Bíblia, Revisar

Levítico 9

Os sacerdotes começam o seu ministério

1 E foi no dia oitavo, que Moisés chamou a Arão e a seus filhos, e aos anciãos de Israel;
2 E disse a Arão: Toma das vacas um bezerro para expiação, e um carneiro para holocausto, sem defeito, e oferece-os diante do SENHOR.

As instruções nestas coisas sagradas ainda eram dadas por Moisés, as circunstâncias sendo extraordinárias. Mas ele era apenas o meio de comunicar a vontade divina aos novos sacerdotes. O primeiro de seus atos oficiais foi o sacrifício de outra oferta pelo pecado para reparar os defeitos dos serviços de inauguração; e ainda que o sacrifício não consistia em um novilho – o sacrifício designado para alguma transgressão particular, mas de um bezerro, talvez não sem uma referência significativa ao pecado de Aarão no bezerro de ouro (Êx 32:22-24). Em seguida, seguiu uma oferta queimada, expressivo de sua auto-devoção voluntária e inteira ao serviço divino. Os sacerdotes recém-consagrados, tendo feito isso por conta própria, foram chamados para oferecer uma oferta pelo pecado e holocaustos para o povo, terminando o cerimonial por uma oferta de paz, que era uma festa sagrada. Esta injunção, “fazer expiação por si mesmo e pelo povo” (Septuaginta, “por tua família”), no começo de suas funções sagradas, fornece uma impressionante evidência da origem divina do sistema judaico de adoração. Em todas as formas falsas ou corruptas de religião, a política estudada tem sido inspirar as pessoas com uma ideia da santidade do sacerdócio como em um ponto de pureza e favorecimento com a Divindade muito acima do nível de outros homens. Mas entre os hebreus, os sacerdotes eram obrigados a oferecer para expiação de seus próprios pecados, bem como dos mais humildes do povo. Essa imperfeição do sacerdócio de Aarão, no entanto, não se estende à dispensação do evangelho: pois nosso grande Sumo Sacerdote, que entrou para nós no “verdadeiro tabernáculo”, “não conheceu pecado” (Hb 10:10-11).

3 E aos filhos de Israel falarás, dizendo: Tomai um bode macho para expiação, e um bezerro e um cordeiro de ano, sem mácula, para holocausto;
4 Também um boi e um carneiro para sacrifício pacífico, que imoleis diante do SENHOR; e uma oferta de cereais amassada com azeite: porque o SENHOR se aparecerá hoje a vós.
5 E levaram o que mandou Moisés diante do tabernáculo do testemunho, e chegou-se toda a congregação, e puseram-se diante do SENHOR.
6 Então Moisés disse: Isto é o que mandou o SENHOR; fazei-o, e a glória do SENHOR se vos aparecerá.
7 E disse Moisés a Arão: Achega-te ao altar, e faze tua expiação, e teu holocausto, e faze a reconciliação por ti e pelo povo: faze também a oferta do povo, e faze a reconciliação por eles; como mandou o SENHOR.
8 Então chegou-se Arão ao altar; e degolou seu bezerro da expiação que era por ele.

Se fora ordenado pela primeira vez, ou era inevitável que as divisões do trabalho sacerdotal não estivessem ainda completamente arranjadas, Arão, assistido por seus filhos, aparece ter matado as vítimas com suas próprias mãos, assim como passou por todo o ritual prescrito no altar.

9 E os filhos de Arão lhe trouxeram o sangue; e ele molhou seu dedo no sangue, e pôs sobre as pontas do altar, e derramou o resto do sangue ao pé do altar;
10 E a gordura e rins e redenho do fígado, da expiação, os fez arder sobre o altar; como o SENHOR o havia mandado a Moisés.
11 Mas a carne e o couro os queimou ao fogo fora do acampamento.
12 Degolou também o holocausto, e os filhos de Arão lhe apresentaram o sangue, a qual espargiu ele ao redor sobre o altar.
13 Apresentaram-lhe depois o holocausto, em pedaços, e a cabeça; e os fez queimar sobre o altar.
14 Logo lavou os intestinos e as pernas, e queimou-os sobre o holocausto no altar.
15 Ofereceu também a oferta do povo, e tomou o bode macho que era para a expiação do povo, e degolou-o, e o ofereceu pelo pecado como o primeiro.
16 E ofereceu o holocausto, e fez segundo o rito.
17 Ofereceu também a oferta de cereais, e encheu dela sua mão, e o fez queimar sobre o altar, também do holocausto da manhã.

Oferta de onda – É observável que não há nenhum aviso destes nas ofertas que os sacerdotes fizeram para si. Eles não podiam suportar os seus próprios pecados e, portanto, em vez de comer qualquer parte de sua própria oferta pelo pecado, como eram livres para fazer no caso da oferta do povo, eles tinham que carregar as carcaças inteiras “sem o acampamento. e queimá-los com fogo ” (Êx 29:14; Lv 4:12).

18 Degolou também o boi e o carneiro em sacrifício pacífico, que era do povo: e os filhos de Arão lhe apresentaram o sangue (o qual espargiu ele sobre o altar ao redor),
19 E a gordura do boi; e do carneiro a cauda com o que cobre as entranhas, e os rins, e o redenho do fígado:
20 E puseram a gordura sobre os peitos, e ele queimou a gordura sobre o altar:
21 Porém os peitos, com a coxa direita, moveu-os Arão por oferta movida diante do SENHOR; como o SENHOR o havia mandado a Moisés.
22 Depois levantou Arão suas mãos até o povo e abençoou-os: e desceu de fazer a expiação, e o holocausto, e o sacrifício pacífico.

e abençoou-os – O pronunciamento de uma bênção sobre o povo reunido na corte era uma parte necessária do dever do sumo sacerdote, e a fórmula na qual ele deveria ser dado é descrita (Nm 6:23-27).

desceu de fazer a expiação – O altar foi elevado acima do nível do chão, e a subida foi por um declive suave (Êx 20:26).

23 E entraram Moisés e Arão no tabernáculo do testemunho; e saíram, e bendisseram ao povo: e a glória do SENHOR se apareceu a todo o povo.

E entraram Moisés e Arão no tabernáculo do testemunho – Moisés, de acordo com as instruções divinas que recebera, acompanhou Aarão e seus filhos para iniciá-los em seus deveres sagrados. Suas ocupações anteriores os detiveram no altar e agora entraram em companhia no edifício sagrado para levar o sangue das oferendas dentro do santuário.

a glória do SENHOR se apareceu a todo o povo – talvez em um esplendor resplandecente acima do tabernáculo como um novo sinal da aceitação divina daquela recém-estabelecida sede de Sua adoração.

24 E saiu fogo de diante do SENHOR, e consumiu o holocausto e a gordura sobre o altar; e vendo-o todo o povo, louvaram, e caíram sobre seus rostos.

do SENHOR – Uma chama emanando daquela luz resplandecente que encheu o lugar sagrado flamejou sobre o altar de bronze e acendeu os sacrifícios. Este fogo milagroso – pois a descida da qual o povo provavelmente tinha sido preparado, e que os sacerdotes foram ordenados a nunca deixar sair (Lv 6:13) – era um sinal, não apenas da aceitação das ofertas e do estabelecimento. da autoridade de Aarão, mas da residência real de Deus naquela morada escolhida. No momento em que o solene embora bem-vindo espetáculo foi visto, um grito simultâneo de alegria e gratidão irrompeu da congregação reunida, e na atitude de profunda reverência eles adoraram “uma Deidade presente”.

<Levítico 8 Levítico 10>

Leia também uma introdução ao livro do Levítico.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.