Hissopo

O hissopo é mencionado pela primeira vez na Bíblia em Ex 12:22, em conexão com a instituição da Páscoa. Nós o encontramos depois mencionado em Levítico 14:4,6,52; Números 19:6,18; Hebreus 9:19. É descrito como uma planta “que nasce na parede” (1Reis 4:33). Muitas hipóteses foram formadas sobre qual a espécie dessa planta. Alguns afirmam que era uma espécie de manjerona (origanum), seis espécies das quais são encontradas na Palestina. Outros com maior probabilidade pensam que era a alcaparra (Capparis spinosa). Essa planta cresce no Egito, no deserto do Sinai e na Palestina. Ela é capaz de produzir um caule com até 120 centímetros de comprimento (Mateus 27:48; Marcos 15:36. Comp. Jo 19:29). Entretanto é difícil afirmar com certeza.

Arbusto de alcaparras (Capparis spinosa) no muro de Jerusalém. Foto: Bo Basil (2018)

O propósito do hissopo

Entre os vários usos do hissopo registrados na Bíblia, o que mais nos chama é aquele nos rituais de purificação. A planta era molhada na água ou no sangue do animal imolado e aspergida sobre aquilo que deveria ser purificado da impureza (Êxodo 12:22; Salmo 51:7). Agora, sob a nova aliança, nós que cremos em Jesus, somos purificados da nossa impureza por meio do sangue de Cristo “aspergido” sobre nós.

Adaptado de: Illustrated Bible Dictionary (Hyssop).