Bíblia, Revisar

Marcos 16

1 Havendo passado o sábado, Maria Madalena, e Maria mãe de Tiago, e Salomé, compraram especiarias, para irem o ungir.

Mc 16: 1-20. Anjo angelical para as mulheres no primeiro dia da semana, que Cristo ressuscitou – Suas aparições depois de sua ressurreição – Sua ascensão – proclamação triunfante de seu evangelho. (= Mt 28: 1-10, Mt 28: 16-20; Lc 24: 1-51; Jo 20: 1, Jo 20: 2, Jo 20: 11-29).

A ressurreição anunciou para as mulheres (Mc 16: 1-8).

E quando o sábado foi passado – isto é, ao pôr do sol do nosso sábado.

Maria Madalena – (Veja em Lc 8: 2).

e Maria, a mãe de Tiago – Tiago, o Menos (ver Mc 15:40).

e Salomé – a mãe dos filhos de Zebedeu (compare Mc 15:40 com Mt 27:56).

compraram especiarias, para irem o ungir – A palavra é simplesmente “comprada”. Mas nossos tradutores talvez estejam certos em fazê-lo aqui “compraram”, já que parece, em Lc 23:56, que eles tinham comprou-os imediatamente após a Crucificação, na sexta-feira à noite, durante o curto intervalo que lhes restava antes do pôr do sol, quando começou o descanso sabático; e que eles só tinham adiado usá-los para ungir o corpo até que o descanso sabático tivesse terminado. Nesta “unção”, veja em Jo 19:40.

2 E de manhã muito cedo, o primeiro dia da semana, vieram ao sepulcro, ao nascer do sol.

E muito cedo de manhã – (veja em Mt 28: 1).

o primeiro dia da semana, vieram ao sepulcro, ao nascer do sol – não literalmente, mas “no início da madrugada”; de acordo com um modo de falar não incomum, e ocorrendo às vezes no Antigo Testamento. Assim nosso Senhor ressuscitou no terceiro dia; tendo-se deitado na parte grave da sexta-feira, todo o sábado e parte do seguinte primeiro dia.

3 E diziam umas às outras: Quem rolará para nós a pedra da porta do sepulcro?

E eles disseram entre si – quando se aproximavam do local sagrado.

Quem rolará para nós a pedra da porta do sepulcro? … Pois foi muito grande – Ao alcançá-los, eles encontraram a dificuldade deles – a pedra já foi rolada por uma mão invisível. E não há outros que, quando avançam para o dever em face de dificuldades terríveis, encontrem sua pedra também removida?

4 Pois era muito grande. E quando observaram, viram que já a pedra estava havia sido rolada;
5 e entrando no sepulcro, viram um rapaz sentado à direita, vestido com uma roupa comprida branca; e elas se espantaram.

e entrando no sepulcro, viram um rapaz – Em Mt 28: 2 ele é chamado “o anjo do Senhor”; mas aqui ele é descrito como ele apareceu aos olhos, na flor de uma vida que não conhece decadência. Em Mateus, ele é representado sentado na pedra do lado de fora do sepulcro; mas, mesmo ali, ele diz: “Vem, vê o lugar onde o Senhor estava” (Mt 28: 6), ele parece, como diz Alford, ter ido com eles de fora; apenas aguardando a chegada deles para acompanhá-los até o local sagrado e instruí-los a respeito.

sentado à direita – tendo respeito pela posição em que o Seu Senhor estivera ali. Essa característica é peculiar a Marcos; mas compare com Lc 1:11.

vestido com uma roupa comprida branca – Em seu comprimento, ver Is 6: 1; e em sua brancura, veja em Mt 28: 3.

6 Mas ele lhes disse: Não vos espanteis. Vós buscais a Jesus Nazareno crucificado. Ele já ressuscitou, não está aqui. Eis aqui o lugar onde o puseram.

Mas ele lhes disse: Não vos espanteis – uma palavra mais forte do que “não temais” em Mateus (Mt 28: 5).

Vós, ó Jesus de Nazaré, que foi crucificado! – “o Nazareno, o Crucificado”

Ele está ressuscitado; ele não está aqui – (Veja em Lc 24: 5, Lc 24: 6).

eis o lugar onde eles o colocaram – (Veja em Mt 28: 6).

7 Porém ide, dizei a seus discípulos e a Pedro, que ele vai adiante de para a Galileia; ali o vereis, como ele vos disse.

Porém ide, dizei a seus discípulos e a Pedro – Este Segundo Evangelho, sendo elaborado – como todos os estados de tradição mais antigos – sob o olho de Pedro, ou de materiais principalmente fornecidos por ele, há algo profundamente afetando na preservação deste pequena sentença por Mark sozinho.

que vai adiante de vós para a Galileia; ali o verás, como ele disse a vós – (Veja em Mt 28: 7).

