperfeitos. A Beth Elohim (casa de Deus) de Mica era um templo doméstico pertencente à casa de Mica, de acordo com os Juízes 18:15-18. את-יד מלּא, para preencher a mão, ou seja, para investir com o sacerdócio, para instituir como sacerdote (ver em Levítico 7:37). O éfode foi uma imitação do ombro do sumo sacerdote (veja em Juízes 8:27). Os terafins eram imagens de deuses domésticos, penitentes, que eram adorados como doadores de prosperidade terrestre, e como oráculos (ver em Gênesis 31:19). – Nos Juízes 17:6 observa-se, na explicação desta conduta ilegal, que naquela época não havia rei em Israel, e cada um fazia o que era certo aos seus próprios olhos. [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

7 E havia um jovem de Belém de Judá, da tribo de Judá, o qual era levita; e peregrinava ali.

Comentário de Robert Jamieson

Belém de Judá – assim chamado em contraposição a uma cidade do mesmo nome em Zebulon (Josué 19:15).

de Judá – Os homens da tribo de Levi podem se conectar, como Aarão fez (Êxodo 6:23), por casamento com outra tribo; e este jovem levita pertencia à tribo de Judá, pelo lado de sua mãe, o que explica que ele estava em Belém, e não uma das cidades levíticas. [JFB, aguardando revisão]

8 Este homem se havia partido da cidade de Belém de Judá, para ir a viver de onde achasse; e chegando ao monte de Efraim, veio à casa de Mica, para dali fazer seu caminho.

Comentário de Robert Jamieson

Este homem se havia partido…para ir a viver de onde achasse – Uma provisão competente sendo assegurada para cada membro da ordem levítica, sua peregrinação mostrava que ele era uma pessoa de uma disposição itinerante ou hábitos instáveis. No decorrer de sua jornada, ele chegou à casa de Micah, que, ao saber o que ele era, contratou seus serviços permanentes. [JFB, aguardando revisão]

9 E Mica lhe disse: De onde vens? E o levita lhe respondeu: Sou de Belém de Judá, e vou a viver de onde achar.

Comentário de Keil e Delitzsch

(7-9) Nomeação de um Levita como Sacerdote. – Juízes 17:7. Na ausência de um sacerdote levítico, Mica havia primeiramente nomeado um de seus filhos como sacerdote em seu santuário. Em seguida, ele encontrou um levita para este serviço. Um jovem de Belém em Judá, da família de Judá, que, sendo um levita, ficou (גּר) lá (em Belém) como um estranho, deixou esta cidade para permanecer “no lugar que ele deveria encontrar”, isto é, como um lugar que lhe daria abrigo e apoio, e veio até as montanhas de Efraim para a casa de Mica, “fazendo sua viagem”, isto é, em sua viagem. (Sobre o uso do inf. constr. com ל no sentido do gerúndio latino em fazer, ver Ewald, 280, d.) Belém não era uma cidade levítica. O jovem levita de Belém não nasceu lá nem se tornou um cidadão do lugar, mas simplesmente “ficou lá”, ou seja, morou lá temporariamente como um estranho. A declaração adicional sobre sua descendência (mishpachath Judah) não deve ser entendida como significando que ele era descendente de alguma família da tribo de Judah, mas simplesmente que ele pertencia aos levitas que habitavam na tribo de Judah, e que eram considerados em todos os assuntos civis como pertencentes a essa tribo. Na divisão da terra, é verdade que foi somente aos sacerdotes que foram atribuídos os lugares de moradia na herança desta tribo (Josué 21:9-19), enquanto o resto dos levitas, mesmo os membros não sacerdotes da família de Kohath, receberam seus lugares de moradia entre as outras tribos (Josué 21:20.). Ao mesmo tempo, como muitas das cidades que foram atribuídas às diferentes tribos permaneceram por muito tempo na posse dos cananeus, e os israelitas não entraram imediatamente na posse plena e indiscutível de sua herança, poderia facilmente acontecer que diferentes cidades que foram atribuídas aos levitas permanecessem na posse dos cananeus, e conseqüentemente que os levitas fossem obrigados a procurar um assentamento em outros lugares. Também poderia acontecer que indivíduos entre os próprios levitas, que não estavam inclinados a realizar o serviço que lhes era atribuído pela lei, retirar-se-iam das cidades levíticas e procurariam alguma outra ocupação em outro lugar (ver também Juízes 18:30).

