Bíblia, Revisar

Zacarias 7

1 Aconteceu, pois, no quarto ano do rei Dario, que a palavra do SENHOR veio a Zacarias noquarto dia do nono mês, que é Quisleu,

Zc 7: 1-14. II. Parte didáctica, sétimo e oitavo capítulos. Obediência, em vez de jejuar, ordenada: Sua recompensa.

quarto ano de … Dario – dois anos depois das profecias anteriores (Zc 1:1, etc.).

Quisleu – que significa “torpidez”, o estado em que a natureza é em novembro, respondendo a este mês.

2 Quando os de Betel enviaram Sarezer e Regém-Meleque e seus homens, para suplicarem o favor do SENHOR,

enviado para … casa de Deus – Os judeus do país enviaram para a casa de Deus ou congregação em Jerusalém. O altar foi criado há muito tempo (Ed 3:3), embora o templo só tenha sido completado dois anos depois (Ed 6:15). O dever dos sacerdotes era decidir sobre os pontos da lei (Dt 17:9; Mt 2:4). Beth-el é aqui usada em vez de Beth-Jeová, porque as autoridades religiosas, em vez da própria casa (designada “Beth-Jeová” em Zc 7:3), são destinadas. A antiga Beth-el há muito deixara de ser a sede da adoração de ídolos, de modo que o nome perdera o seu significado opressivo. “A casa do Senhor” é usada para a congregação de adoradores encabeçados por seus sacerdotes (Zc 3:7; Os 8:1). Maurer faz a “casa de Deus” nominativa para “enviado”. Henderson faz “Beth-el” assim.

Sarezer – um nome assírio que significa “prefeito do tesouro”.

Regém-Meleque – significando “O oficial do rei”. Esses nomes talvez aproximem o caráter semi-pagão dos inquiridores, o que também pode estar implícito no nome “Beth-el” (hebraico para “casa de Deus”), tão notório uma vez por sua adoração de bezerro. Eles enviaram para a casa de Jeová como os antepassados ​​deles enviaram à velha Bethel, não no espírito da verdadeira obediência.

suplicarem o favor do SENHOR – literalmente, “suplicar a face de”, isto é, oferecer sacrifícios, o acompanhamento de orações, para conciliar Seu favor (1Sm 13:12).

3 E para dizerem aos sacerdotes que estavam na casa do SENHOR dos exércitos e aos profetas o seguinte: Devemos chorar e jejuar no quinto mês, como já temos feito há tantos anos?

Devemos chorar e jejuar no quinto mês – “eu” representa aqui o povo de Deus (compare Zc 8:21). Isso favorece a visão de Maurer, tomando a “casa de Deus”, a congregação, como nominativa para “enviada”. Sua hipocrisia apareceu porque eles mostraram mais preocupação sobre uma cerimônia de instituição humana (não imprópria em si mesma) do que sobre obediência moral . Se também tivessem confiado na promessa de Deus quanto à restauração da Igreja e do Estado, o jejum teria agora dado lugar à alegria, para a qual havia mais motivos do que para o sofrimento [Pembellus].

aos profetas – Ageu e Zacarias, especialmente. O décimo dia do quinto mês foi mantido em jejum, sendo o aniversário da destruição de Jerusalém (Jr 52:12-14). Eles perguntam: O jejum deve continuar, agora que o templo e a cidade estão sendo restaurados?

separando-me – santificando-me pela separação, não só da comida, mas de todas as impurezas (compare Jl 2:16) como era habitual em um jejum solene.

4 Então a palavra do SENHOR dos exércitos veio a mim, dizendo:
5 Fala a todo o povo desta terra, e aos sacerdotes, dizendo: Quando jejuastes e chorastes no quinto e no sétimo mês durante estes setenta anos, por acaso jejuastes verdadeiramente para mim?

Fala a todo o povo – A pergunta foi feita em nome do povo em geral por Sherezer e Regemmelech. O jejum auto-imposto que eles estavam cansados, não tendo observado isso no espírito da verdadeira religião.

sétimo mês – Este jejum foi em memória do assassinato de Gedalias e aqueles com ele em Mizpah, emitindo na dispersão dos judeus (2Rs 25:25-26, Jr 41:1-3).

você fez… rápido para mim? – Não; foi para gratificar-se na adoração da vontade hipócrita. Se tivesse sido “para Mim”, vocês teriam “se separado” não apenas da comida, mas de seus pecados (Is 58:3-7). Eles falsamente fizeram do jejum um fim intrinsecamente meritório em si mesmo, não um meio para a glória de Deus em sua santificação. O verdadeiro princípio de piedade, referência a Deus, estava faltando: daí a repetição enfática de “a Mim”. Antes de resolver questões sobre as formas externas de piedade (por mais adequadas que fossem neste caso), a grande questão era quanto à piedade. em si; que sendo uma vez estabelecido, todas as suas observâncias externas se tornam santificadas, sendo “para o Senhor” (Rm 14:6).

