Bíblia, Revisar

Marcos 2

Cura de um paralítico

1 Dias depois, Jesus entrou outra vez em Cafarnaum, e ouviu-se que estava em casa.

Este incidente, como observado em Mt 9:1, parece seguir em seguida em ordem de tempo após a cura do leproso (Mc 1:40-45).

Jesus entrou outra vez em Cafarnaum– “Sua própria cidade” (Mt 9:1).

e ouviu-se que estava em casa – sem dúvida de Simão Pedro (Mc 1:29).

2 Juntaram-se tantos, que nem mesmo perto da porta cabiam; e ele lhes falava a palavra.

Juntaram-se tantos, que nem mesmo perto da porta cabiam – Este é um dos toques gráficos de Marcos. Sem dúvida, neste caso, como a cena ocorreu na própria porta de seu informante, esses detalhes são as vívidas lembranças daquele honrado discípulo.

e ele lhes falava a palavra – isto é, dentro de casa; mas na audição, sem dúvida, da multidão que pressionava ao redor. Se Ele tivesse saído, como naturalmente faria, a fé do paralítico não teria tido a oportunidade de se exibir. Lucas (Lc 5:17) fornece um incidente adicional e muito importante na cena – como segue: “E aconteceu que, certo dia, como ensinava, havia fariseus e doutores da lei, que saíam de todas as aldeias, ou vilarejos, da Galileia, da Judéia e de Jerusalém. ”Esse foi o maior testemunho ainda dado à crescente influência de nosso Senhor, e a necessidade cada vez mais sentida pelos eclesiásticos por todo o país de vir para algum julgamento definido a respeito dele. “E o poder do Senhor era [presente] para curá-los” – ou “era [eficaz] para curá-los”, isto é, os doentes que foram trazidos perante Ele. De modo que o milagre que está agora para ser descrito estava entre os mais gloriosos e dignos de serem registrados de muitos, então realizados; e o que fez isso foi, sem dúvida, a fé que se manifestou em relação a ela, e a proclamação do perdão dos pecados do paciente que imediatamente o precederam.

3 E vieram uns que traziam-lhe um paralítico carregado por quatro.

um paralítico – “deitado em uma cama” (Mt 9:2).

4 Como não podiam trazer até ele por causa da multidão, descobriram o telhado onde ele estava, fizeram um buraco, e baixaram por ele o leito em que jazia o paralítico.

Como não podiam trazer até ele por causa da multidão – ou, como em Lucas (Lc 5:19), “quando eles não conseguiam encontrar de que maneira eles poderiam trazê-lo por causa da multidão”, eles foram ao telhado plano ou terraço, universal em casas orientais.

o leito em que jazia o paralítico – Lucas (Lc 5:19) diz, eles “o abaixam pela lavra com o seu leito no meio de todos diante de Jesus”. Todo o seu objetivo era levar o paciente à presença de Jesus; e isto não sendo possível no modo ordinário, por causa da multidão que o rodeava, eles tomaram o método muito incomum aqui descrito de realizar o seu objetivo, e tiveram sucesso. Várias explicações foram dadas sobre o modo como isso foi feito; mas a menos que soubéssemos o plano preciso da casa e a parte dela da qual Jesus ensinava – que pode ter sido um quadrilátero ou uma quadra aberta, dentro dos edifícios de que a casa de Pedro era uma, ou uma galeria coberta por uma varanda – é impossível determinar com precisão como a coisa foi feita. Uma coisa, no entanto, é clara: temos as duas contas de uma testemunha ocular.

