Bíblia

Gênesis 21

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!

O nascimento de Isaque

1 E o SENHOR visitou Sara, como disse, e o SENHOR fez com Sara como havia falado.

o SENHOR visitou Sara – A linguagem do historiador parece designadamente escolhida para magnificar o poder de Deus, bem como a fidelidade à sua promessa. Foi a graça de Deus que possibilitou esse acontecimento, bem como a criação de filhos espirituais para Abraão, dos quais o nascimento deste filho era típico (Calvino). [JFB]

2 E concebeu e deu à luz Sara a Abraão um filho em sua velhice, no tempo que Deus lhe havia dito.

em sua velhiceGn 21:7; 18:11; 24:36; 37:3; 44:20.

no tempo –  Gn 17:21.

É a este versículo que se faz alusão em Hebreus 11:11, “pela fé até a própria Sara recebeu o poder de conceber a semente, quando já era idosa, por ter considerado fiel aquele que tinha prometido”. [Cambridge]

3 E chamou Abraão o nome de seu filho que lhe nasceu, que lhe deu à luz Sara, Isaque.

Isaque. O nome significa, ele rirá, ou rir. Foi dado para comemorar o riso e a grande alegria mencionados em Gn 21:6, e em Gn 17:19; 18:12. [Whedon]

4 E circuncidou Abraão a seu filho Isaque de oito dias, como Deus lhe havia mandado.

Deus foi reconhecido em nome que, por ordem divina, foi dado por um memorial (compare Gn 17:19), e também na dedicação do filho pela administração do selo do pacto (compare Gn 17:10-12). [JFB]

5 E era Abraão de cem anos, quando lhe nasceu Isaque seu filho.

cem anos – Hebreus, filho de cem anos. Notável e memorável o fato de que o pai dos fiéis era o filho de cem anos – um século de idade – quando o filho nasceu, através do qual se tornaria “herdeiro do mundo”. Rm 4:13. [Whedon]

6 Então disse Sara: Deus me fez rir, e qualquer um que o ouvir, se rirá comigo.

Então disse Sara. Esse é o magnificat de Sara (Gn 21:6-7), e pode ser comparado com Lucas 1:46-55. Nunca antes Sara tinha sentido tanta alegria, ou expressado algo com tanto fervor profético. [Whedon]

7 E acrescentou: Quem diria a Abraão que Sara havia de dar de mamar a filhos? Pois que lhe dei um filho em sua velhice.

E acrescentou. Esse é o magnificat de Sara (Gn 21:6-7), e pode ser comparado com Lucas 1:46-55. Nunca antes Sara tinha sentido tanta alegria, ou expressado algo com tanto fervor profético. [Whedon]

8 E cresceu o menino, e foi desmamado; e fez Abraão grande banquete no dia que foi desmamado Isaque.

E cresceu o menino, e foi desmamado – as crianças são amamentadas por mais tempo no Oriente do que no Ocidente – os por meninos geralmente dois ou três anos.

e fez Abraão grande banquete…- Nos países orientais, esta é sempre uma época de festividade, e a criança recém-desmamada é formalmente trazida, na presença dos parentes e amigos reunidos, para participar desse banquete. Isaque, vestido com o manto simbólico, o emblema da primogenitura, foi então admitido como herdeiro da tribo (Rosenmuller). [JFB]

9 E viu Sara ao filho de Agar a egípcia, o qual havia esta dado a Abraão, que o ridicularizava.

ridicularizava – Ismael estava ciente da grande mudança em suas perspectivas, e sob o impulso de sentimentos irritados ou ressentidos, em que ele provavelmente foi acompanhado por sua mãe, tratou o jovem herdeiro com escárnio e, provavelmente, um pouco de violência (Gl 4:29). [JFB]

10 Portanto disse a Abraão: Expulsa a esta serva e a seu filho; que o filho desta serva não herdará com meu filho, com Isaque.

