Bíblia, Revisar

Juízes 18

Os danitas buscam uma herança e toma Laís

1 Naqueles dias não havia rei em Israel. E em aqueles dias a tribo de Dã buscava possessão para si de onde morasse, porque até então não lhe havia caído sorte entre as tribos de Israel por herança.

Naqueles dias…a tribo de Dã buscava possessão para si de onde morasse – os danitas tinham um território atribuído a eles, assim como as outras tribos. Mas ou por indolência ou falta de energia, eles não adquiriram a posse plena de seu lote, mas sofreram uma parte considerável dela para ser arrancada de suas mãos pelas invasões de seus poderosos vizinhos, os filisteus. Em consequência, sendo limitado por espaço, um número considerável resolveu tentar efetuar uma nova e adicional ocupação em uma parte remota da terra. Uma pequena delegação, sendo despachada para reconhecer o país, chegou ao seu progresso para o norte na residência de Micah. Reconhecendo seu padre como um de seus antigos conhecidos, ou talvez por seu dialeto provinciano, eles alistaram avidamente seus serviços para averiguar o resultado de sua atual expedição. Sua resposta, embora aparentemente promissora, era ilusória e tão ambígua quanto as dos oráculos pagãos. Esta aplicação traz ainda mais claramente e plenamente do que o cisma de Micah a degeneração lamentável dos tempos. Os danitas não expressaram nenhuma emoção nem de surpresa nem de indignação por um levita que ousasse assumir as funções sacerdotais e pela existência de um estabelecimento rival ao de Siló. Eles estavam prontos para buscar, por meio dos terafins, as informações que só poderiam ser legalmente aplicadas através do Urim do sumo sacerdote. Sendo assim igualmente errados em suas visões e hábitos como Miquéias, eles mostram o baixo estado de religião, e quanta superstição prevaleceu em todas as partes da terra.

2 E os filhos de Dã enviaram de sua tribo cinco homens de seus termos, homens valentes, de Zorá e Estaol, para que reconhecessem e explorassem bem a terra; e disseram-lhes: Ide e reconhecei a terra. Estes vieram ao monte de Efraim, até a casa de Mica, e ali passaram a noite.
3 E quando estavam próximos da casa de Mica, reconheceram a voz do jovem levita; e achegando-se ali, disseram-lhe: Quem te trouxe por aqui? e que fazes aqui? e que tens tu por aqui?
4 E ele lhes respondeu: Desta e desta maneira fez comigo Mica, e me há tomado para que seja seu sacerdote.
5 E eles lhe disseram: Pergunta, pois, agora a Deus, para que saibamos se há de prosperar nossa viajem que fazemos.
6 E o sacerdote lhes respondeu: Ide em paz, que vosso viajem que fazeis é diante do SENHOR.
7 Então aqueles cinco homens se partiram, e vieram a Laís: e viram que o povo que habitava nela estava seguro, ocioso e confiante, conforme o costume dos de Sidom; não havia ninguém naquela região que os perturbasse em coisa alguma; além disso, os sidônios estavam distantes, e não tinham negócios com ninguém.

Então aqueles cinco homens se partiram, e vieram a Laís – ou “Leshem” (Js 19:47), supostamente para ter sido povoado por uma colônia de Zidonianos. O lugar era muito isolado – o solo rico em abundância e variedade de seus produtos, e os habitantes, seguindo as atividades pacíficas da agricultura, viviam em seu vale fértil e isolado, de acordo com o estilo de tranquilidade e segurança da Zidônia, felizes entre si. e mantendo pouca ou nenhuma comunicação com o resto do mundo. A descoberta deste paraíso do norte parecia, para deleite dos espiões dos danitas, uma realização da predição do sacerdote. Eles apressaram-se a informar seus irmãos do sul tanto sobre o valor do prêmio quanto sobre a facilidade com que poderiam ser suas presas.