8 Então elas, saindo apressadamente, fugiram do sepulcro, porque temor e espanto as haviam tomado; e não disseram nada a ninguém, porque tinham medo.

E eles saíram rapidamente, e fugiram do sepulcro; pois tremeram e ficaram maravilhados – “por tremor e assombro os apoderaram”.

nem disseram nada a homem algum; pois eles estavam com medo – Quão intensamente natural e simples é isso!

Aparições de Jesus após a sua ressurreição

9 «E havendo ressuscitado pela manhã, no primeiro dia da semana, Jesus apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual havia expulsado sete demônios.

Há alguma dificuldade aqui, e diferentes maneiras de removê-la foram adotadas. Ela tinha ido com as outras mulheres ao sepulcro (Mc 16: 1), separando-se delas, talvez, antes de sua entrevista com o anjo, e ao encontrar Pedro e João, ela tinha vindo com eles de volta ao lugar; e foi nesta segunda visita, parece, que Jesus apareceu a esta Maria, como detalhado em Jo 20: 11-18. Para uma mulher foi esta honra dada a ser a primeira que viu o Redentor ressuscitado, e essa mulher não era sua mãe virgem.

10 Ela se foi, e anunciou aos que estiveram com ele, que estavam tristes e chorando.
11 Quando ouviram que ele estava vivo, e que havia sido visto por ela, eles não creram.

Isto, que é uma vez repetida de todos eles, é mais importante em sua relação com o testemunho subsequente deles à Sua ressurreição, sob o risco. da própria vida.

12 E depois ele apareceu em outra forma a dois deles, que estavam indo pelo caminho ao campo.

Depois disso ele apareceu em outra forma – (compare com Lc 24:16).

dois deles, que estavam indo pelo caminho ao campo – A referência aqui, é claro, é a Sua manifestação aos dois discípulos indo a Emaús, tão primorosamente contada pelo terceiro evangelista (ver em Lc 24:13, etc.).

13 E estes foram anunciar aos outros; mas também não creram neles.

E eles foram e disseram isto ao resíduo: nenhum deles acreditou, etc.

14 Finalmente ele apareceu aos onze, estando eles sentados juntos; e repreendeu pela incredulidade e dureza de coração deles, por não terem crido nos que já o haviam visto ressuscitado.
15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura.

E ele disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura – Veja em Jo 20: 19-23 e veja em Lc 24: 36-49.

16 Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.

Quem crer e for batizado será salvo – O batismo é aqui colocado para a assinatura externa da fé interior do coração, assim como “confessar com a boca” está em Rm 10:10; e lá também como aqui esta manifestação externa, uma vez mencionada como o fruto apropriado da fé, não é repetida no que se segue (Rm 10:11).

mas quem não crer será condenado – Estas questões terríveis da recepção ou rejeição do Evangelho, embora muitas vezes registradas em outras conexões, são dadas neste contexto somente por Marcos.

17 E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas;

E estes sinais seguirão aqueles que crerem… Eles tomarão serpentes – Estes dois versos também são peculiares a Marcos.

18 pegarão serpentes com as mãos; e se beberem algo mortífero, não lhes fará dano algum; porão as mãos sobre os enfermos, e sararão.
19 Então o Senhor, depois de haver lhes falado, foi recebido acima no céu, e sentou-se à direita de Deus.

Mc 16:19, Mc 16:20. A Ascensão e proclamação triunfante do Evangelho depois disso.

Então o Senhor, depois – um epíteto aplicado a Jesus por este evangelista somente em Mc 16:19, Mc 16:20, quando Ele chega à Sua gloriosa Ascensão e seus frutos subsequentes. É mais frequente em Lucas.

tinha falado com eles, ele foi recebido no céu – Veja em Lc 24:50, Lc 24:51.

e sentou-se à direita de Deus – Esta grande verdade está aqui apenas relacionada como um fato na história do Evangelho. Na atitude exaltada, Ele apareceu a Estêvão (At 7:55, At 7:56); e depois disso é perpetuamente referido como Sua condição adequada em glória.

20 E eles saíram e pregaram por todas as partes, com o Senhor operando com eles, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiam. Amém».

Nós temos neste verso de fechamento um elo muito importante de conexão com os Atos dos Apóstolos, onde Ele quem dirigiu todos os movimentos da igreja infantil é perpetuamente denominado “O SENHOR”; ilustrando, assim, a Sua própria promessa para o arredondamento e edificação da Igreja: “Eu estou convosco sempre!”

<Marcos 15 Lucas 1>

Leia também uma introdução ao Evangelho de Marcos.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.