Bíblia, Revisar

Daniel 10

Daniel é consolado por uma visão angelical

1 No terceiro ano de Ciro rei da Pérsia, foi revelada uma palavra a Daniel, cujo nome era chamado Beltessazar; e a palavra é verdadeira, e sobre uma grande guerra; e ele entendeu a palavra, e teve entendimento da visão.

Os décimos ao décimo segundo capítulo descrevem mais completamente a visão no oitavo capítulo por uma segunda visão sobre o mesmo assunto, assim como a visão no sétimo capítulo explica mais completamente que no segundo. O décimo capítulo é o prólogo; o décimo primeiro, a própria profecia; e o décimo segundo, o epílogo. O décimo capítulo desdobra os mundos espirituais como pano de fundo do mundo histórico (Jó 1:7; 2:1, etc; Zc 3:1-2; Ap 12:7) e anjos como ministros de Israel. Governo de Deus dos homens. Como no mundo da natureza (Jo 5:4; Ap 7:1-3), assim no da história aqui; Michael, o campeão de Israel, e com ele outro anjo, cujo objetivo é realizar a vontade de Deus no mundo pagão, resistir ao espírito do mundo oposto a Deus. Essas lutas não são meramente simbólicas, mas reais (1Sm 16:13-15; 1Rs 22:22; Ef 6:12).

terceiro ano de Ciro – dois anos após o decreto de Ciro para a restauração dos judeus tinha saído, de acordo com a oração de Daniel em Dn 9:3-19. Essa visão não fornece apenas esboços gerais ou símbolos, mas detalhes minuciosos do futuro, em suma, a história antecipada. É a expansão da visão em Dn 8:1-14. Aquilo que então “ninguém entendeu”, ele diz aqui, “ele entendeu”; o mensageiro sendo enviado a ele por isso (Dn 10:11,14), para fazê-lo entender. Provavelmente Daniel não estava mais no cargo na corte; pois em Dn 1:21, é dito: “Daniel continuou até o primeiro ano do rei Ciro”; não que ele morreu então. Veja em Dn 1:21.

mas o tempo designado foi longo – antes, “isto (a profecia) se referia a grande calamidade” [Maurer]; ou “guerra longa e calamitosa” (Gesenius). Literalmente, “host indo para a guerra”; daí, guerra, calamidade.

2 Naqueles dias eu, Daniel, me entristeci durante três semanas completas.

entristeci – isto é, me afligindo jejuando de “pão, carne e vinho agradáveis” (Dn 10:3), como um sinal de tristeza, não por si mesmo. Compare Mt 9:14, “jejuando”, respondendo a “chorar” (Dn 10:15). Compare 1Co 8:8; 1Tm 4:3, que prova que o jejum não é uma obrigação cristã indispensável; mas meramente uma expressão externa de tristeza e separação dos prazeres mundanos comuns, a fim de dar o próprio eu à oração (At 13:2). O luto de Daniel provavelmente foi por seus compatriotas, que encontraram muitos impedimentos para a construção do templo, de seus adversários na corte persa.

3 Não comi alimento agradável, nem carne nem vinho entrou em minha boca, nem me untei com unguento, até que se completassem três semanas.

nenhum pão agradável – “pão sem fermento, pão da aflição” (Dt 16:3).

unção – Os persas usaram amplamente unguentos.

4 E aos vinte e quatro dias do primeiro mês, estava eu na margem do grande rio Tigre;

primeiro mês – Nisan, o mês mais adequado para considerar a calamidade de Israel, sendo aquele em que a festa dos pães ázimos lembrou-lhes de sua servidão egípcia. Daniel lamentou não apenas pelos sete dias marcados (Êx 12:18), desde a tarde do dia 14 até o vigésimo primeiro de Nisã, mas por três dias, para marcar tristeza extraordinária. Seu luto terminou no vigésimo primeiro dia, o dia de encerramento da festa da Páscoa; mas a visão não é até o vigésimo quarto, por causa da oposição do “príncipe da Pérsia” (Dn 10:13).

estava eu na margem do grande rio na realidade em vigília, não em transe (Dn 10:7); quando mais jovem, ele viu o futuro em imagens, mas agora, quando velho, ele recebe revelações de anjos em linguagem comum, isto é, no modo apocalíptico. No período patriarcal, Deus frequentemente aparecia visivelmente, isto é, teofania. Nos profetas, a seguir, na sucessão, o caráter interno da revelação é proeminente. A consumação é quando o vidente olha da terra para o mundo invisível e tem o futuro mostrado a ele pelos anjos, isto é, apocalipse. Assim, no Novo Testamento, há uma progressão paralela: Deus na carne, a atividade espiritual dos apóstolos e o apocalipse (Auberlen).

