2 João

Saudações

1 O ancião, à senhora eleita, e a seus filhos, aos quais eu amo na verdade — e não somente eu, mas também todos os que têm conhecido a verdade—,

O ancião (e não “o presbítero”, conforme algumas versões). O apóstolo João provavelmente se denomina assim por causa da sua elevada idade […] “O uso do termo nesta epístola indica que ele não pode ter entendido este título no sentido eclesiástico usual, como se ele fosse apenas um entre muitos presbíteros de uma comunidade. É evidente que o escritor pretendia com isso expressar a posição singular e elevada que ocupava, como o mestre respeitável por sua velhice e o último dos apóstolos” (Döllinger).

à senhora eleita – ou, possivelmente, para a eleita Kyria (um nome que sem dúvida estava em uso naquele tempo): porém a tradução “à senhora eleita” é melhor, pois deixa em aberto a questão se a carta foi endereçada a uma pessoa ou a uma comunidade. No original grego não há nenhum artigo, de modo que “para uma senhora eleita” é uma tradução possível. [Plummer, 1896]

aos quais eu amo na verdade – ou seja, a quem eu amo com o verdadeiro amor cristão, com toda a sinceridade, pureza e respeito que o verdadeiro amor que brota de Deus requer. [Ellicott, 1905]

2 por causa da verdade que está em nós, e estará para sempre conosco.

por causa da verdade (compare com 1Co 9:232Co 4:5) que está em nós (compare com Jo 15:7Cl 3:162Tm 1:5).

3 Graça, misericórdia, e paz da parte de Deus Pai, e de Jesus Cristo, o Filho do Pai, seja conosco em verdade e amor.

de Jesus Cristo. Manuscritos mais recentes acrescentam aqui “do Senhor”, porém essas palavras não são encontradas nos manuscritos antigos e na maioria das versões mais antigas. João nunca usou este título para Jesus em suas cartas, mas “o Filho de Deus”. [JFU, 1871]

seja conosco em verdade e amor – isto é, seja conosco, os que vivemos na verdade e no amor (NVT).

Vivendo em amor e verdade

4 Muito me alegrei por ter encontrado alguns de teus filhos andando na verdade, assim como recebemos o mandamento do Pai.

andando na verdade – ou seja, na verdade do Evangelho.

5 E agora, senhora, eu te peço, não como te escrevendo um novo mandamento, mas o que tivemos desde o princípio: que nos amemos uns aos outros.

senhora – no original grego, Kyria (um nome que sem dúvida estava em uso naquele tempo): porém a tradução “senhora” é melhor, pois deixa em aberto a questão se a carta foi endereçada a uma pessoa ou a uma comunidade. [Plummer, 1896]

que nos amemos uns aos outros – ou seja, que haja amor mútuo entre os discípulos de Cristo; […] que em todas as circunstâncias e relações os cristãos devem amar uns aos outros (Jo 15:12,17). [Barnes, 1870]

6 E este é o amor: que andemos segundo seus mandamentos. E este é o mandamento, como vocês já ouviram desde o princípio: que vocês andem nele.

que vocês andem nele – ou seja, que vocês andem no amor (NAA, NVI).

7 Pois muitos enganadores têm surgido no mundo que não declaram que Jesus Cristo veio em carne. Este é o enganador e o anticristo.

não declaram que Jesus Cristo veio em carne – ou seja, em corpo humano.

Este é o enganador e o anticristo. Os muitos que, em certo grau, assumem esse papel, são precursores do Anticristo final, que concentrará em si mesmo todas as características dos sistemas anticristãos anteriores. [JFU, 1871]

8 Tenham cuidado de vocês mesmos para que não percam aquilo pelo qual trabalhamos, mas que recebam recompensa completa.

percamrecebam – conforme os manuscritos e versões mais antigos, e não, percamosrecebamos.

não percam aquilo pelo qual trabalhamos – ou seja, cuidem para não perder a “verdade e amor”, aquilo pelo qual nós, como obreiros de Deus (2Co 6:1; 2Tm 2:15), fomos instrumentos de trabalho em vocês. [JFU, 1871]

9 Todo aquele que vai além e não permanece na doutrina de Cristo não tem a Deus; quem continua na doutrina de Cristo tem tanto ao Pai quanto ao Filho.

Todo aquele que vai além e não permanece na doutrina de Cristo não tem a Deus – ou seja, na doutrina que Cristo ensinou, ou então, na verdadeira doutrina a respeito dele. A linguagem é ambígua, como a frase “o amor de Cristo”, que pode significar tanto seu amor por nós, quanto nosso amor por ele. Compare com João 15:9. É difícil determinar aqui qual é o verdadeiro sentido – se significa a doutrina ou os preceitos que ele ensinou, ou a verdadeira doutrina a respeito dele. James Macknight entende que se trata da doutrina ensinada por Cristo e seus apóstolos. Parece mais provável que este seja o sentido da passagem […] A ideia essencial é que a verdade no que diz respeito aos ensinamentos, o caráter e a obra do Salvador deve ser guardada. Provavelmente, a alusão imediata aqui é àqueles a quem João tão frequentemente se referiu como “anticristo”, que negaram que Jesus tinha vindo em carne (2Jo 7). Ao mesmo tempo, porém, ele faz uma observação geral, que se alguém não guardasse a verdadeira doutrina a respeito do Salvador, não tinha conhecimento real de Deus. Veja Jo 1:18; 5:23; 15:23; 17:3; 1Jo 2:23. [Barnes, 1870]

doutrina de Cristodoutrina de Cristo. O segundo “de Cristo” é omitido nos manuscritos mais antigos, mas o sentido é o mesmo. [JFU, 1871]

10 Se alguém vem até vocês, e não traz esta doutrina, não recebam em casa nem o saúdem.

esta doutrina – a “doutrina de Cristo” (2Jo 9); a verdade no que diz respeito aos ensinamentos, o caráter e a obra do Salvador.

nem o saúdem. A palavra usada no original grego expressa a forma comum de saudação, como quando desejamos saúde, sucesso, prosperidade (Mt 26:49; At 15:23; 23:26; Tg 1:1). Ela seria entendida como expressando um desejo de sucesso naquilo em que a quem ela foi destinada estavam envolvidos; e, embora devamos amar todas as pessoas e desejar seu bem-estar e buscar sinceramente sua felicidade, ainda assim, não podemos desejar a ninguém sucesso na trajetória de pecado e erro. [Barnes, 1870]

11 Pois quem o saúda participa de suas más obras.

A palavra usada no original grego expressa a forma comum de saudação, como quando desejamos saúde, sucesso, prosperidade (Mt 26:49; At 15:23; 23:26; Tg 1:1). Ela seria entendida como expressando um desejo de sucesso naquilo em que a quem ela foi destinada estavam envolvidos; e, embora devamos amar todas as pessoas e desejar seu bem-estar e buscar sinceramente sua felicidade, ainda assim, não podemos desejar a ninguém sucesso na trajetória de pecado e erro. [Barnes, 1870]

Conclusão

12 Tenho muitas coisas a lhes escrever, porém não quis fazê-lo com papel e tinta; mas espero ir até vocês, e falar lhes face a face, para que a nossa alegria seja completa.

Compare com 3Jo 1:13.

13 Os filhos de tua irmã eleita, te saúdam. Amém.

tua irmã eleita. A identidade da “senhora eleita” (2Jo 1) e sua irmã é desconhecida, é possível que elas não sejam pessoas, mas sim igrejas. 

<1 João 5 3 João 1>

Introdução à 2 João

2 João (Segunda Epístola de João) é endereçada a “a senhora eleita”, e termina com as palavras: “Os filhos de tua irmã eleita, te saúdam”; mas alguns leram em vez de “senhora” o nome próprio Kyria. Dos treze versos que compõem esta epístola sete estão na Primeira Epístola de João. A pessoa endereçada (ou comunidade) é elogiada por sua piedade e é advertida contra os falsos mestres.

As Segunda e Terceira Epístolas de João provavelmente foram escritas logo após a Primeira, em Éfeso. [Easton, 1897]

Visão geral de 1, 2 e 3 João

Nas cartas de João, “o autor chama seguidores de Jesus a participarem da vida e amor de Deus, dedicando-se a amarem uns aos outros”. Para uma visão geral deste livro, assista ao breve vídeo abaixo produzido pelo BibleProject. (10 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles, com adaptação de Luan Lessa – maio de 2021.