Nada além da expulsão de ambos poderia agora preservar a harmonia na casa. A perplexidade de Abraão foi aliviada por um anúncio da vontade divina, que em tudo, por mais doloroso que seja para a carne e o sangue, todos os que temem a Deus e estão caminhando em Seus caminhos obedecerão prontamente, como ele. Esta história, como o apóstolo nos diz, em “uma ilustração” (Gl 4:24), e a “perseguição” pelo filho do egípcio foi o início dos 400 anos de aflição da descendência de Abraão pelos egípcios. [JFB]

11 Este dito pareceu grave em grande maneira a Abraão por causa de seu filho.

Este dito pareceu grave em grande maneira. Abraão estava descontente, porque amava seu filho. A sugestão de Sara, no entanto, estava de acordo com o tratamento severo dado aos escravos. Abraão não levanta nenhuma objeção com base na humanidade comum, honra ou razão, à proposta de expulsar Ismael e Agar. [Cambridge]

12 Então disse Deus a Abraão: Não te pareça grave por causa do jovem e de tua serva; em tudo o que te disser Sara, ouve sua voz, porque em Isaque será chamada tua descendência.

em tudo o que te disser Sara – é chamado de Escritura (Gl 4:30).

13 E também do filho da serva farei nação, porque é descendência tua.

E também do filho da serva farei nação – Assim a Providência anulou uma briga de família para dar origem a dois grandes e extraordinários povos. [JFB]

A expulsão de Ismael e Hagar

14 Então Abraão se levantou manhã muito cedo, e tomou pão, e um odre de água, e deu-o a Agar, pondo-o sobre seu ombro, e entregou-lhe o jovem, e despediu-a. E ela partiu, e andava errante pelo deserto de Berseba.

Então Abraão se levantou manhã muito cedo… – cedo, para que os viajantes pudessem chegar a um refúgio antes do meio-dia. Pão inclui todos os tipos de alimentos – frasco, um recipiente de couro, formado da pele inteira de um cordeiro ou cabrito costurado para cima, com as pernas para alças, geralmente carregado sobre o ombro. Ismael era um rapaz de dezessete anos, e é muito comum que os chefes árabes enviem seus filhos em tal idade para fazer por si mesmos: muitas vezes com apenas alguns dias de provisões em um saco.

e andava errante pelo deserto de Berseba – na fronteira sul da Palestina, mas fora da direção comum, um amplo deserto estendendo-se, onde eles perderam o seu caminho. [JFB]

15 E faltou a água do odre, e deitou ao jovem debaixo de uma árvore;

Ismael afundou exausto de cansaço e sede – sua mãe deitou a cabeça sob um dos arbustos para sentir o cheiro da umidade enquanto ela mesma, incapaz de testemunhar o sofrimento dele, sentou-se a uma pequena distância em tristeza sem esperança. [JFB]

16 E foi-se e sentou-se em frente, afastando-se como um tiro de arco; porque dizia: Não verei quando o jovem morrer: e sentou-se em frente, e levantou sua voz e chorou.

como um tiro de arco. Longe como um tiro com arco; isto é, o mais longe que podem atirar uma flecha. [Whedon]

17 E ouviu Deus a voz do jovem; e o Anjo de Deus chamou a Agar desde o céu, e lhe disse: Que tens, Agar? Não temas; porque Deus ouviu a voz do jovem onde está.

Anjo de Deus – Não o anjo de Jeová, que a encontrou antes (Gn 16:7). Isto não era uma aparência, mas uma voz do céu, respondendo à sua voz (Gn 21:16) e à voz do menino.