Hiddekel – o Tigre.

5 Então levantei meus olhos, e olhei, e eis um homem vestido de linho, e cingidos seus lombos de ouro fino de Ufaz;

ergui meus olhos – do chão em que haviam sido fixados em seu luto.

eis um homem – literalmente, “um homem”. Um anjo da mais alta ordem; pois em Dn 8:16 ele ordena que Gabriel faça Daniel entender a visão, e em Dn 12:6 um dos dois anjos lhe indaga quanto tempo levaria até o fim predito.

linho – a vestimenta dos sacerdotes, sendo o símbolo da santidade, mais pura do que a lã (Êx 28:42); também dos profetas (Jr 13:1); e dos anjos (Ap 15:6).

cingido com … ouro – isto é, com um cinto entrelaçado com ouro (Ap 1:13).

6 E seu corpo era como berilo, seu rosto parecia um relâmpago; seus olhos eram como tochas de fogo, e seus braços e seus pés como de cor de bronze polido; e a voz de suas palavras era como a voz de uma multidão.

berilo – literalmente, “Tarshish”, na Espanha. O berilo, idêntico ao crisólito ou topázio, foi importado para o leste de Társis e, portanto, é chamado de “pedra de Társis”.

7 E somente eu, Daniel, vi aquela visão, e os homens que estavam comigo não a viram; porém caiu sobre eles um grande temor, de tal modo que fugiram e se esconderam.

eles fugiram – aterrorizados pela presença da presença do anjo.

8 Fiquei, pois, eu só, e vi esta grande visão, e não ficou em mim força alguma; antes minha boa aparência se tornou em palidez, sem reter força alguma.

Comeliness – literalmente, “vigor”, isto é, expressão viva e cor.

na corrupção – “letalidade”, isto é, palidez semelhante à morte (Dn 5:6; 7:28).

9 Porém ouvi a voz de suas palavras; e enquanto ouvia a voz de suas palavras, eu caí em profundo sono sobre meu rosto, com meu rosto em terra.

voz de suas palavras – o som de suas palavras.

Eu estava em um sono profundo – “Eu mergulhei em um sono profundo” [Lengkerke].

10 E eis que uma mão me tocou, e fez que eu me movesse sobre meus joelhos, e sobre as palmas de minhas mãos.

uma mão – a saber, de Gabriel, que interpretou outras revelações para Daniel (Dn 8:16) (Theodoret).

coloquei-me de joelhos – traduz Gesenius, “faça-me ficar de joelhos”, etc.

11 E disse-me: Daniel, homem muito querido, entende as palavras que falarei contigo, e levanta-te sobre teus pés; porque agora sou enviado a ti. E enquanto ele falava comigo esta palavra, eu estava tremendo.

amado – (Veja em Dn 9:23).

entenda – “atenda a”. Veja Dn 8:17-18.

12 E ele me disse: Não temas, Daniel; porque desde o primeiro dia em que deste teu coração a entender, e a te afligir na presença de teu Deus, foram ouvidas tuas palavras; e foi por causa de tuas palavras que eu vim.

Não tenha medo – não se assuste com a minha presença.

puseste o teu coração a compreender – o que acontecerá ao teu povo nos últimos tempos (compare Dn 10:14).

castiga a ti mesmo – (Dn 10:2-3).

foram ouvidas tuas palavras – (At 10:4). A oração é ouvida imediatamente no céu, embora a resposta sensata pareça estar atrasada. O mensageiro de Deus foi detido no caminho (Dn 10:13) pela oposição dos poderes das trevas. Se em nossas orações em meio a longas e prolongadas tristezas, acreditamos que o anjo de Deus está a caminho de nós, que consolo isso nos daria!

pelas tuas palavras – por causa das tuas orações.

13 Mas o príncipe do reino da Pérsia se pôs contra mim por vinte e um dias; e eis que Miguel, um dos principais chefes, veio para me ajudar, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia.

Pérsia – o anjo das trevas que representava o poder mundial persa, ao qual Israel estava sujeito. Este versículo dá a razão pela qual, embora as “palavras de Daniel tenham sido ouvidas desde o primeiro dia” (Dn 10:12), o bom anjo não veio até ele mais de três semanas (Dn 10:4).

um e vinte dias – respondendo às três semanas do luto de Daniel (Dn 10:2).

Miguel – isto é, “Quem é semelhante a Deus?” Embora um arcanjo, “um dos principais príncipes”, Michael não fosse comparado a Deus.

ajude-me – Miguel, como patrono de Israel diante de Deus (Dn 10:21; 12:1), “ajudou” a influenciar o rei persa a permitir que os judeus retornassem a Jerusalém.

eu fiquei – fiquei preso lá com os reis da Pérsia, isto é, com o anjo dos governantes persas, com quem tive que lutar, e de quem não deveria ter me libertado, mas para a ajuda de Michael. Gesenius traduz: “Eu obtive a ascendência”, isto é, eu ganhei o meu ponto contra o anjo adverso da Pérsia, de modo a influenciar as autoridades persas a favorecer a restauração de Israel.

