Bíblia, Revisar

Salmo 5

1 (Salmo de Davi para o regente, com instrumentos de sopro:) SENHOR, escuta as minhas palavras; entende aquilo que estou meditando;

Em Nehiloth – flautas ou instrumentos de sopro. O escritor implora para ser ouvido, com base na consideração de Deus pelo Seu povo da aliança e adoradores verdadeiros, em contraste com o Seu santo ódio aos ímpios. Ele ora por orientação divina, por causa de seus inimigos atentos, malignos e enganadores; e por sua destruição como sendo também inimigos de Deus. Ao mesmo tempo, ele expressa sua confiança de que Deus estenderá ajuda ao Seu povo.

meditando – gemidos daquela forma meio proferida que dá origem a sentimentos profundos – gemidos, como em Rm 8:26, Rm 8:27.

2 Ouve a voz do meu clamor, meu Rei e meu Deus; porque a ti eu oro.

Ouve – incline o ouvido (Salmo 10:17; compare Salmo 61: 2) – preste muita atenção.

meu clamor – isto é, por ajuda (Sl 61: 2; Jr 8:19).

meu Rei – assim por relação de aliança interessada em minha causa.

3 SENHOR, pela manhã ouvirás minha voz; pela manhã apresentarei meu clamor a ti, e ficarei esperando.

direto – literalmente, “colocar em ordem”, como o bolo foi colocado ou colocado em ordem (Êx 40:23).

4 Porque tu não és Deus que tens prazer na maldade; contigo não habitará o mau.

Porque. Ele agora declara o fundamento ou causa de sua confiança na oração, que ele faz em Salmos 5:4-6, ou seja, o fato de que Deus não pode aprovar ou permitir a maldade, e que ele é “meu Deus e meu Rei” (Sl 5:2).

contigo não habitará o mau. Os homens maus não viverão com Deus na mesma casa, (Sl 15:1) nem em nenhuma relação de favorecimento ou amizade. Em Salmos 5:4-6 são dadas sete descrições aos ímpios, todas abomináveis a Deus. No ímpio Deus não se deleita. Não há concordância neles. O homem mau não habitará com ele. [Whedon]

5 Os arrogantes não ficarão de pé diante dos teus olhos; tu odeias todas os praticantes de maldade.

Os arrogantes (“loucos” em algumas traduções). Um termo para orgulhosos, vaidosos presunçosos, sem Deus. Estes não subsistirão diante dele, nem diante dos seus olhos, como o original hebraico traz. Eles não serão honrados por virem à sua presença.

maldade. Um termo geral para vazio, vaidade e, portanto, tristeza, pecado, mal de qualquer espécie. Esses praticantes que Deus odeia. [Whedon]

6 Tu destruirás aos que falam mentiras; o SENHOR abomina ao homem sanguinário e enganador.

sanguinário e enganador. Engano aqui se aplica especialmente a falsidade, má fé, traição, como em 2Rs 9:23; Sl 55:11; Jr 9:6. [Whedon]

7 Mas eu, pela grandeza de tua bondade, entrarei em tua casa; adorarei inclinado para o templo de tua santidade em temor a ti.

Mas – como no Salmo 2: 6, literalmente “e”.

casa – (1Cr 9:23), o tabernáculo.

templo – literalmente, “palácio”, aplicado à residência de Deus, o Santo dos Santos (1Sm 3: 3; 2Sm 22: 7); a parte interna do tabernáculo.

8 SENHOR, guia-me em tua justiça, por causa dos meus adversários; prepara diante de mim o teu caminho.

em tua justiça. Um atributo de Deus que implica fidelidade nas promessas, bem como nas ameaças.

adversários. Literalmente, “os que me observam” (Sl 27:11), por isso a necessidade especial de orientação.

prepara diante de mim o teu caminho. Isto é, torne simples o caminho da providência. [JFB]

9 Porque não há verdade na boca deles; seu interior são meras destruições; a garganta deles é uma sepultura aberta; com suas línguas elogiam falsamente.

Os iníquos não são confiáveis ​​porque, por natureza, são cheios de iniquidade ou, literalmente, “iniquidades”, de todo tipo (Rm 8: 7).

sepultura – uma morada de corrupção, emitindo putridness moral.

10 Declara-os culpados, ó Deus, e que caiam de seus próprios conselhos; expulsa-os por causa da abundância de suas transgressões, porque eles se rebelaram contra ti.

Declara-os culpados. Ou seja, visita-os com as consequências do seu pecado. E assim a próxima linha: que caiam de seus próprios conselhos.

contra ti. Os inimigos de Davi eram inimigos de Deus, e foi contra seus propósitos que a rebelião foi dirigida. [Whedon]

11 Mas se alegrem todos os que confiam em ti; clamai de alegria para sempre; porque tu os proteges; e fiquem contentes em ti aqueles que amam o teu nome.

Mas se alegrem todos. Neste e no versículo seguinte, o caráter oposto e o tratamento dos justos são estabelecidos, de modo que tanto a proteção dos justos quanto a punição dos maus – que, sob o governo moral de Deus, é igualmente necessária para a vindicação do caráter divino e a salvação daqueles que confiam nele – sejam causa de alegria eterna para todos os seres santos. [Whedon]

12 Porque tu, SENHOR, abençoarás ao justo; como com um escudo tu o rodearás com tua bondade.

com favor – ou “aceitação”, aludindo ao favor mostrado a uma oferta e adorador aceitável (Lv 7:18; Lv 19: 7).

escudo – (compare Sl 3: 3).

<Salmo 4 Salmo 6>

Leia também uma introdução ao livro de Salmos.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.