Livro

Livro de Daniel

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!

Introdução ao livro de Daniel

O livro de Daniel é classificado pelos judeus nessa divisão de sua Bíblia chamada de Hagiographa (Heb. Khethubim) ou escritos.

Estrutura do livro de Daniel

O livro de Daniel pode ser divido em duas partes distintas. A primeira parte, composta pelos primeiros seis capítulos, é principalmente histórica; e a segunda parte, composta pelos seis capítulos restantes, é principalmente profética.

A parte histórica do livro aborda o período do Cativeiro. Daniel é “o historiador do Cativeiro, o escritor que sozinho fornece toda série de eventos para aquele período sombrio e melancólico durante o qual a harpa de Israel ficou pendurada nas árvores que cresceram no Eufrates. Sua narrativa pode ser considerada em geral como uma intermediação entre Reis e Crônicas, por um lado, e Esdras, por outro, ou (mais estritamente) para preencher o esboço que o autor das Crônicas apresenta em um único verso em seu último capítulo: ‘Os que restaram da espada foram passados à Babilônia; e foram servos dele (Nabucodonosor) e de seus filhos, até que veio o reino dos persas;’” (2Cr 36:20).

A parte profética consiste em três visões e uma comunicação profética alongada.

Autor do livro de Daniel

A genuinidade deste livro tem sido muito disputada, mas os argumentos a seu favor estabelecem plenamente suas reivindicações. (1) Nós temos o testemunho de Cristo (Mt 24:15; 25:31; 26:64) e seus apóstolos (1Co 6:2; 2Ts 2:3) para sua autoridade; e (2) o importante testemunho de Ezequiel (Ez 14:14,20; 28:3). (3) O caráter e registros do livro também estão inteiramente em harmonia com os tempos e circunstâncias em que o autor viveu. (4.) O caráter linguístico do livro é, além disso, exatamente como se poderia esperar. Certas partes (Dn 2:4; 7) estão escritas na língua Caldéia; e as partes escritas em hebraico estão em um estilo e forma tendo uma estreita afinidade com os livros posteriores do Antigo Testamento, especialmente com o de Esdras. O escritor está familiarizado tanto com o hebraico como com o caldeu, passando de um para o outro exatamente como seu assunto exigia. Isso está em estrita concordância com a posição do autor e das pessoas para quem seu livro foi escrito. Que Daniel é o escritor deste livro também é testemunhado no próprio livro (Dn 7:1,28; 8:2; 9:2; 10:1-2; 12:4-5).

Adaptado de: Illustrated Bible Dictionary (Daniel, Book of)

Conteúdos recomendados