Hebreus 9:5

E acima dela, os querubins de glória, que faziam sombra ao propiciatório. Acerca dessas coisas não é oportuno agora falar em detalhes.

Comentário A. R. Fausset

E acima dela – da “Arca da Aliança”.

querubins – representado os poderes governantes pelos quais Deus age no mundo moral e natural. (Veja em Ezequiel 1:6; Ezequiel 10:1). Portanto, às vezes os querubins são comparados aos anjos ministradores; mas principalmente se referem aos eleitos redimidos, por meio dos quais Deus governará o mundo no futuro e manifestará Sua multiforme sabedoria: a humanidade redimida, combinando em si e consigo mesma, as mais elevadas formas de vida subordinada, não os anjos. Eles estão sobre o propiciatório e, assim, se tornam a habitação de Deus, de onde Sua glória brilha sobre o mundo. Em Apocalipse 5:8-10, eles expressamente declaram: “Tu nos compraste”. Ali eles se diferenciam dos anjos e estão associados aos anciãos. Os querubins eram uma só peça com o propiciatório, assim como a Igreja é uma com Cristo: sua posição única é no propiciatório aspergido com sangue; eles olham para ele como os redimidos o farão para sempre; ele são “a habitação de Deus através do Espírito”.

de glória. Os querubins eram portadores da glória divina, da qual talvez derivem seu nome. A Shekinah, ou nuvem de glória, na qual Yahweh aparecia entre os querubins sobre o propiciatório, a tampa da arca, é, sem dúvida, a referência. Tholuck pensa que os doze pães da proposição representam as doze tribos da nação, apresentadas como uma comunidade perante Deus, consagrada a Ele (assim como na Ceia do Senhor, os crentes, o Israel espiritual, todos participando do mesmo pão e se tornando um só corpo, se apresentam perante o Senhor como consagrados a Ele, 1Coríntios 10:16, 17); o óleo e a luz, o conhecimento puro do Senhor, no qual o povo da aliança deve brilhar (as sete (luzes), implicando perfeição); a arca da aliança, o símbolo do reino de Deus na antiga aliança, e representando Deus habitando entre os Seus; os Dez Mandamentos na arca, a base da união entre Deus e o homem; o propiciatório cobrindo a lei e aspergido com sangue para expiação dos pecados coletivos do povo, a misericórdia de Deus [em Cristo] mais forte que a lei; os querubins, a criação personificada [redimida], olhando para o propiciatório, onde a misericórdia de Deus e a Sua lei são apresentadas como a base da criação.

propiciatório: a tampa de ouro da arca, na qual era borrifado o sangue do sacrifício propiciatório no Dia da Expiação; o estrado dos pés de Yahweh, o lugar de encontro entre Ele e Seu povo.

não é oportuno – convenientemente: além do que encontramos no santuário, havia realidades espirituais simbolizadas que levariam muito tempo para discutir em detalhes, uma vez que nosso assunto principal é o sacerdócio e os sacrifícios. “dessas coisas” se refere não apenas aos querubins, mas a todo o conteúdo do santuário mencionado em Hebreus 9:2-5. [Fausset, 1873]

< Hebreus 9:4 Hebreus 9:6 >

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles, com adaptação de Luan Lessa – janeiro de 2021.