Êxodo 20:12

Honra a teu pai e a tua mãe, para que teus dias se alarguem na terra que o SENHOR teu Deus te dá.

Comentário de Robert Jamieson

Honra a teu pai e a tua mãe – através de expressões de respeito e reverência por eles, como representantes instrumentais de Deus, e por todo sinal de atenção e consideração pelo seu sustento e conforto. Este mandamento ocupa um lugar elevado na lista dos deveres sociais e vem logo após a lei do sábado, com a qual está associado (Levítico 19:3). O amor é o sentimento que devemos cultivar em relação aos nossos semelhantes (Levítico 19:18), mas a honra ou ‘temor’ é devida aos pais. Há uma única instância de aparente negligência para com Sua mãe na vida de Jesus; mas Sua conduta, como explicado por Ele mesmo, foi perfeitamente consistente com o máximo respeito por Seus pais humanos (Lucas 2:49).

Este mandamento, em seu espírito e alcance legítimo, se estende além dos pais naturais aos governantes, que existiam na época de sua promulgação na forma de governadores patriarcais (Êxodo 22:28; Gênesis 45:8; Juízes 5:7), bem como a profetas e mestres, que frequentemente são chamados de “pais” (2Reis 2:12; 2Reis 13:1-25; 2Reis 14:1-29: cf. Salmo 34:11; Salmo 45:10; Provérbios 1:8; Provérbios 1:10; Provérbios 1:15).

para que teus dias se alarguem na terra – isto é, para que possas viver por muito tempo na terra; isso pode ser aplicado tanto aos israelitas como um todo, indicando que se eles fossem marcados por uma geração de filhos obedientes, desfrutariam de uma posse duradoura da terra prometida, quanto a indivíduos, que por meio de piedade e retidão, alcançariam uma longevidade prolongada (Deuteronômio 6:2) neste mundo, que serviria como penhor e prelúdio da vida eterna no próximo.

Em Deuteronômio 5:16; Deuteronômio 22:7, bem como em Efésios 6:3, a sentença adicional “para que te vá bem” é inserida aparentemente com o único objetivo de expressar o significado mais plenamente. Aqueles que andam nos caminhos do Senhor encontram, como o curso geral da história e da experiência atestam, essa promessa divina cumprida. Um exemplo notável é registrado na Escritura (Jeremias 35:1-19). Até hoje, os recabitas são monumentos vivos da verdade desta promessa (‘Journal’ do Dr. Joseph Wolff).

Os mandamentos na segunda tábua da lei relacionam-se com violações da ordem social – em ação, palavra e pensamento ou desejo. Os três primeiros são apresentados em nossas Bíblias hebraicas atuais na seguinte ordem: proibições de atos contra a vida, o casamento e a propriedade. Na Septuaginta, eles estão dispostos de maneira diferente – casamento, propriedade e vida. [JFU, 1866]

Comentário de Carl F. Keil

O Quinto Mandamento, “Honra teu pai e tua mãe”, não se refere a outros seres humanos, mas “àqueles que são os representantes de Deus. Portanto, assim como Deus deve ser servido com honra e temor, Seus representantes também devem ser” (Lutero decem. praec.). Isso é colocado além de qualquer dúvida por Levítico 19:3, onde a reverência pelos pais é equiparada à observância do sábado, e תִּירָא “temerás” é substituído por כַּבֵּד “honrar”. Também segue-se de כַּבֵּד, que, como observa Calvino corretamente, significa não é nada além de render honra justa a Deus e aos homens que possuem dignidade. Os próximos ou vizinhos (רֵעַ) devem ser amados (Levítico 19:18); os pais, por outro lado, devem ser honrados e temidos; reverência deve ser demonstrada a eles com o coração, boca e mãos – em pensamento, palavra e ação. Mas por pai e mãe, não devemos entender apenas os autores e preservadores de nossa vida corporal, mas também os fundadores, protetores e promotores de nossa vida espiritual, como profetas e mestres, aos quais às vezes é dado o nome de pai (2Reis 2:12; 2Reis 13:14), enquanto outras vezes é atribuída paternidade a eles por seus discípulos sendo chamados de filhos e filhas (Salmos 34:12; Salmos 45:11; Provérbios 1:8, Provérbios 1:10, Provérbios 1:15, etc.); também os guardiões de nossa vida corporal e espiritual, as autoridades ordenadas por Deus, aos quais justamente se pode aplicar os nomes de pai e mãe (Gênesis 45:8; Juízes 5:7), já que todo governo cresceu da relação de pai e filho, e tira seu peso moral e estabilidade, sobre os quais depende a prosperidade e o bem-estar de uma nação, da reverência dos filhos para com seus pais [nota]. E a promessa “para que teus dias se prolonguem (vivas muito) na terra que o Senhor teu Deus te dá” também aponta para isso. Há uma dupla promessa aqui. Enquanto a nação se alegrava com a posse de filhos obedientes, estava assegurada de uma longa vida ou existência na terra de Canaã; mas também está incluída a promessa de uma longa vida, ou seja, uma idade avançada, para indivíduos (cf. Deuteronômio 6:2; Deuteronômio 22:7), assim como encontramos em 1Reis 3:14 uma boa velhice referida como uma bênção especial de Deus. Em Deuteronômio 5:16, a promessa de uma vida longa é seguida pelas palavras “e para que te vá bem”, o que não altera o sentido, mas apenas o explica mais detalhadamente.

Nota: "Com essa demanda de reverência aos pais, o quinto mandamento lança as bases para a santificação de toda a vida social, na medida em que nos ensina a reconhecer uma autoridade divina na mesma" (Oehler, Dekalog, p. 322).)

Como a majestade de Deus deveria ser honrada e temida nos pais, a imagem de Deus deveria ser mantida sagrada em todos os homens. Este pensamento forma a transição para o restante dos mandamentos. [Keil, 1861-2]

< Êxodo 20:11 Êxodo 20:13 >

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles, com adaptação de Luan Lessa – janeiro de 2021.