Povo

Tribo de Benjamim

A tribo de Benjamim no Êxodo era a menor entre todas as outras (Nm 1:36-37; Sl 68:27). Durante a marcha, seu lugar estava junto com Manassés e Efraim, a oeste do Tabernáculo. À entrada de Canaã contava 45.600 guerreiros. Alguns deduziram das palavras de Jacó (Gn 49:27) que a figura de um lobo estava no estandarte tribal. Esta tribo é mencionada em Rm 11:1; Fp 3:5.

A herança desta tribo estava ao sul da de Efraim, e tinha cerca de 40km de comprimento e 20km de largura. Seu limite oriental era o Jordão. Dã ficava entre ela e os filisteus. Suas principais cidades são nomeadas em Js 18:21-28.

A história da tribo contém um registro triste de uma guerra civil desoladora em que eles estavam envolvidos com as outras onze tribos. Por isso, eles foram quase exterminados (Jz 20:20-21; 21:10).

O primeiro rei dos judeus foi Saul, um benjamita. Uma aliança estreita foi formada entre esta tribo e a de Judá no tempo de Davi (2Sm 19:16-17), que continuou após a sua morte (1Rs 11:13; 12:20). Após o Exílio, essas duas tribos formaram o grande corpo da nação judaica (Ed 1:5; 10:9).

A tribo de Benjamim era famosa por seus arqueiros (1Sm 20:20,36; 2Sm 1:22; 1Cr 8:40; 12:2) e arremessadores com funda (Jz 20:6).

Porta de Benjamim

A porta de Benjamim, no lado norte de Jerusalém (Jr 37:13; 38:7, Zc 14:10), era assim chamada porque conduzia na direção do território da tribo de Benjamim. É chamada por Jeremias (Jr 20:2) “a porta superior de Benjamim”; também “a porta dos filhos do povo” (Jr 17:19). (Comp. 2Rs 14:13.)

Adaptado de: Illustrated Bible Dictionary (Benjamin).

Conteúdos recomendados