14 Agora vim para te fazer entender o que irá acontecer a teu povo nos últimos dias; porque a visão ainda é para muitos dias;

o que irá acontecer a teu povo nos últimos dia – uma indicação de que a profecia, além de descrever os feitos de Antíoco, chega às calamidades finais da história de Israel, antes da completa restauração da nação na vinda de Cristo – calamidades de que as perseguições de Antíoco eram do tipo.

a visão é por muitos dias – isto é, se estende para o futuro.

15 E tendo ele falado comigo estas palavras, abaixei meu rosto em terra, e emudeci.

de frente para o chão – em humilde reverência (Gn 19:1).

mudo – com admiração esmagadora.

16 E eis que alguém semelhante aos filhos dos homens tocou meus lábios. Então abri minha boca, e falei, e disse ao que estava diante de mim: Meu senhor, por causa da visão minhas dores se tornam sobre mim, sem que eu retenha força alguma.

tocou meus lábios – a mesma ação significativa com a qual o Filho do homem acompanhou Sua cura do mudo (Mc 7:33). Só ele pode dar expressão espiritual (Is 6:6-7; Ef 6:19), permitindo que alguém “abra a boca com ousadia”. O mesmo que se torna mudo (Dn 10:15) abre a boca.

tristezas – literalmente, “contorções” como de uma mulher em trabalho de parto.

17 Como pode, pois, o servo de meu senhor falar com este meu senhor? Pois desde agora não resta força em mim, e não me ficou fôlego.

isto… este meu senhor – para evitar a tautologia na versão inglesa, junte-se um pouco “isto”, com “servo”, “como pode este servo de meu senhor (isto é, como posso eu que sou tão débil) falar com este meu senhor (quem é tão majestoso)? ”Assim, Daniel dá a razão pela qual ele está tão sobrecarregado com admiração (Maurer)

18 E aquele que parecia com um homem me tocou outra vez, e me confortou;

novamente … me tocou – Foi gradualmente que Daniel recuperou sua força. Por isso, havia necessidade do segundo toque, para que ele pudesse ouvir o anjo com compostura.

19 E disse: Não temas, homem querido, paz seja contigo; sê forte! Sê forte! E tendo ele falado comigo, fortaleci-me, e disse: Fale meu senhor, pois tu me fortaleceste.

paz seja contigo – Deus é favorável a ti e ao teu povo Israel. Veja Jz 13:21-22, quanto ao medo de algum mal resultante de uma visão de anjos.

20 E ele disse: Sabes por que vim ti? Pois agora voltarei para lutar contra o príncipe da Pérsia; e quando eu sair, eis que virá o príncipe da Grécia.

Sabes tu, portanto, – O anjo pergunta, depois de Daniel ter se recuperado de seu susto, se ele entendeu o que foi revelado (Dn 10:13). Em Daniel, pelo seu silêncio, insinuando que ele entendeu, o anjo declara que ele retornará para renovar a luta com o anjo do mal, o príncipe da Pérsia. Isso aponta para novas dificuldades para a restauração dos judeus, que surgiria na corte persa, mas que seria neutralizada por Deus, através do ministério dos anjos.

virá o príncipe da Grécia – Alexandre, o Grande, que conquistou a Pérsia e favoreceu os judeus (Calvino). Em vez disso, como o príncipe da Pérsia é um anjo, representando o poder mundial hostil, também o príncipe da Grécia é um novo adversário angélico, representando a Grécia. Quando saí de conquistar o inimigo persa, um novo começa, a saber, o poder mundial que sucede a Pérsia, a Grécia; Antíoco Epifânio e seu antítipo antitristal, mas ele também, com a ajuda de Michael, campeão de Israel, superarei [Gejer].

21 Porém eu te declararei o que está escrito na escritura de verdade; e ninguém há que se esforce comigo contra eles, a não ser Miguel, vosso príncipe.

declararei o que está escrito na escritura de verdade – no livro secreto dos decretos de Deus (Sl 139:16; Ap 5:1), que são a verdade, isto é, as coisas que certamente irão acontecer, sendo determinadas por Deus ( compare Jo 17:17).

nenhum… mas Michael – para ele só dos anjos o escritório de proteger Israel, em concerto com o falante angélico, foi delegado; todas as potências mundiais estavam contra Israel.

<Daniel 9 Daniel 11>

Leia também uma introdução ao Livro de Daniel.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.