Bíblia, Revisar

Êxodo 36

1 Fez, pois, Bezalel e Aoliabe, e todo homem sábio de coração, a quem o SENHOR deu sabedoria e inteligência para que soubessem fazer toda a obra do serviço do santuário, todas as coisas que havia mandado o SENHOR.

Fez, pois, Bezalel e Aoliabe, e todo homem sábio de coração – Aqui está um exemplo ilustre de zelo e atividade na obra do Senhor. Nenhum atraso desnecessário foi permitido; e a partir do momento em que o primeiro polo ficou preso no chão até a conclusão final do edifício sagrado, ele e seus associados trabalharam com todas as energias da mente e do corpo envolvidas no trabalho. E qual foi a mola principal de sua diligência árdua e incansável? Eles poderiam ser acionados por nenhum dos motivos comuns que impulsionam a indústria humana, sem o desejo pela aquisição de ganhos; nenhuma ambição por honra; nenhuma visão de gratificar um mero amor ao poder em dirigir os trabalhos de um grande corpo de homens. Eles sentiram o estímulo – o forte impulso irresistível de motivos mais elevados e santos – obediência à autoridade, zelo pela glória e amor ao serviço de Deus.

2 E Moisés chamou a Bezalel e a Aoliabe, e a todo homem sábio de coração, em cujo coração havia dado o SENHOR sabedoria, e a todo homem a quem seu coração lhe moveu a chegar-se à obra, para trabalhar nela;
3 E tomaram de diante de Moisés toda a oferta que os filhos de Israel haviam trazido para a obra do serviço do santuário, a fim de fazê-la. E eles lhe traziam ainda oferta voluntária cada manhã.

E tomaram de diante de Moisés toda a oferta que os filhos de Israel haviam trazido – Parece que o edifício foi iniciado depois que as primeiras contribuições foram feitas; foi progressivamente realizado, e não houve necessidade de suspender as operações, mesmo no menor intervalo, devido à falta dos materiais necessários.

E eles lhe traziam ainda oferta voluntária cada manhã – Moisés, em comum com outros magistrados orientais, tinha seus diques matutinos para receber o povo (ver Êx 18:13); e foi enquanto desempenhava suas obrigações magistrais que as pessoas lhe traziam ofertas voluntárias todas as manhãs. Alguns que não tinham nada além de seu trabalho manual para dar gastariam grande parte da noite apressando-se em completar sua tarefa auto-imposta antes do amanhecer; outros podem encontrar seus corações constrangidos por meditações silenciosas em seus leitos para abrir seus cofres e dar uma parte de seu tesouro acumulado ao objeto piedoso. Todos aqueles cujos corações foram tocados pela piedade, penitência, ou gratidão, reparados com pressa na presença de Moisés, não como antes, para ter suas controvérsias resolvidas, mas para colocar em seu tribunal suas contribuições para o santuário de Deus (2Co 9:7).

4 Vieram, portanto, todos os mestres que faziam toda a obra do santuário, cada um da obra que fazia.
5 E falaram a Moisés, dizendo: O povo traz muito mais do que é necessário para o trabalho de fazer a obra que o SENHOR mandou que se faça.

Pelos cálculos que os olhos praticados dos operários lhes permitiram fazer, eles foram unanimemente da opinião de que o suprimento já excedia em muito a demanda e que nenhum mais contribuições foram necessárias. Tal relatório reflete a mais alta honra em seu caráter como homens da mais estrita honra e integridade, que, apesar de terem o comando de uma quantidade incalculável das coisas mais preciosas e poderosas, sem qualquer risco de descoberta humana, se apropriaram muito do seu próprio uso, eram muito altos princípios para tais atos de peculato. Imediatamente, uma proclamação foi emitida para impedir novas contribuições [Êx 36:6].

6 Então Moisés mandou apregoar pelo acampamento, dizendo: Nenhum homem nem mulher faça mais obra para oferecer para o santuário. E assim foi o povo impedido de oferecer;
7 Pois tinha material abundante para fazer toda a obra, e sobrava.