8 Voltando, pois, eles a seus irmãos em Zorá e Estaol, seus irmãos lhes disseram: Que há? e eles responderam:
9 Levantai-vos, subamos contra eles; porque nós exploramos a região, e vimos que é muito boa: e vós vos estais quietos? Não sejais preguiçosos em vos dispor em marcha para ir a possuir a terra.
10 Quando ali chegardes, vereis a uma gente segura, e a uma terra ampla; pois que Deus a entregou em vossas mãos; lugar de onde não há falta de coisa que seja na terra.
11 E partindo os de Dã dali, de Zorá e de Estaol, seiscentos homens armados de armas de guerra,

seiscentos homens – Este foi o número coletivo dos homens que foram equipados com armas para realizar este empreendimento expedicionário, sem incluir as famílias e móveis dos emigrantes (Jz 18:21). Sua jornada os levou através do território de Judá, e seu primeiro lugar de parada foi “atrás”, isto é, a oeste de Quiriate-Jearim, em um lugar chamado “o acampamento de Dan”. Ao seguir a rota do norte, eles contornaram a base das colinas efraimitas. Ao se aproximarem do bairro da residência de Miquéias, os espiões tendo dado informações de que um santuário particular era mantido lá, o sacerdote dos quais prestaram um serviço importante quando em sua expedição de exploração, foi unanimemente concordado que tanto ele quanto os móveis da estabelecimento seria uma aquisição valiosa para o acordo proposto. Um plano de espoliação foi imediatamente formado. Enquanto os homens armados mantinham sentinelas nos portões, os cinco espias invadiram a capela, saquearam as imagens e vestimentas e conseguiram subornar o padre também com uma oferta tentadora de transferir seus serviços para sua nova colônia. Assumindo o éfode, os terafins e a imagem esculpida, ele “entrou no meio do povo” – uma posição central designada na marcha, talvez para sua segurança pessoal; mas mais provavelmente em imitação do lugar designado para os sacerdotes e a arca, no meio das tribos congregadas, nas marchas pelo deserto. Este roubo apresenta uma curiosa mistura de baixa moralidade e forte sentimento religioso. Os danitas exemplificaram um princípio profundamente enraizado de nossa natureza – de que os homens têm afeições religiosas, que devem ter um objeto sobre o qual possam ser exercidos, embora muitas vezes não sejam muito discriminadores na escolha dos objetos. Em proporção à influência esbelta que a religião exerce sobre o coração, maior é a importância atribuída aos ritos externos; e, na exata observância destes, a consciência é plenamente satisfeita e raramente ou nunca molestada por reflexões sobre a violação de morais menores.

12 Foram e assentaram acampamento em Quriate-Jearim, em Judá; de onde aquele lugar foi chamado o campo de Dã, até hoje: está detrás de Quriate-Jearim.
13 E passando dali ao monte de Efraim, vieram até a casa de Mica.

Os danitas levam da casa de Mica a imagem e o levita

14 Então aqueles cinco homens que haviam ido a reconhecer a terra de Laís, disseram a seus irmãos: Não sabeis como em estas casas há éfode e ídolos, e imagem de escultura e de fundição? Olhai pois o que haveis de fazer.
15 E achegando-se ali, vieram à casa do jovem levita em casa de Mica, e perguntaram-lhe como estava.
16 E os seiscentos homens, que eram dos filhos de Dã, estavam armados de suas armas de guerra à entrada da porta.
17 E subindo os cinco homens que haviam ido a reconhecer a terra, entraram ali, e tomaram a imagem de escultura, e o éfode, e os ídolos, e a imagem de fundição, enquanto o sacerdote estava à entrada da porta com os seiscentos homens armados
18 Entrando, pois, aqueles na casa de Mica, tomaram a imagem de escultura, o éfode, e os ídolos, e a imagem de fundição. E o sacerdote lhes disse: Que fazeis vós?
19 E eles lhe responderam: Cala, põe a mão sobre tua boca, e vem conosco, para que sejas nosso pai e sacerdote. É melhor que tu sejas sacerdote em casa de um homem só, que de uma tribo e família de Israel?
20 E alegrou-se o coração do sacerdote; o qual tomando o éfode e os ídolos, e a imagem, veio entre a gente.
21 E eles voltaram e foram-se; e puseram os meninos, e o gado e a bagagem, diante de si.
22 E quando já se haviam afastado da casa de Mica, os homens que habitavam nas casas vizinhas à casa de Mica, se juntaram, e seguiram aos filhos de Dã.

