Livro

Livro dos Juízes

Introdução ao livro dos Juízes

Livro dos Juízes é assim chamado porque contém a história da libertação e governo de Israel pelos homens que tinham o título de “juízes”. O livro de Rute originalmente fazia parte deste livro, mas por volta de 450 d.C. foi separado dele e colocado nas escrituras hebraicas imediatamente após o Cântico dos Cânticos.

Autor do livro dos Juízes

O autor deste livro foi provavelmente o Samuel. A evidência interna dos primeiros dezesseis capítulos e do apêndice justifica essa conclusão. Provavelmente foi composto durante o reinado de Saul, ou no início do de Davi. As palavras em Juízes 18:30-31, implicam que foi escrito após a tomada da arca pelos filisteus, e depois que foi estabelecida em Nobe (1Sm 21). No reinado de Davi, a arca estava em Gibeão (1Cr 16:39)

Estrutura do livro dos Juízes

O livro contém, (1) uma introdução (Jz 1 à 3:6), conectando o livro com a narrativa anterior em Josué, como um “elo na sequência de livros”. (2) A história dos treze juízes (Jz 3:7 à 16:31) na seguinte ordem:

Primeiro período (Jz 3:7 ao cap. 5), de 206 anos.

  • Servidão à Cusã-Risataim da Mesopotâmia durante 8 anos; Otniel liberta o povo (40).
  • Servidão à Eglom de Moabe: Amom, Amaleque durante 18 anos; Libertação do Eúde (80); Sangar, desconhecido.
  • Servidão à Jabim de Hazor em Canaã durante 20 anos; Débora e Baraque (40).

Segundo período (Jz 6 à 10:5), de 95 anos.

  • Servidão à Midiã, Amaleque e filhos do oriente durante 7 anos. Gideão (40); Abimeleque, filho de Gideão, reina como rei sobre Israel durante 3 anos; Tola (23); Jair (22).

Terceiro período (Jz 10:6 ao cap. 12), de 49 anos.

  • Servidão aos amonitas com os filisteus durante 18 anos. Jefté (6); Ibsã (7); Elom (10); Abdom (8).

Quarto período (Jz 13-16), de 60 anos.

  • Servidão aos filisteus durante 40 anos. Sansão (20).

Todos os quatro períodos totalizam 410 anos.

As proezas de Sansão provavelmente se sincronizam com o período imediatamente anterior ao arrependimento e reforma nacional sob a liderança de Samuel (1Sm 7:2-6).

Depois de Sansão veio Eli, que era sumo sacerdote e juiz. Ele dirigiu os assuntos civis e religiosos do povo por quarenta anos, no final dos quais os filisteus novamente invadiram a terra e a oprimiram por vinte anos. Samuel foi levantado para libertar o povo dessa opressão, e julgou Israel por uns doze anos, quando a condução dos assuntos passou para as mãos de Saul, que foi ungido rei. Se Eli e Samuel estão incluídos, então havia quinze juízes. Mas a cronologia de todo esse período é incerta.

(3) A seção histórica do livro é seguida por um apêndice (Jz 17-21), que não tem nenhuma conexão formal com a anterior. Ele registra (a) a conquista (Jz 17-18) de Laís por uma parte da tribo de Dã; e (b) a extinção quase total da tribo de Benjamim pelas outras tribos, em conseqüência de sua colaboração com os homens de Gibeá (Jz 19-21). Esta seção pertence propriamente ao período apenas alguns anos após a morte de Josué. Mostra a degeneração religiosa e moral do povo.

Adaptado de: Illustrated Bible Dictionary (Judges, Book of)