A construção do Tabernáculo

8 E todos os sábios de coração entre os que faziam a obra, fizeram o tabernáculo de dez cortinas, de linho torcido, e de material azul, e de púrpura e carmesim; as quais fizeram de obra prima, com querubins.
9 O comprimento da uma cortina era de vinte e oito côvados, e a largura de quatro côvados: todas as cortinas tinham uma mesma medida.
10 E juntou as cinco cortinas a uma com a outra: também uniu as outras cinco cortinas uma com aa outra.
11 E fez as laçadas de cor de material azul na orla de uma cortina, na margem, à juntura; e assim fez na orla à extremidade da segunda cortina, na juntura.
12 Cinquenta laçadas fez em um cortina, e outras cinquenta na segunda cortina, na margem, na juntura; umas laçadas em frente das outras.
13 Fez também cinquenta colchetes de ouro, com os quais juntou as cortinas, uma com a outra; e fez-se um tabernáculo.
14 Fez também cortinas de pelo de cabras para a tenda sobre o tabernáculo, e as fez em número de onze.
15 O comprimento de uma cortina era de trinta côvados, e a largura de quatro côvados: as onze cortinas tinham uma mesma medida.
16 E juntou as cinco cortinas à parte, e as seis cortinas à parte.
17 Fez também cinquenta laçadas na orla da última cortina na juntura, e outras cinquenta laçadas na orla da outra cortina na juntura.
18 Fez também cinquenta colchetes de bronze para juntar a tenda, de modo que fosse uma.
19 E fez uma coberta para a tenda de couros vermelhos de carneiros, e uma coberta encima de couros finos.
20 Também fez as tábuas para o tabernáculo de madeira de acácia, para estarem na vertical.
21 O comprimento de cada tábua de dez côvados, e de côvado e meio a largura.
22 Cada tábua tinha dois encaixes fixos um diante do outro: assim fez todas as tábuas do tabernáculo.
23 Fez, pois, as tábuas para o tabernáculo: vinte tábuas ao lado do sul.
24 Fez também as quarenta bases de prata debaixo das vinte tábuas: duas bases debaixo de uma tábua para seus dois encaixes, e duas bases debaixo da outra tábua para seus dois encaixes.
25 E para o outro lado do tabernáculo, à parte do norte, fez vinte tábuas,
26 Com suas quarenta bases de prata: duas bases debaixo de uma tábua, e duas bases debaixo da outra tábua.
27 E para o lado ocidental do tabernáculo fez seis tábuas.
28 Para as esquinas do tabernáculo nos dois lados fez duas tábuas,
29 As quais se juntavam por baixo, e também por cima a uma argola: e assim fez à uma e à outra nos dois cantos.
30 Eram, pois, oito tábuas, e suas bases de prata dezesseis; duas bases debaixo de cada tábua.
31 Fez também as barras de madeira de acácia; cinco para as tábuas do um lado do tabernáculo,
32 E cinco barras para as tábuas do outro lado do tabernáculo, e cinco barras para as tábuas do lado do tabernáculo à parte ocidental.
33 E fez que a barra do meio passasse por meio das tábuas do um extremo ao outro.
34 E cobriu as tábuas de ouro, e fez de ouro os anéis delas por de onde passassem as barras: cobriu também de ouro as barras.
35 Fez assim o véu de azul, e púrpura, e carmesim, e linho torcido, o qual fez com querubins de delicada obra.

Fez assim o véu de azul – o segundo véu ou interior, que separava o santo do lugar mais sagrado, bordado com querubins e de grande tamanho e espessura.

36 E para ele fez quatro colunas de madeira de acácia; e cobriu-as de ouro, os capitéis das quais eram de ouro; e fez para elas quatro bases de prata de fundição.
37 Fez também o véu para a porta do tabernáculo, de azul, e púrpura, e carmesim, e linho torcido, obra de bordador;

porta – Cortinas de bordados elaboradamente trabalhados são frequentemente suspensas sobre a entrada de tendas dos grandes xeques nômades, e por toda a Pérsia, na entrada de tendas de verão, mesquitas e palácios. Eles são preferidos como mais frios e mais elegantes que as portas de madeira. Este capítulo contém uma narrativa instrutiva: é a primeira instância de doações feitas para a adoração a Deus, dada pelos salários dos sofrimentos e labores das pessoas. Eles eram aceitáveis ​​a Deus (Fp 4:18), e se os israelitas mostrassem tal liberalidade, quanto mais aqueles cujo privilégio é viver sob a dispensação cristã (1Co 6:2016:2).

38 E suas cinco colunas com seus capitéis: e cobriu as cabeças delas e suas molduras de ouro: mas suas cinco bases as fez de bronze.
<Êxodo 35 Êxodo 37>

Leia também uma introdução ao livro do Êxodo.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.