Deus ouviu a voz do jovem – da qual parece que chorou tanto quanto sua mãe. [Whedon]

18 Levanta-te, ergue ao jovem, e pegue-o por tua mão, porque farei dele uma grande nação.

pegue-o por tua mão – Ela não deveria rejeitá-lo, mas sim ir e segurar sua mão novamente, e segurá-la firmemente, confiante de que a antiga promessa (Gn 16:10-12) seria cumprida. [Whedon]

19 Então abriu Deus os olhos dela, e ela viu uma fonte de água; e foi, e encheu o odre de água, e deu de beber ao jovem.

Deus os olhos dela – Ela esqueceu-se da promessa (Gn 16:11)? Quer ela olhasse para Deus ou não, Ele a olhou e a dirigiu para uma fonte próxima a ela, mas provavelmente escondida no meio do mato, junto às águas das quais seu filho quase morrendo foi revivido. [JFB]

20 E foi Deus com o jovem; e cresceu, e habitou no deserto, e foi atirador de arco.

foi atirador de arco. Ismael se tornou cada vez mais um hábil arqueiro. Seus descendentes foram muito depois notáveis pelo uso do arco (Is 21:17). [Whedon]

21 E habitou no deserto de Parã; e sua mãe lhe tomou mulher da terra do Egito.

E foi Deus com o jovem… – Parã (isto é, Arábia), onde sua descendência habita (compare Gn 16:12; também Is 48:19; 1Pe 1:25).

sua mãe lhe tomou mulher – Na morte de um pai, a mãe procura uma esposa para seu filho, ainda que jovem; e como Ismael estava agora praticamente privado de seu pai, sua mãe começou a formar uma ligação matrimonial para ele, parece, entre seus parentes. [JFB]

O acordo entre Abraão e Abimeleque

22 E aconteceu naquele mesmo tempo que falou Abimeleque, e Ficol, príncipe de seu exército, a Abraão dizendo: Deus é contigo em tudo quanto fazes.

Abimeleque, e Ficol – Aqui uma prova da promessa (Gn 12:2) sendo cumprida, em um príncipe nativo que deseja formar uma aliança solene com Abraão. A proposta era razoável e concordou (Gn 21:24). [JFB]

23 Agora, pois, jura-me aqui por Deus, que não tratarás com falsidade a mim, nem a meu filho, nem a meu neto; mas sim que conforme a bondade que eu fiz contigo, farás tu comigo e com a terra onde peregrinaste.

não tratarás com falsidade a mim. Talvez a duplicidade de Abraão na questão de Sara tenha instigado Abimeleque a pedir esse juramento. Ele temia a sua astúcia e sagacidade. [Whedon]

24 E respondeu Abraão: Eu jurarei.

Consciente dos muitos favores que havia recebido de Abimeleque anteriormente, e com os quais ainda era indulgente, ele concordou muito prontamente com sua proposta; e o melhor, como ele sabia pela visão recebida de Deus, que seriam quatrocentos anos antes que sua descendência tomasse posse da terra de Canaã; e portanto podia fazer um juramento que nem ele, nem seu filho, nem seu neto, seriam prejudicados ou expropriados. [Gill]

25 E Abraão reclamou com Abimeleque por causa de um poço de água, que os servos de Abimeleque lhe haviam tirado.

E Abraão reclamou. Disputas sobre poços são algumas das causas mais comuns de conflitos entre as tribos beduínas. A queixa de Abraão é que os seus servos haviam cavado poços; que os servos de Abimeleque haviam tomado posse violentamente deles; e que não tinha havido nenhuma reparação. A ocasião do acordo favorecia uma solução para a disputa. [Cambridge]

26 E respondeu Abimeleque: Não sei quem tenha feito isto, nem tampouco tu me fizeste saber, nem eu o ouvi até hoje.

Não sei. Ou, eu não sabia. Com esse protesto, Abimeleque repreende Abraão, como se não tivesse sido franco com ele. [Whedon]

27 E tomou Abraão ovelhas e vacas, e deu a Abimeleque; e fizeram ambos aliança.

Abraão dá um presente, segundo o costume, na conclusão de um acordo (compare 1Rs 15:19) e como garantia de sua boa fé.

fizeram ambos aliança. Compare com Gn 15:18; 26:31. [Cambridge]