(Nota: Não há razão, portanto, para pronunciar as palavras יהוּדה ממּשׁפּחת (da família de Judah) um gloss, e apagá-los do texto, como propõe Houbigant. A omissão delas do Código. A omissão deles do lxx, e do Syriac, não é suficiente para garantir isso, como ocorre no Código. Al. do lxx, e sua ausência das autoridades mencionadas pode ser facilmente explicada pela dificuldade que foi sentida ao explicar seu significado. Por outro lado, é impossível imaginar qualquer razão para a interpolação de um tal brilho no texto). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

10 Então Mica lhe disse: Fica-te em minha casa, e me serás em lugar de pai e sacerdote; e eu te darei dez siclos de prata por ano, e o ordinário de vestimentas, e tua comida. E o levita ficou.

Comentário de Robert Jamieson

Então Mica lhe disse: Fica-te em minha casa, e me serás em lugar de pai – pai espiritual, para dirigir os serviços religiosos do meu estabelecimento. Ele receberia, além de seu conselho, um salário de dez shekels de prata, equivalente a 25 xelins por ano.

vestimentas – não apenas vestido para uso ordinário, mas vestes adequadas para o cumprimento de suas funções sacerdotais. [JFB, aguardando revisão]

11 Acordou, pois, o levita em morar com aquele homem, e ele o tinha como a um de seus filhos.

Comentário de Keil e Delitzsch

(10-13) Mica fez esta proposta ao levita: “Habita comigo, e torna-te meu pai e padre; eu te darei dez siclos de prata por ano, e te arranjarei roupas e manutenção”. אב, pai, é um título honroso dado a um sacerdote como amigo paterno e conselheiro espiritual, e também é usado com referência aos profetas em 2 Reis 6:21 e 2 Reis 13:14, e aplicado a José em Gênesis 45:8. ליּמים, para os dias, isto é, para os quais uma pessoa estava comprometida, isto é, para o ano (compare com 1Samuel 27:7, e Levítico 25:29). “E o Levita foi”, ou seja, foi para a casa de Mica. Este significado é evidente a partir do contexto. A repetição do assunto, “o Levita”, impede que o conectemos com o seguinte verbo ויּואל. – Nos Juizes 17:11-13, o resultado é resumido. O Levita resolveu (ver em Deuteronômio 1:5) morar com Mica, que o tratou como um de seus filhos, e lhe confiou o sacerdócio em sua casa de Deus. E Mica regozijou-se por ter conseguido um levita como sacerdote e disse: “Agora sei que Jeová me fará prosperar”. Essa crença, ou, para falar mais corretamente, superstição, pela qual Mica foi expiar muito rapidamente, prova que naquela época a tribo de Levi mantinha a posição atribuída na lei de Moisés; isto é, que era considerada a tribo eleita por Deus para a realização do culto divino. [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

12 E Mica consagrou ao levita, e aquele jovem lhe servia de sacerdote, e estava em casa de Mica.

Comentário de Robert Jamieson

E Mica consagrou ao levita – hebraico, “encheu sua mão”. Este ato de consagração não foi menos ilegal para Miquéias do que para este levita receber (ver em Juízes 18:30). [JFB, aguardando revisão]

13 E Mica disse: Agora sei que o SENHOR me fará bem, pois que o levita é feito meu sacerdote.

Comentário de Robert Jamieson

Agora sei que o SENHOR me fará bem – A remoção de seu filho, seguida pela instalação desse levita no escritório do sacerdócio, parece ter satisfeito sua consciência, de modo que, pelo que ele considerava as ordenadas ministrações da religião, ele prosperaria. Essa expressão de sua esperança evidencia a influência unida da ignorância e da superstição. [JFB, aguardando revisão]

<Juízes 16 Juízes 18>

Visão geral de Juízes

Em Juízes, “os Israelitas se afastam de Deus e enfrentam as consequências. Deus levanta juízes durante ciclos de rebelião, arrependimento e restauração”. Tenha uma visão geral deste livro através do vídeo a seguir produzido pelo BibleProject. (7 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao livro dos Juízes.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.