Bíblia, Revisar

1 Reis 19

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!

Elias foge para Berseba

1 E Acabe deu a notícia a Jezabel de tudo o que Elias havia feito, de como havia matado à espada a todos os profetas.
2 Então enviou Jezabel a Elias um mensageiro, dizendo: Assim me façam os deuses, e assim me acrescentem, se amanhã a estas horas eu não haja posto tua pessoa como a de um deles.
3 Vendo, pois, o perigo, levantou-se e foi-se por salvar sua vida, e veio a Berseba, que é em Judá, e deixou ali seu criado.

e fugiu para salvar a vida – Ele entrou em Jezreel cheio de esperança. Mas uma mensagem da rainha indignada e de coração duro, jurando vingança rápida por seus sacerdotes massacrados, dissipou todas as suas brilhantes visões do futuro. É provável, no entanto, que no temperamento atual do povo, nem ela teria ousado colocar mãos violentas no servo do Senhor, e propositalmente o ameaçou porque ela não podia fazer mais nada. A ameaça produziu o efeito pretendido, pois sua fé de repente falhou. Ele fugiu do reino para a parte mais ao sul dos territórios de Judá; nem se considerava seguro nem mesmo ali, mas, despedindo seu servo, resolveu procurar refúgio entre os recessos montanhosos do Sinai, e ali ansiava pela morte (Tg 5:17). Essa súbita e extraordinária depressão mental surgiu da grande confiança inspirada pelos milagres operados no Carmelo e pela disposição que o povo manifestou ali. Tivesse ele permanecido firme e imutável, a impressão na mente de Acabe e do povo em geral poderia ter sido seguida por bons resultados. Mas ele havia sido exaltado acima da medida (2Co 12: 7-9), e sendo deixado para si mesmo, o grande profeta, em vez de mostrar o espírito indomável de um mártir, fugiu de seu cargo de dever.

Elias é consolado por um anjo

4 E ele se foi pelo deserto um dia de caminho, e veio e sentou-se debaixo de um junípero; e desejando morrer, disse: Basta já, ó SENHOR, tira minha alma; que não sou eu melhor que meus pais.

e entrou no deserto, caminhando um dia – no caminho de Beer-Sheba até Horeb – uma vasta extensão de montes de areia, cobertos com o retem (não zimbro, mas arbustos de vassoura), cujos ramos altos e estendidos, com suas folhas brancas , ofereça uma sombra muito animadora e refrescante. Seu gracioso Deus não perdeu de vista seu servo fugitivo, mas o vigiava, e, miraculosamente ministrando a suas necessidades, capacitou-o, em um estado de espírito melhor, mas não totalmente correto, em virtude daquele suprimento sobrenatural, para completar sua contemplada viagem. Na solidão do Sinai, Deus apareceu para instruí-lo. “O que você faz aqui, Elias?” Foi uma pergunta em busca de alguém que foi chamado para uma missão tão árdua e urgente como a dele. Por uma horrível exibição de poder divino, ele foi informado do orador divino que se dirigiu a ele; sua atenção foi detida, sua petulância foi silenciada, seu coração foi tocado e ele foi obrigado a retornar sem demora à terra de Israel e processar o trabalho do Senhor lá. Para convencê-lo de que uma nação idólatra não ficaria impune, Ele o comissionou para ungir três pessoas que estavam destinadas à Providência para vingar a controvérsia de Deus com o povo de Israel. A unção é usada como sinônimo de nomeação (Jz 9: 8), e é aplicada a todos os citados, embora Jeú tenha tido somente o óleo consagrado derramado sobre sua cabeça. Eles eram todos três destinados a serem instrumentos eminentes para alcançar a destruição dos idólatras, embora de maneiras diferentes. Mas das três comissões, Elias executou pessoalmente apenas uma; ou seja, o chamado de Eliseu para ser seu assistente e sucessor [1Rs 19:19], e por ele os outros dois foram realizados (2Rs 8: 7-13; 2Rs 9: 1-10). Tendo assim satisfeito o ardente zelo do errante mas sincero e piedoso profeta, o Senhor procedeu a corrigir a impressão errônea sob a qual Elias estivera trabalhando, sendo ele o único aderente da verdadeira religião na terra; pois Deus, que vê em segredo, e sabia tudo o que era Dele, sabia que havia sete mil pessoas que não haviam prestado homenagem (literalmente “beijou a mão”) a Baal.

