Bíblia, Revisar

Gênesis 38

A história de Judá e Tamar

1 E aconteceu naquele tempo, que Judá desceu da presença de seus irmãos, e foi-se a um homem adulamita, que se chamava Hira.

naquele tempo – uma fórmula frequentemente usada pelos escritores sagrados, não para descrever qualquer período preciso, mas um intervalo próximo a ele.

2 E viu ali Judá a filha de um homem cananeu, o qual se chamava Sua; e tomou-a, e se deitou com ela:

E viu ali Judá a filha de um homem cananeu – como Esaú (Gn 26:34), este filho de Jacó, rejeitando as restrições da religião, casou-se em uma família cananéia; e não é de surpreender que a família que surgiu de tal conexão inadequada devesse ser infame por maldade ousada e impensada.

3 A qual concebeu, e deu à luz um filho; e chamou seu nome Er.
4 E concebeu outra vez, e deu à luz um filho, e chamou seu nome Onã.
5 E voltou a conceber, e deu à luz um filho, e chamou seu nome Selá. E estava em Quezibe quando o deu à luz.
6 E Judá tomou mulher para seu primogênito Er, a qual se chamava Tamar.
7 E Er, o primogênito de Judá, foi mau aos olhos do SENHOR, e tirou-lhe o SENHOR a vida.
8 Então Judá disse a Onã: Deita-te com mulher de teu irmão, e casa-te com ela, e suscita descendência a teu irmão.

casa-te com ela, e suscita descendência a teu irmão – O primeiro exemplo de um costume, que foi posteriormente incorporado entre as leis de Moisés, que quando um marido morreu deixando uma viúva, seu irmão na próxima era se casaria com ela, e a questão se houver, seria servido como herdeiro do falecido (compare Dt 25:5).

9 E sabendo Onã que a descendência não havia de ser sua, sucedia que quando se deitava com mulher de seu irmão derramava em terra, para não dar descendência a seu irmão.
10 E desagradou aos olhos do SENHOR o que fazia, e também tirou a ele a vida.
11 E Judá disse a Tamar sua nora: Fica-te viúva em casa de teu pai, até que cresça Selá meu filho; porque disse: Para que não aconteça que morra ele também como seus irmãos. E foi-se Tamar, e ficou em casa de seu pai.
12 E passaram muitos dias, e morreu a filha de Sua, mulher de Judá; e Judá se consolou, e subia aos tosquiadores de suas ovelhas a Timna, ele e seu amigo Hira o adulamita.

Judáe subia aos tosquiadores de suas ovelhas – Esta estação, que ocorre na Palestina no final de março, foi gasta em hilaridade mais do que o habitual, e os senhores mais ricos convidaram seus amigos, bem como trataram seus servos, para suntuosos entretenimentos. Assim, diz-se, Judá foi acompanhado por seu amigo Hirah.

Timna – nas montanhas de Judá.

13 E foi dado aviso a Tamar, dizendo: Eis que teu sogro sobe a Timna a tosquiar suas ovelhas.

a tosquiar suas ovelhas. A tosquia das ovelhas era uma ocasião de festa e, muitas vezes, de licenciosidade. Compare com 1Sm 25:2; 2Sm 13:23 [Cambridge]

14 Então tirou ela de sobre si as roupas de sua viuvez, e cobriu-se com um véu, e envolveu-se, e se pôs à porta das águas que estão junto ao caminho de Timna; porque via que havia crescido Selá, e ela não era dada a ele por mulher.
15 E viu-a Judá, e teve-a por prostituta, porque havia ela coberto seu rosto.
16 E desviou-se do caminho até ela, e disse-lhe: Eia, pois, agora deitarei contigo; porque não sabia que era sua nora; e ela disse: Que me darás, se deitares comigo?
17 Ele respondeu: Eu te enviarei do gado um cabrito das cabras. E ela disse: Terás de me dar penhor até que o envies.
18 Então ele disse: Que penhor te darei? Ela respondeu: Teu anel, e teu manto, e teu bordão que tens em tua mão. E ele lhe deu, e se deitou com ela, a qual concebeu dele.

bordão – Pulseiras, incluindo braceletes, foram usados ​​por homens, bem como mulheres entre os hebreus. Mas a palavra hebraica aqui traduzida por “pulseiras” está em toda parte traduzida por “renda” ou “fita”; de modo que, como o sinete era provavelmente mais do que um equivalente para o garoto, não é fácil conjeturar por que as outras coisas foram dadas em adição, exceto supondo que o selo perfurado fosse preso por uma fita ao cajado.

19 E levantou-se, e foi-se: e tirou o véu de sobre si, e vestiu-se das roupas de sua viuvez.
20 E Judá enviou o cabrito das cabras por meio de seu amigo o adulamita, para que tomasse o penhor da mão da mulher; mas não a achou.
21 E perguntou aos homens daquele lugar, dizendo: Onde está a prostituta das águas junto ao caminho? E eles lhe disseram: Não esteve aqui prostituta.
22 Então ele se voltou a Judá, e disse: Não a achei; e também os homens do lugar disseram: Aqui não esteve prostituta.
23 E Judá disse: Tome ela dessas coisas para si, para que não sejamos menosprezados: eis que eu enviei este cabrito, e tu não a achaste.
24 E aconteceu que ao fim de uns três meses foi dado aviso a Judá, dizendo: Tamar tua nora cometeu imoralidade sexual, e além disso está grávida das promiscuidades. E Judá disse: Tirai-a, e seja queimada.

Tirai-a, e seja queimada – Nos tempos patriarcais, os pais parecem ter possuído o poder de vida e morte sobre os membros de suas famílias. O crime de adultério foi antigamente punido em muitos lugares pela queima (Lv 21:9; Jz 15:6; Jr 29:22). Este capítulo contém detalhes, que provavelmente nunca teriam obtido um lugar no registro inspirado, se não tivesse sido exibir os elos completos da cadeia que liga a genealogia do Salvador a Abraão; e no caráter desonroso da ascendência que figura nesta passagem, temos uma prova notável de que “Ele não se fez de nenhuma reputação” [Fp 2:7].

25 E ela quando a tiravam, enviou a dizer a seu sogro: Do homem a quem pertence estas coisas, estou grávida: e disse mais: Olha agora a quem pertence estas coisas, o anel, e o manto, e o bordão.
26 Então Judá os reconheceu, e disse: Mais justa é que eu, porquanto não a dei a Selá meu filho. E nunca mais a conheceu.
27 E aconteceu que ao tempo de dar à luz, eis que havia dois em seu ventre.
28 E sucedeu, quando dava à luz, que tirou a mão um, e a parteira tomou e amarrou à sua mão um fio de escarlate, dizendo: Este saiu primeiro.
29 Porém foi que voltando ele a recolher a mão, eis que seu irmão saiu; e ela disse: Como fizeste sobre ti rompimento? E chamou seu nome Perez.
30 E depois saiu seu irmão, o que tinha em sua mão o fio de escarlate, e chamou seu nome Zerá.
<Gênesis 37 Gênesis 39>

Leia também uma introdução ao livro do Gênesis.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.