Bíblia, Revisar

Salmo 48

1 (Cântico e salmo, dos filhos de Coré:) O SENHOR é grande e muito louvável, na cidade de nosso Deus, no monte de sua santidade.

muito louvável – sempre: é um epíteto, como no Salmo 18: 3.

montanha de sua santidade – Sua Igreja (compare com Is 2: 2, Is 2: 3; Is 25: 6, Is 25: 7, Is 25:10); o santuário foi erguido primeiro no Monte Sião, depois (como o templo) em Moriá; daí a figura.

2 Belo de se ver e alegria de toda a terra é o monte de Sião, nas terras do norte; a cidade do grande Rei.

situação – literalmente, “elevação”.

alegria de – fonte de alegria.

nas terras do norte – poeticamente para eminentes, elevados, distintos, como os antigos acreditavam que o norte era a parte mais alta da terra (compare Is 14:13).

3 Deus está em seus palácios, e é conhecido como alto refúgio.

palácios – literalmente, “cidadelas”.

refúgio – (Sl 9:10; Sl 18: 3). Ele era tão conhecido neles porque gostava de Sua presença.

4 Porque eis que os reis se reuniram; eles juntamente passaram

Porque – A razão é dada. Embora os reis (talvez de Moabe e Amon, compare o Salmo 83: 3-5) combinados, uma convicção da presença de Deus com o Seu povo, evidenciada pela coragem incomum com que os profetas (compare 2Cr 20: 12-20) Eles os inspiraram, tomaram conta de suas mentes e, com um súbito e intenso alarme, fugiram atônitos.

5 Eles, quando a viram, ficaram maravilhados; assombraram-se, fugiram apressadamente.
6 Ali o temor os tomou, e sentiram dores como as de parto.
7 Com o vento do oriente tu quebras os navios de Társis.

navios de Társis – como envolvidos em um comércio distante e lucrativo, o mais valioso. A frase pode ilustrar o controle de Deus sobre todas as agências materiais, quer sua destruição literal seja ou não intencional.

8 Assim como nós ouvimos, também vimos na cidade do SENHOR dos exércitos, na cidade do nosso Deus; Deus a firmará para sempre. (Selá)

Esta experiência presente assegura aquele cuidado perpétuo que Deus estende a Sua Igreja.

9 Deus, nós reconhecemos tua bondade no meio de teu templo.

reconhecemos – literalmente, “comparado”, ou considerado, em relação a transações anteriores.

no meio de teu templo – em atos de adoração solene (compare 2Cr 20:28).

10 Conforme o teu nome, ó Deus, assim é o louvor a ti, até os confins da terra; tua mão direita está cheia de justiça.

louvor – isto é, como se manifestam as tuas perfeições (compare Sl 8: 1; Salmo 20: 1-7), exija louvor, será dado em toda parte.

tua mão direita – Teu governo justo é exibido por Teu poder.

11 Alegre-se o monte de Sião, fiquem contentes as filhas de Judá, por causa de teus juízos.

as filhas – as pequenas cidades, ou o povo, com a cidade principal, ou governantes da Igreja.

julgamentos – decisões e atos do governo correto.

12 Andai ao redor de Sião, e a circundai; contai suas torres.

O chamado para sondar Sião, ou a Igreja, como uma cidade fortificada, é projetada para sugerir “quão bem nosso Deus assegura Seu aprisco”. Essa segurança é perpétua e sua promessa é Sua orientação através desta vida.

13 Ponde vosso coração em seus muros de defesa, prestai atenção em seus palácios, para que conteis deles à geração seguinte.
14 Porque este Deus é nosso Deus para todo o sempre; ele nos acompanhará até a morte.
<Salmo 47 Salmo 49>

Introdução ao Salmo 48

Este é um espirituoso salmo e canção (compare com o Salmo 30: 1), tendo sido provavelmente sugerido pela mesma ocasião que o precedente. Estabelece os privilégios e bênçãos do domínio espiritual de Deus como o terror dos ímpios e a alegria dos justos.

Leia também uma introdução ao livro de Salmos.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.