5 E lançando-se debaixo do junípero, ficou dormido: e eis que logo um anjo que lhe tocou, e lhe disse: Levanta-te, come.
6 Então ele olhou, e eis que a sua cabeceira uma torta cozida sobre as ascuas, e um vaso de água: e comeu e bebeu e voltou-se a dormir.
7 E voltando o anjo do SENHOR a segunda vez, tocou-lhe, dizendo: Levanta-te, come: porque grande caminho te resta.
8 Levantou-se, pois, e comeu e bebeu; e caminhou com a força daquela comida quarenta dias e quarenta noites, até o monte de Deus, Horebe.
9 E ali se meteu em uma cova, de onde teve a noite. E foi a ele palavra do SENHOR, o qual lhe disse: Que fazes aqui, Elias?
10 E ele respondeu: Tenho sentido um zelo intenso pelo SENHOR Deus dos exércitos; porque os filhos de Israel deixaram tua aliança, derrubaram teus altares, e mataram à espada teus profetas: e eu só restei, e me buscam para tirar-me a vida.
11 E ele lhe disse: Sai fora, e põe-te no monte diante do SENHOR. E eis que o SENHOR que passava, e um grande e poderoso vento que rompia os montes, e quebrava as penhas diante do SENHOR: mas o SENHOR não estava no vento. E depois do vento um terremoto: mas o SENHOR não estava no terremoto.
12 E depois do terremoto um fogo: mas o SENHOR não estava no fogo. E depois do fogo uma voz agradável e suave.
13 E quando o ouviu Elias, cobriu seu rosto com seu manto, e saiu, e parou-se à porta da cova. E eis que chegou uma voz a ele, dizendo: Que fazes aqui, Elias?
14 E ele respondeu: Tenho sentido um zelo intenso pelo SENHOR Deus dos exércitos; porque os filhos de Israel deixaram tua aliança, derrubaram teus altares, e mataram à espada teus profetas: e eu só restei, e me buscam para tirar-me a vida.
15 E disse-lhe o SENHOR: Vai, volta-te por teu caminho, pelo deserto de Damasco: e chegarás, e ungirás a Hazael por rei da Síria;
16 E a Jeú, filho de Ninsi, ungirás por rei sobre Israel; e a Eliseu filho de Safate, de Abel-Meolá, ungirás para que seja profeta em lugar de ti.

Abel-Meolá – isto é, “a campina da dança”, no vale do Jordão.

17 E será, que o que escapar da espada, de Hazael, Jeú o matará; e o que escapar da espada de Jeú, Eliseu o matará.
18 E eu farei que restem em Israel sete mil; todos os joelhos que não se encurvaram a Baal, e bocas todas que não o beijaram.

Eliseu segue Elias

19 E partindo-se ele dali, achou a Eliseu filho de Safate, que arava com doze juntas diante de si; e ele era um dos doze trabalhadores. E passando Elias por diante dele, lançou sobre ele seu manto.

Eliseu, filho de Safate – Muito provavelmente, ele pertencia a uma família que se distinguia pela piedade e por sua oposição à adoração predominante do bezerro.

arando com doze parelhas de bois – indicando que ele era um homem de substância.

Elias o alcançou e lançou a sua capa sobre ele – Esta foi uma investidura no ofício profético. É desse modo que os brâmanes, os sufis persas e outros personagens sacerdotais ou sagrados do oriente são designados – um manto sendo, por algum eminente sacerdote, jogado sobre os ombros. Eliseu provavelmente foi educado nas escolas dos profetas.

20 Então deixando ele os bois, veio correndo após Elias, e disse: Rogo-te que me deixes beijar meu pai e minha mãe, e logo te seguirei. E ele lhe disse: Vai, volta: que te fiz eu?

“Vá e volte”, respondeu Elias, “pelo que lhe fiz” – isto é, vá, mas tenha em mente a cerimónia solene que acabei de realizar em ti. Não sou eu, mas Deus, que te chama. Não permita que qualquer afeição terrena o impeça de obedecer ao Seu chamado.

21 E interrompeu de segui-lo, tomou um par de bois, e os matou, e com o arado dos bois cozeu a carne deles, e deu-a ao povo que comessem. Depois se levantou, e foi atrás de Elias, e o servia.
apanhou a sua parelha de bois – Tendo preparado apressadamente (2Sm 24:22) um entretenimento de despedida para sua família e amigos, ele deixou sua terra natal e se ligou a Elias como seu ministro.

<1 Reis 18 1 Reis 20>

Leia também uma introdução aos livros dos Reis.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados