Bíblia, Revisar

Ezequiel 9

1 Então ele gritou em meus ouvidos com alta voz, dizendo: Fazei chegar os encarregados de punir a cidade, e cada com sua armas destruidoras em sua mão.

Ez 9: 1-11. Continuação da visão anterior: O selamento dos fiéis.

gritou – em contraste com o seu “choro” por misericórdia (Ez 8:18) é o “choro” aqui por vingança, mostrando como era vaidoso o primeiro.

os que têm carga – literalmente, oficiais; assim “oficiais” (Is 60:17), tendo a cidade no comando, não para guardar, mas para puni-la. Os anjos que como “observadores” cumprem os juízos de Deus (Dn 4:13,17,23; 10:20-21); os “príncipes” (Jr 39:3) do exército de Nabucodonosor estavam sob sua orientação.

aproxime-se – no hebraico intensivo, “aproximar-se rapidamente”.

2 E eis que seis homens vinham do caminho da porta alta, que está voltada para o norte, e cada um trazia em sua mão sua arma destruidora. E entre eles havia um homem vestido de linho, com um estojo de escrivão em sua cintura; e entraram, e se puseram junto ao altar de bronze.

vestido de linho – (Dn 10:5; 12:6-7). Suas roupas marcavam seu ofício como distinto do dos seis oficiais da vingança; “Linho” caracterizou o sumo sacerdote (Lv 16:4); emblemático da pureza. A mesma veste é atribuída ao anjo do Senhor (por quem Michael é apenas outro nome) pelo profeta contemporâneo Daniel (Dn 10:5; 12:6-7). Portanto, o intercessor do Sumo Sacerdote no Céu deve ser entendido (Zc 1:12). Os seis com ele são seus subordinados; portanto, diz-se que ele está “entre eles”, literalmente, “no meio deles”, como seu reconhecido Senhor (Hb 1:6). Ele aparece como um “homem”, implicando sua encarnação; como “um” (compare 1Tm 2:5). A salvação é peculiarmente atribuída a Ele, e assim Ele leva o “tinteiro” para “marcar” os seus eleitos (Ez 9:4; compare Êx 12:7; Ap 7:3; 9:4; 13:16-17; 20:4), e para escrever seus nomes em Seu livro da vida (Ap 13:8). Assim como os escribas orientais suspendem seu tinteiro ao seu lado nos dias de hoje, e como um “escriba do anfitrião é encontrado nas inscrições assírias que acompanham o exército” para numerar as cabeças dos mortos, ele está pronto para o trabalho diante dEle. “O portão mais alto” provavelmente era onde agora está o portão de Damasco. Os seis com Ele compõem o número sagrado e perfeito, sete (Zc 3:9; Ap 5:6). Os executores do juízo sobre os iníquos, no ensino das Escrituras, são bons e não maus anjos; os maus lhes permitiram o julgamento dos piedosos (Jó 1:12; 2Co 12:7). O julgamento é executado por Ele (Ez 10:2,7; Jo 5:22,27) através dos seis (Mt 13:41; 25:31); Tão lindamente o Velho Testamento se harmoniza com o Novo Testamento. Os sete vêm “do caminho do norte”; pois foi lá que as idolatrias foram vistas, e do mesmo bairro deve proceder o julgamento (Babilônia situada a nordeste da Judéia). Então Mt 24:28.

permaneceu – a atitude de esperar reverentemente pelos mandamentos de Jeová.

altar de bronze – o altar de holocaustos, não o altar de incenso, que era de ouro. Eles “ficaram” ali para implicar obediência reverente; porque ali Deus deu Suas respostas à oração (Calvino); também estando prestes a matar as vítimas à justiça de Deus, elas ficam onde os sacrifícios geralmente são mortos (Grotius), (Ez 39:17; Is 34:6; Jr 12:3; 46:10).

3 E a glória do Deus de Israel levantou-se do querubim sobre o qual estava, até a entrada da casa; e chamou ao homem vestido de linho, que tinha o estojo de escrivão à sua cintura,

Deus – que até então, como uma nuvem brilhante, repousava no propiciatório entre os querubins no santo dos santos (2Sm 6:2; Sl 80:1); sua partida foi o presságio do templo sendo entregue à ruína; a sua passagem do santuário interior para o umbral sem, para os oficiais que estavam no altar do lado de fora, era para lhes dar a comissão de vingança.

4 E o SENHOR lhe disse: Passa por meio da cidade, por meio de Jerusalém; e põe um sinal na testa dos homens que suspiram e que gemem por causa de todas as abominações que se cometem no meio dela.

cidade … meio de Jerusalém – Esta designação dupla marca mais enfaticamente a cena dos juízos divinos.

um sinal – literalmente, a letra hebraica Tau, a última do alfabeto, usada como marca (“meu sinal”, Jó 31:35); literalmente Tau; originalmente escrito na forma de uma cruz, que Tertuliano explica como se referindo ao distintivo e único meio de salvação, a cruz de Cristo. Mas em nenhum lugar na Escritura são as palavras que agora são empregadas como nomes de letras usadas para denotar as próprias letras ou suas figuras (Vitringa). O substantivo aqui é cognato ao verbo, “marque uma marca”. Assim, em Ap 7:3, nenhuma marca particular é especificada. Nós selamos o que queremos proteger com segurança. Quando todas as outras coisas na terra são confundidas, Deus protegerá seu povo da ruína comum. Deus dá a primeira acusação quanto à sua segurança antes de ordenar o castigo dos demais (Sl 31:20; Is 26:20-21). Assim, no caso de Ló e Sodoma (Gn 19:22); também os primogênitos egípcios não foram mortos até que Israel teve tempo de borrifar o sinal de sangue, garantindo sua segurança (compare Ap 7:3; Am 9:9). Assim, os primeiros cristãos tiveram Pella como refúgio para eles, antes da destruição de Jerusalém.

