Bíblia, Revisar

2 Reis 12

Jeoás reina bem enquanto Jeoiada viveu

1 No sétimo ano de Jeú começou a reinar Joás, e reinou quarenta anos em Jerusalém. O nome de sua mãe foi Zíbia, de Berseba.
2 E Joás fez o que era coreto aos olhos do SENHOR todo o tempo que o sacerdote Joiada o conduziu.

Joás fez o que era coreto aos olhos do SENHOR – tanto quanto relacionado a suas ações externas e à política de seu governo. Mas é evidente, pela sequência de sua história, que a retidão de sua administração se deve mais à influência salutar de seu preservador e tutor, Joiada, do que aos ditames honestos e sinceros de sua própria mente.

3 Contudo isso os altos não se tiraram; que ainda sacrificava e queimava o povo incenso nos altos.

Contudo isso os altos não se tiraram – o apego popular pelos ritos privados e desordenados executados nos bosques e recessos das colinas era tão inveterado que até mesmo os monarcas mais poderosos tinham sido incapazes de realizar sua repressão; Não é de admirar que no início do reinado de um jovem rei, e após as grosseiras irregularidades que haviam sido permitidas durante a má administração de Atalia, a dificuldade de pôr fim às superstições associadas aos “lugares altos” aumentou enormemente.

4 E Joás disse aos sacerdotes: Todo o dinheiro das santificações que se costuma trazer à casa do SENHOR, o dinheiro dos que passam no censo, o dinheiro pelas pessoas, cada qual segundo seu valor, e todo o dinheiro que cada um de sua própria vontade põe na casa do SENHOR.

Joás disse aos sacerdotes – Aqui é dado um relato das medidas que o jovem rei tomou para reparar o templo com a cobrança de impostos: 1. “O dinheiro de todo aquele que passa na conta”, a saber, metade um shekel, como “uma oferta ao Senhor” (Êx 30:13). 2. “O dinheiro a que todo homem se destina”, isto é, o preço de resgate de todo aquele que se devotou a si mesmo ou a qualquer coisa que lhe pertencesse ao Senhor, e cuja quantidade foi estimada de acordo com certas regras (Lv 27:1-8). 3. Livre arbítrio ou ofertas voluntárias feitas ao santuário. Os dois primeiros foram pagos anualmente (ver 2Cr 24:5).

5 Recebam-no os sacerdotes, cada um de seus familiares, e reparem as fendas do templo de onde quer que se achar abertura.
6 Porém o ano vinte e três do rei Joás, não haviam ainda reparado os sacerdotes as aberturas do templo.
7 Chamando então o rei Joás ao sacerdote Joiada e aos sacerdotes, disse-lhes: Por que não reparais as aberturas do templo? Agora, pois, não tomeis mais o dinheiro de vossos familiares, mas sim dai-o para reparar as fendas do templo.

Por que não reparais as aberturas do templo? – Esse modo de coleta não provou ser tão produtivo como era esperado (a morosidade dos padres foi a principal causa do fracasso), um novo arranjo foi proposto. Uma caixa foi colocada pelo sumo sacerdote na entrada do templo, na qual o dinheiro dado pelo povo para os reparos do templo era para ser colocado pelos levitas que guardavam a porta. O objetivo desse baú era fazer uma separação entre o dinheiro a ser levantado para o prédio dos outros dinheiros destinados ao uso geral dos sacerdotes, na esperança de que o povo fosse mais liberal em suas contribuições quando se soubesse que suas ofertas seriam dedicadas ao propósito especial de fazer os reparos necessários. O dever de cuidar dessa obra não deveria mais recair sobre os sacerdotes, mas ser realizado pelo rei.

8 E os sacerdotes consentiram em não tomar mais dinheiro do povo, nem ter cargo de reparar as aberturas do templo.
9 Mas o sacerdote Joiada tomou uma arca, e fez-lhe na tampa um furo, e a pôs junto ao altar, à direita quando se entra no templo do SENHOR; e os sacerdotes que guardavam a porta, punham ali todo o dinheiro que se metia na casa do SENHOR.
10 E quando viam que havia muito dinheiro no arca, vinha o notário do rei e o grande sacerdote, e contavam o dinheiro que achavam no templo do SENHOR, e guardavam-no.
11 E davam o dinheiro suficiente em mão dos que faziam a obra, e dos que tinham o cargo da casa do SENHOR; e eles o gastavam em pagar os carpinteiros e mestres que reparavam a casa do SENHOR,

E davam o dinheiro suficiente em mão dos que faziam a obra – O rei enviou seu secretário junto com um agente do sumo sacerdote para contar o dinheiro no peito de vez em quando (2Cr 24:11), e entregar a quantia aos superintendentes do prédio, que pagaram os operários e compraram todos os materiais necessários. O costume de colocar somas de certa quantia em sacolas, que são rotuladas e seladas por um oficial apropriado, é uma maneira comum de usar a moeda na Turquia e em outros países do Oriente.

12 E os pedreiros e cortadores de pedras; e em comprar a madeira e pedra lavrada para reparar as aberturas da casa do SENHOR; e em tudo o que se gastava na casa para repará-la.
13 Mas daquele dinheiro que se trazia à casa do SENHOR, não se faziam bacias de prata, nem saltérios, nem bacias, nem trombetas; nem nenhum outro vaso de ouro nem de prata se fazia para o templo do SENHOR:

bacias – Quando os reparos do templo foram concluídos, o excedente foi apropriado para a compra dos móveis do templo. A integridade dos superintendentes da obra sendo indubitável, não se explicava o modo como eles aplicavam o dinheiro que lhes era dado, enquanto outros dinheiros arrecadados no templo eram deixados à disposição dos sacerdotes como a lei determinava (Lv 5:16; Nm 5:8).

14 Porque o davam aos que faziam a obra, e com ele reparavam a casa do SENHOR.
15 E não se tomava em conta aos homens em cujas mãos o dinheiro era entregue, para que eles o dessem aos que faziam a obra: porque o faziam eles fielmente.
16 O dinheiro pelo delito, e o dinheiro pelos pecados, não se metia na casa do SENHOR; porque era dos sacerdotes.
17 Então subiu Hazael rei da Síria, e lutou contra Gate, e tomou-a; e Hazael decidiu subir contra Jerusalém;

lutou contra Gate – (veja em 2Cr 24:23).

18 Pelo que tomou Joás rei de Judá todas as ofertas que havia dedicado Josafá, e Jorão e Acazias seus pais, reis de Judá, e as que ele havia dedicado, e todo o ouro que se achou nos tesouros da casa do SENHOR, e na casa do rei, e enviou-o a Hazael, rei da Síria; e ele se partiu de Jerusalém.

Ele está morto

19 Os demais dos feitos de Joás, e todas as coisas que fez, não estão escritos no livro das crônicas dos reis de Judá?
20 E seus servos se levantaram, fizeram uma conspiração, e mataram a Joás na casa de Milo, quando ele estava descendo a Sila;

e mataram a Joás na casa de Milo – (veja em 2Cr 24:25).

21 Pois Jozacar filho de Simeate, e Jozabade filho de Somer, seus servos, feriram-lhe, e ele morreu. E sepultaram-lhe com seus pais na cidade de Davi, e reinou em seu lugar Amasias seu filho.
<2 Reis 11 2 Reis 13>

Leia também uma introdução aos livros dos Reis.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.