os homens que habitavam nas casas vizinhas à casa de Mica, se juntaram – Os ladrões da capela sendo logo detectados, uma perseguição foi iniciada imediatamente por Micah, à frente de um considerável corpo de seguidores. A prontidão com que se juntaram na tentativa de recuperar os artigos roubados permite presumir que as vantagens da capela foram abertas a todos na vizinhança; e a importância que Miquéias, como Labão, anexou aos seus terafins, é vista pela urgência com que ele perseguiu os ladrões, e pelo risco de sua vida em tentar obter sua restauração. Encontrando sua festa, no entanto, não era páreo para os danitas, ele achou prudente desistir, conhecendo bem a regra que prevalecia na terra, que
“Eles deveriam levar quem tinha o poder,
E eles deveriam manter quem pudesse.

23 E gritando aos de Dã, estes viraram seus rostos, e disseram a Mica: Que tens que juntaste gente?
24 E ele respondeu: Meus deuses que eu fiz, que levais juntamente com o sacerdote, e vos vades: que mais me resta? E a que propósito me dizeis: Que tens?
25 E os filhos de Dã lhe disseram: Não grites atrás de nós, não seja que os de ânimo impetuoso vos acometam, e percas também tua vida, e a vida dos teus.
26 E indo os filhos de Dã seu caminho, e vendo Mica que eram mais fortes que ele, voltou-se e regressou à sua casa.
27 E eles levando as coisas que havia feito Mica, juntamente com o sacerdote que tinha, chegaram a Laís, ao povo tranquilo e seguro; e meteram-nos à espada, e abrasaram a cidade com fogo.

e abrasaram a cidade com fogo – “Estamos revoltados com esta incursão e massacre de um povo quieto e seguro. No entanto, se a concessão original de Canaã aos israelitas lhes deu a garantia de uma comissão divina e comando para este empreendimento, que santifica todos e legaliza tudo ”[Chalmers]. Este lugar parece ter sido uma dependência de Zidon, a distância que, no entanto, tornava impossível obter ajuda dali na súbita emergência.

28 E não houve quem os defendesse, porque estavam longe de Sidom, e não tinham comércio com ninguém. E a cidade estava no vale que há em Bete-Reobe. Logo reedificaram a cidade, e habitaram nela.
29 E chamaram o nome daquela cidade Dã, conforme ao nome de Dã seu pai, filho de Israel, bem que antes se chamava a cidade Laís.

E chamaram o nome daquela cidade Dã – Foi na extremidade norte da terra e, portanto, a origem da frase “de Dan a Beer-Seba”.

30 E os filhos de Dã levantaram para si imagem de escultura; e Jônatas, filho de Gérson, filho de Manassés, ele e seus filhos foram sacerdotes na tribo de Dã, até o dia do cativeiro desta terra.

Em Jz 18:30 a leitura correta é “Moisés”, e não “Manasseh”. O nome “Manasseh” deveria ter sido introduzido por algum transcritor para evitar o escândalo de nomear o neto de Moisés, o grande legislador como fundador de uma religião idólatra.

E os filhos de Dã levantaram para si imagem de escultura – A distância deles afastou-os do resto dos israelitas, e sem dúvida isso, que era a sua desculpa por não irem a Siló, foi a causa da perpetuação da idolatria entre eles por muitas gerações.

31 E levantaram para si a imagem de Mica, a qual ele havia feito, todo aquele tempo que a casa de Deus esteve em Siló.
<Juízes 17 Juízes 19>

Leia também uma introdução ao livro dos Juízes.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.