5 Quando Jesus viu a fé deles, disse ao paralítico: Filho, os teus pecados estão perdoados.

Quando Jesus viu a fé deles – É notável que todas as três narrativas a chamam de “a fé deles” que Jesus viu. Que o próprio paciente tivesse fé, sabemos da proclamação do seu perdão, que Jesus fez antes de tudo; e deveríamos ter sido capazes de concluir que seus quatro amigos o levaram a Jesus meramente por obediência benevolente às súplicas urgentes do pobre sofredor. Mas aqui aprendemos, não apenas que seus portadores tinham a mesma fé em si mesmos, mas que Jesus os marcou como uma fé que não deveria ser derrotada – uma fé vitoriosa sobre todas as dificuldades. Esta foi a fé pela qual Ele esteve sempre vigilante, e que Ele nunca viu sem marcar, e, naqueles que precisavam de algo Dele, ricamente recompensador.

disse ao paralítico: Filho – “tende bom ânimo” (Mt 9:2).

teus pecados estão perdoados – Pela palavra “be”, nossos tradutores talvez significassem “são”, como em Lucas (Lc 5:20). Pois não é uma ordem para os seus pecados partirem, mas uma proclamação autorizada do estado perdoado do homem como um crente. E, no entanto, como os fariseus entenderam que nosso Senhor estava dispensando o perdão por essa afirmação, e Jesus não apenas reconhece que eles estavam certos, mas baseia toda a sua argumentação na correção dela, devemos considerar a declaração como uma proclamação real do homem. é o perdão por Ele a quem pertence a dispensá-lo; nem tal estilo de endereço poderia ser justificado em qualquer suposição inferior. (Veja em Lc 7:41, etc.)

6 E estavam ali sentados alguns escribas, que pensavam em seus corações:

“e os fariseus” (Lc 5:21) aqueles eclesiásticos judeus que, como Lucas nos disse (Lc 5:17), “saíram de todas as aldeias da Galileia, Judeia e Jerusalém”, para fazer suas observações sobre essa Pessoa maravilhosa, em qualquer coisa que não fosse ensinável. espírito, embora ainda seu sentimento venenoso e assassino não tivesse se mostrado.

7 Por que este homem fala assim? Ele está blasfemando! Quem pode perdoar pecados, a não ser somente Deus?

Nesta segunda questão, eles expressaram uma grande verdade. (Veja Is 43:25; Mq 7:18; Êx 34:6-7, etc.). Tampouco a primeira questão foi totalmente antinatural, embora, no caso exclusivo de nosso Senhor, fosse infundada. Que um homem, para todas as aparências como um deles, deve reivindicar autoridade e poder para perdoar pecados, eles não poderiam, à primeira vista, mas considerar como em um grau surpreendente; nem tinham o direito de pesar tal afirmação, como merecedor de uma audiência, exceto pela suposição de evidência irresistível proporcionada por Ele em apoio à alegação. Consequentemente, nosso Senhor lida com eles como homens com direito a tal evidência, e os fornece; ao mesmo tempo, repreendendo-os por imprudência, ao tirar conclusões severas a respeito de si mesmo.

8 Imediatamente Jesus percebeu em seu espírito que assim pensavam em si mesmos. Então perguntou-lhes: Por que pensais assim em vossos corações?

(Mt 9:4) “Por que pensais mal em vossos corações?”

9 O que é mais fácil? Dizer ao paralítico: “Os teus pecados estão perdoados”, ou dizer, “Levanta-te, toma o teu leito, e anda”?

“É mais fácil controlar a doença do que rejeitar o pecado? Se, então, faço aquele que você pode ver, saiba assim que fiz o outro, o qual você não pode ver ”.

10 Mas para que saibais que o Filho do homem tem poder na terra para perdoar pecados,(disse ao paralítico):

Mas para que saibais que o Filho do homem tem poder sobre a terra para perdoar pecados – que perdoar o poder habita na Pessoa deste Homem e é exercitado por Ele enquanto estiver nesta terra e sair e entrar contigo.

11 A ti eu digo: levanta-te, toma o teu leito, e vai para a tua casa.

provar a perfeição da cura.

12 E logo ele se levantou, tomou o leito, e saiu na presença de todos, de tal maneira, que todos ficaram admirados, e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca vimos algo assim.

