Bíblia, Revisar

Gênesis 26

Isaque em Gerar

1 E houve fome na terra, além da primeira fome que foi nos dias de Abraão: e foi-se Isaque a Abimeleque rei dos filisteus, em Gerar.

A pressão da fome em Canaã forçou Isaque com sua família e os rebanhos a migrar para a terra dos filisteus, onde ele foi exposto ao perigo pessoal, como seu pai havia feito por causa da beleza de sua esposa; mas através da intervenção da Providência, ele foi preservado (Sl 105:14-15).

2 E apareceu-lhe o SENHOR, e disse-lhe: Não desças ao Egito: habita na terra que eu te disser;
3 Habita nesta terra, e serei contigo, e te abençoarei; porque a ti e à tua descendência darei todas estas terras, e confirmarei o juramento que jurei a Abraão teu pai:
4 E multiplicarei tua descendência como as estrelas do céu, e darei à tua descendência todas estas terras; e todas as nações da terra serão abençoadas em tua descendência.
5 Porquanto ouviu Abraão minha voz, e guardou meu preceito, meus mandamentos, meus estatutos e minhas leis.
6 Habitou, pois, Isaque em Gerar.
7 E os homens daquele lugar lhe perguntaram acerca de sua mulher; e ele respondeu: É minha irmã; porque teve medo de dizer: É minha mulher; que talvez, disse, os homens do lugar me matem por causa de Rebeca; porque era de belo aspecto.
8 E sucedeu que, depois que ele esteve ali muitos dias, Abimeleque, rei dos filisteus, olhando por uma janela, viu a Isaque que acariciava Rebeca sua mulher.
9 E chamou Abimeleque a Isaque, e disse: Eis que ela é certamente tua mulher: como, pois, disseste: É minha irmã? E Isaque lhe respondeu: Porque disse: Talvez eu morra por causa dela.
10 E Abimeleque disse: Por que nos fizeste isto? Por pouco haveria dormido alguém do povo com tua mulher, e haverias trazido sobre nós o pecado.
11 Então Abimeleque mandou a todo o povo, dizendo: O que tocar a este homem ou a sua mulher certamente morrerá.
12 E semeou Isaque naquela terra, e achou aquele ano cem por um: e o SENHOR o abençoou.

E semeou Isaque naquela terra – Durante sua permanência naquela região, ele cultivou um pedaço de terra que, pela bênção de Deus em sua habilidade e indústria, foi muito produtivo (Is 65:13; Sl 37:19); e por seus abundantes retornos ele aumentou tão rapidamente em riqueza e influência que os filisteus, com medo ou inveja de sua prosperidade, obrigaram-no a deixar o lugar (Pv 27:4; Ec 4:4). Isso pode ser ilustrado pelo fato de muitos pastores sírios, hoje em dia, se contentarem com um ano ou dois em um lugar, alugando algum terreno, no produto do qual eles negociam com o mercado vizinho, até que os donos, por ciúmes de sua crescente substância. , recusar-se a renovar o seu contrato de arrendamento e obrigá-los a remover em outro lugar.

13 E o homem se engrandeceu, e foi engrandecendo-se cada vez mais, até fazer-se muito poderoso:
14 E teve rebanho de ovelhas, e rebanho de vacas, e grande número de servos; e os filisteus tiveram inveja dele.
15 E todos os poços que os criados de Abraão seu pai haviam aberto em seus dias, os filisteus os haviam fechado e enchido da terra.

O mesmo estratagema básico para aborrecer aqueles contra os quais eles se ressentiram ainda é praticado sufocando os poços com areia ou pedras, ou profanando-os com carcaças pútridas.

16 E disse Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós, porque muito mais poderoso que nós te fizeste.
17 E Isaque se foi dali; e assentou suas tendas no vale de Gerar, e habitou ali.

vale de Gerar – cama de torrente ou wady, uma vasta planície ondulante, desocupada e proporcionando bom pasto.

18 E voltou a abrir Isaque os poços de água que haviam aberto nos dias de Abraão seu pai, e que os filisteus haviam fechado, depois de Abraão ter morrido; e chamou-os pelos nomes que seu pai os havia chamado.
19 E os servos de Isaque cavaram no vale, e acharam ali um poço de águas vivas.
20 E os pastores de Gerar brigaram com os pastores de Isaque, dizendo: A água é nossa: por isso chamou o nome do poço Eseque, porque haviam brigado com ele.
21 E abriram outro poço, e também brigaram sobre ele: e chamou seu nome Sitna.
22 E apartou-se dali, e abriu outro poço, e não brigaram sobre ele: e chamou seu nome Reobote, e disse: Porque agora nos fez alargar o SENHOR e frutificaremos na terra.

Isaac cavou novamente os poços de água – A nomeação de poços por Abraão, e o direito hereditário de sua família à propriedade, a mudança dos nomes pelos filisteus para obliterar os vestígios de sua origem, a restauração dos nomes por Isaac, e as disputas entre os respectivos pastores com a posse exclusiva da água, são circunstâncias que ocorrem entre os nativos nessas regiões tão frequentemente nos dias atuais quanto no tempo de Isaque.

23 E dali subiu a Berseba.
24 E apareceu-lhe o SENHOR aquela noite, e disse: Eu sou o Deus de Abraão teu pai: não temas, que eu sou contigo, e eu te abençoarei, e multiplicarei tua descendência por causa do meu servo Abraão.
25 E edificou ali um altar, e invocou o nome do SENHOR, e estendeu ali sua tenda: e abriram ali os servos de Isaque um poço.

O acordo entre Isaque e Abimeleque

26 E Abimeleque veio a ele desde Gerar, e Auzate, amigo seu, e Ficol, capitão de seu exército.
27 E disse-lhes Isaque: Por que vindes a mim, pois que haveis me odiado, e me expulsastes dentre vós?
28 E eles responderam: Vimos que o SENHOR é contigo; e dissemos: Haja agora juramento entre nós, entre nós e ti, e faremos aliança contigo:
29 Que não nos faças mal, como nós não te tocamos, y como somente te fizemos bem, e te enviamos em paz: tu agora, bendito do SENHOR.
30 Então ele lhes fez banquete, e comeram e beberam.
31 E se levantaram de madrugada, e juraram um ao outro; e Isaque os despediu, e eles se partiram dele em paz.
32 E naquele dia sucedeu que vieram os criados de Isaque, e deram-lhe notícias acerca do poço que haviam aberto, e lhe disseram: Achamos água.
33 E chamou-o Seba: por cuja causa o nome daquela cidade é Berseba até hoje.

Então Abimeleque foi até ele – Como havia um lapso de noventa anos entre a visita de Abraão e Isaque, o Abimeleque e o Phichol falados devem ter sido diferentes ‘títulos oficiais. Aqui está outra prova da promessa (Gn 12:2) sendo cumprida, em uma abertura de paz sendo feita a ele pelo rei de Gerar. Seja qual for o motivo que a proposta foi ditada – se o medo de seu poder crescente, ou arrependimento pelo mau uso que haviam dado a ele, o rei e dois dos seus cortesãos fizeram uma visita à tenda de Isaque (Pv 16:7). Seu temperamento tímido e passivo se submetera aos aborrecimentos de seus rudes vizinhos; mas agora que desejam renovar o pacto, ele manifesta profundo sentimento por sua conduta e temor de sua segurança ou artifício ao se aproximar dele. Sendo, no entanto, de uma disposição pacífica, Isaac perdoou sua ofensa, aceitou suas propostas e as tratou para o banquete pelo qual a ratificação de um pacto era geralmente coroada.

34 E quando Esaú foi de quarenta anos, tomou por mulher a Judite filha de Beeri heteu, e a Basemate filha de Elom heteu:

tomou por mulher – Se os sentimentos piedosos de Abraão recuassem da ideia de Isaque formando uma conexão matrimonial com uma mulher cananéia [Gn 24:3], aquele próprio patriarca devoto seria igualmente oposto a tal união por parte de seus filhos; e podemos facilmente imaginar o quanto seu coração piedoso foi ferido e a paz da família destruída, quando seu filho favorito, mas rebelde, trouxe nada menos do que duas esposas idólatras entre eles – uma prova adicional de que Esaú não desejava a bênção nem temia a maldição de Deus. . Essas esposas nunca obtiveram a afeição de seus pais, e esse afastamento foi anulado por Deus por manter a família escolhida distante dos perigos da influência pagã.

35 E foram amargura de espírito a Isaque e a Rebeca.
<Gênesis 25 Gênesis 27>

Leia também uma introdução ao livro do Gênesis.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.