na testa – a parte mais conspícua da pessoa, para indicar como sua segurança seria manifestada a todos (compare Jr 15:11; 39:11-18). Era costume, portanto, marcar os adoradores (Ap 13:16; 14:1,9) e servos. Assim, a Igreja da Inglaterra marca a testa com o sinal da cruz em batizar. No êxodo, a marca estava nas casas, pois então eram famílias; aqui está nas testas, pois são indivíduos cuja segurança é garantida.

suspira e … chore – verbos que soam similarmente em hebraico, como na versão em inglês, expressando o prolongado som de sua dor. “Suspiro” implica sua dor interior (“gemidos que não podem ser proferidos”, Rm 8:26); “Chorar”, a expressão exterior do mesmo. Então, muito (2Pe 2:7-8). A ternura deve caracterizar o homem de Deus, e não a dura severidade em se opor aos ímpios (Sl 119:53,136; Jr 13:17; 2Co 12:21); ao mesmo tempo zelo pela honra de Deus (Sl 69:910; 1Jo 5:19).

5 E aos outros disse a meus ouvidos: Passai pela cidade depois dele, e feri; vossos olhos não poupem, nem tenhais compaixão.

os outros – os seis oficiais do juízo (Ez 9:2).

6 Matai velhos, rapazes e virgens, meninos e mulheres, até os acabardes por completo; porém não chegueis a toda pessoa sobre a qual houver o sinal; e começai desde meu santuário. Então começaram desde os anciãos que estavam diante do templo.

sobre quem … marca – (Ap 9:4). Pode-se objetar que Daniel, Jeremias e outros foram levados embora muitos dos mais viles foram deixados na terra. Mas Deus não promete aos crentes a isenção de todo sofrimento, mas somente do que será realmente doloroso e duradouro para eles. Seu poupar os ímpios se volta para a destruição deles e os deixa sem desculpa (Calvino). No entanto, a profecia espera um cumprimento mais completo e final, pois Ap 7:3-8, em séculos muito tempo depois da Babilônia, prediz, como ainda futuro, o mesmo selo de um remanescente (cento e quarenta e quatro mil) de Israel anterior ao derramamento final de ira sobre o resto da nação; a correspondência é exata; o mesmo derramamento de fogo do altar segue a marcação do remanescente em ambos (compare Ap 8:5, com Ez 10:2). Então Zc 13:9; Zc 14:2, distingue o remanescente do resto de Israel.

começai desde meu santuário – Pois nele as maiores abominações foram cometidas; perdera a realidade da consagração pelo sangue das vítimas sacrificadas aos ídolos; deve, portanto, perder sua aparência pelos cadáveres dos idólatras mortos (Ez 9:7). A mais pesada ira de Deus recai sobre aqueles que pecaram contra os mais altos privilégios; estes são feitos para sentir isso primeiro (1Pe 4:17-18). Ele odeia mais o pecado nas pessoas mais próximas a ele; por exemplo, os sacerdotes, etc.

homens antigos – os setenta anciãos.

7 E disse-lhes: Contaminai a casa, e enchei os pátios de mortos; saí. Então saíram, e feriram na cidade.
8 E aconteceu que, havendo os ferido, e eu ficando de resto, caí sobre meu rosto, clamei, e disse: Ah, Senhor DEUS! Por acaso destruirás todo o restante de Israel, derramando tua ira sobre Jerusalém?

Eu fui deixado – literalmente, “sobrou eu”. Tão universal parecia o massacre que Ezequiel se considerava o único remanescente (Calvino). Ele era o único remanescente dos sacerdotes “no santuário”.

caiu sobre o meu rosto – para interceder por seus compatriotas (assim Nm 16:22).

todo o resíduo – um apelo extraído da promessa da aliança de Deus de salvar o remanescente eleito.

9 Então me disse: A maldade da casa de Israel e de Judá é extremamente grande; e a terra se encheu de sangues, e a cidade se encheu de perversidade; pois dizem: O SENHOR abandonou a terra, e o SENHOR não vê.

excedendo – literalmente, “muito, muito”; duplicou.

perversidade – “apostasia” (Grotius); ou “arrancar a justiça”.

SENHOR abandonou a terra, e o SENHOR não vê – A ordem é invertida de Ez 8:12. Lá eles falam de Sua negligência de Seu povo em sua miséria; aqui eles vão mais longe e negam a Sua providência (Sl 10:11), para que eles possam pecar sem medo. Deus, em resposta à pergunta de Ezequiel (Ez 9:8), deixa a dificuldade não resolvida; Ele meramente vindica Sua justiça mostrando que ela não excedeu seu pecado: Ele quer que nos humilhemos em Seus juízos e esperemos e confiemos.

10 Por isso quanto a mim, meu olho não poupará, nem terei compaixão; retribuirei o caminho deles sobre suas cabeças.

meu olho – para mostrar-lhes seu erro em dizer: “O Senhor não vê.”

recompense seu caminho sobre sua cabeça – (Pv 1:31). Retribuição em espécie.

11 E eis que o homem vestido de linho, que tinha o estojo na cintura, trouxe resposta, dizendo: Fiz conforme o que me mandaste.

Fiz conforme o que me mandaste – A característica do Messias (Jo 17:4). Então os anjos (Sl 103:21); e os apóstolos relatam o cumprimento de suas ordens (Mc 6:30).

<Ezequiel 8 Ezequiel 10>

Leia também uma introdução ao Livro de Ezequiel.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.