28 E pôs Abraão sete cordeiras do rebanho à parte.

sete cordeiras do rebanho. As sete cordeiras que Abraão aqui separa serão entregues a Abimeleque, se ele reconhecer que Abraão é o dono do poço, e confirmar o pacto com um juramento. O número “sete” (sheba’) é uma das explicações do nome “Berseba”. [Cambridge]

29 E disse Abimeleque a Abraão: Que significam essas sete cordeiras que puseste à parte?

sete cordeiras. As sete cordeiras que Abraão aqui separa serão entregues a Abimeleque, se ele reconhecer que Abraão é o dono do poço, e confirmar o pacto com um juramento. O número “sete” (sheba’) é uma das explicações do nome “Berseba”. [Cambridge]

30 E ele respondeu: Que estas sete cordeiras tomarás de minha mão, para que me sejam em testemunho de que eu cavei este poço.

para que me sejam em testemunho. A pergunta de Abimeleque e a resposta de Abraão são possivelmente os termos práticos desse tipo de transação. A transferência das sete cordeiras era uma ” testemunha” de que Abraão havia sido reconhecido por Abimeleque como tendo cavado o poço. Não há qualquer menção de documento ou escrita no acordo. [Cambridge]

31 Por isto chamou a aquele lugar Berseba; porque ali ambos juraram.

Abraão reclamou com Abimeleque por causa de um poço de água – Os poços eram de grande importância para um chefe pastoral, e na realização bem-sucedida de perfurar em novo, o proprietário era solenemente informado pessoalmente. No entanto, se lhes fosse autorizado repará-lo, o restaurador adquiria o direito sobre eles. Em terras desocupadas, a posse de poços dava direito de propriedade na terra, e o temor disso havia causado a ofensa pela qual Abraão repreendia Abimeleque. Alguns descrevem quatro, outros cinco, poços em Berseba. [JFB]

32 Assim fizeram aliança em Berseba: e levantaram-se Abimeleque e Ficol, príncipe de seu exército, e se voltaram à terra dos filisteus.

se voltaram à terra dos filisteus – isto é, de Berseba para o seu próprio país; não, deve ser lembrado, o que mais tarde foi postulado pela nação filisteu – o Sefelá, ou terras baixas, a extensa planície fértil na costa do Mediterrâneo – mas o reino de Gerar, como descrito acima.. [JFU]

33 E plantou Abraão um bosque em Berseba, e invocou ali o nome do SENHOR Deus eterno.

E plantou Abraão um bosque – Hebraico, “de tamariscos”, em que a adoração sacrificial era oferecida, como em um templo sem teto. [JFB]

34 E morou Abraão na terra dos filisteus por muitos dias.

A Berseba em si não estava no território filisteu, mas no deserto onde os rebanhos de Abimeleque e Abraão pastaram igualitariamente. O patriarca, cujo grande assentamento exigia um extenso território de pastagem, tinha mais espaço em Berseba do que em Hebrom e, portanto, esta tornou-se sua principal residência, seus numerosos servos que lhe permitiram manter à distância os saqueadores amalequitas, que se estabeleceram nas fronteiras do deserto. Wilton mostrou (‘Negeb’) que a expressão “muitos dias” significa pelo menos três anos, de uma comparação de 1 Reis 2:38 com Gn 21:39 , e de Atos 9:23 com Gl 1:18. [JFU]

<Gênesis 20 Gênesis 22>

Introdução à Gênesis 21

A tão aguardada bênção de um filho para Abraão e Sara é concedida; e Isaque, o filho da promessa, nasce. Gênesis 21 relata esse importante evento. A expulsão de Ismael, o filho de Agar, a escrava, também é registrada, com as circunstâncias que a acompanham. Alguns assuntos menores, que ocorreram na família de Abraão, e um pacto de amizade, que o Patriarca celebrou com Abimeleque; formam o restante dos detalhes, relacionados nesse Capítulo.

Leia também uma introdução ao livro do Gênesis.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible e Poor Man’s Commentary. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados