João 14:1

Não se perturbe vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.

Comentário de J. H. Bernard

A advertência a Pedro de que ele logo negaria seu Mestre deve tê-lo chocado, pois o silenciou. Ele não está entre os discípulos que fazem perguntas sobre o significado das palavras de Jesus no capítulo 14, nem é mencionado novamente até o capítulo 18. Mas os outros discípulos também devem ter ficado surpresos e tristes com o pensamento de que o principal entre eles falhariam na hora da prova. Se assim fosse, quem entre eles poderia estar confiante em si mesmo? Na verdade, eles já haviam sido avisados de que sua fé não seria forte o suficiente para mantê-los ao lado de Jesus quando chegasse a hora sombria de Sua prisão (João 16:31-32). Mas essa sugestão renovada da instabilidade de sua lealdade, acrescentada aos anúncios que Jesus havia feito de Sua partida iminente deles (Joao 16:5-7, João 13:33, 36) e das perseguições que estavam reservadas para eles (Joao 15:18-21, João 16:33), os encheram de profunda tristeza. Então Ele procurou tranquilizá-los com uma nova mensagem de consolo, que os ensinou a olhar além desta vida terrena para a vida após a morte.

Não se perturbe vosso coração [μὴ ταρασσέσθω ὑμῶν ἡ καρδία]. A experiência humana de um espírito “perturbado” havia sido Sua, mais de uma vez, durante as últimas semanas (compare com João 11:33, João 12:27, João 13:21), e Ele sabia o quanto era doloroso.

credes em Deus, crede também em mim [πιστεύετε εἰς τὸν θεόν, καὶ εἰς ἐμὲ πιστεύετε]. Estes são provavelmente ambos imperativos: “creia em Deus (compare com Marcos 11:22); também creia em mim”. A crença em Deus deveria, por si só, voltar seus pensamentos para a segurança da vida futura; e então, se eles acreditassem em Jesus, eles se lembrariam das promessas que Ele havia feito sobre isso (veja o versículo 3, com suas duas sentenças).

Gramaticalmente, πιστεύετε pode ser presente indicativo em qualquer lugar ou em ambos, e o familiar “Você acredita em Deus; acredite também em mim”, também faz sentido. Mas parece mais natural tomar πιστεύετε da mesma maneira na primeira sentença e na segunda.

A verdadeira fonte de consolo para um espírito perturbado é a fé em Deus (compare com Salmo 27:13, Salmo 141:8 etc.) e em Jesus a quem Deus enviou (compare com Marcos 5:36). Os discípulos já haviam professado (João 16:30) sua fé em Jesus, mas Ele os advertiu que esta fé não era invencível (João 16:31).

Para a construção εἰς τινὰ πιστεύειν, nunca utilizado por João da fé no homem, ver em João 1:12. [Bernard, 1928]

Comentário de David Brown

Conteúdo exclusivo para assinantes. Clique aqui e conheça todos os benefícios de assinar o Apologeta.
< João 13:38 João 14:2 >

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles, com adaptação de Luan Lessa – janeiro de 2021.