E logo ele se levantou, tomou o leito – “Doce dizendo!”, Diz Bengel: “A cama tinha suportado o homem: agora o homem tinha a cama.”

e saiu na presença de todos – proclamando por aquele ato à multidão, cujos olhos maravilhados o seguiriam enquanto ele pressionava através deles, que Aquele que poderia operar um glorioso milagre de cura, deveria de fato “ter poder na terra para perdoar pecados. “

Nunca vimos algo assim. Em Lucas (Lc 5:26) está: “Temos visto coisas estranhas [inesperadas] para … dia ”- referindo-se tanto aos milagres realizados quanto ao perdão dos pecados pronunciados pelos Lábios Humanos. Em Mateus (Mt 9:8), é: “Eles maravilharam-se e glorificaram a Deus, que dera tal poder aos homens”. No poder perdoador, eles não se perguntavam, mas que um homem, em aparência como um deles, deveria possuir isto!

(Mt 9: 1-8; Lc 5: 17-26)

13 Jesus voltou a sair para o mar; toda a multidão veio até ele, e ele os ensinava.

Mc 2: 13-17. Chamada e festa de Levi (ou Mateus). .

Veja em Mt 9: 9-13.

14 E enquanto passava, ele viu Levi, filho de Alfeu, sentado no posto de coleta de impostos, e disse-lhe: Segue-me.Então Levi se levantou e o seguiu.
15 E aconteceu que enquanto estava sentado à mesa na casa dele, muitos publicanos e pecadores também estavam assentados à mesa com Jesus e os seus discípulos; porque eram muitos, e o haviam seguido.
16 Quando os escribas dos fariseus o viram comer com os publicanos e pecadores, disseram a seus discípulos: Por que é que ele come com os publicanos e os pecadores?
17 Jesus ouviu e lhes respondeu: Os que têm saúde não precisam de médico, mas sim os que estão doentes. Eu não vim para chamar os justos, mas sim, os pecadores.

(Mt 9:9-13; Lc 5:27-32)

Discurso sobre o jejum

18 Os discípulos de João e os dos fariseus estavam jejuando; então vieram lhe perguntar: Por que os discípulos de João e os dos fariseus jejuam, e os teus discípulos não jejuam?

Veja em Lc 5: 33-39.

19 Jesus lhes respondeu: Podem os convidados do casamento jejuar enquanto o noivo estiver com eles? Enquanto tiverem o noivo consigo, eles não podem jejuar.
20 Mas dias virão, quando o noivo lhes for tirado; e então naquele dia jejuarão.
21 Ninguém costura remendo de pano novo em roupa velha; senão o remendo novo rompe o velho, e se faz pior rasgo.
22 E ninguém põe vinho novo em odres velhos; senão o vinho rompe os odres, e o vinho se perde com os odres; mas o vinho novo deve ser posto em odres novos.

(Mt 9:14-17; Lc 5:33-39)

23 E aconteceu que, enquanto Jesus passava pelas plantações no sábado, os seus discípulos, andando, começaram a arrancar espigas.

Mc 2: 23-28. Arrancando espigas de milho no dia de sábado. (= Mt 12: 1-8; Lc 6: 1-5).

Veja em Mt 12: 1-8.

24 Os fariseus lhe disseram: Olha! Por que estão fazendo o que não é lícito no sábado?
25 E ele lhes disse: Nunca lestes o que fez Davi, quando teve necessidade e fome, ele e os que com ele estavam?
26 Como ele entrou na Casa de Deus, quando Abiatar era sumo sacerdote, e comeu os pães da proposição (dos quais não é lícito comer, a não ser aos sacerdotes), e também deu aos que com ele estavam?
27 Disse-lhes mais: O sábado foi feito por causa do ser humano, não o ser humano por causa do sábado.
28 Por isso o Filho do homem é Senhor até do sábado.
<Marcos 1 Marcos 3>

Leia também uma introdução ao Evangelho de Marcos.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.