6 E quando comeis e bebeis, não foi para vós que comeis e bebeis?

não comeis por vós mesmos? – literalmente, “Não éis vós que comes?” Isto é, não é para Mim e para Minha glória. Não tende mais à Minha glória, ao seu banquete do que ao seu jejum.

7 Não são estas as palavras que o SENHOR pregou por meio dos antigos profetas, quando Jerusalém estava habitada e tranquila, com suas cidades ao seu redor, e o Sul e a campina eram habitadas?

Não são estas as palavra – antes, “não devereis fazer as palavras”, como era naturalmente a sua pergunta sobre o que deveriam fazer (Zc 7:3); “Ouvir” não é mencionado até Zc 7:12. O sentido é: Não é jejum que Jeová exige de você, mas que você deve manter Seus preceitos dados a você no momento em que Jerusalém estava em sua integridade. Se você tivesse feito isso, então você não teria tido ocasião de instituir jejuns para comemorar sua destruição, pois ela nunca teria sido destruída (Zc 7:9-14) (Maurer) Ou, como a Margem: “Não são estas as palavras” dos profetas mais antigos (Is 58:3; Jr 14:12) que ameaçavam uma maldição por desobediência, que o evento tão terrivelmente confirmou. Se segui-los em pecado, você deve segui-los no sofrimento. Versão Inglesa é bom senso: Você pergunta ansiosamente sobre os jejuns, enquanto você deve estar ansioso em ouvir a lição ensinada pelos profetas anteriores e verificada no castigo da nação; penitência e obediência são mais necessárias do que jejuns.

a campina – a sudoeste de Jerusalém. Eles então habitaram com segurança a região mais desprotegida.

8 E a palavra do SENHOR veio a Zacarias, dizendo:

palavra – insinuando que esses preceitos dirigidos a seus antepassados ​​eram as exigências de Jeová não apenas naquela época, mas agora. Não devemos apenas não ferir, mas devemos ajudar nossos semelhantes. Deus está satisfeito com essa obediência amorosa, e não com cerimônias vazias.

9 Assim falou o SENHOR dos exércitos, dizendo: Julgai juízo verdadeiro, e praticai piedade e misericórdia cada um com seu irmão;
10 Não oprimais à viúva, nem ao órfão, nem ao estrangeiro, nem ao pobre; e ninguém planeje o mal em seu coração contra seu irmão.

planeje o mal – isto é, invente o mal. A Septuaginta toma, não abrigando o desejo de vingança (Lv 19:18). “Conceber o mal uns contra os outros” é mais simples (Sl 36:4; Mq 2:1).

11 Porém não quiseram prestar atenção; ao invés disso deram as costas e taparam suas orelhas para não ouvirem.

puxou o ombro – literalmente, “apresentou um ombro refratário”; uma imagem de animais recusando-se a suportar o jugo (Ne 9:29).

parou … ouvidos – (Is 6:10; Jr 7:26; At 7:57).

12 E fizeram seus corações duros como diamante, para não ouvirem a Lei nem as palavras que o SENHOR dos exércitos enviou por seu Espírito através dos antigos profetas; por isso veio grande ira da parte do SENHOR dos exércitos.

inflexível – (Ez 3:9; 11:19).

Senhor … enviado em Espírito por … profetas – isto é, enviados pelos antigos profetas inspirados com o Seu Espírito.

por isso veio grande ira – (2Cr 36:16). Como eles empurraram deles o jugo da obediência, Deus colocou sobre eles o jugo da opressão. Como eles fizeram seu coração duro como inflexível, Deus freia seus corações duros com julgamentos. Corações duros devem esperar tratamento duro. Quanto mais dura a pedra, mais difícil é o golpe do martelo para quebrá-la.

13 Por causa disso, tal como eles não ouviram quando eu clamei, assim tamb~em quando eles clamaram eu não ouvi,diz o SENHOR dos exércitos;

ele chorou – pelos seus profetas.

eles choraram – em suas calamidades.

Eu… não ouço – retribuição em espécie (Pv 1:24-26; Is 1:15; Mq 3:4).

14 E eu os espalhei com turbilhão entre todas as nações, que eles não conheciam, e a terra foi assolada atrás deles, de maneira que ninguém passava por ela, nem voltava; porque tornaram a terra desejada em ruínas.

redemoinho – de ira (Na 1:3).

nações que eles não conheciam – estrangeiros e bárbaros.

assolada atrás deles – depois da expulsão deles / delas e exílio. Foi ordenado notavelmente pela providência de Deus, que nenhum ocupante tomou posse dele, mas que durante a ausência dos judeus, foi reservado para eles contra seu retorno após setenta anos.

eles se deitaram … desolados – Os judeus fizeram assim por seus pecados. A culpa de sua destruição estava consigo mesmo, e não com os babilônios (2Cr 36:21).

terra agradável – Canaã. Literalmente, “a terra do desejo” (Jr 3:19).

<Zacarias 6 Zacarias 8>

Leia também uma introdução ao Livro de Zacarias

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.